sábado, 21 de fevereiro de 2015

SOCORRO! Estou in...continente!

Não, não estou num supermercado, nem fui aos Açores e voltei. É mesmo isso. Perceberam bem.

Pensei muito se escreveria isto e estou a rezar para que os meus progenitores não leiam este post. Andaram com a menina para a trás e para a frente, ele foi aulas de música, coro, teatro, explicações de inglês e de alemão porque "ai, não posso ter 17", de dança, uma lufa lufa para a rapariga ficar supé culta e ter uma mega carreira e acaba a escrever sobre xixi. Ou chichi, como preferirem, que fui confirmar e dá das duas formas. 

Mas é verdade, acontece, e se ninguém o assume (pelo menos ainda não vi a mãe da Carlota a escrever sobre nada disto no blogue dela Hehe), dou o primeiro passo. 

Estou incontinente. Desde que fui mãe que preciso de usar fraldas. Não uso, mas se calhar devia. Quando estou aflitinha e não consigo chegar ao WC a tempo, a coisa dá-se. Calma, também não abro a comporta totalmente. Acho que não preciso de ser mais gráfica, certo? Vocês agradecem (e mãe, desculpa! lol)

Somos um blogue que fala sobre tudo, qual programa do Goucha ou da Júlia. Há tempos falou-se lá de tipos de cocós e levaram mesmo os espécimes. Juro! Por aqui vamos tentar que cheire menos mal, mas não prometemos nada.

Se quiserem comentar como anónimas, percebo perfeitamente. Não deve ser fácil assumir que se faz xixi pelas pernas abaixo quando não somos nem concorrentes da Casa dos Segredos nem temos 80 anos. Mas preciso muito de dicas. Cá vão as dúvidas:

1) é caso para ir à ginecologista?

2) além de exercícios com o períneo (já faço a história do elevador, sabem?), o que aconselham?

3) alguém já passou por isto e voltou ao normal?

Obrigada, suas... mijonas!

11 comentários:

  1. Joana procure ajuda em fisiolar.pt, há tratamento específico para essas situações, que têm resolução!

    ResponderEliminar
  2. Eu também fiquei logo após o parto da minha primeira filha, há quatro anos. FIz preparação para o parto e também sei bem onde fica o períneo (há mulheres que não). Sim, é caso para falar com o ginecologista, a minha mandou-me fazer alguns exercícios, se não passar há fisioterapia que se pode fazer ou, senão, cirurgia. Cada caso tem de ser avaliado. É verdade, ninguém fala disto, quando disse à minha mãe que tinha de cruzar as pernas se tossia ou espirrava de repente, ela confessou que andou anos assim. Chega a inibir a prática de exercício físico e as pessoas andam assim uma vida inteira.

    ResponderEliminar
  3. Felizmente n me aconteceu ( tb tendo em conta que fiquei com a barriga em obras, Deus poupou-me essa maleita ) mas conheço a quem aconteceu e aconselho ir oa GO até porque há soluções para o problema é não tratando parece que pode piorar ;(

    ResponderEliminar
  4. Eu passei pelo mesmo e até com fraldas andei. Com uma simples operação voltei a ter qualidade de vida. Informe se com o seu médico.

    ResponderEliminar
  5. Aconteceu comigo. Durante cerca de dois meses depois de ter o meu bebé. Fiz exame a ver se tinha infecção urinária mas deu negativo. Com calma e com os exercicios do períneo foi ao sítio. Quando me apercebi da situação fiquei assustada mas senti que gradualmente ia melhorando e deixei de me preocupar. Se for algo mais duradouro obviamente deverá procurar ajuda especializada.

    ResponderEliminar
  6. Olá. O meu nome é Helena e eu também fiquei assim...já passou, mas andei bastante preocupada...logo na maternidade tive que pedir fraldas, nao aguentava, quando sentia que tinha que ir fazer, nao conseguia prender o xixi, e era tudo, mas mesmo tudo por ali abaixo. Nessa altura nem sequer conseguia fazer os exercícios do períneo, simplesmente nao sentia nada quando tentava contrair, parecia que não morava lá ninguém. Depois em casa ainda estive assim cerca de 1 mês, nao usei fraldas, mas tive que mudar roupas e lençois várias vezes...Depois foi melhorando, a ginecologista disse que a minha musculatura lá de baixo tinha ficado um bocado descaída e tinha que fazer muitos exercícios do períneo. que fiz. Depois foi melhorando, mas situações de ficar muito aflita, espirros, tosse, ainda perdia uns bocadinhos. Passado uns meses increvi-me num ginásio, numas aulas de fitness e quando havia saltinhos, pumba...cada saltinho um bocadinho. Empenhei-me ainda mais nos exercícios do períneo em particular, mas fiz pilates (que ajudou montanhas, tanto nas dores de costas como "lá embaixo") e mais exercício físico no geral. Agora (passaram 4 anos) já posso saltar à vontade que nao sai nada, não digo que estou "como dantes" mas estou bem. Pelo que sei, acontece com quase toda a gente, a maioria tem vergonha de dizer (eu tinha). Concerteza que devemos falar com os nossos ginecologistas ou procurar ajuda especializada. Enquanto nao passa, a evax tem uns pensinhos que são diários mas sao maiores que os normais e aguentam bem estas pequenas perdas (pareco o anuncio da tena, caraças), têm uma caixa roxa. Beijinho e força nisso (literalmente ;) ) H.S.

    ResponderEliminar
  7. Aconteceu...e passou!!!!!
    Nem tossir podia... Tb eu dizia que precisava de fraldas.... Volta e meia lá desaparecia eu no wc.... E que tinha de mudar de cuecas etc etc.... Mas passou com o tempo foi ao sítio e hj já posso sair e sorrir sem pensar em tena lady :) (Raquel Gomes sem vergonha de assumir que fez muito xixi - vá pinguinhas de xixi- nas cuecas )

    ResponderEliminar
  8. Andei assim até aos 3 ou 4 meses depois de ter a Alice. Mas não era só xixi... 😞 Com os exercícios kegel a coisa foi ao sítio. Fui teimosa e não quis usar absorventes, andava sempre a contrair-me toda, agora tenho dificuldade em não fazer os exercícios...!

    ResponderEliminar
  9. É um dos efeitos secundários de ser mãe. Eu já tinha tendência e depois do parto do mais velho (ventosa) ainda fiquei com a bexiga mais descaída. Já fui o médico e o que me aconselhou foi a operação (mas só depois da menopausa). Os músculos ficam em tensão e se houver mais alguma gravidez torna-se perigoso. É algo muito incomodativo. Jogar à bola com os melus filhos, tossir, espirrar, rir, sei lá, no outro dia fui fazer uma caminhada e a meio do percurso já só me apetecia chorar. Já ia quase nos joelhos (a mancha molhada). Credo! Tenho amigas que a incontinência foi temporária. Já não sofrem desta mijisse. Espero que o seu caso seja de resolução rápida senão é esperar pela menaupasa e ir "à faca". **

    ResponderEliminar
  10. Sou nova a lê-la mas a adorar cada palavra. Passei pelo mesmo com o nascimento da minha filha mais velha. Foram uns mesitos até recuperar totalmente, talvez cerca de um ano já não sei precisar mas voltou tudo ao normal e quando a mais nova nasceu já recuperei mais depressa. Mas em todo o caso aconselhe-se com a sua ginecologista.

    ResponderEliminar
  11. Para evitar situações dessas no país no vivo é comum fazer-se fisioterapia para trabalhar o chato do períneo. E é o que estou a fazer, passados 3meses do parto continuo com as sessões de fisioterapia.

    ResponderEliminar