quarta-feira, 1 de abril de 2015

8h30 e já estávamos na praia.

Como sabem (presumo eu que sigam muito aquilo que eu escrevo e não abram os meus posts só por engano a pensar que são da outra Joana) estou em casa com a minha filha até Outubro deste ano. E uma das coisas que me passa todos os dias pela cabeça é aproveitar este ano ao máximo. Já começo a ficar com saudades e a sofrer por antecipação - acho que me vai custar muito mais agora voltar a trabalhar do que quando ela tinha 6 meses. A única vantagem de sofrer por antecipação é a de ter consciência que o tempo escasseia. Que ela nunca mais voltará a ter 1 ano e 15 dias. Que, provavelmente, nunca mais terá a mãe tão disponível para ela a não ser quando se reformar (e aí não quer a mãe por perto) ou quando a mãe for despedida. 

Todos os dias penso que tenho de aproveitar. Que tenho de sair. Que ela não pode estar em casa sempre a babar o mesmo pedaço de chão. Nem sempre dá por causa dos sonos, das birras, dos almoços, mas sempre que dá, vai-se (às vezes não me apetece despir o pijama, confesso). 

Hoje fomos à praia. E tenho a certeza que não fui a única a gostar. Gostámos os três. 


Ela adorou arrastar-se pela areia. Não teve medo nenhum, ao contrário de quando a lá levei aos 7 meses. Claro que ficou um autêntico panado, mas do que se está à espera?

Depois mostro as fotografias que tirei com as minhas máquinas lomo, tenho de ir revelar! Estou cheia de piquinhos para ir, mas agora tenho de ver se a miúda dorme e depois se come e talvez à tarde.  Assim parece que sou daquelas mães que não quero mostrar a cara da minha filha. 











3 comentários:

  1. Uma maravilha poder estar com eles sem horários!

    ResponderEliminar
  2. Verdade ;) ;) Desde que ELES tenham horários, tudo se faz ;)

    ResponderEliminar
  3. Eu também estou em casa com o meu bebé e quase todos os dias vamos ao parque ou passear. Praia infelizmente fica muito longe...

    ResponderEliminar