domingo, 15 de fevereiro de 2015

Mães que tudo sabem (#05) - Vanessa Oliveira

"Se soubesse o que sei hoje já teria tido uns 5 filhos." É assim que Vanessa Oliveira, uma das apresentadoras mais lindas de todo o Portugal (adoro esta expressão e aqui posso usá-la), aborda a experiência da maternidade. Foi mãe do André, um bebezão com 3,945kg, a 18 de junho de 2013.
Hoje é uma mãe que tudo sabe, "pelo menos com o coração".


Como soubeste que estavas preparada para ser mãe?
Acho que nunca se sabe. Pelo menos na primeira vez. Tudo é tão avassalador que nenhuma mulher estará preparada. E quando digo avassalador, é no sentido de que tudo é uma descoberta, desde o teste e até ao fim da vida.

Como descobriste? Quem foi a primeira pessoa a quem contaste que estavas grávida?
Ponto prévio: eu e o João temos um péssimo acordar!
Foi tudo planeado, portanto na altura certa, acordei, fiz o teste e fui tomar o pequeno-almoço. Confesso que me esqueci completamente e, quando de repente me lembrei, fui a correr para ver. Confirmava-se, então fui até ao quarto e ouvi logo um rabugento “O QUE FOI?”. Disse-lhe que o resultado tinha dado positivo. Tirámos uma foto e voltámos a dormir. Quando acordámos, ligámos ao Obstetra e marcámos consulta. Não tem graça nenhuma, pois não? Pois, mas foi literalmente assim. Acho que fomo-nos consciencializando a pouco e pouco.

Lembras-te da primeira coisa que compraste para o bebé?
Depois da primeira consulta, o médico mandou-me tomar Ferro. Como daria muito nas vistas se fosse eu à farmácia, dado que queríamos segredo até aos 3 meses, foi lá o João.
Tínhamos combinado que só compraríamos alguma coisa depois dessa mesma data. Quando chegou ao carro, o João trazia o Folicil e duas chuchas! Disse que não conseguiu resistir!

Tinhas preferência por menino ou menina?
Confesso que tinha preferência por menino mas claro que se fosse rapariga, não teria qualquer problema. A dada altura, inconscientemente, as prioridades mudam radicalmente. É um lugar comum mas só queria que tivesse saúde.


Como correu a tua gravidez?
Tranquila. Cheia de comida! Engordei 22kgs! Como é possível?! Ainda há uns dias vi uma foto do final da gestação e nem me reconheci. Credo!!! Mas de resto tudo bem. Muito feliz!

Ias com medo para o parto ou calma?
Ia ansiosa, mas nada nervosa. Estava muito bem disposta. Foi parto induzido pois o André já estava muito grande, portanto, na noite anterior dormi pouco o que fez com que, depois das primeiras contrações e de, posteriormente levar a primeira dose da epidural, adormecesse e estivesse bem tranquila. Portanto, de 6 horas de trabalho de parto, lembro-me apenas de umas 3 ou 4.

Como recuperaste o teu peso? Era uma preocupação voltar à tua forma o mais depressa possível?
Recuperei sim. Tudo em 4 meses. Logo que pude, voltei ao ginásio, fechei a boca, ou seja, deixei de comer porcarias mas não deixei de comer, e foi tudo ao lugar. Tinha mesmo que ser!

Custou-te muito regressar ao trabalho depois da licença de maternidade ou nem por isso?
Não me custou nada! Eu adoro trabalhar e sempre soube que iria conciliar muito bem tudo. Confesso que ter a ajuda das avós ajuda IMENSO. Não sei como passaria sem elas.


O que foi/ é mais difícil na maternidade?
O André sempre dormiu relativamente bem. Sempre fomos muito rígidos em relação a colos e tudo mais no que respeitava às horas do sono, mesmo ainda na maternidade. O que acontece é que, quando ele está doente ou com dentes a nascer, acorda 2 e 3 vezes por noite. Para quem não está habituado é a loucura. Nenhum dos dois reage bem com sono portanto o André quando não dorme fica com uns pais insuportáveis!

Agora que és mãe, o que mudou na tua vida quotidiana?
Passei a dormir mais cedo e a acordar mais cedo. O que até é bom pois o dia rende muito mais (tenho sempre mil coisas para fazer). Custa é ao fim-de-semana pois aí podíamos desligar o relógio biológico dos miúdos e dormir mais um bocadinho mas já me habituei. Desde que não me estique nas horas a que me deito, tudo tranquilo e em paz.

Aprendeste algo novo sobre ti, quando que te tornaste mãe?
Sim, dou uma nova ordem às prioridades da vida. Coisas com que me chateava diariamente passaram a ter importância zero em relação àquilo que agora é importante para mim: o André, a saúde e felicidade dele, a construção da sua personalidade, planear a sua vida futura, etc, etc, etc.


Que valores consideras mais importantes na educação do teu filho?
Tentar que seja a imagem e semelhança da mãe e do pai. Bem educados, batalhadores, com muito amor para dar, com espírito de sacrifício, bondade… e muitos mais adjectivos espetaculares!!!

O que é que mais gostas no teu filho?
Ai! Ai! Ai! Daquele sorriso quando chama Mãiiii! que é a forma como ele diz e quando me abraça a dar miminhos.


Ele é dorminhoco e sossegadinho como desejavas?
Dorme bem, pelo menos 10 horas seguidas, o que é fantástico. Sossegado não, é uma peste! Mas é da maneira que faço ainda mais exercício físico em casa. Mas é tramado e muiiito teimoso! (tem a quem sair!)

Tens saudades de quando ele era bebé, bebé? Ou estás a gostar mais desta fase?
Eu acho que todas as fases são giras e importantes. Não podemos selecionar uma pois quando era recém-nascido tinha um encanto brutal, agora é o meu amor para toda a vida. Quando for adolescente será com certeza importante por outra razão…

És uma mãe control freak ou mais descontraída?
Completamente descontraída. Às vezes até penso que me interpretam mal mas quero lá saber. Sou responsável e isso é que é importante.


Da próxima vez vais fazer alguma coisa diferente? 
Sim, vou tentar fazer uma menina!!! Só para ser diferente. (Hahaha)

Algum conselho para as futuras mamãs?
Três:
1 – Não ouçam toda a gente. Façam uma filtragem muito elevada de todos os conselhos. Escolham duas ou três pessoas a quem recorrer para ouvir tais opiniões.
2 – Não stressem demasiado. Aproveitem cada momento, cada bocadinho, pois nada volta para trás.
3 – Dêem sempre um(a) irmão/ã ao vosso filho. Assim conseguem garantir que nunca ficará sozinho no mundo.

Qual é a última coisa que lhe dizes quando o pões na cama?
Todas as noites sem exceção: a oração do Anjo da Guarda e que o amo muito para sempre e com todas as minhas forças.

Ser mãe, para si, é...
A melhor coisa do mundo. Se soubesse o que sei hoje já tinha tido uns 5 filhos!

Porque é que é a mãe que sabe?
Porque a mãe gera, a mãe faz nascer, a mãe cuida, a mãe faz.

E sabe o quê?
Tenta saber sempre tudo, pelo menos com o coração.

Obrigada, Vanessa!

2 comentários: