quinta-feira, 25 de maio de 2017

Três coisas que as futuras Mães têm mesmo de saber.

Isto cansa.

A tosse e o ranho à noite são do pior que há.

Não há tempo para tudo. Ponto final.


Isto cansa.
Não é novidade mas há gente com tão boa cara por esses trabalhos, nesses restaurantes, nessas fotos de Facebook que uma pessoa às vezes acha que nós é que somos fraquinhas, ou queixosas, ou que os nossos bebés é que são muito exigentes. Sim, nem toda a gente tem o mesmo nível de resistência, há gente mais forte e mais optimista, mas caraças se isto cansa! Ser mãe todos os dias cansa, não dormir bem cansa, não poder ter um dia só para pizzas e filmes no sofá cansa, ter a cabeça tão ocupada e tão cheia de tudo cansa.

A tosse e o ranho à noite são do pior que há. 
Não dormem eles, não dormimos nós. É uma grande chatice, acabamos por dormir com eles no colo, inclinados, para ver se temos algum descanso mas ficamos com um braço todo dormente, transpiramos mais que dois canos rotos e quando o dia nasce parece que fomos atropelados por um camião cheio de tomate. 

Não há tempo para tudo. Ponto final.
Ah! Claro, estavas à espera do quê? Epa, estou sempre à espera que a capa me faça voar. Continuo a pôr a fasquia upa upa, a achar que se pode perfeitamente ter a depilação feita (nem que seja com a gilete a cortar-me as pernas todas), as camas feitas, os banhos, os posts, a vida social e ainda fazer comida saudável com pesto e manteiga de amêndoa à mistura, um DIY, umas fotografias, ir buscar as encomendas, responder às leitoras e a emails profissionais e no meio disto ir às compras, levar e buscar uma e brincar, dar mama e estar atenta à outra. Esqueçam. Não há tempo para tudo. Não tentem sequer. Escolham, estabeleçam prioridades. O resto faz-se, noutros dias. Ou nunca. E não faz mal. PACIÊNCIA.

Este vai sem "mas vale muito a pena", que isso já todos sabemos.

Pau Storch na apresentação do Pequeno Buda da Iswari

............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.



34 comentários:

  1. :) :) :) Há cerca de 15 dias, andei uma semana inteira para, depois de os pôr a dormir, dar conta da roupa para passar que deixei acumular até à fase do "Não há nada nas gavetas para vestir?!?!". A roupa ficou toda dobradinha em cestos e em cima da mesa da sala, passámos o fim de semana fora, esta semana está a acabar e a roupa lá continua. Não há tempo para tudo! Não há! Não há! Principalmente quando não há empregadas para ajudar/tratar da casa e babás para tomar conta da criançada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Simplifique! Não passe nada a ferro :) estenda a roupa logo mal a máquina acaba, de forma a provocar o mínimo de vincos possível. Quando a tira do estendal, dobre-a logo. Nem sequer vale a pena passar coisas como roupa da cama, toalhas, roupa de ginásio, roupa interior, pijamas... roupa "de fim-de-semana" também se aguenta bem. Quando compra peças novas, pense em materiais que ficam com poucos vincos. Com este método, só passo roupa de vez em quando. Algumas blusas/vestidos de trabalho que têm mesmo de ser e algumas calças. Há semanas em que não passo nadinha. É do melhor que há!

      Eliminar
    2. Totalmente de acordo! já não passo quase nada a ferro. só em ultimo caso mesmo... :)

      Eliminar
  2. Se tivesse o pai das miudas presente acredite que nenhum desses 3 pontos iria custar tanto. Mas se ele tem de conduzir 1h para cada lado + trabalhar horário completo todos os dias, acredito que essas responsabilidades recaiam todas em si e se sinta assim.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Quando éramos dois a viver a 10 min do trabalho era muitoooo cansativo na mesma. Era apenas uma filha, o que fará toda a diferença.

      Eliminar
    2. Bem, ó Joana já percebeu que agora se se queixar que está de chuva vai ter sempre alguma alminha a apontar o dedinho! Irra que são chatas

      Eliminar
    3. Bem, então deve haver alguma desorganização da vossa parte. Não digo que estar cansada um dia ou outro não possa acontecer, mas por exemplo no último ponto não me revejo mesmo nada. Eu e o meu marido estamos a 15min a pé do trabalho, revezamo-nos em tudo, somos muito organizados nas tarefas domésticas/rotina diária que temos mesmo de fazer e temos sempre tempo para tudo. Normalmente que conheço que se queixa dessa falta de tempo é porque um dos membros do casal está sobrecarregado com as tarefas/cuidar dos filhos, ou porque ambos trabalham fora e demoram 1h para cada lado em deslocações + X tempo até ao colégio dos filhos + X tempo até actividades extracurriculares e passam o dia a andar de um lado para o outro.

      Eliminar
    4. Concordo plenamente com a Joana, eu cá tenho 2 miúdos uma já com 12 e a pequena com quase 3 mas com algumas "complicações " que nos fazem correr todos os dias entre terapias... Não estou a trabalhar por causa da situação. E o pai a trabalhar a 5 minutos de cada é incapaz de deitar a mão a o que quer que seja... Ainda diz andas sempre com uma cara! Não dá mais tudo bonito mas deve se contar pelos dedos os que ajudam de verdade... Bastava ao menos ir adormecer a pequena para eu fazer mais qq coisinha que está em falta. Mas enfim nos somos as chatas

      Eliminar
    5. Garanto ao anónimo com a mania que é esperto que ter o pai a 5 min e só com um filho as queixas são exactamente as mesmas. E a Joana ainda tem sorte com o pai das filhas que gosta de dividir tarefas, porque garanto lhe que o oposto além de se andar cansada, fica se muito frustrada.

      Eliminar
    6. Srª D.ª Anónima das 10:12h experimente lá ter 2 filhos com menos de 3 anos de diferença, sem empregada ou alguém que olhe por eles e apenas um deles na escola. Até pode não trabalhar que vai sentir-se assim na mesma com ou sem pai por perto, aliás o pai vai estar igual ou pior - derreado, que eles são menos resistentes que nós a estas coisas. Não sei se a Joana tem empregada ou alguém que olhe por elas?! Mas sem pelo menos uma destas, sei por experiência própria que não há pai por perto que nos valha, melhora, mas em vez de um com a gata pelo rabo, são dois, e ao menos podem sempre suspirar juntos em uníssono um "FINALMENTE PAZ E SOSSEGO" quando ao final do dia os enfiam na cama e se sentam no sofá para ver os primeiros 7 minutos de uma série ou filme, que já tentaram ver 3 ou 4 vezes, sempre com o mesmo resultado - adormecer no sofá. :)

      Eliminar
    7. Mas as meninas têm a mãe 24 horas e presente que é bem melhor que ter dois pais um bocado ao final do dia só para dar o jantar e deitar ou a chegar a casa e só as ver a dormir.

      Eliminar
    8. Era bom era!! Por cá o país está presente todos os dias, e ambos trabalhamos fora de casa, e temos empregada uma vez por semana. Não há avós nem quem fique com o único filho (o segundo está a caminho) é mesmo assim não há tempo para tudo. Mas se calhar este(a) anónimo(a) na realidade acha é que sou desorganizada, ou então preguiçosa.. se calhar é uma das raras pessoas que consegue tudo e eu queria muito aprender.. já que tenho o pai presente, diga-me lá onde é que está a minha falha.. obrigada!

      Eliminar
    9. Anónimo das 10.48... claro, se estiver a chover é muito mais fácil com o marido, que ele segura no chapéu, agora sozinha ah pois!!! ahahaha ;)
      Anónima Catarina

      Eliminar
    10. Marta Branco, a Joana não tem "sorte com o pai das filhas que gosta de dividir tarefas", simplesmente escolheu partilhar a vida e a família com um homem que sabe que isso acarreta responsabilidades e quer partilhá-las. Se a Marta tem um homem em casa que é o oposto, como você mesma diz, lamento, mas foi você que criou o seu azar ao achar que era um bom partido para casar/ter filhos. Surpreende-me como há mulheres que sabem o tipo de homem que têm ao lado, ainda assim avançam para uma vida comum com ele e depois sentem-se frustradas porque não mexe uma palha em casa...

      Eliminar
    11. Sabe Sr Anónimo quando casei por acaso não sabia que tipo de pai me calharia na rifa, pois ainda não sou perita em adivinhação e sei lá as pessoas surpreendem. Agora eu não estou a queixar me, estou só a fazer uma constatação com base na sua brilhante dedução. Se o sr anónimo tem a clarividência para escolher assim o seu parceiro um bem haja. Deve ser uma pessoa mesmo feliz. Deve ter um marido que troca fraldas, faz jantar, diz que é linda todos os dias e deve ser um macho latino na cama. Porque só assim para casar com alguém e não ter frustrações o resto da vida. Ah mas espere, você é perita em adivinhação, não tens estas questões mundanas da humanidade.

      Eliminar
    12. Aquilo que a Marta Branco chama de "adivinhação", eu chamo de conhecimento da pessoa com quem partilhamos vida e gestão de expectativas. Vivi com o meu namorado 7 anos antes de casarmos. Sempre fez tudo igual a mim em casa, sempre gostou de cozinhar, sempre se dedicou ás tarefas com o mesmo grau de afinco que eu. Era expectável que o continuasse a fazer depois de casados, certo? É expectável para mim que ele não mude enquanto companheiro e mantenha o nível de cooperação a que me habituou, certo? Por isso, casei-me nessa expectativa e, até agora, não foi defraudada (por isso o meu grau de "adivinhação" estava certo). A mesma coisa relativamente a filhos. Se ele já partilhava tudo comigo em casa (e não só em casa, mas todas as coisas que é necessário fazer... levar o carro à inspecção, passar no supermercado, ir tratar de qualquer coisa ao banco, fazer um desvio para passar em casa dos meus pais, sei lá), se a vontade de ter filhos era mútua, se o desejo de nos dedicarmos à família também, se o trabalho nunca foi a prioridade de ambos, mas sim a nossa vida pessoal é que é, era expectável que ele fosse um pai dedicado para os nossos filhos. E assim é, novamente a minha "adivinhação" não falhou. Partilhámos a licença durante 1 ano (tirámos alargada os 2) e continuamos ambos dedicados na mesma medida ao nosso filho. Por isso, não, não tenho frustrações em relação ao marido/pai que escolhi, aquilo que ele é corresponde exactamente ao que sempre foi desde que o conheço e ao que me levou a apaixonar-me por ele. Acho que as pessoas não mudam de um dia para o outro e quanto melhor as conhecemos mais indícios temos sobre como são, como agem e isso ajuda-nos a planear o futuro. Se encontramos alguém parecido connosco, que valoriza as mesmas coisas e desvaloriza as mesmas também, que partilha das mesmas prioridades, que tem um comportamento compatível com o nosso... porque não "adivinhar" um futuro sorridente juntos? Certamente não ando a observar os maridos das outras e a comentar que elas é que têm sorte com o que lhes "calhou". A mim não me calhou nada, fui eu que o escolhi (e ele a mim) e eu é que me sinto a maior sortuda, não tenho quaisquer frustrações com a minha escolha.

      Eliminar
  3. Como me identifico. Mas quem não passa por elas acha que passamos o dia a coçar. Amigas perguntam o que faço durante o dia. Custa a parte social. Ninguém levou esta decisão com boa cara ou sequer me deu incentivo. Estou com dois bebés em casa. A mais crescida na escola. E pronto. Nao fazemos nada...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que custa entender às outras pessoas (mulheres principalmente) é que elas trabalham fora de casa o dia inteiro e dentro de casa fazem exactamente o mesmo que as que ficam só em casa o dia inteiro, percebe?

      Eliminar
    2. O que custa entender ao anónimo é que quando há pessoas a viver em casa a sujar e a desarrumar e gente para pôr a dormir a sesta é óbvio que o tempo se passa a limpar a brincar a adormecer e... O dia passa!!! Percebe?

      Eliminar
    3. Anónimo25 de maio de 2017 às 16:00 quem trabalha fora de casa não deixa de viver na casa, nem de ter filhos nela a sujar e desarrumar (nem que seja "só" de manhã e à tarde/noite) e as coisas fazem-se na mesma, certo? Com a "agravante" de se terem passado umas 9h fora de casa - na melhor das hipóteses - entre trabalho, almoço e deslocações.

      Não estou a dizer que quem fica em casa "não faz nada", mas é óbvio que faz menos que quem trabalha fora e ainda tem de fazer as mesmas coisas em casa (quem tenha empregada, cozinheira, babysitter, seja o que for, em ambos os casos, poupa-se a parte do trabalho).

      Quem trabalha fora tem na mesma máquinas de roupa e loiça para fazer e esvaziar, roupa para passar, comida para fazer, supermercado para ir, casa para limpar, coisas para arrumar, etc. E só pode fazê-lo de manhã ou à tarde/noite (ou ao fim-de-semana). Quem está em casa o dia todo pode ir fazendo ao longo do dia (ou tem de passar esse tempo 100% dedicada aos filhos? não brincam sozinhos? não veem tv? não olham para o tablet? não dormem? não dão 1 min de descanso? não estão com o pai que trabalha fora nos momentos em que ele está em casa?) e não tem a obrigação/stress/horários/responsabilidade acrescida do trabalho fora.

      Por isso, não me parece que sejam realidades comparáveis. Parece-me que a sobrecarga, gestão e organização de quem trabalha fora E ainda tem uma família é infinitamente maior do que quem SÓ tem uma família.

      Eliminar
    4. Eu quando trabalhava descansava mais do que estando em casa - a verdade é essa. Neste caso nem foi por opção mas sim por desemprego. Chateia me quem ainda olha para quem fica em casa dessa maneira superior. Quer ficar com a bicicleta? Fique lá. Eu acho que se não almoça em.casa não suja, se não está em.casa não desarruma , claro que tudo o resto os outros também têm para fazer mas não acho que seja só questão de organização. Vejo amigas que conseguem ir na hora de.almoco do trabalho à depilação por exemplo.ou ao ginásio. Eu não tenho quem me fique 20 minutos com os meus miudos - que são 3! Que vida folgada a minha. Nem tanto ao mar nem tanto à terra ao afirmar isso dessa forna tão definitiva . Uns terão mais trabalho que outros, uns mais ajudas. Etc, etc.

      Eliminar
    5. Anónimo25 de maio de 2017 às 16:54 não olho de maneira superior, mas não percebo quem escolheu ter essa vida e se queixa como se estivesse muito sobrecarregada, quando claramente me parece um queixar "de barriga cheia" face a quem trabalha fora de casa todos os dias.

      Eu não almoço em casa, mas levo marmita de casa, por isso sujo na mesma na hora de cozinhar (só não sujo os pratos e os talheres que uso para comer no trabalho, mas isso é o menos). Se usar a hora de almoço para tratar de outras coisas, é tempo que me é descontado e tenho de sair mais tarde para compensar, pois só tenho direito a 1h (ok, posso almoçar em 30min e tentar fazer algo nos outros 30 que me restam, mas dificilmente uma tarefa/assunto vai demorar tão pouco tempo, incluindo o que levo a lá chegar).

      No final do dia não pode deixar os seus miudos com o pai que chegou a casa (e que provavelmente já nem tem tarefas para fazer, porque a senhora as fez durante o dia e pode só aproveitar o convívio com as crianças) e fazer algo para si durante um tempo? É que eu quando chego a casa no final do dia, à mesma hora do pai, temos os 2 que fazer as tarefas E estar com os miudos, com quem não estivemos durante o dia.

      Eliminar
    6. Ó meu Deus! EU falo das crianças! Das crianças!!! Que almoçam lancham jantam sujam, troca-se roupa, limpa-se o que sujam, arruma-se o que desarrumam, o tempo que se perde com estas tarefas senhora!!! Não passa tempo com os seus filhos no fim-de-semana? Não sujam desarrumam? Se calhar os seus não! Eu só não passo grande parte dos meus dias a limpar e a arrumar porque os preencho com actividades com eles, senão não fazia mais nada!!! É difícil entender? Pronto. A unica coisa que fica em vantagem em termos de tempo talvez seja o jantar que fica adiantado - a custo - ou ir às compras a meio do dia (com os tres.... facil), tirando isso, ha cozinha para arrumar a seguir ao jantar e roupa para meter a lavar em biohário para se poupar e estender, etc etc.

      Não podemos ver só as coisas do nosso prisma e olhar para o nosso umbigo. Há mil outras realidades, mil e outras formas de viver e não são só os que trabalham fora de casa que coitadinhos ficam cansados.

      Eliminar
    7. E mais! Experimente tentar adormecer tres miudos de idades proximas, experimente la. Se sao juntos é festa e demoram anos, se separados, quando acabo a ultima esta o primeiro ja a acordar. Ui que tempo que me sobra!... Enfim. Barriga cheia só se for de quem tem ajuda em casa, de resto, não me parece assim tão folgado. Também eu pensava como a senhora antes de acontecer o que me aconteceu. E atençao que nao é mau! É o que é e acho que melhor entregues e felizes eles nao podiam estar, mas é DOSE!!!

      Eliminar
    8. Eu trabalho e acho muito pior ficar em casa só com uma. Cansa mais.... pelo menos a minha que quer atenção a toda a hora. Até para dormir é uma chatice! Eheheh. Ficar em casa com 3 filhos é de louvar!!! Parabéns!!!!

      Eliminar
    9. Anónimo das 11:10, não, não percebo. Trabalhei desde sempre por conta de outrem. Tive a minha filha e por obrigações profissionais fui vezes sem conta forçada a negligencia-la durante a semana, sempre em prol do mesmo: a empresa.
      Quando fui ver o berçário para onde supostamente ia o meu bebé de 5 meses, segundo filho, percebi que não queria cometer a mesma falha, o mesmo erro, perder tanto com ele em prol de: empresa.
      Fizemos contas. Investimento familiar. Mais pobres na conta mas mais felizes e com crianças mais felizes e com mãe presente. Abdiquei de tudo tudo tudo para haver dinheiro para tudo o que faz falta. Aprendeu se a viver com pouco. E com tanta felicidade, até apareceu outro bebé 6 meses depois de nascer o segundo.
      Eu sei o que é trabalhar e ter filhos. E sei o que é ter filhos e trabalhar para a família. Não tenho apoio, não tenho uma pausa para ir ao WC. Há sestas que não são coincidentes e quando o são há sempre tarefas para fazer.
      Eu percebo o que eu vivi e vivo. Não falo por falar.
      Vejo muita mulher que opta por trabalhar pq não consegue estar em casa a cuidar dos filhos dos quais não têm controlo. Que se queixam deles. Que são cansativos. Chatos. Não. Se estivessem mais tempo com os pais e não tivessem uma vida cheia de horários e stresses e mil actividades, talvez conseguissem ser mais calmas e os pais os conheceriam melhor.
      Se nunca ficou em casa a tempo inteiro com os seus filhos, não conhece este ponto de vista. Não arruma os mesmos brinquedos dez vezes por hora. Não muda cem fraldas por dia pq acabou de tirar um xixi e o outro fez cocó. Não anda com a mama de fora ou com a bomba de leite atrás. E tantas tantas outras coisas que não fazia quando trabalhava com executivos.
      Não sejamos más umas para as outras.
      Podem mandar na vossa vida. Mas não exigir que todos percebam o seu ponto de vista que nem é considerado correcto.

      Eliminar
  4. Em relação a viver longe do trabalho. Eu, o meu marido e a minha filha vivemos no centro da cidade, mais centro não pode haver, o meu marido trabalhava num escritório na cidade, sem transito 5 minutos, mas à hora que ele sai normalmente demora cerca de 45 minutos a chegar a casa, estamos a pensar ir viver para o campo, uma vez que é muito melhor para nossa filha poder brincar no jardim, respirar ar puro, normalmente fica enfiada no apartamento. Acontece que a viagem para o " campo" é de 45 minutos, ou seja, vai dar ao mesmo!! não é preciso tanto stress pelas viagens do marido, se ele não se incomoda, como o meu, e prefere pelo bem da sua família, nem sequer de deve discutir o assunto para além disso.
    Ah! e os colégios são muito mais baratos! e legumes frescos ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O ideal é viver no centro da cidade e estar no máximo a 15min do trabalho (preferencialmente a pé, transportes públicos ou bicicleta). My case :) não troco isso por campo nenhum!

      Eliminar
  5. E quando chega o tempo do 1.º ciclo e eles só fazem os (muitos) TPC connosco em cima deles? Assim que vou adiantar o jantar, já está ela a olhar para a borracha. Nunca tive a casa tão desorganizada! Bom, há casos e casos...o meu é este.

    ResponderEliminar
  6. É tão verdade... e eu também deixei de trabalhar para cuidar das meninas. Hoje em dia não me preocupo mais com o estado da casa, porque se a casa estivesse a brilhar e com tudo feito isso significava que eu não aproveitava tanto delas. E o Hugo agora é camionista por isso eu também só tenho o pai de tantos em tantos dias. O que por vezes nos faz aproveitar e dar mais valor aos nossos sentimentos e a nossa família, aos nossos momentos. Foi uma decisão que tomamos e não estamos nem um pouco arrependidos. Vocês são uma inspiração e é sempre bom ver alguém que partilhe is mesmos valores e princípios que nós. beijinhos grandes e continuem a fazer este trabalho maravilhoso.

    ResponderEliminar
  7. Olá Joana! Não sei se o faz, mas funciona mesmo e é ótimo para si e para elas! Estou a falar de lavagem nasal, com soro fisiológico e uma seringa de 5ml! Aspira soro com a seringa e depois instila por uma das narinas enquanto lhe tapa a boca (obrigando-as a respirar pelo nariz)! E faz igual na outra narina! Pode repetir várias vezes, diferindo da congestão delas! Quando elas estiverem mais entupidas experimente. Elas ao início reclamam, mas depois ficam muitoooo mais aliviadas!

    ResponderEliminar
  8. Isso de não haver tempo para tudo é que é terrível e quase me deixa em lágrimas... Enfim, talvez um dia haja solução...

    ResponderEliminar
  9. Trabalho por turnos e faço muitas noites, o que me dá tempo útil de dia para estar com os filhos, e sim,é um corre corre que não dá tempo para tudo especialmente se lhes queremos dar atenção e tempo de qualidade... São ainda pequenos e têm pouca diferença de idades,(1 ano e 3 e meio) mas não creio que as correrias vao melhorar nos próximos anos... Por muita organização que haja acho difícil ter sempre as tarefas em dia se o foco principal forem eles! Mesmo com alguma ajuda... O dia tem 24h para todos! As exigências inúmeras:é a amamentação, introdução dos alimentos, sopas e comidinhas, 2m quadrados de sujidade após cada refeição,troca fralda, muda de roupa, birrinhas e chorinhas, levar e buscar a escola, aproveitar o sol e ir arejar ao parque porque o ar livre é bem preciso, etc etc... Há SEMPRE algo para fazer em casa, se não relativisarmos somos escravo dela.

    ResponderEliminar
  10. Eu tambem estou em casa com o meu filho de 19 meses e gravida de 28 semanas ao mesmo tempo que e um privilegio ve-lo crescer e tambem mt esgotante e as vezes as pessoas nao trabalham nao e porque nao querem e por mtos factores as creches sao carissimas, eu por exemplo nao tenho familia perto que me possa ir buscar o meu filho, o meu marido chega depois das19 horas as ipss fecham as 19h os particulares paga-se a mais senao chegaram-mos, la se ia o ordenado minimo que ia ganhar e td aquilo que ia perder nao tem preco. Mas nao e como as pessoas pensam que nao se faz nada, sinto que somos desvalorizadas ao maximo, tenho um filho que nao para e tenho que fazer tdo, uma mae que trabalha tbm mas tem tempo para ela porque pode deixar o seu filho mais uma hora na creche e ir cortar o cabelo eu nao posso. Como em td a vantagens e desvantagens mas nao digam que nao fazemos nada.

    ResponderEliminar