sábado, 4 de abril de 2015

Sexo até mais não

Nada disso. Era só propaganda enganosa para lerem o post. 
Então eu e o meu senhor fomos ontem ao cinema (coisa que era o nosso passatempo preferido, mas desde que a miúda veio ao mundo, ficou para oitavo plano). 

No intervalo, com 1% de bateria - sim, sou a pessoa que nunca controla bem esta coisa e não se precavê antes de sair - consegui falar com as 'migas. 



E assim resumi um filme. Quanta eloquência, que poder de resumo sem igual, que crítica de cinema que eu dava!...

Não, o filme não é um 50 sombras de Grey  (não vi, fui eu a única?) nem nada que se pareça. É um romance de época, como eu gosto. De vez em quando o cinema estremecia com aquilo que achámos ser o vizinho Fast and Furious, mas eu estremeci com esta história de amor. Uma francesa, que vivia com a sogra porque o marido tinha ido para a guerra, recebeu em casa um tenente alemão, em 1940. Estava-se mesmo a ver onde isto ia parar. Que coisa linda isto dos amores impossíveis. 

O que eu previ no Wattsapp não aconteceu, mas nem foi preciso.

Obrigada mãe, por teres vindo à noite só para ficar com a Isabelinha! Senti-me uma adolescente, de mãos dadas, no escurinho do cinema. É tão bom namorar. Com ou sem sexo até mais não, como no filme.

Sem comentários:

Enviar um comentário