domingo, 22 de maio de 2016

Ontem ganhei meia-hora para mim!

Ontem foi dia de ir a casa da Avó Sílvia. Depois de a ter visto de manhã antes de entrar na "aula de música da professora Carla" (é assim que ela diz), fomos aproveitar o bom tempo lá para casa. Ainda por cima, a avó Sílvia já tinha prometido que tinha melão, por isso não podíamos mesmo faltar.

Fiquei moderadamente triste porque estreou o macacão no último dia em que o vai usar. Está pequeno. Não muito, mas o suficiente para na próxima vez que o vá usar (gosto de ir variando as roupas), já não lhe fique confortável. Sniff. Daí eu comprar sempre roupas um tamanho acima e ela, normalmente, parecer um "pinto calçudo". Custa-me despedir das roupas giras, pá. 






O gato Xico.

Quis oferecer uma flor (da vizinha, ai ai) ao gato Xico.



Bola amarela!

E acabou a tarde a dar uma centena de saltinhos na cama dos avós. Saltou tanto que a mãe ganhou mais meia hora para ela à noite. Abençoada meia hora, vocês sabem como é... Parece que entrei de férias só por causa dela. Até fiquei atarantada sem saber o que fazer. 

1 comentário:

  1. Todas as semanas, deixo a minha filha na casa dos avós pelo menos 2 ou 3 horas (se existe alguma semana em que não levamos a avó pergunta o que é que se passa, se não podemos deixá-la lá um bocadinho. Minha rica sogra.) É um tempo que eu e o meu namorado tiramos só para nós. Agarramos no carro e vamos por aí, procurar uma esplanada agradável, e ficamos a ler, a conversar, a descansar literalmente.
    Às vezes não temos grande hipótese e aproveitamos para fazer comprar ou dar aquelas voltas chatas que levantaram o dobro do tempo com uma crianças de 2 anos. Mas, sempre que podemos, ficamos só a fazer alguma coisa de que gostemos.

    ResponderEliminar