terça-feira, 16 de fevereiro de 2016

Tenho pais divorciados.


Vamos chorar todos um bocadinho? 
Não é preciso. 

Se há trauma, está mais afundado que a minha vesícula biliar.

Além de serem divorciados, não posso dizer que sejam grandes amigos e que se tenham falado grande coisa depois do divórcio (quando tinha 6 anos), isto faz com que tenha 3 famílias para ir agendando para que toda a gente veja a Irene e para que a Irene veja toda a gente. 

Este fim-de-semana fizemos o pleno: conseguiu ver os três pares de avós! Maravilha! Sábado viu a minha mãe e o João e, no domingo, foi o meu pai e a Bibi, juntamente com o meu irmão Tiago e isto com os avós paternos em simultâneo lá em casa! Incrível!!

A Irene estava louca. Louca de ter tanto público. Tantas pessoas de quem gosta e que a amam imenso e estava eléctrica. Um fim-de-semana totalmente dedicado à família, que somos tantos e que deixou a Irene tão feliz (e a mim também). 

O meu irmão Tiago e a Irene. 

Não consegui escolher uma das duas fotografias, levam com as duas que andam de lado.

Da esquerda para a direita: o meu pai, irmão Tiago, Bibi, eu, Frederico e Irene.

Também não consegui escolher uma destas duas. É o que há ;)

Também têm de fazer grandes malabarismos por aí para conseguir ir "às capelinhas todas"? Ou têm uma família como as dos anúncios da televisão em que todos se falam e estão sempre juntos?

8 comentários:

  1. Bem... por aqui coisa é muito tradicional. Todos juntos há mais de 30 anos e muito insatisfeitos, pelo menos no caso dos meus pais.
    De facto acho que é triste para uma criança ver os pais separados, não consigo imaginar-me longe da minha filha metade do tempo, nem em não conseguir falar direito com o pai dela mas, como sou muito precavida, eu e o meu namorado já falámos sobre o que faríamos se não ficássemos juntos para sempre (bater na madeira).
    Mas, tudo depende das pessoas e acredito que uma criança possa ser plenamente feliz mesmo com os pais separados. Acredito, sobretudo, que uma criança pode ter uma infância muito infeliz a ver os pais juntos e a brigar todos os dias. Ainda hoje me custa ir a casa (mesmo que isso só aconteça duas vezes por ano porque vivo muito longe dos meus pais) e ver a forma como se tratam. Para eles o divórcio não é uma opção (mesmo que passem a maior parte do tempo a menosprezar o outro), o que é que as pessoas iriam pensar? E a casa? O que aconteceria com a casa?
    Isto para dizer que nem sempre a família tradicional é a melhor opção e, a vantagem, de terem que se dividir por 3 famílias é o facto de terem uma família ainda mais extensa e mais pessoas a quem amar. :) É sempre bom. Desde que as madrastas não sejam umas bruxas (ou os padrastos).

    ResponderEliminar
  2. Por aqui é um pouco complicado. Os meus pais estão divorciados e a minha mãe vive no estrangeiro pelo que, em quase 20 meses, esteve duas vezes com o V. O meu pai apesar de viver em Portugal e a curta distância, está connosco nas reuniões familiares e pouco mais. Os sogros são quem tem mais contacto com o pequenote. Além destes, tenho duas irmãs que também raramente estão com o menino. Uma vive fora e só o visitou uma vez (esperamos ir lá no próximo verão) e a outra, apesar de viver em Portugal, também não é muito presente.
    Teríamos todos os ingredientes para ser uma família numerosa e ruidosa, até porque os meus pais se dão muito bem, mas a distância e a falta de oportunidade não o permitem :(

    ResponderEliminar
  3. Os meus sogros são separados, mas dão -se lindamente, mas os meus filhotes só tem uma avó extra. Vem mais os meus pais porque almoço lá em casa todos os fim‑de‑semana mas vêm todos os outros avós com bastante regularidade. O mais bebe não se apercebe de quem são mas o mais velho adora todos!

    ResponderEliminar
  4. Não tenho pais divorciados... mas adorei as fotos e o ter-nos aberto a porta à sua família. Só se esqueceu de apresentar o gato, mas nós perdoamos. :)

    ResponderEliminar
  5. Por aqui são os pais e os sogros divorciados, quatro famílias para visitar. É de facto preciso fazer malabarismo.

    ResponderEliminar
  6. Sim, grandes malabarismos! Vá lá que do lado do pai é só um par de avós, senão não conseguiamos dividir mais o Natal, por exemplo!

    ResponderEliminar
  7. Por aqui é igual, pais separados ou em casa do avo ou em casa da avo ou em casa dos bisavos, no que toca a parte do meu namorado ele ja não tem pais (infelizmente) o que faz com que consigamos organizar um fim de semana para cada 1 ;)

    ResponderEliminar
  8. Nós moramos longe dos meus pais, que são divorciados desde que tinha 1 ano, e a ginástica é maior para conseguir que o Manuel consiga ver todos. No entanto, quero que todos façam parte da sua vida e do seu coração. No final de contas... são uns mimos extra!

    ResponderEliminar