quarta-feira, 6 de abril de 2016

Fiquei doente com isto :(


Ontem morreu um menino de dois anos afogado. Li esta notícia ainda há bocado num jornal online (acho que no DN ou JN) e comecei, imediatamente, a chorar. Ora, esse menino podia ser a minha filha. Temos piscina nesta casa e isto podia ter acontecido. A piscina ainda não está vedada. 


Assim que vi o título, soaram os alarmes e enviei SMS ao marido. Resolver isto, JÁ!


Porque, apesar de a Isabel ainda não conseguir abrir as portas, apesar de não a deixarmos sozinha na cozinha ou na sala, nem estar sozinha na rua, apesar das mil e uma coisas com as quais nos desculpamos para protelar a porcaria de uma vedação para a piscina!!!, pode acontecer. Ela pode conseguir abrir a porta (algum dia eles aprendem a abrir portas e esse dia podia ter sido ontem), pode conseguir descer as escadas até à piscina, podemos achar que está ali ao lado na cozinha e afinal já não está, podemos achar que está a brincar no quarto, mas ter conseguido sair de casa, podemo-nos esquecer e deixar a porta entreaberta, sei lá! Achamos que dominamos e prevemos tudo, mas não. Somos humanos. Temos momentos de distração. Eles são crianças e arriscam, sem noção do perigo. Bastam dois minutos (o tempo em que estou à espera que o café aqueça no microondas) para que uma fatalidade destas aconteça. Caraças. Não consigo imaginar a dor. A culpa. O sofrimento destes pais, destes avós, desta família. Não estou a ver desgraça maior. Fiquei doente. 


Por favor, se têm coisas importantes destas por fazer, não deixem para amanhã. E muito cuidado com tanques, piscinas, banheiras... o afogamento é a segunda causa de morte de crianças e jovens em Portugal.



Eu hoje fui buscar a minha filha ao colégio com um aperto enorme neste peito e abracei-a até mais não. Prometo – a mim mesma e à minha filha - que vou ter mais cuidado e resolver isto com a maior brevidade possível (acho que até lá vou ter pesadelos). 


Abracem também os vossos. Muito. E eu, que não sou nada disto das correntes de força, só desejava que a que vamos todos fazer hoje, a pensar nesta família, apaziguasse um bocadinho aqueles corações.

16 comentários:

  1. Tu és uma óptima mãe e sempre atenta aos pormenores.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar de querer concordar que sou uma boa mãe (não tentamos ser todas?), acho que qualquer mãe tem falhas, momentos de distração, momentos em que não consegue antecipar problemas. :( nunca se consegue estar atento a todos os pormenores. Daí termos de tentar prever e minimizar estes riscos.
      Um beijinho!

      Eliminar
  2. É verdade, todo o cuidado é pouco, tenho uma casa de férias com piscina comum e um dia apareceu-me á porta da cozinha uma criança de 7 anos com o meu de 3 ao colo a perguntar se "aquele filho era meu" porque estava sozinho na piscina...é um rés do chão e ele saltou pela janela do quarto que estava entreaberta, imagine o meu espanto e susto, a partir dai os quartos nunca mais arejaram!

    ResponderEliminar
  3. https://www.facebook.com/IsrPortugal/?fref=ts
    http://coconafralda.sapo.pt/infant-swimming-resource-feito-1953275

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sandra Guedes infelizmente este curso q visa salvar crianças não está acessivel aos bolsos de todos... Assim salvam-se menos... O curso custa cerca de 500€...

      Eliminar
  4. Joana a Constança a semana passada mostrou mais um truque... conseguiu abrir uma porta fechada à chave... e eu a dizer q não conseguia... todo o cuidado é pouco...

    ResponderEliminar
  5. Olá Joana! Sou mãe de um pequenino com um anito, vossa seguidora atenta e super fā, mas não sou muito de comentar. Desta vez, resolvi fazê-lo por duas razões: conheço uma família a quem isto também sucedeu de uma forma muito, muito semelhante e por isso, também eu fiquei de coração apertado ao ler esta notícia, ao imaginar que podia ser comigo, ao perceber que, por muito atentas que sejamos, o perigo está sempre ali, à menor distracção. Por outro lado, o meu marido é professor de natação, também para bebés (trabalho que adora) e está sempre a dizer o quão aptos eles estão para nadar. Há na internet inúmeros vídeos onde podemos ver que crianças ensinadas adquirem estratégias para se defenderem em situações de queda acidental na água. Não será por isso que devemos facilitar na vigilância e na protecção mas é uma defesa que podemos ter contra a sua falta de noção pelo perigo e espírito aventureiro. Aconselho vivamente todos os pais a colocarem os filhos na natação.

    ResponderEliminar
  6. Olá Joana! Sou mãe de um pequenino com um anito, vossa seguidora atenta e super fā, mas não sou muito de comentar. Desta vez, resolvi fazê-lo por duas razões: conheço uma família a quem isto também sucedeu de uma forma muito, muito semelhante e por isso, também eu fiquei de coração apertado ao ler esta notícia, ao imaginar que podia ser comigo, ao perceber que, por muito atentas que sejamos, o perigo está sempre ali, à menor distracção. Por outro lado, o meu marido é professor de natação, também para bebés (trabalho que adora) e está sempre a dizer o quão aptos eles estão para nadar. Há na internet inúmeros vídeos onde podemos ver que crianças ensinadas adquirem estratégias para se defenderem em situações de queda acidental na água. Não será por isso que devemos facilitar na vigilância e na protecção mas é uma defesa que podemos ter contra a sua falta de noção pelo perigo e espírito aventureiro. Aconselho vivamente todos os pais a colocarem os filhos na natação.

    ResponderEliminar
  7. Muito mau mesmo!
    Eu própria tenho medo de ir para A piscina quando estou sozinha em casa...

    :(

    ResponderEliminar
  8. Tenho pânico de piscinas e tanques perto de crianças...

    ResponderEliminar
  9. Joana, não sei se tem conhecimento, mas existem uns cursos próprios para bebés para que aprendam a boiar no caso de caírem à água. O que ouvi falar chama-se Infant Swimming Resource, mas não sei se há outros do género com outras denominações. :)

    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. É assustador, mas aqui vai um conselho, usem barras verticais...as horizontais, não parece mas muitas vezes servem de escada. Eles aprendem tudo tão depressa...especialmente o que não queremos.

    ResponderEliminar
  11. Joana, ao ler o seu comentário lembrei me que divulgar esta escolinha seria importante: http://www.isrportugal.com/galery.html

    Um grande beijinho

    ResponderEliminar
  12. Vedação já!! é mesmo isso Joana, de um dia para o outro eles aprendem e ficam perto de perigos.
    Sei quem são os pais deste bebé, e ainda mais impressão me faz... :( é mesmo horrível!
    um beijinho

    ResponderEliminar
  13. Olá Joana, eu conheço esta família... e tenho o coração pequenino há uma semana! Como disse no fim neste momento o mais importante é criar esta rede de apoio e de oração que estes pais tanto precisam! Mas a razão deste meu comentário que tive a semana passada com uma outra avó que tem uma casa com piscina e que me disse: nunca irei por grades, porque isso me fará relaxar e o minuto de distração pode ser facilmente esquecer de fechar a grade. e relatou-me duas histórias de crianças que morreram em piscinas com grades, uma porque ficou aberta, outra foi buscar um banco e trepou!
    Os acidentes acontecem, temos que estar atentos, muito muito atentos... mas temos que estar conscientes que não conseguimos controlar tudo a vida toda! O meu tio morreu aos 21 anos de desastre de automóvel à porta de casa! Vamos aproveitar os nossos filhos, sermos responsáveis, sermos felizes, lembrando sempre estas histórias e esta família!
    bjs e boa sorte

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. concordo. também não temos proteções precisamente para não ter a sensação de que podemos relaxar. não podemos, nunca.

      Eliminar