quarta-feira, 1 de julho de 2015

E como fazer com as sestas deles nas férias?

Pedi à Verina Fernandes, da Sono de Sonho para que escrevesse umas dicas para ajudar as recém mamãs a lidarem com as férias e com as sestas (tão importantes) dos filhos. Pode ser complicado, mas não é impossível e, agora, com as dicas da Verina, ainda menos! Querem partilhar experiências? 


As sestas 

Se a criança dorme com facilidade no carrinho, planeiem umas belas caminhadas por locais sossegados nas horas da sesta. Aproveitem para explorar a zona, ao mesmo tempo que executa um bom exercício cardio! O máximo que pode acontecer é sentirem-se cansados quando o vosso filho acordar (com a energia toda, claro!). Essa é a altura ideal para o deixarem correr no parque, espraiar-se aos saltos e cambalhotas, enquanto os pais lêem um livro só com um olho (que o outro está sempre alerta para os mais pequenos!). 

Se acham que as férias são para o dolce far niente e a perspectiva de fazer exercício provocam-vos uma tontura e um ataque de urticária fulminante, aproveitem a hora da sesta para apreciar a paisagem da zona, no conforto do automóvel com ar condicionado (se alugaram um Porsche em Vilamoura, têm mesmo que se fazerem ver dentro dele. Toca a pavonear-se nessa máquina!) 

Há ainda outra opção a considerar quando chega a hora da sesta: atribuir turnos. Se os pais reclamam algum tempo livre da miudagem, seja para fazer aquela massagem Vichy ou para comprar recuerdos em paz e sossego, então estabeleçam turnos: num dia vigio eu, no outro vigias tu a sesta da pequenada. 

E se quisermos “saltar” uma sesta porque o hotel organizou uma actividade espectacular na piscina, para toda a família, e acontece justamente na hora de dormir? 

Podem “saltar” a dita sesta, claro. Os pais é que sabem! Mas atenção, é bom que tomem as vossas decisões em consciência. Obliterar uma sesta pode significar ter crianças birrentas, que não vão usufruir (nem deixar usufruir) da tal actividade megabombástica na piscina e que podem manter o mau humor até ao fim do dia (imaginem só as fotos!). Melhor que ninguém, vocês conhecem as vossas crianças. Sabem perfeitamente se podem ou não cometer estas pequenas infracções nas rotinas de sono. Nem todas as crianças reagem mal a estes “delitos”. Claro está que “saltar” uma sesta implica obrigatoriamente deitar mais cedo! 

À noite 

Há crianças que dormem num quarto diferente sem qualquer tipo de drama. Já outras precisam de ser convencidas a dormir sem desconfianças, sem que acordem de hora em hora, só para verificar que o os pais ainda existem e que o mundo gira. Nestes casos, o que há a fazer é mesmo levar a casa às costas, ou seja, não esquecer alguns objectos-chave que a criança identifica (bonecos, mantas, candeeiros de mesa, luz de presença, livros, tapetes, cestos…), para tornar o ambiente novo mais familiar. Tentem reproduzir ao máximo o ambiente de sono e as rotinas de adormecimento que têm em casa e já meio caminho está feito para tudo correr bem. 

Podem, inclusivamente, a uma semana da partida, colocar a criança a dormir na cama de viagem que vão utilizar. 

As primeiras duas a três noites no quarto novo podem ser mais desassossegadas e a criança pode acordar ou até ter terrores nocturnos/pesadelos. Os pais devem estar preparados para este cenário e devem proporcionar todo o carinho e conforto, para que a criança se acalme facilmente. Ninguém quer dramas, muito menos nas férias! 

Os horários 

Quanto mais os pais “brincarem” com as rotinas dos miúdos, maior a probabilidade de as noites correrem mal, de as sestas virem recheadas com birras e dramas e de toda uma tempestade se instalar em toda a família. Meia hora é o máximo que podem esticar aos horários já estabelecidos. 
Se viajarem para destinos com grandes diferenças horárias, façam a adaptação gradual uns dias antes da viagem, antecipando ou atrasando os horários meia hora por dia (no máximo). 

Detalhes gigantes 

Escolham quartos de hotel espaçosos, para que as crianças possam ter um espaço para brincar, caso tenham o azar de fazer chuva (cruzes, canhoto! Não quero agoirar!). 

Todas as medidas de contenção de insectos são bem-vindas: levem os difusores de ultrassons (evitem os químicos); redes mosquiteiras para berços e camas de viagem; e Fenistil para as picadas nos passeios. 

Caso os quartos não tenham insonorização ou os vizinhos de férias sejam tão desgovernados quanto uma banda de rock num hotel, levem um rádio de pilhas (daqueles que se usavam para ouvir o relato na praia): deixem-no dessintonizado e assim conseguem o melhor ruído branco para neutralizar os barulhos que podem não deixar as crianças dormir à noite. Já sei que têm a app no telemóvel mas com o rádio não estão a expor os mais pequenos a radiações electromagnéticas. 

Certifiquem-se de que os quartos conseguem ficar bem escuros, mesmo durante o dia, caso durma a sesta nele. Acreditem que nem todos os hotéis acautelam estas situações, infelizmente. 


Não se deixem intimidar por todas estas condicionantes. Façam o contrário: abracem-nas e aceitem-nas, para que consigam tomar os melhores sabores de umas férias verdadeiramente descontraídas em família. Aproveitem e não se incomodem em enviar fotos a incitar inveja! 

3 comentários:

  1. Já vão ser as segundas férias do meu filhote e agora tivemos uns dias de amostra, para antecipar as férias de Agosto. Ora nos primeiros dois dias fez as sestas normais, após o almoço, em que nós aproveitamos por almoçar mais demoradamente, ver umas revistas e não fazer nada. Nos dois dias seguintes e últimos é que não queria dormir nem por nada...num deles fomos até um centro comercial (estava um calor que não se podia andar na rua) e ele esteve mais de 2 horas a dormir no carrinho. Os pais aproveitaram para ver montras e fazer umas comprinhas descansados. No ultimo dia novo filme para dormir...desta vez fomos até uma explanada à sombra, com ele a dormir novamente no carrinho e aproveitamos para beber uma bebida fresquinha e por a leitura em dia :)

    ResponderEliminar
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  3. "com o rádio não estão a expor os mais pequenos a radiações electromagnéticas"? Então a rádio emite através de quê senão das ondas de espectro eletromagnético? 😊
    Mas, sim, percebo o que se quer aqui dizer: com os telemóveis na cabeça dos bebés é que talvez não.
    Também dou imensa importância ao sono e às sestas em particular. Penso sempre que é quando dormem que o cérebro se desenvolve, arruma toda a informação que adquiriu ao longo do dia e a transforma em conhecimento adquirido. Nas férias tento descomplicar mas até parece que eu própria só descanso quando os vejo a eles descansados num bom sono!

    www.adoscoelhos.wordpress.com

    ResponderEliminar