sábado, 25 de abril de 2015

As vezes sinto que não fui feita para isto.

Não é um título enganador como outros que ponho para chamar a vossa atenção. Já há alguns dias que sinto isto à hora das refeições. Já tinhamos tido uma fase semelhante que também me custou ultrapassar, mas agora estamos noutra. Sinceramente, não tenho muita paciência para lhe dar de comer quando as coisas não estão a correr bem. Não me refiro ao facto dela não querer, isso já consegui falar com a Joana em mim e consegui atenuar ao máximo essas influências culturais de  obrigar a comer quando não quer. Ufa. Ficamos as duas muito mais felizes. 

Agora, o problema - que não é problema nenhum, devia ser só motivo de orgulho - é que ela quer começar a comer sozinha. Percebo que prefira muito mais comer com as mãos em registo BLW, mas preferia que fosse aceitando umas colheres também. E que atirasse menos comida para o chão. 

Obviamente que sou eu quem está errada, estou a dar o meu melhor para lidar bem com isto. Não quero que ela se aperceba que a mãe fica enervada sempre que ela suja o chão, sempre que atira a colher porque sei que não o faz por ser mal educada. É parte do processo, mas que custa, custa. 

Está grande a minha filha. Já quer ser ela a segurar na colher, a comer com as mãos, a tirar da taça (ou malga como se diz na terra da minha família materna). Estou desejosa que esta fase passe. 

E não percebo bem porquê porque limpar não custa assim tanto, mas fico enervada e ela acaba por não comer tão bem quanto queria. 

Grrrrr. Isto é um treino para coisas que me poderiam tirar mais do sério depois. É assim que estou a ver as coisas. 

Dizer baixinho e repetidamente: "estou a crescer com ela, estou a crescer com ela, estou a crescer com ela". 

10 comentários:

  1. Deixa lá que eu ainda tenho menos paciência, tu ainda deixas. O meu baby ainda não tinha um ano e já agarrava na colher para querer ele meter na boca mas aqui a parvalhona da mãe não gostou e chateava-se, conclusão agora manda-me à fava e nem tenta, a única coisa que faz é tirar da malga (aqui também se diz) e chapar tudo na cadeira ou no chão, mete à boca filho... é o metes. Uma boa maneira de me mandar àquele sitio... quase 16 meses.

    ResponderEliminar
  2. Sei bem o que isso é Joana.... A única forma da Laura comer agora é está com as mãos e sujando tudo à volta......

    ResponderEliminar
  3. Joana, deixa-a à vontade. É chato, eu sei, mas eles estão em aprendizagem. Nos primeiros tempos, era difícil entrar nesta minha cabeça de pedra, mas agora, há momentos com a colher, outros com as mãos... Já até fez uma birra para pegar no garfo! ahahah Felicidades

    ResponderEliminar
  4. O tabuleiro dessa cadeirinha sai? E consegue-se lavar muito bem facilmente? Se sim uma sugestão é esquecer taças e tacinhas, por a comida direta no tabuleiro e deixa-la atacar “à selvagem”. Sempre são menos taças cheias de comida no chão e ela sempre vai treinando a motrocidade fina :) E claro, depois é preciso lembrar que o tabuleiro na realidade é o prato da comida e não convém pôr toda a sorte de tralhas em cima entre refeições. E, já agora, preparar as avós com uma tranquilizante conversa prévia antes de as deixar assistir ao espetáculo pela primeira vez. :)

    ResponderEliminar
  5. E espero que nunca tenha de passar pela fase "vou comer com as mãos e mal termine vou coloca - las no cabelo e experimentar a taça como chapéu". É deveras uma fase também muito interessante.

    ResponderEliminar
  6. Eu não sou de acordo que se deixe fazer tudo. Sim dar-lhes oportunidade de explorar, mas como em tudo há regras. E ouvir não nunca matou ninguém. Dar-lhes um pedaço de pão ou algo para as distrair. Ou então estabelecer parcerias, primeiro eu e e depois tu. Explorar sim mas com regras como em tudo que lhe ensina certamente.

    ResponderEliminar
  7. Nem todos os dias são iguais, há dias que, por culpa nossa, estamos com pressa, ou já lhe dei o banho mais cedo etc etc, então acabo por lhe dar a colher e ter menos "paciência"...na maioria dos dias consigo dar-lhe a sopa e depois ele come em blw...ajuda muito se esqueceres as taças e colocares a comida na cadeira directamente, colocar algo aberto por baixo da cadeira (tipo um saco do lixo aberto)...vestir a miuda com uma camisola que possa sujar...e o banho vir sempre depois, assim já não há aquele drama de "oh não, estava com o cabelo tão lindo e perfumado e agora tem banana e está peganhoso"! penso que com o tempo compensa muito, eles aprendem, e nós podemos estar à mesa sem ter a preocupação de estar constantemente a enfiar mais uma colher, ou então dar-lhe tudo a ela e depois ficarmos nós a jantar...é tudo o que eu não queria!

    ResponderEliminar
  8. Quem me dera que a minha fizesse isso.
    Posso estar a exagerar, sujar assim tanto também não era preciso. Mas era sinal que tinha interesse pela comida, e no final das contas até comia qualquer coisa.
    2º prato praticamente não come nada, e a sopa é dada aos solavancos, enquanto canto, danço, faço sons de animais, mostro a TV, ofereço comida a "todos e mais alguns", só falta mesmo fazer o pino (secalhar é melhor não...).
    Deixe estar isso vai passar certamente :-)

    ResponderEliminar
  9. Quem me dera que a minha fizesse isso.
    Posso estar a exagerar, sujar assim tanto também não era preciso. Mas era sinal que tinha interesse pela comida, e no final das contas até comia qualquer coisa.
    2º prato praticamente não come nada, e a sopa é dada aos solavancos, enquanto canto, danço, faço sons de animais, mostro a TV, ofereço comida a "todos e mais alguns", só falta mesmo fazer o pino (secalhar é melhor não...).
    Deixe estar isso vai passar certamente :-)

    ResponderEliminar
  10. Deixe a criança explorar! Faz parte do desenvolvimento! A minha filha adorava esfregar iogurte nas pernas! Agora com 2 anos quase três como de colher sozinha e raramente se suja!

    ResponderEliminar