quinta-feira, 16 de abril de 2015

a Mãe desbronca-se (#02) - Mudar os filhos para o seu quarto.

Olá, amiguinhas! 

Isto faz-me lembrar uma revista de cariz católico que recebia por correio na casa da minha avó. Acho que se chamava "Olá, amiguinho" ou, então, só amiguinho.


Bom, pelos vistos é "nosso amiguinho". Pelo menos tem "amiguinho" no título, já não é mau.

Desculpa, Ana Sousa, pela desconversa. Vamos a isso, a Mãe desbronca-se!


Não acho que devas sentir qualquer tipo de pressão em por o miúdo a dormir no quarto dele. Nós estamos equipadas com uma espécie de intuição (que não é intuição, mas que se nos apresenta como tal) que  nos orienta a tomar algumas decisões. Parece que isto não faz sentido nenhum e, provavelmente, não faz. Não me estou a conseguir explicar. Basicamente, se te sentes nervosa e ansiosa é porque, quase de certeza, não estás preparada para o fazer e poderá mudar muito a vossa dinâmica relacional. Por outro lado, se decidiste porque sim, sem pressões, mesmo que custe um bocadinho, quer dizer que está na altura. 

Segundo o que a Joana Paixão Brás me contou, vão passar todos a dormir melhor. É mais chato para quem amamenta fazer mais uns metros até ao quarto do lado mas, passado uns tempos, o teu cérebro ajuda-te a apagar esses momentos e já nem te lembras bem de quantas vezes te levantaste.



Algo que me ajuda muito é materializar esse tipo de sentimentos. Tens medo que ele cresça e deixe de precisar tanto de ti? Tens medo de não o ouvir? Ou é só uma ansiedade sem grande fundamento mas que te faz ficar com o coração acelerado? É receio da mudança, só porque sim?

Pensa que, lá por dormir lá uma noite, não quer dizer que durma todas (embora, o melhor para ele seja não andar a saltitar). Acho que podes experimentar e ver como te sentes. É como se fosse uma sesta durante o dia. Ele está a dormir noutro sítio e tu estás a fazer "a tua cena" no teu quarto. Não vejas como uma separação. Vê só como mais um momento de independência de ambos. 

Eu não lidei muito com essas emoções porque passei a Irene para o quarto dela logo no 2º dia de vida. Confesso que talvez tenha sido por babyblues e talvez agora tivesse ficado com ela no quarto e até dormisse comigo, mas não me "arrependo" da decisão. Não senti que lhe tivesse feito confusão, a mim também não fez. 

É mais um daqueles casos em que "a mãe é que sabe". Pergunta por que é que estás a tentar dialogar contigo própria no sentido de o pores no quarto dele. Tenta perceber se a razão é importante. Depois experimenta, mas não sem antes te esclareceres que não estás a abandonar o teu filho, que não ficam menos amigos, etc. 

É só dormir noutro sítio. Vais lá na mesma quando ele te chamar :)

Sabes como a Irene e eu somos chegadas e ela nunca dormiu no nosso quarto. 

Olha, até podes ler um post que escrevi há muito tempo aqui

Depois conta-nos como correu, sim? ;)

Beijinhos e boa sorte! ;)


Nota: Atenção que não sou especialista no assunto, sou só uma mãe, mas vou convidar a Verina Fernandes da "Sono de Sonho" a comentar isto, talvez dê uma boca dica. Fiquem atentas aos comentários.

A Ana Sousa fez uma pergunta ali no sítio da nossa rubrica. Querem fazer o mesmo? 

12 comentários:

  1. Tenho dormido melhor desde que ele dorme no quarto dele.

    ResponderEliminar
  2. Eu sou daquelas mães que lê muitas coisas para se informar e ouve algumas opiniões mas pouco as segue. Sigo mais aquilo que eu acho que será melhor para mim e para o meu filhote. Mesmo que digam que é melhor assim, se eu acho que é melhor assado, faço assado :) e relativamente à questão de pôr o filhote a dormir no quarto dele, só o fiz quando achei que eu estaria preparada, já ele tinha quase 2 anos. Tinha receio de não o ouvir durante a noite, não estava para me levantar todas as vezes que ele chamasse...foi mesmo comodismo de minha parte. Se dormimos melhor depois de ele estar no quarto dele? Talvez, umas vezes sim, outras não...cansava-me mais ter de levantar para lá ir a meio da noite porque por vezes despertava e era uma chatice para eu adormecer. Por isso Ana Sousa, se ainda não te sentes preparada, não o faças ainda, mas não te sintas culpada nem maluca com isso, é normal. Pensa bem nisso e quando o fizeres tens de estar convicta disso. Eu o que tinha mais receio era não ouvi-lo, mas ouvi-o :) E oiço sempre! Coração de mãe é que sabe! Bjs

    ResponderEliminar
  3. A Alice foi para o quarto dela quando fez 3 meses. Decidi fazê-lo porque acho que nenhuma de nós conseguia dormir nada de jeiro.
    A respiração dela muito forte incomodava-me e sempre que se mexia o meu coração disparava, pensado que ía acordar (mais uma vez).
    Acho que ela também não dormia bem, talvez também se sentisse incomodada com o meu dormir.
    Não me arrependo e acho que foi mais fácil pois ela era tão pequena que nem deu muito pela mudança.

    ResponderEliminar
  4. Eu passei o meu aos 9 meses e correu muito bem, mas é claro que há noites que vem parar à nossa cama!

    Tenho outra questão: qual a vossa opinião acerca das mães viajarem no banco de trás?

    ResponderEliminar
  5. Passei o meu filho para o quarto aos 6m... achei que estranharia menos pois ainda não tem completa noção de espaço. E de facto não estranhou absolutamente nada (estranhei eu...) e se calhar até tinha passado mais cedo pois começou a dormir bem melhor... se calhar acordava connosco a mexer-nos ou a ressonar (ahaha)...

    ResponderEliminar
  6. Mudei o meu aos 4 meses e correu muito bem! Realmente há noites que não me lembro quantas vezes me levantei para lhe ir dar a maminha! Pensei que só acontecia comigo ;)

    ResponderEliminar
  7. A minha bebe ate aos 4 meses dormia do nosso quarto, mas nunca na nossa cama. Passei-a para o quarto dela aos 4 meses. Por mim passava bem mais cedo, mas o meu marido nao queria... So o consegui convenser passados 4 meses �� na minha opinião quanto mais cedo melhor. Dormiu logo toda a noite que foi uma maravilha ��

    ResponderEliminar
  8. Tenho 3 filhas. A duas mais velhas 7 e 2 anos dormem sozinhas, a mais nova de 5 meses dorme na cama no nosso quarto. Estou a planear a mudança aos 6 meses! Estou mas não sei ainda porque ela e muito mimosa e gosta de acordar e ficar a falar falar comigo.
    .. As irmãs dormem e nem dão por ela!

    ResponderEliminar
  9. Obrigada Joana pela resposta, ate fiquei emocionada�� sou educadora e tinha montes de teorias, mas o meu amor pelo Pedro desnorteou me as ideias! Vou tentar de novo este fim de semana. Depois conto vos!

    ResponderEliminar
  10. Alguns especialistas recomendam que a transição do bebé para um quarto próprio se dê por até aos 6 meses de idade. A partir desta idade, a criança explora mais o mundo, começa a testar os seus limites e, com isso, nasce o receio do desconhecido. Estes medos podem dificultar a aceitação de um novo ambiente de sono que, como se não bastasse, fica afastado dos pais, que são os pilares de segurança para o bebé.

    Outro especialistas aconselham a transição a partir do momento em que deixa de ser necessário mamar durante a noite (por volta dos 8/9 meses).

    Não podemos esquecer, contudo, que o sono do bebé é um momento de separação. Por isso, para ser vivenciado de forma saudável e sem dramas, tem que existir uma sensação de segurança em ambas as partes (pais e filhos). A resposta da Joana Gama é perfeita, no sentido de apontar para a necessidade de gerir bem todos os sentimentos envolvidos nesta fase de transição, de "olhar bem para dentro" e de encontrar respostas.

    Leiam os números como uma orientação, não como uma imposição. Cada família tem a sua cadência. "O caminho faz-se caminhando".

    E depois é só usufruir de mais uma nova fase da vida do bebé; senti-lo mais crescido ("ainda há umas semanas atrás, ocupava um terço da cama e agora...!") e emocionalmente mais seguro (os pais é que lhe transmitem isso, é obra vossa!).

    A criança que dorme bem no seu quarto sabe que os pais continuam a amá-la, ainda que fisicamente distantes, da mesma forma como a acolhem no seu colo. Não é um passo mais longe, é um passo em frente no desenvolvimento e na maturação da relação entre pais e filhos. Principalmente quando feito no tempo certo!

    ResponderEliminar
  11. No meu caso, passei-o aos 9 meses, foi uma questão de timing. Quando fez 6 meses era Junho, íamos uma semana de férias em que tinha de dormir nosso quarto, em Julho mais uns dias, depois as férias grandes + ficar a dormir uns dias na casa dos meus pais, então para não andar "dorme sozinho, agora dorme com os pais, agora dorme sozinho outra vez..." decidimos assim. Dia 1 de setembro foi o dia, uns dias antes dos 9 meses :)

    ResponderEliminar
  12. Mudei a minha perto do ano, mas se soubesse o que sei hoje tinha-a mudado mais cedo.Ainda amamentava mas passamos todos a dormir melhor.O importante é não ficar com sentimento de culpa porque acabamos por transmitir todas as nossas inseguranças. E claro, quanto ao medo de não os ouvir, isso não acontece. O instinto maternal não dorme!

    ResponderEliminar