terça-feira, 13 de outubro de 2015

Método infalível para adormecê-los!

Propaganda enganosa. Nunca acreditem em nada que use a palavra "infalível", não descobri o Santo Graal. Mas tenho a certeza que esta ainda não tentaram! E, já sabemos, nisto de fazer com que eles durmam vale (quase) tudo. Menos deixá-los chorar desenfreadamente sozinhos, vá. Muito menos deixá-los vomitar de tanto chorar. Ou, como sugere uma certa escritora num maravilhoso e extremoso livrinho de dicas, não se limpa o vomitado, que eles têm de dormir assim. Tão bonitinho, tão digno, tão humano... Também não vale dar-lhes uma traulitada. Nem regar o frango com gin, ao jantar. Nem pô-los a dormir ao relento. Vá, já chega. Juro que isto NUNCA me passou pela cabeça. JURO! (Ou já? Agora ficam na dúvida, que se lixam).

A Isabel já dorme a noite toda (isto nem é bom dizer, que já sinto as orelhas quentes). Vá, vou refazer, e é verdade, dorme, desde que não tenha fome nem dores de dentes, até às 08h30, mas adormecê-la é o (nosso) calcanhar de Aquiles. Quer conversa e mais conversa, quer histórias atrás de histórias, refila que quer mãe e pai e mimo, mas depois também não quer adormecer no colo e esperneia. Acho que nem ela sabe bem o que quer. Mas, cá em casa, tentamos não deixar passar das 21h30, é o limite dos limites, senão acorda de manhã rabujenta. Às vezes adormece em 10 minutos, outras vezes em 45. Teve fases que nem 5 minutos demorava, mas são isso mesmo, fases.

Normalmente adormece com palmadinhas no rabiosque, deitada na cama dela. Adormeceu uma vez com festinhas nas costas. Outra vez com festinhas na cabeça. Agora desata-se a rir e acha que lhe estou a fazer cócegas. Já chegou a adormecer com músicas religiosas de Taizé, interpretadas por essa grande soprano que é a mãe dela. Já adormeceu várias vezes ao som do "Encosta a tua cabecinha no meu ombro e chora.... e conta logo as tuas mágoas todas para miiiiiiiiim" (sim, Onda Choc). Das últimas vezes, inventei um rap "Era uma vez um gato maltez, falava chinês e tinha umas botas nos pés"...

Cá vai o que descobri. Quando mais nada resultou, mesmo tendo misturado tudo no mesmo cocktail, vou dizer-vos qual foi a receita milagrosa! Podem tentar que é inofensivo:

MASSAGEM NAS MÃOS! Como é que só experimentei isto ao fim de 19 meses?!

Sabem quando vão arranjar as unhas e a esteticista vos faz uma massagem nas mãos que faz com que o queixo caia automaticamente, começam a babar-se todas e a sentir um quentinho dentro de vocês? (E depois até pedem aos maridos para tentar fazer igual, mas eles, coitadinhos, parece que estão só a passar o espanador, sem convicção nenhuma?)

Pronto. Estava a achar que seria mais uma tentativa furada e já estava a ficar toda dormente, dobrada em cima da cama de grades dela, mas resolvi experimentar. Primeiro não quis, depois disse-lhe "é bom, filha". Ela deixou. Comecei a ouvir a baba a escorrer. Comecei a ouvir a respiração a acalmar. E adormeceu.

Segundo dia. Passei as fases todas das canções, que já lhe tinha contado duas histórias a meia luz. Fiz só um shhhhhh e massagem nas mãos. Adormeceu.



Tentem e digam-me como correu, vá lá. :)

26 comentários:

  1. Bem. Pelos vistos não lemos o mesmo livro. Ou então alguém andou a ler excertos na NET. Típico. Aquele exemplo do vómito é de um caso específico e a solução encontrada pelos pais + escritora foi aquele. afinal não é a mãe é que sabe? Ou é a mãe é que sabe só quando as Joanas concordam?
    Digo isto porque conheço a família em questão esses comentários do vómito passam todos ao lado do que eles infelizmente passaram :(
    Agora a técnica das festinhas das mãos. Vou experimentar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. “Técnica do vómito” ...Olhe deviam era ser denunciados à Comissão de Protecçao de Menores.

      Eliminar
    2. "A mãe é que sabe o que não faria", mesmo com todos os contextos do mundo. Não li o livro, é um facto, mas só pela descrição de varias partes percebi que não me iria identificar. Nesse caso específico, a criança vomitava e a solução encontrada foi uma com a qual eu não me identifico de todo! Para mim os meios nem sempre justificam os fins. Se a Filipa é extremamente inteligente, escreve bem e ajuda muito boa gente por aí, acredito que sim. Se o meu coração de mãe discorda de parte do método (concorda com a parte das rotinas, claro), sou certamente livre de o expressar, principalmente no meu blogue. Sou mais pró Contança Ferreira, Carlos Gonzalez (bezame mucho), Rosa Juvé (dormir sem lágrimas).
      Beijinhos

      Eliminar
    3. Não estou a ver qual é a escritora nem o livro, mas acho que isso de deixar dormir a criança no vomitado é coisa de gente doentia. E penso que a senhora também não conseguiria dormir no seu próprio vómito, então porque sujeita a criança a isso? É como as que deixam as crianças dormir todas mijadas porque acham que isso vai fazer com que a criança deixe de urinar. Não faz. O que faz é humilhar a criança. Tal como disse não conheço a situação mas não vejo nenhuma em que esse acto seja justificável. Infelizmente as crianças têm que gramar com os pais que têm mesmo que estes sejam malucos.

      Eliminar
    4. essa é que é...há muita criança em más mãos, nem gosto de pensar

      Eliminar
    5. Se fosse eu a conhecê-los, punha-lhes era a CPCJ em cima. Inadmissível, desumano, cruel! A mãe é que sabe, mas há limites! Há bom senso! Ou devia haver...

      Eliminar
    6. Calma é preciso saber o contexto. Este tema é muito perigoso porque cada caso é um caso.
      Acho que se o meu filho chorasse tanto que vomitava não o deixava com vómito a dormir. Mas, se ao fim de uns tempos eu percebesse que ele vomitava para chamar a minha atenção e o fazia todos os dias, talvez tomasse uma decisão mais radical.....As coisas não são lineares e não se ponham a apontar dedos a histórias que nem conhecem.

      Gosto de ler alguns posts deste blog, mas acho que vocês julgam muito. Ou porque não dá de mamar, ou porque trata os filhos por você (seriously?), ou porque aplica esta ou aquela técnica....enfim.

      Eliminar
    7. "No entanto, e se o seu filhote for como a Francisca - uma criança que aprendeu que vomitando atrasa a hora de dormir e que incomoda os pais -, proponho-lhe outra coisa. Vai, provavelmente considerar uma medida muito dura (e é, principalmente para as mães mais preocupadas, como eu), mas é bastante eficaz. Se, e apenas se o seu filho vomitar recorrentemente a cada contrariedade diga-lhe que, nessa noite, ele vai dormir com a cama suja porque não vai limpar nada. E faça-o. Encha-se de coragem, respire fundo e faça-o. Vai ver que é remédio santo."
      A passagem está no livro "10 dias para ensinar o seu filho a dormir" de Filipa Fernandes. Li-o quando a Luana tinha uns oito meses, numa fase péssima e acho que na altura nem registei bem o conteudo. Todos falavam bem do livro e eu não me apercebi das sugestões horriveis que continha. Achei mesmo que era a forma certa, tentei aplicar, claro que não resultou porque o que eu tinha era um bebe´e não um relógio e mal começava a chorar (e não, não se acalmava na cama comigo a dizer "a mamã está aqui") eu sentia que aquilo nunca ia funcionar. No fundo este método não é mais que um método Estivell disfarçado. Mais tarde descobri as maravilhas do cosleeping e foi num grupo do Facebook que vi referencias a este trecho. Confesso que fui das que não acreditei que era verdade, como há aqui algumas mamãs. Tinha o livro em casa, fui reler e lá estava. Reli outras passagens e percebi também a forma como o discurso é manipulador para nos levar a achar aceitavel o que no nosso juizo normal seria simplesmente inaceitável!!! Esta autora é extremamente inteligente Joana sim, aparentemente nunca antes trabalhou com crianças, ninguém sabe bem que formação tem nem de onde, e posicionou-se como especialista no prazo recorde de dois anos, livro incluido. Nesse grupo, como a mentira tem perna curta descobriu-se que ela andou até a consultar outras especialistas enquanto já dava consultas às mães. Foi assim que copiou o estilo fofinho de uma (já aqui referida) e as técnicas de uma outra.....Desculpem mas acreditar que dormir no vomitado é uma espécie de "técnica"!!!! Isto não é uma recomendação minimamente humana, nem aqui nem na lua ou em marte! Concordo com a Joana. :( Beijinho

      Eliminar
    8. Anónimo das 15:51

      Aconselho-a a reler o texto em que falo de tratar os filhos por você e verá que não há qualquer julgamento, pelo contrario. Há até uma análise quase sociológica da coisa, sem grandes juízos de valor e compreensão. (Mas sim, julguei, julguei no texto quem trata os cães por você. E agora? C'horror! Tenho de escrever aquelas verdades de La Palice que agradam a todos: desde que os tratem bem os animais, isso não tem importância nenhuma). Pronto.
      Relativamente a este caso do vomitado, tem toda a razão, na parte em que diz que cada caso é um caso. Mas eu posso não me identificar com algumas práticas! As mães antigamente davam sopas de cavalo cansado aos filhos e gostavam muito deles, apenas não tinham grande noção de que poderiam não estar a fazer algo prejudicial para eles. Neste caso, parece-me até perigoso para um caso grave como esse (ter uma criança que puxa o vomito para atrasar a hora de ir dormir) e: ir consultar alguém que não é médica, não tem grande currículo na matéria, nem tem anos de experiência e seguir à risca as recomendações, que são o que são. Sem ir se calhar à raiz do problema. Se me explicassem que tentaram tudo antes, vários médicos e especialistas, que tentaram outras formas, como pôr a criança a dormir com eles... Para mim há muitas formas válidas para resolver a questão do sono. Abandonar uma criança no meio do vomitado, não é uma delas. Resolveu a questão, a que custo? Que mazelas ficaram naquela cabecinha e naquela relação?
      Essa coisa do não julgar é muito bonita e cristã, mas é a partir dos outros casos que vamos definindo as coisas com as quais nos identificamos e queremos trazer para as nossas relações e as que não queremos. E, mais uma vez, estamos perante um blogue pessoal, de opinião, às vezes humorístico outras vezes bastante sério. Algumas pessoas identificam-se, outras serão pró deixar a criança no vomitado para ela aprender a lição e para parar de chamar a atenção. Que pelos vistos há. Pluralidade.

      Eliminar
  2. Opa revejo-me completamente no teu filme ;) mas concordo são mesmo fases! Vou experimentar esta técnica e depois partilho;)

    ResponderEliminar
  3. Aiiii vou tentar eu também sou mega fã de massagens nas mãos!!! 🙏🏼

    ResponderEliminar
  4. Desde de sempre que quando Isabel tem fases menos boas para adormecer só resulta assim, mas quem dá as massagens e ela. Agarra a nossa mão e faz festinhas até adormecer e aí quem fica a babar sou eu :)

    ResponderEliminar
  5. Desde de sempre que quando Isabel tem fases menos boas para adormecer só resulta assim, mas quem dá as massagens e ela. Agarra a nossa mão e faz festinhas até adormecer e aí quem fica a babar sou eu :)

    ResponderEliminar
  6. nunca experimentei e também nunca me passou pela cabeça!!

    ResponderEliminar
  7. Não conhecia essa história do vomitado mas parece-me absurda, por muito que os pais passem, que apesar de não ter tido nunca problemas com as noites mal dormidas, tenho empatia para reconhecer que possam ser péssimas. Sobre as massagens nas mãos, também gosto tanto dessa parte da manicura... Já pedi ao marido para fazer as tais massagens mas não é a mesma coisa!

    ResponderEliminar
  8. Eu não sei quem é a tal Filipa, porque não vivo em Portugal, mas não é nada de muito original essa de deixar vomitar e de não limpar o vómito. Há mais do que um autor de língua inglesa que sugere isso. Há também a variante de limpar o vómito sem se olhar para a cara do bebé. Eu como não concordo nada com o nome deste blog (acho que sinceramente como mães sabemos muito pouco), vou discordar também do comentário do primeiro anónimo, porque por mais problemas que se tenham, os meios não justificam os fins. Porque é que não lhe deram um sedativo então? Acho que também seria uma solução para o "problema" (ponho aqui entre aspas porque acho mesmo que existe uma pressão social enorme para ser atingir objectivos impossíveis). Um bebé é um ser humano com os mesmos direitos à dignidade que um adulto. E é sim indigno deixar uma pessoa (independentemente da sua idade) dormir cheia de vómito (ou acha que a sua avó com Alzheimer podia dormir assim na casa de repouso ?) . Isto dito por uma mãe que não dorme uma noite completa e mais de 5 horas no total há 15 meses (quer dizer, hoje dormi porque bebé ficou com o marido enquanto vim a uma outra cidade a trabalho).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. realmente. o sedativo era mais humano...
      este mundo esta perdido

      Eliminar
  9. Ainda bem que não sou a única que não conseguiu ainda que o seu filho de 2 anos adormeça sozinho... Ainda bem que não sou a única a achar que deixá-lo a chorar convulsivamente até que adormeça de cansaço seja método para que ele aprenda a adormecer sozinho. Ainda bem...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana Pereira, o meu filho faz 15 meses amanhã. Ainda não dorme sozinho, não adormece a chorar (adormece encostado a mim) :), e muitas vezes, quase todas vá, a meio da noite vêm dormir comigo e com o pai :). todas as crianças são diferentes e para o Sam e para mim é isto que resulta. Mais mimos e menos noites sem dormir a levantar-me 6 ou 7 x porque entretanto o irmão tb acordou :D

      Eliminar
  10. Hoje em dia as pessoas vivem obcecadas em apresentar resultados, os deles fazem, os deles vão, isto e aquilo, soa me a competição...nem que para isso vomitem e durmam vomitados...só por isto não é valido.

    Há crianças mais fáceis do que outras, e os pais tem que se aguentar, temos pena, arranjem soluções para eles adultos, revezem se, peçam ajuda à avó, um dia eles crescem e tudo passa.

    E posso falar, porque o meu filho para dormir é um castigo, resiste ao sono, e eu ando podre, mas ele anda feliz!
    Nós é que somos os adultos por amor de DEUS!

    As pessoas não querem filhos, querem robôs que possam programar a seu belo prazer e mostrar os resultados aos amigos...
    Não querem ter trabalho e fazer sacrifícios não tenham filhos! Simples.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bom, anónimo, há quem não tenha ajuda (os avós moram longe), há quem não saiba o que fazer no meio de milhões de conselhos (bem-intencionados), há gente que não aguenta com o sono (é uma forma de tortura, essa privação, não sei se sabia).
      Eu sou mãe de uma criança que passou a ter vómitos compulsivos a partir dos 4 meses de idade. Entre o 1 e os 3 anos, entre a meia-noite e as duas da manhã, ele vomitava TUDO o que tinha comido durante o dia pela ordem inversa pela qual entrara na boca (isto retirando os vómitos da "colher a mais" nas refeições), de tal forma que eu tive de esfregar lençóis e direito a banhos noturnos durante meses (às vezes semanas seguidas). Naquela fase em que as crianças engordam aos quilos, o meu engordava em gramas. Fizemos exames exaustivos, análises, endoscopias e etc. Nada. Na verdade, confirmou-se aquilo que sempre achámos, desde que ele decidiu, no dia a seguir ao primeiro aniversário, deixar de mamar (era só a mamada da manhã e a da noite, que era aquilo que mais ou menos ele ainda "comia" com gosto): que tivemos um filho com uma personalidade muito marcada pela teimosia, o qual, não sabendo falar, exercia o seu direito de participação no mundo vomitando. Tentámos de tudo mas, na realidade, só parou no dia em que, depois de ele ter feito uma birra em casa por um motivo qualquer, vomitou e não fomos a correr limpá-lo. Esperámos até ele se acalmar e parar de chorar e, depois, ele foi lavar-se e mudar de roupa sozinho e, a seguir, limpar o chão do quarto, fazer a cama de lavado e limpar o chão da casa de banho. (Bom, depois fomos limpar melhor sem ele reparar) Foi duro? Foi. Deu resultado? Bem, sim. Eu tenho para mim que achar que podemos falar porque temos um filho difícil não é a melhor política: eu, por exemplo, sei o quanto aguento, mas não sei o quanto qualquer outra mãe aguentaria. Eu aprendi, à minha custa, com tempo e com tentativas (e erros), como "dar a volta" ao meu filho; mas não sei se conseguiria o mesmo com outras crianças ou, até, com um segundo filho (ou terceiro, ou...) E, por vezes, não é uma questão de não querer ter trabalho: é apenas o quanto alguém suporta, até chegar a pena que o derrube.

      Eliminar
  11. Já tinha experimentado essa técnica. acho que é como todas as outras. funciona... às vezes :) mas seja como for ele gosta dos miminhos e eu tb.

    ResponderEliminar
  12. Fico doente só de pensar que existem pessoas que acham bem provocar sofrimento nos bebés apenas porque acham que o bebé deveria saber adormecer por si só e não precisar de mimo, a essas mesmas pessoas intituladas especialistas, sugiro que durmam também uma noite inteira em vómito sem chorar nem espernear e ainda perco mais a fé na humanidade em geral quando vejo notícias deste calibre:http://www.cmjornal.xl.pt/nacional/portugal/detalhe/esbofeteiam_bebe_e_chamam_lhe_cao.html

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. nem tenho coragem de ir ver :(

      Eliminar
  13. O meu adormece agarrado a minha mão e braço quando está na cama dele ou com uma mão no meu peito quando está no colo.

    ResponderEliminar
  14. Cada criança é um caso e todas passam por diversas fases diferentes.
    A minha filha está a caminho dos 3 anos. Aos 4 meses, quando saiu do breço, foi dormir para cama de grades no quarto dela, sozinha e dormia já as noites todas seguidas. Até por volta dos 14 meses as noites foram uma maravilha, depois começou a acordar durante a noite, chorava muito e eu tinah que a ir buscar para a cama dos pais. Com dois anos e meio acabámos com a cama de grades e veio a cama nova. Logo na primeira noite quis dormir sozinha na cama nova, dormiu toda a noite e não acordou. Muitas noites se seguiram, adormecia sozinha e dormia a noite toda na cama nova que era uma maravilha. Depois das férias de Verão, tudo mudou... agora já não adormece sozinha, temso que lhe fazer companhia até adormecer e todas as noites acorda e vem ter à nossa cama para dormir o resto da noite.
    Já tentei várias estratégias mas está difícil, por isso vos digo, cada criança é um caso e espero que esta etapa passe depressa porque já tenho saudades de dormir uma noite tranquila e sem pontapés :)

    http://blogdababym.blogspot.pt/

    ResponderEliminar