sexta-feira, 27 de março de 2015

Muitas mulheres andam só à procura de uma desculpa para gastar dinheiro.

Mudei de ideias e não tenho vergonha nenhuma de admitir. Quando era mais nova, sim. Quando me enganava, mesmo sabendo que estava enganada, continuava a afuçangar até ao fim. Mesmo que estivesse a dizer que é igualmente correcto dizer "árbito" e "árbitro", só por não conseguir dizer de outra forma. 





Agora quando erro mas, acima de tudo, quando me dá jeito, admito tranquilamente.

No início, quando contei que queria engravidar/estava grávida (tive de contar cedo porque escrevia umas crónicas que iam sendo publicadas semana a semana e seria desagradável se a família fosse a última a saber) as avós entraram em modo de maternidade e encheram-me de roupas de cima a baixo. Tudo: bodies, babygrows, meias, mantas, gorros, macacões, tudo. 

Acho que todas as mulheres só andam à procura de uma desculpa para gastar dinheiro. E comprar roupa para os netos, pelos vistos, é uma necessidade. 

Na altura, por causa das hormonas mas, acima de tudo porque queria brincar às bonecas, tive de pedir às avós para abrandarem um bocadinho senão eu não conseguia escolher nada para a Irene. Se ela já tinha 432 pijamas, eu não conseguia ter a desculpa para comprar mais uns quantos e queria ser eu. Mesmo que fossem os mesmos, não consigo explicar, mas queria ser eu a pagar - ainda recebia na altura, claro.



Agora? Agora apercebi-me da sorte que tenho da Irene ter duas avós que gostam de fazer compras para ela e assim posso ter as colecções inteiras da Zara. 

Ambas já se descontrolaram e estou a adorar. A Irene vai conseguir só estrear roupa nova durante uns dias.



Obrigada, avós! 

3 comentários:

  1. Que sorte... a avó paterna (avó materna infelizmente não a tem) mal eu disse que estava grávida, ainda nem de 3 meses estava (e eu com medo que poderia abortar visto ser de tratamento e haver sempre o risco) eu não queria comprar nada por enquanto e nem que me comprassem, no dia atrás da minha mãe fazer anos do seu falecimento, foi levar a 1ª roupinha, uma manta e já não sei se mais alguma coisa (odeio que as avós comprem a 1ª roupinha devemos ser nós pais) eu sei que não fez por mal nem sabia a data quando foi embora e eu estava sozinha chorei tanto porque queria que fosse a minha mãe.

    Hoje gostava que comprasse mais roupa mas tem o puto 14 meses e contam-se pelos dedos e ainda sobram... enfim aja avós babadas :)

    ResponderEliminar
  2. UI por cá é igual, ele praticamente tem as colecções completas da Zippy desde que nasceu! Mais a minha mãe. Tive de lhe dizer para parar porque todas as vezes que ia lá a casa ele recebia roupas e brinquedos novos e não pode ser! Felizmente a minha mãe abrandou! Mas foi uma grande ajuda de inicio, deu toalhas, lençóis, roupas, enfim, um pouco de tudo!

    ResponderEliminar
  3. Os meus sogros vão comprando uma coisinha ali e aqui. Mas sinceramente prefiro ser eu a escolher!

    ResponderEliminar