sexta-feira, 10 de abril de 2015

Caraças, mordeu-me a mama!

A minha filha mordeu-me!!! O que é que tem de estranho? Ora deixa cá ver... talvez o facto de ter sido na mama. Talvez o facto de eu já não amamentar. Talvez o facto de eu estar vestida, com uma camisola interior e uma camisola de lã. E ainda de eu não ter mamas protuberantes, mas sim uns saquinhos de chá.

Mesmo assim, a Isabel achou que ali era um bom sítio para se estrear na arte da mordidela. A minha reacção foi gritar, porque a catraia me apanhou completamente desprevenida. Achava eu que ela estava só a esfregar a cara no meu peito, depois do banho, a pedir colinho para ir dormir e zás.

A minha grande questão é: esta fase, que ainda só agora começou, dura quanto tempo?!
Como se reage a isto? Como lhes explicamos que aquilo não é boa ideia?

Ajuda, precisa-se!

7 comentários:

  1. Gostava de ajudar mas a minha ainda nao nasceu e por isso nunca passei por tal coisa , mas acredito nao ter sido uma sensaçao muito agradavel . Boa sorte ;)

    ResponderEliminar
  2. Não quero que tenhas pesadelos imagina eu quando dava de mamar e aqueles dentes a romper o mamilo até deitar sangue, não a peste não era nenhum drácula, não é agradável mas quê é o nosso menino e aguentei até secar a fonte :D

    ResponderEliminar
  3. Eu ainda dou mama por isso é um pouco diferente. Mas a minha estratégia era cada vez que ele começava a ferrar ou ferrava mesmo levava um puxão de orelhas. Não o garoto nem ficava vermelho só o suficiente para ficar desconfortável. De vez em quando tenta mas muito menos

    ResponderEliminar
  4. Acho que a duração da fase depende das crianças. Algumas têm mais tendências para morder do que outras. Felizmente o meu filhote quando experimentou algumas vezes levou sempre um ralhete de minha parte e olhos bem abertos e deixou-se disso. :) Experimenta dizer-lhe que não se faz e faz cara de zangada e explica que dói. Com o tempo pode ser que perceba. Senão olha, experimenta morder-lhe ao de leve para ela perceber que dói (ahahah, esta era a brincar! Mas há situações que até resulta).
    Só por acaso, hoje levei uma dentada no dedo...chiça que doeu e deu um berro valente no restaurante, mas foi pura distração de mãe e filho, o inocente pensava que estava a trincar o pão :)

    ResponderEliminar
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  6. Eu fiz precisamente o mesmo aos 7 meses. Mas estava a mamar e sorri antes de o fazer.
    Como acto reflexo ao que fiz, levei um estalo, que foi seguido de uma hora de choro convulsivo por parte da minha mãe que ficou em estado de choque com o que tinha feito. A verdade é que nunca mordi em ninguém, coincidência ou não.
    O meu irmão do meio por volta dos 3/4 anos mordia a toda a gente e uma vez mordeu a mão da minha mãe enquanto ela falava comigo. pedagógicamente bom ou mau, a minha mãe decidiu fazer-lhe precisamente o mesmo.
    A mãe é que sabe.
    ...De tal maneira que nunca mais mordeu!

    ResponderEliminar
  7. Olha, o melhor mesmo é explicares que não se faz e que dói. Sempre! Vai durar o tempo que tiver que durar, no Manuel demorou imenso tempo, e nem com uma palmada foi lá... Por isso...
    O que me apercebi com o Manuel é que ele achava piada à nossa reação, daí o fazer, e também o facto de eu morder-lhe os pés ao trocar a fralda ou os a barriguinha quando estávamos na galhofa. como eram de amor provocavam cosigas em vez de dor e ele tenta fazer o mesmo. Se calhar vocês fazem o mesmo inconscienteme...
    Mais tarde ele também usou a dentada como forma de se defender de outras crianças...
    Dai eu dizer: muuuuuita paciência e ir repetindo... Ela vai entender...

    ResponderEliminar