Mostrar mensagens com a etiqueta fotografias. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta fotografias. Mostrar todas as mensagens

quinta-feira, 7 de junho de 2018

Nada nunca nos fez tão felizes.

Não quero estar a tirar o mérito a todos aqueles momentos únicos de pais e filhos: quando eles adormecem e ficamos derretidos a vê-los e a ouvi-los, quando lhes damos banho e ficam com um ar adorável embrulhados na toalha, quando estão concentrados a fazer algo e ficamos só paradas a contemplar. Isso é fantástico e é para isso (também) que vivo.

Mas...

Pessoas...

Tenho a dizer-vos que...

Entre adormecê-la todos os dias...

E...

Voltar a fazer isto...

Era isto. Para sempre.


A Irene e eu fomos conhecer o The Spa by Corinthia Hotel Lisbon. A Irene não ficou à minha espera enquanto alguém me lavava a alma da rotina porque, adivinhem: agora há o The SPA for KIDS!

Reacção da Irene quando soube o que íamos fazer:


"Íamos fazer", sim. Leram bem :) Além de haver várias massagens só para as crianças (entre 4 e 12 anos), também há a experiência Mães e Filhos/Pais e Filhos.

Em que consistiu isto? Em ganhar anos de vida. E sinto que, também, a Irene e eu tivémos um momento de puro apêgo ao fazermos isto juntas. Nada nunca nos fez tão felizes, senti.

Ainda por cima a Irene teve direito a um roupão à altura (literalmente), olhem a querideza:


Fica aqui a nota para os senhores do hotel que foi com muito esforço que não trouxemos o roupão "por engano", ahah.



Depois de termos estado a aproveitar a sala de relaxamento enquanto preparavam a nossa experiência Mãe e Filha...




Lá começamos algo que levou a Irene a dizer-me no fim "Obrigada, mãe, gostei muito" (isto foi especial, caramba...). E começou-se por um banho de espuma para as duas, relaxante, em que a Irene teve direito a brincar com imensos amiguinhos (deviam ter visto a reacção dela quando viu os patos, ahah): 





Depois disto, começaram as duas massagens em simultâneo (mãe e filha) às costas e duas mini faciais... A Irene passou pelas brasas umas vezes e, quando olhava para mim, mandava-me beijinhos (ela não costuma ser assim tão mimalha). Eu ficava comovidíssima, além de relaxada e, por isso, ainda mais consciente de toda a paixão... amor... tudo o que sentimos uma pela outra. Foi forte, juro!

Saímos de lá com a frequência baixa e massagem que ditou o resto do dia e fim-de-semana e ainda hoje sinto os efeitos dela em nós e na nossa relação.



Deixa-me feliz ter esta memória, mas também saber que sítios como este existem e que poderemos sempre voltar e revisitar este lugar especial - além de tentar recriá-lo em casa :)

É bom quebrar a rotina e termos actividades que nos façam abrandar e olharmos para nós (nós, família) com calma, respirando o amor e, se possível, uma aromaterapia jeitosa num Spa como o The Spa do Corinthia Lisbon Hotel, eheh.

Querem sentir o mesmo? É ir ali ao nosso instagram ;)



Um beijinho enorme à Marta e ao Luís que nos trataram a ambas com tão boa disposição e carinho. Eles sabem o quão importante foi para ambas. E agora vocês também :)


Para mais informações sobre o SPA, têm tudo direitinho aqui, no site. Quem tiver oportunidade para ir, conte-me como foi.

Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:

Post escrito em parceria com a agência de comunicação. 

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Estou a borrifar-me para o meu peso.

Estou-me a borrifar para o meu peso, já vos disse? Não me ando a pesar, sequer. Já quando treinava 4 vezes por semana me andava a borrifar para o peso. Já sabemos agora que o peso, aqueles kgs, em si, não querem dizer nada. Aliás, se pensarmos bem, até a água que bebemos nos poderá pesar... Já não caio nessa.

Agora vou por aquilo que me faça sentir melhor comigo mesma. E bem que preciso :) . Não almejo (uhh... olhem a palavra cara da miúda) a operação Bikini 2018. Requer um esforço e dedicação que não são possíveis de integrar na minha vida actual. Tenho de ser realista: Operação Fato de Banho 2018. Uma operação que, sem stress (já tenho que chegue) me ajude a gostar de me ver de fato de banho. Para além disso vou precisar também de, se usar daqueles cavadinhos, uma maneira de - através de comunicação e parentalidade positiva - convencer as minhas virilhas a emigrarem. A malta que usa coisas cavadinhas ou anda com o corpo ao contrário - que eu nos glúteos (ainda) não tenho penugem - ou, então, foi abençoado pelo Deus da Estética. 

Vou tentar agora também passar a ir à natação à hora de almoço. Apetece-me comer de forma saudável e tenho optado por bons vegetais (e meeeesmo bio), tenho bebido água, tomo vitaminas, mas descarrilo bastante.

Não temos que nos sentir culpadas por não conseguirmos ser rígidas nas dietas, há milhares de coisas que não controlamos: 

- o apetite emocional 
- cravings de açúcar por estarmos viciadas
- julgar que por ser "dia de festa" ou fim-de-semana que está bem comer mal. 

Não é um contexto normal, nem gosto de me sentir restringida assim. Sempre que o fiz nunca durou e arranjei sempre forma de não me sentir bem sucedida. 




Outra decisão, além de ir para a natação é dar uma oportunidade à suplementação e a minha escolha foi a à Depuralina. Depois de me informar muito (acreditem que não dou hipótese nestas coisas), apercebi-me que é um suplemento natural muito eficaz para "depurar/desintoxicar", lá está, o nosso organismo e dar uma ajuda extra na motivação. Não vou andar a embuchar sumplementos a torto e a direito, como é óbvio. Vou apenas tomar aquele que, após analisar as opções, se adequa melhor ao meu estilo de vida.Tudo o que é em excesso, até água, tem os seus quês, mas vou experimentar, assim diminuo o esforço da restrição, provavelmente nem vou andar toda nervosinha por não poder falhar e as coisas certamente irão correr melhor.

Normalmente quando não penso muito nisto da alimentação é quando corre melhor e a Depuralina, do que andei a ler, ajuda imenso nisso porque faz diminuir o apetite e a ansiedade com ingredientes com estudos de segurança e eficácia como um extracto de Chá verde rico em L-Teanina, Garcínia Cambodja (uma fruta tropical) e outros que não têm números nem letras esquisitas, nem químicos que é a minha principal preocupação.. Além disso, eu também tenho o metabolismo baixo e li que a Alcachofra também ajuda a aumentar o metabolismo hepático, por isso... A minha escolha acabou por ser a nova Depuralina Express que, para lém de ajudar a queimar gorduras, me vai ajudar a controlar os impulsos emocionais que me levam a ingerir o que não devo. 

Não digo que não a uma ajuda... Não preciso de ficar perfeita (já sou, muahaha), mas quero não ter que estar sempre com mimimis quando me despir ou vestir ou o que for. 

No fundo não preciso de corpo de stripper, só de tiazorra feliz (conhecem o tipo? ahah). 

Entretanto, se tiverem dúvidas sobre a Depuralina, conheci a equipa (há leitoras nossas lá no escritório) e toda a gente terá imenso prazer em vos esclarecer. Por isso, é enviar mensagem pelo Facebook, por exemplo. Eu também posso esclarecer o que puder nos comentários, claro que com tudo o que li e ouvi já quase que posso fazer isto em casa, muahah. 



Fotografias: 

Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:


* post escrito em parceria com a agência de comunicação.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

Sei lá se não foi um sonho...

Já me aconteceu algumas vezes: acordar e não saber se o que sonhei era realmente um sonho ou se tinha acontecido. Principalmente com pesadelos, confesso. Lembro-me que, uma vez, na adolescência, sonhei que tinha feito um furo na língua e ainda consegui ir o caminho todo até à casa de banho a ponderar se poderia ser verdade - e, sim, também vi a língua ao espelho, mas isso já tenho alguma vergonha de estar a contar. 

O post da Joana Paixão Brás sobre a Terra do Sempre em Grândola, fez-me lembrar do meu fim-de-semana em Melides numa casa mais pequena que a minha sala de jantar. Foi há relativamente pouco tempo, mas aquele fim-de-semana já me parece ter sido um sonho, especialmente o Safari VIP que fizemos no Badoca Park (não era "vip" por eu ser blogger e tal, a experiência chama-se mesmo assim, por ser um privilégio). Conhecemos praticamente todos os animais, todas as espécies e ainda pudemos dar biberão à girafa bebé do parque. 

Claro que me fartei de fazer perguntas sobre esta questão do biberão visto que a mãe da Niassa também vive no parque, mas explicaram-me tudo muito bem explicadinho: tinham feito todos os possíveis para que houvesse amamentação (esperaram o máximo de tempo possível sem pôr em risco a saúde de nenhuma das duas), mas a mãe da Niassa por não ter tido contacto com outras girafas a amamentar etc (não me lembro já da conversa toda, mas na altura fez-me todo o sentido), teve dificuldade em cuidar da sua filhota, apesar de terem desenvolvido uma ligação muito, muito forte. A Niassa quando fica para trás no grupo, por exemplo, a mãe fica à sua espera. Que queridas, caramba. Ainda vos conto a parte mais querida da história daqui a pouco. Isto dá para fazer paralelismos engraçados com os seres humanos, não é? 

Aqui podem ver o Pedro e a Catarina a passarem as regras básicas do Safari e a asustarem-nos um pouco, mas nenhuma de nós queria ficar sem um dedinho algures ou assim e, por isso, era importante. 



Estão a ver estes biberões? Quando lá fomos a Niassa bebia uns 7 litros de leite de vaca de cada vez. Jasus! Ah e o leite de vaca vem de uma quinta lá perco, mais biológico era impossível... E o leitinho ia quente em banho-maria, comecei aqui a ficar comovida, estive constantemente a fazer "ohhhh". 




A Irene, que não tinha dormido a sesta (e não era costume) estava maravilhada, muito sorridente e observadora. O maior interesse dela era estar constantemente a alimentar os animais com a ração que tínhamos disponível e alfarroba. Assumiu como função dela. Foi tão giro vê-la em modo foodie animal... 





Eu aqui estava a lidar com o facto dela estar a alimentar os animais com a comida na mão e ver aquelas línguas enormes ao pé da cabecinha da minha filha... 

A Irene deu o nome a um destes animais que ainda não tinha... Aiiii não me lembro do nome que ela deu (ela é óptima a dar nomes), será que foi Pacote de Leite? Rafa? Ronron? 


 






A Irene, tão querida, a querer dar a mão ao Pedro. Precisava de um homem que lhe passasse segurança. Aqui a mãe divorciada conteve um pouco as lágrimas e olhou para o Pedro numa: "davas jeito lá em casa só para ela te dar a mão de vez em quando".  
Já viram a cara deles a olhar para os animais que vêem todos os dias? Sente-se tão bem o amor, carinho e respeito que a equipa do Badoca Park tem pelos animais... Tal como já vos tinha falado da Sylvie quando fomos ver os lémures


 



Olhem a Niassa! A beber leitinho quentinho!! 

Apresento-vos uma das mães da Niassa. Além da Catarina também há a Joana. A Niassa dormia acompanhada muitas vezes destas meninas, são elas quem lhe dão o biberão, que cuidaram dela... E nota-se a ligação, sente-se tão bem. Tanto pelo olhar, pelo toque, pela reacção. São mesmo as outras mães... Que carinho. 

Agora que o tempo vai ficar melhor, visitem o Badoca. Têm lá restaurante bom para almoçar e tudo, nem têm de pensar muito na logística. E, já agora, dêem um beijinho nosso à Catarina, ao Pedro, à Niassa e ao pacote de leite ou lá o que ficou.


Camisola das maçãs - Boboli 
Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:

quarta-feira, 14 de março de 2018

Protegi a minha filha, está tudo certo.

Impossível. Impossível ficar-me por apenas um post sobre o Badoca Park. Como vos contei neste post, recebi um press a falar dele e decidi aventurar-me com a miúda e ir. Só por um dia não me apeteceu fazer a viagem, então optei por arranjar uma solução para o fim-de-semana inteiro: o melhor que fiz. Já viram a casa onde fiquei?  Vejam aqui

Quando chegámos (atenção que se forem pelas coordenadas de GPS não ficam mesmo, mesmo no sítio certo), passámos logo por baixo de um arco enorme, convidativo e a marcar o tom de um safari a sério e não de uma "coisinha a imitar um safari".  E, atenção, já fui ao Kruger Park e não pude sair de "casa" porque andava um hipópotamo à solta que, por causa das cheias, tinham caído as vedações. 

Não fomos bombardeadas por actividades. O ritmo ali é lento. Lento e era um dia quente. Afinal de contas, estamos no Alentejo. Chegámos atrasadas (parece que o ritmo do Alentejo já se tinha entranhado em nós no dia anterior) mas, mesmo assim, tivémos a sorte de chegar precisamente na altura da interacção com os lémures. 

A Sylvie (que amor de guia, faz o parque todo, caramba) explicou-nos as regras antes de entrarmos. Depois de algo assustadas (há mesmo algumas regras), decidi na mesma entrar. Queria muito que a Irene tivesse memórias tão boas e tão diferentes, mesmo que isso significasse que eu poderia cuspir meio coração. 



Ainda bem que o fizemos. Ter aquelas patinhas de borracha por cima das minhas mãos foi fantástico. Parece que usam luvas da loiça. E, se não fizermos movimentos bruscos e isso (ou se estivermos sempre a dar comida), eles comem a frutinha e andam por ali, apenas. A mim, os nervos deram-me para ter ataques de riso (e a sensação ser tão diferente também), a Irene esteve mais no modo observador e a levar as regras da maneira mais literal possível, não estivesse ela muito preocupada com a sua sobrevivência. 


E esta luz? Já viram? A sombra das árvores. Sem estarmos de férias e a experimentarmos estas sensações todas. Não quero parecer demasiado esotérica e coisas, mas estar assim, ali, tem qualquer coisa de estar tudo no sítio. Todos os papéis estavam certos, adorei tentar proteger a miúda (ou fazer com que se sentisse protegida), sol, Alentejo... OK, Lémures podiam não estar no plano, mas estavam e ainda bem. Foi inesquecível. 

Vejam bem a minha barriga e sou blogger. Não deixem que as vossas barrigas vos impeçam de serem coise.

De um frame para o outro temos a fotografia da miúda traumatizada com lémures e que vai sonhar com isso nos próximos 48 anos ...



Já aqui, parece que descobriu a magia de viver. Um pouco como aquilo que devemos sentir quando eles aprenderem a fazer o pequeno-almoço sozinhos e nos deixarem dormir até tarde. 

Vejam os bichos. Ainda bem que não pensei muito nisto e que fui. Foi mesmo maravilhoso. Confesso que foi mixed feelings apenas porque a salada de fruta deles tinha bom aspecto e eu ainda só tinha uma carcaça no bucho desde as 7 da manhã.

Olhem só o privilégio, caramba! Tenho que imprimir estas fotografias e por algures no quarto para ver se ela se lembra...


A segunda actividade foi logo o almoço. Foi-nos recomendado o próprio restaurante do Park que tinha variedade de refeições para todo o gosto, além de uma vista magnífica. 

A Irene comeu douradinhos, eu comi hamburguer e quem foi connosco comeu um belo arroz de feijão com pataniscas de bacalhau. Isto, claro, depois de uma sopinha bem aviada e de umas sobremesas de encher ... os olhos e não só... Bem, pareço o Eça no primeiro capítulo. Até estou a descrever as refeições, só não descrevo a loiça porque... era normal. 

Num outro post, em breve, contar-vos-ei a experiência do Safari propriamente dito, mas espero já vos ter convencido a experimentar a interacção com os lémures, além de vos ter dado vontade de ir ao Badoca Park. 


Vejam só a beleza da Natureza. Que giro... 


E a lata deste (gosto de pensar que é o Juliano) a apanhar sol todo escancarado? Que... delícia... 


Estão todos convidados a ir à Ilha de Madagáscar no Badoca Park. No próximo post ainda vão ficar mais derretidos. 

Gostaram da camisola das maçãs? É da Boboli. :)
Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram: