quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Embrulhem!!! Eu tinha razão!

Cada vez tenho mais a certeza de que só precisamos de lhes dar tempo e espaço. E, acima de tudo, seguirmos o nosso coração.

Em agosto, escrevi isto: A minha filha não fala puto!

Perguntei-me uma ou duas vezes se não a estaríamos a estimular decentemente para que ela começasse a falar, mas sinceramente nunca estive muito preocupada com o desenvolvimento cognitivo dela (sempre foi uma espertalhona do caraças, até quando parecia uma planta), mas estava em pulgas para ouvi-la falar. 

Algumas pessoas disseram-me que, para contrariar a preguiça dela, teria de deixar de lhe fazer os favores, ou seja, se ela me pedisse água, com outra palavra sem ser água, teria de fingir que não entendia, para que ela se esforçasse.

Não o fiz. Acho que nunca conseguiria fazer isso, por achar que só iria criar entropia entre nós, frustração e que a minha filha perderia confiança em mim. E principalmente porque estamos a falar de uma bebé de 18 meses. 

Menos de dois meses depois, posso dizer-vos que parece uma gralha. Continua a ser falante de mandarim, claro, mas todos os dias aprende uma ou duas palavras novas. E algumas diz na perfeição. É a loucura. A mais recente foi pipi. A que mais diz, depois de mamã, mãe e papá, é cocó. Muito escatológica a minha filha. Hehe

Love Lab

Fiquei muito satisfeita por não ter ido contra as minhas convicções e, acima de tudo, feliz por ter seguido o meu coração. Não tenhamos pressa. Deixemo-los serem bebés.

7 comentários:

  1. Eu também não dei importância e esperei. Há tempo para tudo. Ontem virou-se para a avó e disse "Bem, vou dar uma corridinha."

    ResponderEliminar
  2. Plenamente de acordo! Tem tempo de crescer...a vida toda!
    O meu filho só começou a falar perto dos 2 anos.
    Devemos dar tempo ao tempo.

    Bjs

    ResponderEliminar
  3. É mesmo isso! O meu tem 21 meses e só recentemente começou a dizer sim! Apesar de já dizer muitas coisas, mas o sim não saia! Entretanto aprendeu não sei onde, deve ter sido na escola, a dizer pimba! Assim com todas as letras! E volta e meia anda a dizer pimba! :)

    ResponderEliminar
  4. Há quem diga que não falou antes por causa dos fofos ahahahahaha =)

    ResponderEliminar
  5. É preciso dar tempo ao tempo, sim! Sou terapeuta da fala e guio o meu raciocínio tendo por base os marcos de desenvolvimento, ou seja, momentos (ou janelas de tempo) em que determinadas competências devem estar adquiridas. Mas as diferenças entre as próprias crianças, as famílias, os meios em que se movem são tão diferentes entre si que não podemos catalogar logo à partida. No entanto, ouvimos muito em clínica frases do tipo "a minha mãe diz que eu também comecei a falar tarde", "eu sempre fui assim, muito "tatebitate"" e isso não significa que se possa ou deva relativizar tudo e que a criança não precise de levar um empurrãozinho! Muitas vezes ouvimos dizer que médicos de família e até pediatras dizem coisas do tipo "não fala bem, não se preocupe, até aos 6 anos é tempo, depois vê-se!"... Mas se deixarmos passar o tempo ótimo para estimular, algo que podia ser simples e rápido pode tornar-se depois numa batalha mais difícil de travar...

    ResponderEliminar
  6. Super de acordo! Temos que dar espaco e tempo aos miudos. Imaginem quem esta fora e quer ensinar o portugues aos filhos mas tambem tem a lingua do pais onde esta para ensinar, parece que nao mas sao duas linguas a aprender ao mesmo tempo desde bebe, pode se tornar confuso por vezes, mas felizmente hoje com 4 aninhos a minha filha percebe tudo em portugues e ja diz muita coisa tambem em portugues o ingles dela esta muito mais avancado mas pronto acho que e natural. :)
    Beijinho de Toronto
    claudiapersi.blogspot.ca

    ResponderEliminar