quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

Sim. Estou grávida e como sushi.

Antes que comecem a chamar-me irresponsável, vamos lá a confissões. Estou grávida e como sushi. Não como todos os dias. Não como em todos os restaurantes e em todas as tascas de centro comercial. Não como tudo. Mas como.

Não quero influenciar ninguém com as minhas escolhas. Somos todas adultas, certo? Esta é a minha escolha. Pedi opinião à minha obstetra, logo na gravidez na Isabel, e ela liberou, com a maior das calmas. Disse-me apenas para ter cuidado na escolha dos restaurantes. Depois, pus-me a ler algumas coisas, quando uma amiga me disse que não comia sushi porque não era imune à toxoplasmose. Aquilo fez-me confusão e não percebi como é que os peixes apanhariam o toxoplasma... E, de facto, zero a ver com isso (basta não comer sushi com vegetais e morangos, etc, que não deverá haver esse perigo).
Agora, o peixe pode conter parasitas prejudiciais à saúde... pode. O peixe de alto mar pode ter níveis altos de mercúrio... pode. Podemos apanhar uma intoxicação alimentar, podemos. Há o risco de listeriose, há. Alimentos mal lavados, mal preparados e mal acondicionados (até num arroz reaquecido pode haver esse risco). Portanto, e não sendo fundamentalista em quase nada na alimentação durante a gravidez, escolhendo sítios de confiança, sim, corro esses riscos umas duas vezes por mês. Opção minha.

Posto isto, grávidas que comam sushi e não grávidas, pessoas em geral, deixem-me que vos apresente este novo restaurante que conheci ontem, num almoço de bloggers, o SushiRibeira (Arigatô) e que me conquistou desde o primeiro olhar (sim, os olhos também comem). As gyosas são qualquer coisa. O sushi é delicioso. O ceviche que vem numa crosta (têm um prato com várias coisa de fusão) é muito bom. Ainda provei uma massa muito boa (também têm opções de pratos cozinhados). E a sobremesa... aquele brownie com gelado de chá verde, senhoras... senhoras! Ainda hoje babei a olhar para ele.


Grávidas proibidas de comer sushi, pensem: já faltam poucos meses. Está quaseeeeee. Quando saírem da quarentena, vão desforrar-se e experimentar o menu degustação do SushiRibeira, que vale muito a pena.


Anónimos a criticar a minha escolha em 3, 2, 1... :)

29 comentários:

  1. :D Gostei deste texto.
    Eu optei por não comer sushi e não pintar o cabelo nos primeiros tempos.
    Mas não resisto a alguns doces, mesmo com o risco de diabetes gestacional e bebo um café por dia.
    Na primeira gravidez pintei o cabelo, não bebi café e bebi uma cerveja de vez em quando. São opções. É impossível controlarmos tudo o que potencialmente nos pode fazer mal e ao nosso bebé.
    Além disso o stress constante de tentar controlar tudo deve ser muito mais prejudicial para o bebé que a possibilidade de outra coisa qualquer. É a minha visão das coisas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beber álcool e comer sushi ou bolos não pode ser comparado. É totalmente desaconselhado que se beba álcool durante a gravidez, com o risco de que o bebé desenvolva problemas a níveis desenvolvimentais, cognitivos, etc., e, ao limite, nasça com um síndrome denominado de Síndrome de Alcoolismo Fetal, que envolve inúmeras complicações para a criança...

      Eliminar
    2. Uma cerveja de vez em quando pode causar Síndrome de Alcoolismo Fetal? Ohh.. GOD!

      Eliminar
    3. Que bem me soube a taça de chamapanhe que bebi nos meus anos (15 semanas) o do natal e da passagem de ano (28 semanas) e a dos ano do meu filhote (34 semanas)...

      Eliminar
    4. Que bem me soube a taça de chamapanhe que bebi nos meus anos (15 semanas) o do natal e da passagem de ano (28 semanas) e a dos ano do meu filhote (34 semanas)...

      Eliminar
    5. Cada um toma as decisões que acha melhor para si, mas as recomendações são claras. De seguida transcrevo um excerto de um artigo científico acerca do tema. Como podem imaginar existem inúmeros estudos sobre isto, este é apenas um exemplo.

      "O álcool ingerido pela gestante atravessa a barreira placentária, o que faz com que o feto esteja exposto às mesmas concentrações do sangue materno. Porém, a exposição fetal é maior, devido ao metabolismo e eliminação serem mais lentos, fazendo com que o líquido amniótico permaneça impregnado de álcool não modificado (etanol) e acetaldeído (metabólito do etanol). O etanol induz a formação de radicais livres de oxigénio que são capazes de danificar proteínas e lipídeos celulares, aumentando a apoptose e prejudicando a organogênese. Também inibe a síntese de ácido retinóico, que é uma substância reguladora do desenvolvimento embrionário. Tanto o etanol, quanto o acetaldeído, têm efeitos diretos sobre vários fatores de crescimento celular, inibindo a proliferação de certos tecidos. Entretanto, a suscetibilidade fetal ao álcool é modulada por quantidade ingerida, época da exposição, estado nutricional e capacidade de metabolização materna e fetal. A quantidade segura de álcool que uma gestante pode consumir não está definida na literatura, por isto recomenda-se abstinência total durante toda a gravidez. Estudos comprovam que o consumo de 20 gramas de álcool já é suficiente para provocar supressão da respiração e dos movimentos fetais, observados por meio de ultrasonografia. Além disto, o consumo de álcool na gestação está relacionado ao aumento do número de abortos e a fatores comprometedores do parto, como risco de infecções, descolamento prematuro de placenta, hipertonia uterina, prematuridade do trabalho de parto e líquido amniótico meconial."

      Eliminar
    6. Queria deixar um "gosto" a Alexandra por clarificar que beber alcool na gravidez nao pode ser comparavel a comer sushi! Gosto

      Eliminar
    7. Queria deixar um "gosto" a Alexandra por clarificar que beber alcool na gravidez nao pode ser comparavel a comer sushi! Gosto

      Eliminar
  2. Na gravidez do Afonso tive mesmo de me portar bem :) fiz DG e andei a insulina,mas não sou fundamentalista nem de rocócós,também não sou imune á toxplasmose e lembro-me de comer saladinhas fresquinhas só que muito bem lavadas com limão e vinagre;).

    ResponderEliminar
  3. Foi das primeiras coisas que perguntei à minha obstetra, e o que ela me respondeu foi: as japonesas também comem e teem filhos saudáveis... Foi música para os meus ouvidos! Adoro sushi!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Essa justificação pode parecer muito gira inicialmente, mas convenhamos que não faz muito sentido :) a alimentação de uma mãe num país africano, na Bolívia, no Japão, ou em Portugal difere muito entre si... sendo que uma mãe de cada um desses países já está habituada a essa alimentação e às condições desse país desde que nasceu. É como irmos viajar para um país em vias de desenvolvimento e facilmente apanharmos diarreias e afins e termos uma série de recomendações tipo não beber água da torneira, não comer alimentos crus, etc... e quem lá vive fá-lo sem problemas. Tem de se ter em conta o contexto de cada pessoa para se lhe fazer recomendações médicas deste tipo. Além do mais, eu já fui ao Japão e pude observar de perto aquilo que já ouvia dizer: o nível de limpeza, os cuidados de higiene, o tratamento por que passa o peixe, a forma de o confeccionar, etc naquele país é de um nível incrivelmente superior àquele que temos em Portugal (admito que alguns restaurantes possam tê-lo, no entanto).

      Eliminar
  4. Concordo com a escolha e desde que seja um bom restaurante e tendo os devidos cuidados penso que não deverá haver problema. Parabéns pela capacidade de fazer diferente do que é socialmente defendido! Parabéns por falar sobre isso aqui no blog!

    Andreia <3

    ResponderEliminar
  5. Acho estranho ter-se informado dos riscos e mesmo assim querer corrê-los, não me parece muito inteligente, mas também não a queria estar a criticar de forma leviana. Só não faz muito sentido. Percebo que seja hipócrita dizer "ai eu não como sushi, o meu filho em primeiro lugar" e depois ir-se encharcar em hamburgueres ou refrigerantes. Ou fumar... Estes principios teriam de ser aplicados a tudo na vida: sabemos que há coisas que não nos fazem bem e comemos à mesma: açucares refinados, regrigerantes, carnes vermelhas, leite and so on... Prefiro que admita que o faz e que tenha tomates para isso, mas se pensar racionalmente sobre isto, não faz sentido saber que pode não estar a fazer bem, mas fazê-lo à mesma. Foi por ter a conivência da médica? Gostava de perceber. Não leve a peito o comentário, não a quero chatear, até porque gosto muito do blog e do que escreve.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que é preciso ter algum critério no que se escreve e espirito critico no que se pensa. Recomendações são recomendações, e é importante tê-las em conta, mas sobretudo é importante relembrar, que as mulheres ficam grávidas e têm filhos há séculos!!!!!!!!!!!!!! O que for para correr mal, irá certamente correr mal, até porque a natureza assim o determina. A gravidez que é interrompida é porque em termos genéticos não é viável, não está relacionada com álcool, tabaco, frutas ou verduras. Claro está que apanhar uma bebedeira durante a gravidez não é certamente recomendável, se o álcool tem o efeito que tem em nós quanto mais na pequena criatura. Agora não sejamos literárias ou puristas! No dia a dia, a proteína de animal também faz mal, a ingestão de mais calorias que as necessárias também faz mal (aumenta a produção de radicais livres), o comer fumados ( na gravidez ou fora dela) também faz mal, e posso ficar aqui uma vida... Agora o importante a meu ver, é o equilíbrio das coisas. O primeiro trimestre é o mais arriscado e determinante da gravidez, até aqui tudo bem. Agora gravidez não é doença! É preciso equilibrar as coisas, um copo de vinho ocasionalmente não vai provocar o síndrome de alcoolismo fetal... de todo! Alface bem lavada, mesmo para quem não é imune`à toxoplasmose não vai provocar nenhuma reacção.
      O que realmente faz mal, a meu ver, é parar de viver e não disfrutar da gravidez! O bébé vive da mãe e da satisfação e felicidade da mesma.

      Vivam e sejam felizes

      Uma futura mãe

      Eliminar
  6. Aqui pessoa que alambazou sushi à grande nas gravidezes todas. Filhos hiper saudáveis, gravidezes santas e nada a declarar. Aliás, o que me fez desconfiar que estava grávida do mai novo foi ter tido uma vontade tal de comer sushi que acabei a descongelar filetes de pescada para comer só com molho de soja...

    ResponderEliminar
  7. Adoro Sushi!! Contudo, apesar de não ser fundamentalista ou criticar quem o faz, prefiro evitar já que é só por 9 meses. É uma questão de sorte, prefiro evitar tudo o que são alimentos crus que podem ter bactérias/salmonela. 1 em cada 10000 ovos (ou sei lá quanto é) tem salmonela. No peixe tem que ver com higiene e processos de refrigeração. Já há tantas coisas na gravidez das quais não temos controlo, prefiro controlar aquilo que posso. Mas voltando ao início, se comer sushi faz-vos sentir super feliz: "Go for it!" ;) deve haver mais bem do que mal nisso ;) Sofia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exactamente o que eu fiz! Evitei aquilo que podia controlar e não foi nenhum stress. São 9 meses, não é uma vida inteira! Não me custou evitar certas comidas durante esse período e não era uma preocupação constante esse assunto. Sempre fui muito organizada e de me lembrar das coisas (quando é para tomar remédios, compromissos, etc), por isso, lembrava-me sempre e de uma forma natural do que não comprar para cozinhar ou do que evitar quando comia fora :)

      Eliminar
    2. Já eu prefiro comer de tudo, sushi tambem com moderação e em sítios em que confio e fazer desporto! não percebo, neste seculo, a vida sedentária que as gravidas acham que tem de ter. Umas terão de repousar, a maioria não. também "controlam" isso? se não, deviam. e disto ninguém fala.

      Eliminar
    3. Mas quem é que referiu vida sedentária? Eu fiz desporto, com moderação, uma vez que já antes da gravidez fazia e assim continuei a fazer. Andava a pé, como ando, 40min todos os dias (é o meu percurso casa-trabalho) e ia 3x por semana ao ginásio. Mudei alguns exercícios que fazia e fiz alguns específicos para grávidas, mas continuei a fazer. O que é que isso tem a ver com cortar com determinadas comidas/alimentos que nos podem transmitir certas doenças que, estando grávidas, são nocivas para os nossos bebés? Ter tido cuidados com a alimentação não significa que tenha ficado fechada em casa e deitada no sofá durante os 9 meses. Aliás, mesmo sem estar grávida, já tenho cuidados com a alimentação, durante esse período foi só cortar uns quantos ingredientes.

      Eliminar
    4. Não me estava a referir especificamente a ninguém. Só ao facto de haver para aí muito boa gente muito preocupada com salmonelas mas depois só comem porcaria ou ao facto de não mexerem uma palha.

      Eliminar
    5. Para tudo na vida tem de haver alguma coerência

      Eliminar
  8. Todos os bloggers foram ao restaurante no mesmo dia!! Bom marketing do Arigato!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu, enquanto leitora de blogs, não considero isso bom marketing! Detesto quando uma marca decide promover os seus produtos ao mesmo tempo em 12490148 blogs. Parece spam! Mais valia apostarem só num ou dois. Acho que assim descredibiliza as marcas e as bloggers e afasta-me a mim, enquanto potencial consumidora.

      Eliminar
    2. Mas se foi um almoço de bloggers é natural que tenham ido todas no mesmo dia...

      Eliminar
    3. O restaurante abriu, convidou bloggers a experimentar num almoço, portanto é normal que esses mesmo blogers falem disto. é um procedimento normalissimo, quem tem um restaurante convida varias figuras publicas e bloggers e imprensa para depois aparecerem na comunicação social. O que é estranho nisto? já se faz há anos! e sicnceramente às vezes ate é o que me faz perceber quais são os bons e os maus blogs! este ate foi inteligente porque transformou a coisa num tema interessante

      Eliminar
  9. O Sushic, em Almada, tem um menu próprio para grávidas!

    ResponderEliminar
  10. Comi sushi e sahimi durante toda a minha gravidez e todas as semanas. Apenas não comia com morangos. O meu obstetra liberou com a maior das naturalidades, para além dos morangos a única restrição alimentar que tinha eram as carnes frias (fiambres, etc) e coca cola.

    ResponderEliminar
  11. Tem um óptimo aspecto esse menu degustação. É muito caro? Se não for, tenho de marcar para ir com o meu boy!

    ResponderEliminar