sexta-feira, 10 de julho de 2015

Ando com uma camada de nervos em cima!

Epa. Eu sei. Que é uma fase. Que ela está bem. Que é normal. Que passa. Mas só quem tem filhos que se recusam a comer é que sabe o que se sofre com isto.
No outro dia, fui para o quarto chorar, carregadinha de nervos no corpo. Tento que a Isabel não note a minha enorme frustração e tentamos fazer das refeições uma diversão, sem impingir nada para que ela não associe as refeições a uma coisa negativa, mas... as minhas costas ficaram tensas, tensas e desabei.

Tive um flashback. Lembrei-me dos dramas da minha mãe com o meu irmão Frederico, na nossa cozinha pequenina, no nosso 6º andar.
- Frederico, come.
- Não gôto.
- Mas ontem gostaste!
- Mas não gôto.
- Senta-te à mesa, filho. A mãe não disse que já te podias levantar. Fredericooo!

Lembro-me também da minha mãe servir tomate todo o santo dia no prato do meu irmão, a acompanhar as refeições. Ao fim de muitos dias, ele lá decidiu provar. E afinal até gostava, só não sabia. Já eu sempre fui boa boca, diz a minha mãe. Acredito. Só pode. Desde miúda que gosto de experimentar tudo, adoro comer, não torço o nariz a nada. Vá, não consigo comer tripas, porque apanhei um trauma quando me engasguei e tive de ser virada de cabeça para baixo e espancada pelo meu pai para aquela porcaria sair. Lá está, estava a provar tripas em criança.

A Isabel está a sair-me a maior pisca de todos os tempos. Às vezes vai para a cama com um iogurte no bucho. Outras vezes nem isso. Anda a recusar sopa, sopa da mãe, sopa da avó, sopa mais grossa, sopa menos grossa. Recusa massa, recusa arroz, recusa feijão (que ela adorava!), recusa tudo o que possam imaginar. Fruta, que ela comia inteira, à dentada, agora, nem vê-la. Prova e cospe. É um de-ses-pe-ro! A sério. 

O que me vale? Ela almoçar bem na creche, quase sempre. Come a sopa (até pedi para filmarem porque nem queria acreditar), come o segundo muitas vezes, e come a fruta. Ao fim-de-semana não há creche... por isso, fico com as costas todas tensas e as lágrimas a quererem espreitar. 

No outro dia, sentei-me no chão com ela e comecei a comer. Disse-lhe "não, é da mãe". E lá veio ela, provar. Psicologia invertida, com esta idade? Pois, lamento. Vale tudo já. Eu, a mãezinha anti-comida-processada-e-doces e não sei o quê, já me vi a dar-lhe a porcaria de um croquete!!! Já lhe dei daquelas coisas de fruta moída (num dia quis, no seguinte já não). Já atrasei jantares para ver se ganhava fome. Já fiz trinta por uma linha. Ultimamente temos tentado estar à mesa com ela, dar-lhe colheres e por-lhe a comida à frente, deixo-a comer com as mãos (sempre deixei, mas dantes corria bem e agora só esmaga a comida e manda para o chão). Nada. Não vai nada para aquela boquinha pequenina.

Quando chegou o cabaz de legumes e fruta que encomendamos uma vez por semana, deixei-a explorar. Até me comovi quando a vi ir buscar uma ameixa e trincar aquilo. Depois pediu-me para tirar a pele e comeu. Comeu a segunda. Era isto. Era isto, todos os dias. Só que não é.


A pedir-me para lhe tirar a casca












Para quem quiser saber, esta delícia de legumes e fruta é do Cabaz Natura. Vale cada cêntimo. E o queijo e a broa de milho... não estão bem a ver!

17 comentários:

  1. São mesmo fases, infelizmente!
    O meu bebé de 10 meses come bem, às vezes faz fita mas nada demais. Mas também já foi um suplício conseguir dar-lhe umas colheradas de sopa ao jantar, por isso percebo a frustração. Mas o fundamental é mesmo o que diz - que ela esteja bem.

    ResponderEliminar
  2. A minha já tem 3 anos, mas é teimosa como tudo. Quando não quer comer alguma coisa é impossível obriga-la. Quando começo a ver que ela não está para aí virada, em vez de tentar que ele se sente e coma, o que acaba por ser sempre uma situação muito stressante em que ela com o seu feitio acaba sempre por "ganhar", coloco o tablet ou o telemóvel mesmo em frente ao prato dela a dar os bonecos que ela gosta, normalmente é o Ruca, e ela come tudo sem reclamar. Eu sei que não é o método mais pedagógico mas é muito complicado depois de um dia de trabalho cansativo, acabarmos o dia aos berros, literalmente. Não é assim que eu quero passar o pouco tempo que estou com ela. Além disso, eu sei, por experiência própria que não vai ser sempre assim. Fiz o mesmo com o meu filho mais velho, que já tem 8 anos, e ele hoje em dia come perfeitamente, sem precisar de olhar para a televisão/tablet. Por isso força. O meu conselho é que tente distrai-la com alguma coisa que ela goste, para ajudar a passar esta fase, porque não vais ser sempre assim.

    Beijinhos,
    Lia

    ResponderEliminar
  3. Quando o meu tem fases mais difíceis para comer, ponho o tablet também com bonecos. Não sou apologista, mas olha, se é assim que come, que seja! Felizmente agora anda numa fase de comer bem, mas sempre foi de comer pouco, é pisco mesmo! É percentil 25 de peso desde que fez um ano, antes disso era 50. Enfim, não o obrigo a comer mais do que lhe apetece!

    ResponderEliminar
  4. É respirar fundo e ter paciência. Já passei por esse filme e hoje, com 3 anos, ainda faz fitas em relação a alguns alimentos. A pediatra sempre nos disse que se ela come bem na creche não faz mal e para não stressar. Um dia há-de passar.
    ... Outro truque é dizer ao pai para lhe dar o jantar. :P
    Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. Joana, o Tomé está no percentil 5, embora graças a Deus seja saudável! Ser magro não é mau, é o que é.
    Mas o facto de ser um circo comer também ajuda (com excepção da creche, lá está).
    Já me rendi, tal como a Filipa C.) ao tablet... Foi o desespero, mas continua a ser difícil... Nestes dias foi sem jantar para a cama... Olha, e também já chorei algumas vezes com os nervos em cima do corpo... Esperemos que sejam fases...
    Um beijinho para vocês!

    ResponderEliminar
  6. Olá Joana.
    A minha tem filha tem 2 anos, e sempre comeu mal :-(
    Sei perfeitamente o que descreves. Tento pensar que isto não me pode afetar, se não comer hoje come amanha, isto vai melhorar, mas no fundo no fundo, fico toda carcumida (isto existe? agora sim) por dentro com a porcaria dos nervos miudinhos.
    Também já chorei, já gritei, já me senti incapaz, e acho que todas as mães que passam por isso têm estes sentimentos.

    Não que já possa falar por experiência própria, mas isto vai passar, eu acredito que vai. Tem de passar.

    Muita força e coragem [para nós :-)]

    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  7. Oh meu Deus.... revejo-me em cada palavra.... muitos dias para mim tb sao desesperantes..... muita força joana...e para todas

    ResponderEliminar
  8. A minha sempre comeu bem, e ainda bem, pk nas pequenas fases que às vezes tem de não lhe apetecer comer, até passo mal... N a posso obrigar a comer e qd se recusa, não consigo lidar com a situação...

    ResponderEliminar
  9. Joana! Só lhe tenho a dizer uma coisa... chore, chore e chore, porque é das piores fases que passei até hoje! Até o meu casamento "tremeu"! Foram meses...
    Não queria comer nada, só "porcarias" e eu isso não concordo, sou mais teimosa!
    Chegamos ao ponto de ir para o jardim de casacos de inverno (um frio de rachar!) para que ele comesse! Nada resultava, nada! Mas lá está, na creche comia, muito bem! Benditos amiguinhos... Ele vês e faz igual!
    Truque: Passamos todos a comer na mesa, à mesma hora, ao mesmo tempo. Antes dava-lhe a sopa antes de comermos!
    De um dia para o outro mudou! Come bem, mas tem dias... Ainda ontem foi um castigo para lhe dar a sopa!
    Admito, existiram dias que eu desesperei e enfiei-lhe a colher pela boca à força, mas quando vemos um filho nosso sem comer, a emagrecer, o desespero leva-nos a melhor! Mas isso não é solução, o melhor é esperar que passe esta má fase, e acredite, vai passar!
    Beijinhos
    AND

    ResponderEliminar
  10. Começo a achar que a culpa é da sua comida..... :D
    Ela come muito bem na escola, a comida lá é melhor!

    Brincadeirinha! A minha também já andou assim e a sorte era que na escola ela comia muito bem.

    ResponderEliminar
  11. Sei muito bem o que é esse desespero, aconteceu-me exactamente o mesmo, tentei de tudo, por fim já no limite das minhas forças fui ter com a minha amiga farmacêutica e pedi-lhe umas vitaminas que abrissem o apetite, remédio santo!!! Ao fim de 3 dias da toma das vitaminas começou a comer melhor, muito melhor...era para dar durante um mês, mas só dei durante 3 semanas, uma vez que ela melhorou a 100%. A fase passou e agora come muito bem e de tudo ;)!

    ResponderEliminar
  12. Relaxe!! se essa falta de apetite fosse doença eles nunca comeriam no infantário, não tinham energia para brincar, não era a criança feliz e com este aspecto saudável que aqui mostra. Isso que muitas aqui descrevem está perfeitamente estudado e chama-se anorexia fisiológica do segundo ano de vida (que começa após os 12meses). Nuns nota-se mais do q noutros. Cada vez mais se fala na programação alimentar e cada vez mais se da relevo a forma como a diversificação alimentar é feita....quantos mais sabores e texturas introduzimos até aos 15-18 meses mais vamos contribuir para uma alimentação completa e variada para toda a vida. A partir dai fecha-se uma janela...está provado cientificamente que é preciso oferecer um alimento 10-13 vezes para eles gostarem. Logo, o importante é oferecer, ter no prato. É importante manter o esquema de refeições e nunca substituir refeições. Outra coisa fundamental é não petiscar! (Bolacha, pão, fruta, porcarias) O que é muito mais difícil em casa do que na escola.. Eles comem bem ao almoço porque de manhã não comem após o lanche e chegam cheios de fome ao almoço. Em casa qualquer mãe ou avô prevarica. Ter também atenção a quantidade de leite que nesta fase não deve ser mais do que 500ml a 750 ml (incluindo leite materno e iogurtes) por inibir a absorção do ferro (risco de anemia) e sobretudo quando não gostam muito da carne ou peixe, que se vê muito nesta idade... É importante tb ir tirando a proteína da sopa e oferecer no prato e não dar 2x proteína numa refeição. Variar a refeição de papa ao lanche, que é muito calórica e saciante. Por fim, ver o livrinho de saúde com atenção e com a ajuda do médico. Aquelas curvas dizem tudo. Se a criança se mantém na linha porquê esta ansiedade? A linha que segue não interessa, o que interessa é a variação individual entre linhas, isso era de estranhar. Se é p10 e se mantém, óptimo! Outra coisa que se observa é que muitas vezes neste segundo ano "acertam" a curva para o seu verdadeiro percentil que, invariavelmente, é aquele em que nasceram ou seja o seu potencial genético. não descem significativamente, acertam!
    Outra sugestão para os "anoréxicos fisiológicos do segundo ano de vida"..um irmão!!! :)
    Easy tiger!

    ResponderEliminar
  13. Não deves desesperar.
    O Diogo passou essa fase. Não queria nada e cuspia tudo. Ás vezes ainda é assim mas deixei-me de preocupar tanto.
    Quando questionei a pediatra o porquê ela disse-me que é normal... eles ganham tanto peso no primeiro ano que depois deixam de comer tanto e as vezes quase nada.
    A minha sobrinha não come quase nada, alias nunca comeu. No entanto, ela é ginasta, energia não lhe falta.
    Não vale apena desesperar, ela come quando tiver fome. Entretanto é bom colocar no prato tudo, mesmo que ela não coma!
    O Diogo detesta legumes mas eu la vou tentando. Como em frente a ele e digo "Olha que bom...hummm que delicia..." e ele com curiosidade acaba por trincar. As vezes come tudo outras não. Há que ter muuuuuuuuita paciência!!!

    ResponderEliminar
  14. Não é facil, o meu filho tem 3 anos, e só come sopa na escola, em casa de um dia para o outro recusou até hoje.
    Só come o que lhe cheira...
    Haja paciência!

    Bjs

    ResponderEliminar
  15. o meu não come peixe, verdes...
    o que faz bem e faz falta não gosta...
    Fico preocupada mas ele recusa se a comer

    A minha esperança é que eu em pequena era um pisco, não gostava de nada, e agora gosto de tudo!
    Mas só lá para os 13 é que mudei...

    Bjs *

    ResponderEliminar
  16. Como eu entendo! Ainda ontem andei toda pimpona a ver receitas de açorda (coisa que nunca tinha feito na vida), a cozinhar cheia de carinho e depois... nem uma colher comeu :p Fez cara feia, cuspiu, agarrou pedaços com um ar nojentinho e deitou para o chão!
    Tem 10 meses e era suposto começar a introduzir lentamente o segundo prato mas assim é difícil :)

    ResponderEliminar
  17. Tenha calma!... Eu compreendo perfeitamente a sua frustração, mas respire fundo que vai acabar por correr melhor.
    Vou dizer-lhe algo que espere não a chocar, mas a ideia não é minha. Foi algo que ouvi de pediatras e médicos, e que aprendi da minha experiência com crianças: se a sua filha não quer comer é porque não tem fome. Insista só o suficiente para ficar com algumas colheres de comida no estômago, nem que sejam apenas 5 ou 6. Dói vê-los a resistirem, mas eles não podem ficar sem comer de todo. Mas não insista mais do que isso, que é para ela não ver a hora da refeição como uma tortura. Depois nunca substitua a refeição por outras coisas que sejam mais do agrado dela (ou que julgue que sejam), porque ela aprende a não comer porque sabe que a mãe a seguir lhe vai dar um iogurte, p.ex. O ideal é juntar um legume que não goste muito com outro que adore, o mesmo se aplica com a fruta. Não lhe dê petiscos a meio das refeições, mesmo quando ela comeu mal. Assim ela aprende que é às refeições que tem de comer, e não fora delas. E outra coisa, aquilo que a sua mãe fez com o tomate é precisamente o mesmo que tem de fazer: ela tantas vezes vê as coisas no prato que um dia vai querer experimentar de livre vontade!
    Mas, como eu costumo dizer, isto é apenas um conselho. Não tem de o seguir se assim o entender. Tem de ouvir a razão e o coração e chegar a uma conclusão!

    ResponderEliminar