segunda-feira, 16 de maio de 2016

Nunca tinha visto tanto sangue na vida :(

A sério... até hoje a Isabel nunca se tinha espatifado desta forma. Tem dois anos e dois meses, até era normal que já se tivesse esfrangalhado toda numa esquina de uma mesa, que tivesse dado com a cabeça num brinquedo pontiagudo, eu sei lá. Mas não. Não como hoje. Hoje a miúda deu uma queda enorme, que vi de soslaio - e não, não foi em câmara lenta, foi rapidíssimo - de uma cadeira alta que temos na cozinha (daquelas de balcão) para o chão. Ela já não quer ficar na cadeira da papa, aprendeu a subir para estas cadeiras altas dos "crescidos" (a miúda tem imensa genica) e até hoje tinha corrido tudo bem, porque sabia que tinha de pedir ajuda para descer. Sempre pediu. Só que, estava eu de costas e ela lá se lembrou de tentar passar da cadeira para a banca da cozinha. Vejo os milésimos de segundo dessa operação, ainda pôs as mãos no balcão, mas o resto do corpo não chegou lá. Eu também não fui a tempo de chegar lá. O coração gelou, mas mantive a calma. Caiu de corpo inteiro no chão, de lado. A cabeça não foi primeiro e acho que os braços amorteceram a queda e a cabeça só bateu depois. Foi o que me pareceu. 

"Daviiiiid! Vem já aqui!, gritei baixinho - acho eu - para não a assustar. Peguei nela, dei-lhe mil beijinhos, tentei ver logo a barriga, os braços, as pernas enquanto ela estava num pranto enorme, quando o David me diz "sangue no nariz!". E foram litros. Pedi-lhe logo uma toalha, com a maior calma - que me saiu não sei de onde -, sentei-me com ela, inclinei-lhe um bocadinho a cabeça para trás, beijando-a muito. A minha camisa branca, a camisola branca dela, o chão... era um rio de sangue. Felizmente estancou de forma rápida e ela parou de chorar. Voltámos a analisar tudo muito bem e a achar que se algo estivesse partido, não pararia de chorar. Tudo acalmou, trocámos de roupa e falámos sobre o que aconteceu. Ainda antes de sair para a escola - onde pedimos que ao primeiro sinal de alerta nos avisassem - recapitulou tudo o que tinha acontecido e o que fez de errado (apesar da culpa ter ficado a morar comigo).

Será que ficou alguma coisa da nossa conversa? Será que vai voltar a tentar tamanha proeza? Horrível, horrível. Nunca estamos preparadas, nunca. 

Amor da mãe.

Foto tirada uns 5 minutos antes da queda 

Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também @JoanaPaixaoBras

12 comentários:

  1. Felizmente que correu tudo bem ! :) Joana uma sugestão e nunca como crítica. Se por algum motivo a Isabel voltar a sangrar do nariz, não coloque a cabeça para trás. E sim a cabeça dieita sem inclinar nem para trás nem para frente. Para trás faz com que se engula o sangue e posteriormente pode vomitar o sangue digerido. Fazer pressão nas abas do nariz até parar de sangrar e aplicar frio quando ela deixar :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Faz todo o sentido. Ainda bem que "atorneira" foi quase toda antes de lhe ter posto a toalha. Parou logo de sangrar. Bem, agora não vale a pena ficar a pensar nos "ses".
      Muito obrigada pelos conselhos!! Beijinhos.

      Eliminar
  2. A Cláudia Ferraz explicou bem como deve proceder. Uma dica, um curso de primeiros socorros (mesmo que seja de adulto) ajuda ;) eu fiz à 1 semana e aconselho. Rápida recuperação

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sem dúvida! Ando a protelar isso há anos! Todos devíamos ter! Obrigada beijinhos

      Eliminar
  3. Não sou mãe, ainda, mas trabalho com crianças entre os 3 e os 10 anos em atl. A situação mais assustadora que vivi foi no ano passado quando um menino de 5 anos abriu o queixo. Tinha ido à casa de banho com um grupo e tinha-lhes dito para se sentarem nos bancos que la estão junto aos cabides. Virei costas dois segundos para dar papel e ouvi um estrondo gigante. Agarrei logo no menino e vi a ferida ainda antes de aparecer sangue. Não sei como mantive minimamente a calma, chamei uma colega e enquanto uma ligava para os bombeiros a outra tentava conter o sangue. Quando os bombeiros chegaram e disseram que ele tinha de ir ao hospital caiu-me tudo. Fui eu com ele e não quero repetie nunca a experiência. Felizmente a mãe nunca nos culpou pelo sucedido (ainda que eu me tenha sentido culpada) mas não consigo imaginar o que é receber uma chamada destas. Não consigo imaginar o quão pequenino deve ficar um coração de mãe quando algo assim acontece e não dá para evitar.

    A Isabel ainda irá cair muitas vezes mas com os pais naravilhosos que tem as feridas irão sempre sarar num instante ;)

    P.s.: Mesmo ainda não sendo mãe adoro ler-vos Joanas. Obrigada por alegrarem o meu dia e por me darem ainda mais vontade de ser mãe :)

    ResponderEliminar
  4. Sim, para a próxima tente não colocar a cabecinha para trás! Ao contrário do que nos faziam e do que sempre ouvimos dizer esse gesto está errado e pode ser perigoso. Para ajudar a estancar o sangue pode passar com uma pedrinha de gelo na cana do nariz! Foi só um susto e o que interessa é que a princesinha esteja bem! Beijinhos

    ResponderEliminar
  5. A minha filha, ao tentar sair da cadeira, que o faz tantas vezes, bateu com os dentes no aquário. Tem ela dois anos e meio. Gritou, chorou imenso e partiu um dente. Eu também chorei, Joana. Não consegui deixar de chorar e nem conseguia dormir. Fomos imediatamente à clínica dentária onde a Doutora Leonor Veiga foi cinco estrelas. O ponto positivo foi o dente ter partido, senâo p nervo teria acumulado o choque e teria dado para o torto. E uma pessoa esta sempre a tentar evitar tudo e acontece tudo mesmo diante de nós. Enfim, melhoras para a Isabel. Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. A minha pequenina de dois anos, este sábado teve a primeira grande queda. Bateu com a testa numa esquina e abriu logo um "boraquinho", algo para uns pontos. Chorava com dores, com o susto, e principalmente de ver mae, pai e avó assustados. A caminho do hospital a mãe acalmou e filha também. Conversamos pelo caminho, expliquei tudo o que íamos fazer, " tens um dói dói na cabeça e os senhores vão tratar de ti muito devagarinho". Tudo correu bem, filha calma, equipa de enfermeiros muito boa :) um ambiente muito calmo enquanto levava tres pontos. Saiu de lá com medalha ao peito "fui corajosa". Voltando hoje a casa da avó soube identificar onde bateu com a cabeça, como foi e com quem estava e já sabe que tem que ter cuidado. Resumindo, p mais importante de tudo e conseguirmos manter a calma, para que fiquem calmostambém, e eles assimilam tudo! Ontem até brincávamos, que a Baby M. Contribuiu para a vitória do Benfica com 3pontos :) Nos sentimos aa dores deles como se fossem as nossas... Mas estas quedas fazer parte do crescimento/aprendizagem deles. Um beijinho grande. Martinha

    ResponderEliminar
  7. Cortes no nariz e na boca sangram sempre imenso, mesmo que a ferida em si seja pequena. Ainda bem que não foi nada de grave!

    ResponderEliminar
  8. Ainda bem que está tudo bem com a Isabel.
    A minha tem quase, quase 3 anos, e acho que nunca teve sangue assim, pelo menos não me recordo, e seria para me recordar se tivesse acontecido, certo?
    Mas ela não é diferente por isso um dia deve acontecer. Nem quero pensar...
    Beijinhos.

    ResponderEliminar
  9. Eu só de ler até me arrepiei... Tenho uma bebé de 15 meses e graças a todos os santinhos nunca deu uma queda valente mas só de ouvir essas coisas até fico com o coração apertado. As melhoras para a Isabel e para o coração da mamã que esse também sofre muito. De cada vez que eles caiem desejamos estar no lugar deles, de cada vez que estao doente tb ou qualquer tipo de dor. Para mim o mais difícil na maternidade nao sao as noites mal dormidas, o trocar fraldas malcheirosas ou ate aturar os palpites das outras pessoas mas sim conviver com a impotência que sentimos em algumas situações, tal como a doença, a dor ou ainda as quedas, essas coisas que não controlamos e que nos deixam com o coração apertado...Sandra Gonçalves

    ResponderEliminar
  10. Oh Joana, coração de mãe apertadinho! A nossa princesa já me bateu 2 vezes con a testa, uma no único sítio da consola q n se conseguia proteger e a outra num casamento em q ficou com um grande galo. Nos andamos sempre com eles debaixo de olho, mas eles inventam sempre uma forma diferente de testar o nosso fraco coração ♥ beijinho e q tudo esteja bem com a pequenina

    ResponderEliminar