domingo, 10 de setembro de 2017

Desconfiem da Mãe perfeita

Estão perante uma mãe que faz, acontece, tem tempo para as bolachas caseiras, para as unhas sem uma mossa, para o cabelo sem raízes, para o ioga e para um copo, para uma casa a brilhar e roupa impecavelmente engomada, zero ajudas, que ainda realiza pedipapers, vende bolos na quermesse, trabalha 9 horas fora de casa, passa imenso tempo com os filhos, lê livros, uns atrás dos outros, está feliz e realizada, fala com toda a calma do mundo, nunca stressa e ainda tem aquele bumbum todo empinado. Desconfiem.

Estão perante uma mãe cujos filhos dormem bem, comem bem, nunca fizeram uma birra, não pintaram uma parede nem um sofá e fazem sempre o que lhes é pedido e ainda têm a roupa toda aprumadinha e brincam imenso na rua, são óptimos a tudo: desportos, música e mandarim. Desconfiem. 

Estão perante uma mãe cujos primeiros tempos foram maravilhosos, zero dores, casa impecável, jantar sempre pronto para quem a for visitar, sorriso nos lábios e zero olheiras, percebe à primeira o que o bebé quer, raramente chora, raramente dá más noites, adormece sozinho, não faz cocós até ao pescoço nem pede colo a cada minuto, tem tempo para tudo, tudo controlado, nunca se esquece de nada quando sai de casa, faz tudo como dantes e a vida segue igual, mas melhor. Desconfiem.

Estão perante uma mãe que nunca se culpou, nunca desesperou, nunca teve saudades de nada da vida sem filhos, nunca se queixou, nunca teve medo, nem dúvidas, nunca quis ser ou fazer diferente. Desconfiem.

Desconfiem da mãe perfeita. Desconfiem da mãe que consegue tudo a toda a hora sem queixume, só com optimismo e contorcionismo e onda zen e que ainda joga com o baralho todo. 
Desconfiem porque a omnipresença e a omnipotência dá tanto trabalho que dificilmente se consegue manter, ad eternum. 
Desconfiem, não no sentido de puxar para baixo quem assim é - ou pensa ser - mas no sentido de não almejarem ser igual. Não vão conseguir. Não o tempo todo. 

Ser bem sucedida, fazer carreira, mãe presente, mulher extremosa, amiga irrepreensível, cozinheira dedicada, pessoa voluntariosa, cujos dias parecem ter 57 horas e um ar que transmite paz de espírito, segurança e completude, tudo, ao mesmo tempo, não vai dar. 

Desconfiem que seja possível ser perfeita. Ou desconfiem que estar no controlo de tudo - ou achar que se está - seja quanto baste para ser feliz. Desconfiem mais ainda que as crianças ou os bebés sejam mini-adultos, sem necessidades especiais, sem precisarem de testar, sem espaços em branco que precisam de ser preenchidos. Se desejamos um filho que fique sempre quieto, compremos um tapete. Se desejamos um filho que não chore, compremos um boneco a pilhas. Se desejamos um filho que durma logo a noite toda, adoptemos um já adulto (e, mesmo assim, sem garantias). 
De forma alguma devemos nivelar por baixo, esperar o pior, encarar a vida de forma pessimista. Mas ter as expectativas muito elevadas, esperar de nós e dos nossos filhos algo que não estamos preparados para ser, pode trazer frustração.

Mães e pais imperfeitos, filhos em construção, casas que às vezes parecem caóticas: é Vida, com altos e baixos, sempre a pulsar. O mais normal é isso. Desconfiem do resto.

Fotografia I Heart You

www.instagram.com/joanapaixaobras
a Mãe é que sabe Instagram

7 comentários:

  1. Brutal... joana sempre no seu melhor! É que nem uma vírgula retiro nem acrescento😏

    ResponderEliminar
  2. Olá Joana, sou mãe de 2 ( Leonor de 7 e o Miguel de 14 meses). É impossível sermos mães perfeitas, não existe filhos perfeitos e ainda bem que não, os meus não são! A Leonor sempre foi muito calma (dentro do possível) dorme bem as noites, apesar de ter que a adormecer, hoje já dorme sozinha (ás vezes a fazer birras porque não tem sono ou porque apenas quer miminho), já o Miguel desde que entrou para a creche (há 1 semana) que não tenho uma noite boa por assim dizer, só quer mãe e miminhos parece que tem medo que fuja! Quando estou meia hora ou até mesmo 40 minutos a tentar adormecê-lo, é a vez do pai, que não sei porquê tem aquele Dom, em 5 minutos o Miguel já dorme ;).
    Trabalho 8h diárias e mais 8h (mãe, mulher e dona de casa), mas é o melhor que temos, é lógico que adorávamos ter uma vida completamente desafogada, com tempo para nos mimarmos (não tenho razão de queixa), mas a vida só é perfeita sem ser perfeita.

    Obrigada pelos vossos artigos, são sem dúvida gratificantes!!
    Um beijinho
    Inês

    ResponderEliminar
  3. existem vários blogs perfeitos. não será o vosso caso... the daddy blog, por exemplo. enjoa de perfeição!

    ResponderEliminar
  4. Ahahah!!! Amei!!! Olha.. mas eu sou uma mãe perfeita... E os meus filhos são perfeitos... A minha casa, as minhas unhas e o meu cabelo é que não!!! 😂😂😂😂😂

    ResponderEliminar
  5. Uma fotografia maravilhosa! O texto também é muito realista. Parabéns!

    ResponderEliminar
  6. Eu sou uma mãe perfeita....
    Perfeitamente cansada
    Perfeitamente stressada
    Perfeitamente sem unhas arranjadas
    Perfeitamente sem a casa sempre totalmente arrumada...
    Adorei o texto!! Mesmo! :)
    Cristina mãe de uma princesa de 3 anos

    ResponderEliminar