quarta-feira, 15 de abril de 2015

Truque infalível.

Pelo menos cá em casa. 

A Irene passa o dia inteiro com ambos os pais em casa. Acho que é óptimo para ela. Às vezes, para nós, nem tanto. É difícil conciliar os timings de cada um de fazer as coisas e, acima de tudo, as crenças. 

Ironicamente, quando um de nós sai, a miúda come melhor e dorme a horas melhores. Enfim, mas estou em negação em relação a isso.

Sempre que um de nós saía, sempre que ela nos via calçados ou vestidos sem ser com os habituais pijamas (sim, não me visto para andar por casa, acho parvo ficar mais desconfortável só porque sim), ficava nervosa e a antecipar a nossa saída. A tal ansiedade da separação.

É mesmo a Irene, tirada pelo Pai.
Tirada, a fotografia, não tirada de dentro de mim que ele não é parteiro.


Claro que as mães e os pais que têm de deixar os bebés na creche têm muita mais experiência nisto da separação que nós, mas o meu marido, teve mais uma sugestão das boas (às vezes sai-lhe ;)). 

Estava eu a calçar-me para sair, a vestir-me e isso. A Irene já estava a perceber que me ia embora. Eu estava na sala a olhar para ela à espera de a apanhar distraída para sair de casa sem ela dar conta. No fundo, ia fazer como sempre. Sair e, quando ela reparasse, ia começar a chorar. 

O Frederico disse: "por que é que não vou com ela até à porta e ela te vê sair?". Assim fizemos e nem chorou.

As mães como eu vão perceber que fiquei um bocadinho triste por ela não ter chorado, do género "é assim tão fácil esquecer-se do amor da sua vida?". Por outro lado (eheh e agora a sério), ainda bem. Agora fazemos isso para tudo. Mesmo quando estou a adormecê-la à noite, tento não sair à socapa e digo "boa noite". 

Para quem não se quer separar de nós é, provavelmente, pior irmos de fininho sem dizer nada do que agir naturalmente. 

Com a Irene é assim.

Como é que vocês fazem? 

10 comentários:

  1. Bem, o nosso filhote começou a ir para a creche quando tinha quase um ano e nunca chorou quando nos íamos embora, até virava costas e lá ia todo contente! Agora que tem 18 meses é que lhe está a dar o faniquito e quando chega ao infantário e vê que vamos embora faz logo cara feia e começa a choramingar... acho que agora é que ele realmente percebe que estamos a ir embora, antes nem sabia bem quem ia e quem ficava, não percebia nada da coisa! Desde que lhe dessem leitinho e miminhos estava tudo bem. E também está numa fase muito mais agarrado a mim, em que quando saio de perto dele lá fica o miúdo a chorar porque me vou embora... custa um bocadinho, mas acho (espero) que seja só uma fase.... vamos lá ver!

    ResponderEliminar
  2. O meu ainda não sofre da ansiedade de separação mas sempre li em todo o lado que é importante não desaparecermos à socapa. Eu quando o deixo na creche despeço-me sempre dele, para criar já o hábito, embora ele ainda não se aperceba mt bem. Nunca aconteceu ele chorar, e nem sei como vou fazer qdo acontecer, acho que não consigo virar costas e ir embora... :(

    ResponderEliminar
  3. Não devias sentir-te assim ela fica com o pai não vais a entregar a estranhos, se ela te vê nervosa e ansiosa ela percebe e chora.

    Eu tive que o deixar no infantário faltava um dia para completar os 4 meses, andei a sofrer por antecipação durante 1 mês mas quando o dei mostrei-lhe segurança e despedi-me com um sorriso como sempre faço, hoje tem 15 meses nunca chorou fica todo contente ri-se diz-me adeus e manda beijinhos (quando quer).

    Como vai ser quando tiveres que a deixar todo o dia na creche? Vai se bem pior, pensa que não é nenhuma separação nem ela vai deixar de gostar de ti por a deixares umas horas :)

    ResponderEliminar
  4. Quando a minha bebe estava em casa íamos a porta os três e ela dizia adeus e nunca houve stress! Agora no infantário fica todos os dias bem só com um pormenor se me despedir dela com um beijinho ela não quer ficar! Tenho que dizer um adeus de fugida e ela fica bem e não chora!
    Acho importante desde muito cedo os bebes perceber que os pais vão trabalhar ou sair e que é perfeitamente normal.

    ResponderEliminar
  5. Vou experimentar. Também costumava sair à socapa.

    ResponderEliminar
  6. Eu nunca achei bem sair à socapa! A minha filha foi para o Infantário aos seis meses e custou-me mais a mim do que a ela! A maior parte das vezes ela fica bem, mas há fases (mais recente e ela tem quase 2 anos) que nem por isso. Até lhe inventei uma musica a dizer que o papá vai trabalhar, que a mamã vai trabalhar e que ela vai ficar na escola a brincar, (ela até acaba as últimas palavras) melhorou bastante, deixei de a cantar, ela está outra vez a se agarrar a mim.... culpa minha talvez, porque um dia ela chamou por mim e eu voltei atrás...como resistir? hein? Vou voltar a cantar pelo caminho...pode ser que resulte!

    ResponderEliminar
  7. Sempre achei que seria melhor que ele visse que eu ia a sair, porque depois pensava que seria pior se ele se lembrasse de me procurar e não me encontrasse. :) O meu filhote anda na creche desde os 5 meses e até hoje (quase com 4 anos) já passou por várias fases. Alturas em que ficava a chorar, outras em que a despedida tinha de ser rápida para ele ficar bem, e demorava algum tempo a conversar com a educadora a coisa já não corria tão bem. Alturas que ficava tão bem e contente e depois havia uns dias em que teimava que não queria ficar...Este ano a coisa tem corrido bem, tirando um ou outro dia em que se lembra de choramingar. Esta semana tem sido assim, quando é altura de eu vir embora começa de choramingar e depois ainda tenho de passar na janela para dar mais beijinhos e "mais cinco", e depois passa. Coração de mãe sofre! :)

    ResponderEliminar
  8. Olá, Joana!

    Nunca, mas nunca, saio sem me despedir, nem quando o deixo na creche, nem quando o deixava em casa com o pai e vinha trabalhar. Dou-lhe um beijinho e digo "Até logo!". Não faz com que não chore (para mal dos meus pecados), mas acho que, com o hábito, ele vai percebendo que a mãe vai, mas volta sempre.
    Já com o mais velho era igual.
    Ainda hoje não saio sem me despedir, seja dos filhotes, seja do marido, não porque fiquem a chorar, obviamente, mas porque nunca se sabe o que poderá acontecer no espaço de tempo em que estamos separados (infelizmente, sei tão bem do que falo... :( ).

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Na parte dos bebés nao posso opinar muito porque nao tive nenhum ... mas espero que nao se importe pela intromissão, achei absolutamente delicioso encontrar mais alguém que admite que em casa anda de pijama porque estar desconfortável so porque sim nao tem piada nenhuma, ha anos que sou criticada por esse facto, porque o nosso marido sai de casa e entra em casa e encontra a mulher de pijama, e depois admiramo-nos se arranjam outras lá fora ( juro que já ouvi isto e pelo pai do moço ), ou porque nem pensar, em casa temos de andar bem arranjadas, tal e qual como na rua ... ate conheço quem ande saltos a cozinhar e a limpar de domingo a domingo .... quem esta de pijama, credo que desmazeladas! Recuso me a rapar frio e a estar desconfortável na minha propria casa só para supostamente o marido nao arranjar outra la fora ( se ate a Claudia Vieira e a Heidi Klum sao trocadas, nao tenho a veleidade de pensar que é por usar saltos em casa que me safo! ) ou nao ter fama de desmazelada, ate mesmo se os pijamas tiverem pinta!! Obrigada por ter revelado este pormenor, ja tratei de enviar um copy-paste por msg a dizer, toma não sou a unica :P

    ResponderEliminar
  10. Vou só contextualizar primeiro: tenho uma irmã 18 (sim dezoito!) anos mais nova.
    Fui para a universidade (longe de casa) e ela ainda nem 6 meses tinha. Para ela é habitual eu estar longe, mas para tudo correr melhor ela vai sempre, sempre despedir-se de mim ao autocarro, caso contrário pergunta por mim a semana toda. Ficamos duas totós (principalmente eu, que ela ainda tem idade para tudo) a dizer adeus "duas horas" até o autocarro ir embora, a nossa tradição de domingo x)

    ResponderEliminar