sexta-feira, 20 de maio de 2016

Daqui a nada tenho que explicar aquilo da cegonha.

Acho que não vou por nenhuma cegonha ao barulho senão a "coisa" fica ainda mais esquisita. Ela poderá imaginar uma cegonha a dar umas bicadas no pipi da mãe e ficar preocupada comigo. Ou pensar que as cegonhas roubam bebés e sempre que vir uma, enrolar-se numa posição fetal. Pior, pensar que se os sacos de plástico estão tão caros, onde é que a cegonha vai desencantar o saco para transportar o bebé de um lado para o outro. E se o bebé fizer cocó no saco no início da viagem? Depois fica lá a banhar-se até chegar à Alfredo da Costa? Meter a cegonha ao barulho é complicar. 

Vou antes pôr um Tucano. Tem mais cor, um hálito menos agressivo por (digo eu) não comer tanto peixe e tem um ar mais simpático.

Ah. Brincadeira. Logo se vê o que lhe digo, aliás, eu já lhe conto a história da mamã e do papá: "a mãe e o pai deram muitos muitos beijinhos e apareceu a Necas na barriga da mãe, a Necas cresceu muito muito muito, a mãe foi para o hospital fazer força, a Necas saiu pelo pipi e foi para a maminha. A mãe teve uma depressão pós parto ou lá o que foi e teve vontade de se atirar de uma pontezinha simpática". 

Ela gosta da história (claro que só vai até à maminha) e acho que assim fica resolvido até ela ter 6 anos. Tenho é medo que ande a dar uns mamos de boca agora aos peluches lá de casa para ver se fica com tartarugas-bebé no estômago ou caranguejos. 

A Irene começou a fazer perguntas. Reparamos sempre que ela é muito curiosa (todas as crianças são, eu sei), mas é um fascínio ver as coisas que ela quer saber, a vontade que tem de aprender. Já fui buscar um manual de contabilidade para ver se aprende ainda algo de jeito para o IRS deste ano. 

Agora aponta para as coisas e diz: "isto chama-se?". Ou: "o que é isto?". 

Ainda fico sempre supreendida. É mais uma forma que ela tem de conversar connosco e, sinceramente, parece-me que já está tudo. Ela é uma companhia fenomenal: opina, observa, pergunta e... faz birras. É uma mulher. ;)

Ah! Hoje de manhã até argumentou! Queria bolachas para o pequeno-almoço e eu disse "não são pequeno-almoço, são snack para comer entre refeições, o pai come pão, a mãe come pão, a necas come pão". Ela responde: "papá come bolacha, mamã come bolacha, bebé come bolacha". Claro que me ri imenso (mas não houve cá bolachas para ninguém muahaha, sou a nazi dos pequenos-almoços). 

Ela já me pergunta coisas. Mais uma milestone. Ansiosa por tangá-la imenso com coisas sem importância e rir-me para dentro com isso.

A pensar se consegue por lá um cão em casa se der um linguadão naquele caniche que está ali a passar.

9 comentários:

  1. Ahahahaha. Eu à minha digo que damos muitos abracinhos e o papá põe um bebé na barriga da mãe, depois o bebé cresce e sai pelo pipi e vai mamar. xD o que acontece muito é ela dizer "papá, poe bebé na barriga da mamã Raquel!!!!" LOL. Não estou nada ansiosa q chegue a altura em que esta resposta não vai satisfaze-la :P

    ResponderEliminar
  2. A minha diz: "quando era bebé a Alice estava nas mamicas da mãe a beber leitinho".
    Acho que a parte da gestação não importa muito, o que interessa é o leite ;-)

    ResponderEliminar
  3. Joana, a minha experiência pessoal é que essa história de dar beijinhos da asneira... Porque um menino na primária deu-me um beijo na boca e eu andei uma semana sem dormir com medo de dizer à minha mãe que tinha um bebe na barriga... 😂

    ResponderEliminar
  4. Está numa boa idade para explicar as coisas tal como elas são! Pode parecer chocante, mas como são crianças e inocentes não vão ver a coisa da mesma maneira que nós! A vantagem é que ao pôr o preto no branco, mata a curiosidade por uns bons anos, tornar-se-á numa coisa simples para ela! E evita contradições ou situações mais embaraçosas como ir-lhe perguntar como é que a Luisa foi para à barriga da Joana! Com o meu filho resultou super bem assim ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tenho medo que ela depois queira brincar com as pilinhas dos meninos para ter bebés :)

      Eliminar
    2. Parvoice... É natural a curiosidade e não deves fazer disso um "big deal". Para eles o sexo não é visto como para nós... Muitas vezes é até uma coisa que não querem pensar precisamente por não perceberem bem o conceito da coisa. Há que ver e tratar as coisas com naturalidade... Muitas vezes mostramos-lhes bonecos e brincadeiras e eles nem ligam e nunca repetem... porque haveria de tentar replicar neste caso! Para isso tb devias ter medo que ela andasse em grandes "beijinhos" com os bonecos!
      Keep it simple ;)
      Vais ver que corre bem

      Eliminar
  5. Quero imenso que a Lara comece a falar e a perguntar coisas (em parte para poder divertir-me imenso a dizer-lhe coisas caricatas como o pai do Calvin mas não sei se o namorado vai deixar), mas não estou muito ansiosa por "essa parte" da reprodução.

    ResponderEliminar
  6. Acho linda a história do Tucano!!!!! A sério... A minha tem 3 anos e meio e vê as fotos do nosso casamento e pergunta onde é que ela estava e eu respondi "Estavas no meu coração filha"! Na hora achei lindo mas agora ela raciocina e diz que estava no coração e depois caiu para a barriga!!!!!
    Realmente a parte dos beijinhos e "ups", bebé na barriga, para já será a melhor explicação!!!! Ela vai acabar por perceber que não pode ser "só" isso... À medida que ficarem requintados nas perguntas, nós temos de dar algum requinte às respostas! Há tempo para tudo e explicar tim-tim por tim-tim logo à partida, parece-me tão ou mais que a imagem da cegonha a dar bicadas no pipi ou o bebé "lavado" em cocó!!!! Cada coisa a seu tempo!!!! No entanto, sou a favor que se aborde este assunto o mais cedo possivel, sempre com cuidado com os termos e as palavras, de forma a não banalizar a "coisa". A educação sexual deve ser tratada o mais cedo possível, uma vez que a "curiosidade aguça o engenho"!!!

    ResponderEliminar