segunda-feira, 20 de junho de 2016

Faltei à festa de aniversário da Joana.

A Joana fez 30 anos no domingo. E, parece inadmissível - para muitas de vocês será - mas não fui. Não fui por nenhum motivo em particular de "força maior". Ninguém estava doente, não me faltava gasolina no carro, nada disso. 

Como é que vos hei de explicar sendo que nem me perguntaram nada? Quem me conhece mesmo (as pessoas mais próximas de mim, sendo que a Joana é uma delas) sabe que eu não vibro com momentos de festa e ocasiões do género. Não me agrada particularmente o convívio em grupo em festas (já no resto... haha brincadeira). Vou por ser importante para quem me convida, mas o que eu quero mesmo é estar com a Joana e com a Luisinha e com a Isabel, sem ruído. Se iria gostar de emborcar os pães de leite e a festinha boa a nível alimentar que aquela família produziu? De certeza que sim.

Porém, não me apetecia ir a Santarém. Devia ter ido como amiga da Joana? Vocês vão dizer que sim, mas eu sinto que, ao ser honesta com ela, dizendo que não me apetecia e que irei noutra ocasião, em breve, para desfrutar da companhia real das duas e ela dizendo honestamente que compreende, porque me conhece, que houve aqui um momento especial.

Se calhar a Joana não me disse a verdade, na volta está super magoada comigo ou, na volta, fui uma daquelas convidadas que o pessoal "tem" de convidar, mas não por a querer na festa. Eu quero acreditar que somos mesmo amigas ao ponto de não termos de fazer fretes uma pela outra e que, sendo que ela me jurou que não ficaria magoada nem perto disso, fortalecemos a nossa amizade com base na confiança mútua. 

Se ela morasse ainda em Caxias, obviamente que tinha ido. É um facto.

Assim e sem vergonhas, mostro o que andei a fazer em vez de ir ao aniversário da minha amiga e co-autora Joana Paixão Brás, porque posso. Porque disse que não me apetecia e não porque inventei uma desculpa manhosa qualquer que depois me impede de fazer publicações nas redes sociais para ninguém desconfiar. 

Obrigada, Joana, por saberes que gosto de ti na mesma apesar de não ter ido à tua festa. 

Fui ter com a minha família, a minha mãe, padrasto e irmão. Não houve pães de leite, mas foi bonito na mesma. 





 O meu irmão Pedro que tem menos 10 anos que eu - 19. Era o meu "filho" antes da Irene. Agora é tio da minha filha. Está a fazer músculo? Está. 

 Aqui bem que pode estar a apertar o nalguedo que não se vê.

 Eu também estou a fazer músculo, mas não resulta muito não sei porquê.



 As duas pessoas mais importantes da minha vida e para sempre (a não ser quando tiver outro filho). O amor por um irmão mais novo e por um filho é... tão semelhante.

57 comentários:

  1. Pois é. Eu tenho duas irmãs pequenas - 9 e 5 anos (quase) e sou louca por elas. O amor é, como dizes, muuuuito semelhante - ou até idêntico.

    ResponderEliminar
  2. Acho que fizeste muito bem e a Joana de certeza que compreende. Amiga não faz amiga fazer frete e, por respeito, também não inventa desculpas.
    Se não apetece ir, qual é o mal? Fretes e sacrifícios fazemos em ocasiões diferentes, em casos de doença ou de necessidade em que, por mais que não nos apeteça, temos e estaremos lá porque os nossos amigos precisam mesmo de nós. Num aniversário é diferente, é preciso repartir a atenção por tantas pessoas que acaba por ser um encontro menos especial do que se fores fazer uma visita num dia em que não esteja lá mais ninguém.

    ResponderEliminar
  3. Se diz que teria ido se a festa fosse em Caxias o problema não é não gostar de festas com grupos grandes, o problema é a distância. E não estar disposto a moldar um bocadinho os quereres por uma amiga não é lá muito bonito.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se poder e se para o aniversariante for importante a minha presença eu vou. Posso não ficar a festa toda se tiver que fazer alguma coisa mas vou.

      Eliminar
    2. É uma conjugação de factores. Se fosse em Caxias o frete seria menor por ser mais perto e não ter que andar duas horas de carro. ;) Eu simplesmente acho que o nosso amor e a nossa amizade não se mede pela minha presença na festa de aniversário. Ela disse que compreendia e que não ficava minimamente chateada, foi o que eu achei, por isso está tudo resolvido entre as duas tranquilamente. Sem problemas. Acho que até fortaleceu a confiança mútua, como disse.

      Eliminar
  4. Confirmo! Tenho uma irmã 4 anos mais nova e sim, o amor que sempre senti por ela é muito próximo, muito semelhante ao que sinto pelo meu bebé. Ela também é a minha bebé (ainda que agora já tenha 24 anos) :)

    ResponderEliminar
  5. Não te censuro até porque me identifico bastante. Não gosto muito de ir a festas principalmente se não conhecer mais de metade. A verdade é que muita gente faz frete em festas não é verdade?? Vão porque fica bonito e tem que ser. Eu sou o contrário. Para fazer frete não vou.


    http://ourpicturingdays.blogspot.com

    ResponderEliminar
  6. É tão bom ver esta liberdade. Amizade é isto - honestidade, sinceridade e amor pelo outro, sem mentiras e desculpas. Parabéns à Joana P.B. mas parabéns a ti que te manténs fiel a ti e aos que te rodeiam.

    ResponderEliminar
  7. Completamente de acordo. Até porque esta casa (estes prédios) são quase na minha rua. Qualquer dia ainda nos cruzamos. Já disse aqui que a Irene é a miúda mais krida da blogosfera???

    ResponderEliminar
  8. Que engraçado, o meu irmão mais novo também era o meu "bebé" antes de, este ano, nascer a minha filhota. Quando ele nasceu eu tinha já 17 anos e então andava com ele sempre atracado a mim para todo o lado!! Agora ele já tem quase, quase 15 anos e é ele que anda babadíssimo pela minha bebé!

    ResponderEliminar
  9. Para que então tanta justificação?!
    E se a festa fosse em Caxias, com as mesmas pessoas, não seria frete?!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Na minha lista de prós e contras, passaria a haver mais um pró (ser perto) e menos um contra (ser longe) ;) Seria um frete na mesma, mas um frete um milhar de vezes mais pequeno. Não é justificação é um post que escrevi sobre o assunto para deixar algumas pessoas a pensar nesta possibilida de encarar as épocas festivas e respectivas presenças/ausências.

      Eliminar
    2. As presenças são as que importam, como eu costumo dizer "só faz falta quem cá está".

      Eliminar
  10. esse irmão... ai esse irmão...

    ResponderEliminar
  11. Amigos que não vão ao nosso aniversario porque "não lhes apetece ir até Santarém", dispenso. Mas devo ser eu que sou muito sensível e, por sorte, não tenho amigos desses...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Já fui assim também. Já cobrei muito a amigas minhas. Agora (não que seja mais à frentex que o anónimo, simplesmente mudei) sinto que gosto das pessoas ao ponto de conseguir perceber os seus motivos e de não levar estas ocasiões tão a sério. Fazer uma média da minha relação com as pessoas e não apostar tudo no dia do meu aniversário, só porque há x anos a minha mãe me pariu naquele dia.

      Eliminar
  12. Os momentos marcantes são para partilhar com os amigos quem não vai porque é longe para mim isso não é ser amigo. É só comodismo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também confesso que toda esta história me faz alguma confusão. Acho que se confunde muito sinceridade com egoísmo.

      Eliminar
    2. Compreendo a vossa postura. E compreenderia ainda mais se não tivesse conversado com a Joana ou se não acreditasse nela. Cada vez sinto que os momentos mais marcantes não são os aniversários, mas como isso sou eu que sinto, falei com a Joana. A Joana pos-me à vontade e aproveitei. Não temos cerimónias e isso deixa-me muito feliz porque é para ambos os lados. ;)

      Eliminar
    3. Os momentos mais marcantes até podem não ser os aniversários mas se foi convidada para ir à festa será certamente porque a JPB gostaria de a ter presente! Não ir, ainda que com a compreensão da aniversariante, pelos motivos que indicou parece-me ser só egoísmo, puro e duro!

      Eliminar
  13. Eu só não ficava magoada se fosse alguém que não fosse muito meu amigo , agora um amigo não vir por um motivo fútil ficava triste.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu só ficaria triste se morasse perto! Somos todos diferentes, digo eu ;)

      Eliminar
  14. Joana, admiro imenso a tua sinceridade. Pessoalmente ficaria magoada (e passei por uma situação semelhante no meu aniversário). Mas a verdade é que vocês já são amigas á imenso tempo (no meu caso, não éramos amigas nem á 1 ano) e se têm esse tipo de confiança uma com a outra, só posso dar-vos os parabéns por terem construído uma amizade tão forte. E apesar de não conhecer a JPB, acho que ela não tem uma personalidade de se deixar ficar calada se isso a tivesse magoado.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Lamento que tenhas passado por isso e que te tenhas magoado... Acho que acima de tudo as amigas têm de estar em sintonia. Tenho pena que ela não tenha sentido que te fosse magoar... Eu senti que podia e estava certa. Sou amiga dela em todas as ocasiões que não no dia de aniversário dela. Têm de contar para alguma coisa haha

      Eliminar
  15. Não somos ninguém para julgar as atitudes dos outros sem olharmos primeiro para as nossas atitudes. Muito menos, julgarmos atrás de um computador. Quantas de vocês não tiveram vontade de fazer o mesmo que a Joana?

    ResponderEliminar
  16. Desculpe JG mas não consigo perceber.... E não a quero criticar de alguma forma. A JG faz o que acha melhor, mas a verdade é que se põe este tipo de publicações é também para nos darmos a nossa opinião não é?
    E Dizer que ir a festa de aniversário de uma grande amiga seria um frete? Já pensou que a JPB gostaria de ter a sua companhia visto serem tão amigas? Acho que a Joana é um pouco egoista ao agir assim. Não se dar ao trabalho de fazer uns kms para marcar presença na festa de anos de uma amiga e que recentemente foi mãe...
    Recordo-me que no primeiro aniversário das meninas tinham tido a ideia de fazer a festa juntas mas a Joana uns dias antes não foi a festa (que pelos vistos também era da sua filha) porque havia suspeitas de varicela da isabelinha ou de outro menino que ia estar na festa (já não me recordo). Na altura também achei a ideia super egoista proncipalmente para a Irene. foram mais crianças a festa e acha que os pais pensaram sequer nisso? A sua filha foi a única a faltar por esse motivo, e acabou por não se divertir nem ter a sua festinha...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Em relação ao episódio da varicela (que me deixou contente lembrar-se disso porque tal significa que é nossa leitora há bastante tempo - obrigada), cada mãe toma decisões de acordo com o que depois lhe irá na sua consciência. Seria imperdoável para mim expor a minha filha a uma possibilidade de varicela. Não iria aguentar o meu coração pequenino por vê-la a passar por tudo isso sabendo que teria sido evitável. A culpa consumir-me-ia. A Irene tinha um ano, teve uma festa maravilhosa em família. Não creio que tenha ficado infeliz por não ter tido uma festa como a da Isabelinha e com a Joana. Só houve uma criança que foi e que não tinha tido varicela. As outras já tinham tido e o resto eram adultos. Para mim não compensava. Ela teve a sua festinha. Além de que este endeusamento das festas de aniversário das crianças me faz alguma confusão. Ser uma obrigatoriedade não concordo. Se se proporcionar sim, mas não precisa de haver sempre uma espécie de baptizado todos os anos. Especialmente quando tem um ano. Creio que somos diferentes ;) Quanto ao ser egoista, sem dúvida que sim, mas confiei que a Joana estaria a ser sincera. Se ela me dissesse ou desse o mínimo sinal de que lhe faria diferença, teria ido. Acho que temos de confiar mais umas nas outras e não optar sempre pelo "ficar bem". Continue a seguir-nos! Obrigada pela opinião! Por acaso não escrevi este post para darem opinião, mas podem fazê-lo e têm o seu direito. Publiquei sim para inspirar também uma liberdade maior neste sentido nas relações que temos com as nossas amigas. Beijinhos

      Eliminar
  17. Seria um frete estar presente no aniversario de uma pessoa que: por acaso é sua amiga, cuja filha convive com a sua, por acaso também escreve para este mesmo blog. Por acaso é um frete fazer parte de um momento que, certamente, é/foi muito importante para a JPB. Parabéns, JG! Tenho a dizer-lhe que tanto acaso junto não culmina em frete, culmina numa dose de egoísmo que entre amigos não deve reinar. Ah, e se era um frete assim tão grande, porquê tanta justificação? Veio publicamente explicar a sua falta, porque?.? Parece-me não estar assim tão certa da decisão que tomou, precisa de uma aprovação?? Será? Valha-nos a JPB com a sua sinceridade e espontaneidade..

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não é um post de justificação. É um post que me apeteceu escrever por estar orgulhosa da minha relação com a Joana e, visto o blogue ser das duas, fez-me sentido. Claro que, confesso, interiormente, há sempre 1% de ter receio que a Joana tenha ficado magoada, mas os outros 99% fazem-me acreditar na palavra dela. Assim estamos as duas à vontade para, para sempre, dizermos a verdade uma à outra sobre o que dá jeito, o que não dá e compensarmos noutras circunstâncias. Para nós que somos mães (e ela mãe a dobrar) e temos um blogue e moramos longe uma da outra, este tipo de equilibrio e de franqueza é o que mantém a nossa relação de boa saúde. E com muito orgulho, diria e digo eu ;)

      Eliminar
  18. Ai, esta gente não percebe ou não quer perceber. Eu no teu lugar, JG, provavelmente teria feito o mesmo. Já q era para uma viagem "grande", preferia faze-la um dia inteiro a aproveitar a minha amiga e as meninas só para mim. E tenho mesmo a certeza q a JPB percebeu e não se importou ;)

    ResponderEliminar
  19. Sinto um binómio de sentimentos ao ler este post. Se por um lado aprecio, e muito, as relações fortes entre amigas, que permitem este tipo de sinceridade por outro lado acho que ficaria triste se uma amiga não viesse a um aniversário meu, data a que dou muito valor, ainda mais depois de ser mãe, por puro comodismo.
    Por outro lado e por não ter mentido, me fez dar valor ao seu gesto...
    Enfim! como disse, sinto muitas coisas diferentes com este post!

    ResponderEliminar
  20. Egoísmo...amigo é ser isso também, ter a capacidade de pensarmos no outro para além das nossas comodidades, o aniversário de um amigo é um momento especial, é um dia por ano...e nunca se sabe como será o ano seguinte. Não faltaria... duvido que a Joana não tenha ficado magoada no seu intimo.

    ResponderEliminar
  21. Joana, não sei se ficaria chateada ou não na mesma situação, mas uma coisa é certa..cada vez gosto menos de fazer fretes e de saber que os fazem por mim. O aniversário na verdade é só mais um dia, se estivermos os restantes 364 disponíveis a qualquer hora, que diferença fará um dia?!

    ResponderEliminar
  22. É óbvio que a JPB ficou um bocadinho triste, ainda que não admita. Claro que se divertiu na mesma e durante a festa nem se lembrou que a JG não estava lá, mas fica sempre aquele vazio e tristeza quando, apesar da amizade ser grande, nos apercebemos que nos fizeram algo que nunca faríamos a alguém. Situações como esta já me aconteceram e eu naturalmente que disse que não me importava e compreendia. Não menti; simplesgkmente nunca faria o mesmo

    ResponderEliminar
  23. Aniversários,natal e datas só porque sim cada x mais são um frete para mim.amizades verdadeiras não têm filtro.gostei muito da atitude.o que interessa são os outros momentos,nao são esses para a fotografia no fb e frases feitas e que parece que temos monteeess de amigas!

    ResponderEliminar
  24. Desculpe a sinceridade mas não consigo entender essa atitude, acho-a de uma enorme imaturidade. A sua sinceridade magoou a sua amiga (mesmo que ela não o admita). Estamos numa sociedade onde as pessoas confundem a sinceridade com a falta de educação. Manuela Moura

    ResponderEliminar
  25. Parabéns! Ás duas.
    Sinceramente aos 41 anos, já não tenho paciência para fretes e ir à festa de uma grande amiga pode ser um frete...percebo que prefiras fazer a viagem para estar com ela e não ser só mais uma...abaixo os fretes !!!

    ResponderEliminar
  26. Olhando para esta questão com outros olhos: o que sentiria a Joana se, daqui a uns anos, algumas amigas da Irene faltassem ao seu aniversário porque não estão para fazer "fretes"? Ou seja não ser nem a baldas nem a aniversariante. É que fretes que não apetece vão aparecer bem mais...

    ResponderEliminar
  27. Claro que a JPB depois de te ouvir dizer que não te apetece ir à festa dela nao ia dizer que ficava magoada ou chateada. Obviamente, como pessoa sensata que é disse que nao havia problema nenhum, porque ninguém quer que as pessoas façam fretes na nossa festa de 30 anos. Queremos que estejam connosco porque sim, porque gostam de nós e porque aquele diazinho é o nosso dia. Acho que fizeste bem em nao ir... ela aproveitou melhor o tempo com quem realmente gosta dela. E não me venham com história mederninhas nem com tangas para tentar embelezar o óbvio: A Joana não é tão importante assim para ti. Frete? Frete fazemos nós no aniversário da Sogra ( para algumas claro :) ) com uma amiga se é frete ,então deviam repensar o que realmente vos une.

    Sofia Trindade

    ResponderEliminar
  28. Pessoalmente, não consigo compreender o argumento "...somos mesmo amigas ao ponto de não termos de fazer fretes uma pela outra...". Na minha opinião, como amiga devo fazer coisas pelos outros mesmo que não me apeteça... e isso envolve fazer favores, estar presente, apoiar, mesmo quando não me dá jeito, mesmo quando não me apetece. Para alguns, certas datas não têm grande importância, mas para outros têm, e é nesses outros que penso. E se alguém diz que não lhe apetece estar presente numa dessas ocasiões, podemos dizer que não ficamos magoadas para não complicar, mas... eu cá fico triste com a atitude. E normalmente é o mesmo amigo que vai tendo atitudes desse género, o que nos vai deixando um pouco de pé atrás... Mas claro, esta é só a minha opinião.

    ResponderEliminar
  29. Sou leitora do vosso blog. Primeira vez que comento.
    Acho esta atitude a mais feia, egotista e imatura que já li aqui no blog.
    A grande amizade que apregoam acaba por soar a falsidade. Estar presente numa festa de aniversário de uma grande amiga (que por sinal faz os big thirty!! 30!!) é frete?!! Como é que estar presente na festa dela, que a família organizou com tanto carinho, com tanto amor pode soar a frete? Depois de tantos posts da Joana Paixão a falar sobre a mudança de casa, da distância, com receio que se reflectisse no afastamento de amigos... Depois do post de aniversário da Joana Paixão sobre gratidão pela festa que teve, pelos amigos presentes... A Jona Gama vem falar de frete andar 2 horas de carro? Depois também nao vais ao casamento, nem ao baptizado porque é longe e não te apetece!! Ou aí é outro tipo de festa?!! É consoante o estatuto de festa ou voante o estatuto de amizade?? A cereja no topo do bolo é não ires, dizeres que seria um frete e ainda colocares fotos na piscina!! Não confundas sinceridade com falta de vontade de ver os amigos felizes. E quando falares com a Joana sobre se realmente ficou afectada e ela disser que não não acredites. É mentira. Ainda bem que tem amigos que não acham frete ir a uma festa de aniversário senão não teria ninguém para cantar os parabéns!
    Valor errado que vives. Valores errados que transmites à tua filha. A amizade nunca é frete! E é para estarmos presentes nos bons e nos maus momentos.

    ResponderEliminar
  30. Acho que a altura não foi a melhor para expor que seria um frete ir à festa de aniversário de uma amiga tão próxima e que foi mãe há poucos dias. O pós-parto é muito complicado a nível sentimental. As hormonas são tramadas. Acho que se me tivessem feito o mesmo no pós-parto (pelo menos nas primeiras semanas) ia chorar baba e ranho às escondidas. :p
    Entendo o que escreves JG, mas acho que o momento foi mal escolhido. Sinceridade, OK, mas neste caso sobressaiu um pouco de egoísmo (claro, isto sou eu e a minha maneira de ver as coisas). A festinha da JPB parecia ter só mesmo as pessoas mais chegadas e queridas para ela, faltaste tu.
    De qualquer forma, adoro o vosso blog. E atenção, revejo-me imenso naquilo que escreves sobre a tua experiência como mãe, JG!
    Parabéns às duas pelo blog e bjnhs!
    Lili

    ResponderEliminar
  31. Parabéns Joana!

    Eu juro que gostava de ter amigas como tu e que as minhas fossem assim tão sinceras. Estou farta de falsos moralismos. Temos de fazer tudo porque "se não parece mal". Porra!

    Pode não nos apetecer ir a um aniversário NAQUELE dia só porque NAQUELE dia à 30 anos atrás a mãe da minha amiga pariu? Por favor... Não é pecado.

    Grave era a JPB ter uma emergência e a JG pensar duas xs se queria ir até Santarém... Tenho a CERTEZA que não aconteceria e ia. Simples e naturalmente, ia.

    Aos leitores mais chateados, permitam que as pessoas possam ser e fazer o que querem. Please!...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não há aqui leitores chateados, há leitores que não compreendem atitudes de puro egoísmo. De pessoas que se colocam a si em primeiro lugar em tudo (há que fazer cedências). Para mim o pior é mesmo ter esta atitude, vir para aqui contar como se fosse uma grande coisa e ainda colocar fotos na piscina, do género "não fui porque não me apeteceu, prefiro estar a banhar os chispes do que estar com a minha amiga que foi mãe há dias e faz trinta anos". Incompreensível. E depois ainda diz que não é um post justificativo. É sim, é um post a pedir apoio para esta decisão parva

      Eliminar
    2. Completamente de acordo! Não fico nada chateada. Acho lindamente que a JG consiga assumir as suas vontades e o que lhe dá ou não prazer fazer. Acho também que é uma mulher adulta e não uma adolescente a descobrir-se e por isso deveria ter noção que quando somos convidados aos 30 anos de uma amiga recém mãe aceitamos o convite e vamos à festa. Não ir porque é "frete" e vir postar fotos na piscina familiar é de uma falta de noção atroz. Eu gosto da JG e revejo-me nela na minha primeira maternidade mas acho que a imaturidade e a necessidade de se encontrar e assumir têm alguns limites

      Eliminar
    3. Exatamente, anónimo das 10.01... 30 anos e tanta imaturidade e egoísmo como já demonstrou em vários posts por aqui publicados.

      Eliminar
    4. Provavelmente se fosse vossa amiga não tomaria esta liberdade porque saberia que vocês não iriam compreender e que ficariam magoadas. E permitam-me dizer que não são só os adolescentes que se descobrem e que têm de crescer. Todos nós, todos os dias deveriamos ter essa humildade.

      Eliminar
    5. Não era sequer a pedir apoio, era só mesmo para prestar homenagem à nossa amizade e para inspirar mais gente a pensar neste assunto.

      Eliminar
  32. Joana, eu como uma das leitoras mais novinhas (19 anos) exijo mais publicações com a presença do teu irmão.
    Ahahah brincadeirinha.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  33. Olá joana gama, gosto imenso do vosso blog, já aqui escrevi. como em tudo acho-te um bocadinho exagerada (tudo ou nada), mas sou a que acha piada a isso, acho que és uma criativa, e que tens um piadão e adoro saber-vos juntas. acho a vossa amizade muito engraçada, porque é uma benção descobrir assim uma afinidade tão grande da forma q descobriram. acho que esse feito merecia ser valorizado. por vezes fazemos um esforço. e por vezes esse esforço está só nas nossas cabeças complexas, depois quando chegamos lá pensamos: como íamos perder isto? adoro a minha amiga joana. não sei o que te fez decidir assim, mas não está aqui explicado. família, marido, filha... tudo bem...mas não está explicado. e acho até um bocadinho triste, como espectadoras da vossa amizade que vemos que é verdadeira, que nos tente impingir a do "frete".
    Eu pelo contrário acho que demonstras arrependimento nesta justificação. estas-te a auto convencer. é obvio que foi excelente uma tarde de piscina, mas não nos tente convencer que não falhaste. é verdade que a viagem era chata, mas seria um mal menor para fazer uma amiga feliz. que acabou de ser mãe e que está numa fase de gratidão pela linda vida que tem e pelo grande susto q apanhou. não me acredito que a JPB não tenha ficado 1% magoada. simplesmente mentiu-te para não te deixar triste a ti. percebes isso?
    aliás, talvez ao contrário contribuísse até para se afastarem, até porque tu perdes mais energia com estas coisas, és muito mais sensível.

    quanto à varicela, vacinaste a irene? a varicela é uma doença benigna na maioria dos casos e como deves saber, por esse motivo, a vacina é polémica. não ficarás a sentir-te culpada se a irene apanhar varicela na adolescência (risco de complicações e nº de lesões a aumentar a cada ano que passa da primeira infância), ou na juventude, gravida? sabias que a partir dos 12 anos tens indicação forma de fazer aciclovir (uma droga c/riscos) pelo risco de doença mais grave? gosto muito da nova joana enquanto pessoa e mae, sinto que há um esforço de evolução que valorizo e admiro, e retiro inspiração para mim, mas ainda tens um caminho a percorrer, joana. (como todas/os nós obviamente) há muitas coisas que não podemos controlar e a certa altura troca-se o beneficio com o risco!
    pensa nisto e faz uma surpresa à joaninha! se nada disto fizer sentido, esquece....estamos todas enganadas...e tu estás certa. seria curioso...um beijinho grande de uma fã (n precisas publicar)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada. Li tudo e gostei (sei que não era essa a intenção, mas fez efeito, não se preocupe) . Gostei de sentir que me viu melhor que todas as outras pessoas. Obrigada por "perder" tanto tempo a ler-me também! <3

      Eliminar
    2. Joana, só para confirmar que a intenção dos meus comentários sobre o assunto não era uma ponta maldosa, por isso fico contente que tenhas gostado. aproveita da melhor forma aquilo q achares bem. um beijinho para ti, porque estas coisas te fazem remoer. (sabes, acho que somos parecidas nalgumas coisas). gosto muito das duas. continuem.

      Eliminar
  34. Compreendo perfeitamente a decisão da Joana. Eu no lugar dela teria feito o mesmo. E se por acaso isso acontecesse comigo não iria ficar minimamente chateada. Assim a Joana quando fizer a viagem aproveita e está com a amiga e as meninas com mais sossego. ��

    Rita Neves

    ResponderEliminar
  35. JG, festas de amigos não podem jamais ser frete e este post procura justificação. Do que leio nos teus coments és muito fundamentalista, modera um pouco vais ver que te vais sentir melhir. Imagina que todis os amigos da Jpb pensassem como tu? Possivelmente não teria quase ninguém na festa.

    ResponderEliminar