terça-feira, 3 de maio de 2016

Aquela vaca salvou-me a noite!

Acho que não é típico da Irene. Pelo que tenho falado com algumas amigas (assim parece que tenho muitas), é algo recorrente. Desde nova - principalmente pela dificuldade que tinha em pô-la a fazer as duas sestas a horas (muita ansiedade minha) - sempre que ela não dormir "o que devia dormir", era de esperar dois episódios de terrores nocturnos. Ela "acordava", passada na cabeça, sem me reconhecer, só me batia e gritava como se fosse a Sansa Stark e estivesse a ser perseguida pelo Bolton (não o Michael Bolton, apesar disso também dar direito a querer fugir e bem). Gritava, chorava e tudo de TERROR. Não era só um pesadelo manhoso como aquele que ela tem de vez em quando a dizer que tem a boca com bichos (feita estúpida disse-lhe que tinha de lavar a boca senão ficava com bichos...). 

Foi horrível para o meu coração na altura. Ainda para mais, li nalguns sítios que o melhor é só ficarmos a vigiar o episódio e não lhes tocarmos nem acordarmos para o cérebro resolver o nó e não voltar a acontecer nessa noite, mas eu não conseguia, claro (acontece normalmente na primeira metade da noite). Voltou a acontecer no outro dia. Não fez sesta ou dormiu muito muito pouco, já não me lembro e, à noite, foi mesmo o TERROR.

Rejeitava a maminha, batia-me, arranhava-me, ficava super ofendida comigo, não dizia coisa com coisa... Não sabia o que fazer. Às tantas, pensei: vou fazer uma brincadeira com ela, pode ser que isso ponha o cérebro a funcionar um bocadinho mais do lado "dos acordados".

- Irene, queres banana?

- nãooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo!

- Irene, queres um acordeão? 

- nãaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaao!

- E uma vaca amarela, queres? 

- Sim!

Parou de chorar. Acordou. Continuei: "Necas, uma vaca amarela??? Não há!! É como haver cães roxos! Ou o xixi ser verde! hahaha"

Ela sorriu e deitou-se de barriga para baixo. O pai fez-lhe festinhas até adormecer e pronto. 


Obrigada, vaca amarela. 

Pior desenho de sempre!! E não fui eu a fazer, googlei e encontrei ahah. 

4 comentários:

  1. A minha de 2,5 um dia qd acordou disse que o Pai Natal ia comer-lhe as maminhas e o umbigo e os passarinhos da rua. Supus que tivesse tido um pesadelo com isso. Passado uns dias , ficou super séria a olhar para a porta da rua, e disse "o Pai Natal vai apanhar-me"... O mais estranho é q nunca viu um Pai Natal nem nada. E nunca ouviu falar bem nem mal dele. Coisas da cabecita deles... Felizmente nc me deparei com a Marta a ter um pesadelo.

    ResponderEliminar
  2. Eu ainda tenho terrores noturnos... Com quase 24 anos xD a gente não se lembra de nada e, apesar de me dizerem que parece que estou a ser torturada, nao estou em sofrimento. Fico um bocado se me acordarem, porque me assusto. A melhor técnica descobriu o meu namorado: Abraçar.me para nao me levantar (sim, por vezes também acompanho com episodios de sonambulismo), dar.me festinhas e dizer que esta tudo bem. Pena não me lembrar de nada, mas diz que me acalma. Vou.lhe sugerir a história da vaca amarela :P eheh

    ResponderEliminar
  3. Gostei da parte da sansa!!!! Devia haver um post sobre GoT!!!!! Sandra Gonçalves

    ResponderEliminar
  4. Olha!!!!!! O meu Matias com 6 meses faz o mesmo!!!!!! A Irene também fazia estas coisas com essa idade? Caramba!!! Grita, berra, não abre os olhos, não pára, não nos vê, não sorri, parece que está bloqueado num lado qualquer e não o conseguimos tirar de lá!!! Só com... leite... Eu que sempre tentei que o leite fosse associado à fome, não tenho forma de o tirar daquela angústia a não ser com leite... :(

    ResponderEliminar