segunda-feira, 20 de junho de 2016

Devolvam o boneco à Irene, please!

Fiquei eu mais triste que ela. A Irene tem o seu coelhinho de dormir que temos conseguido que se mantenha só em casa. Agora, cada vez mais, vai tendo um boneco preferido que não larga durante 4 ou 5 dias seguidos e até tem dormido com eles. Já foi o Timon e agora era um mocho da Playmobil. Um mocho muito pequenino que até eu engracei com ele de tão querido que era. Dormia com ele, acordava com ele na mão. Durante a noite dizia "onde 'tá o mocho, mãe?". 

Levou-o a passear quando fomos à Ludopólis e, às tantas, desapareceu. Fiquei eu em pânico, ela nem reparou...  Fiquei mesmo muito triste. 

Fico sempre a pensar quem estará por baixo destes fatos. Se terá bigode ou não ou óculos de lentes amarelas... hmm... 


Quando reparamos que ele tinha "desaparecido", perguntei-lhe: 

- Onde está o mocho, Necas? 

- Na relva. 

- Na relva, onde, Necas? 

- Aí. 

- Não está, Irene. A Necas perdeu o mocho? 

- Sim. 



Fartou-se de tocar tambores com os crescidos. Quer dizer, não se fartou, tive de a tirar de lá. Eu é que me fartei.

Há de estar algures entre o outro lado da estrada e ali no meio da relva. A Irene continua a perguntar por ele - embora reaja tranquilamente - e nós dizemos que está na relva lá do jardim. 

Felizmente no outro dia fomos às compras e comprei-lhe um chupa para ela andar a passear na mão e consegui que trocasse o entusiasmo pelo mocho pelo chupa (aliás, na primeira foto já o tem na mão e tudo). E sim, dormiu com o chupa. 



Se alguém vir um destes mochos ou se tiver um em casa que não lhe ligue muito, pode ajudar aqui uma mãe cheia de pena da Necas? Embora ela já se esteja a borrifar? 

3 comentários:

  1. Sabe que eu acho essa coisa de ficar muito apegado a algo mais dos próprios pais do que dos filhos... eu tentei várias vezes que minha pequena fosse apegada a algo, não sei porque, mas imaginava que isso pudesse ajudá-la de alguma forma, e nunca foi... nunca ligou muito a nada, gosta de tudo, mas se desaparece ela facilmente se apega a outra coisa... Acho importante ensinar esse desapego com as coisas materiais... Aproveita a oportunidade e esquece o tal do mocho...

    ResponderEliminar
  2. Joana, penso que no site da playmobil dá para encomendar peças soltas!
    Há uns 2 ou 3 anos ofereceram a casa de bonecas à minha filha e vinha sem uma das peças, e logo o bebé! andei à procura e encontrei um formulário onde podíamos pedir peças em falta através do código que vem no manual de instruções, sem qualquer custo. Funcionou muito bem!

    ResponderEliminar
  3. Vi-te no evento e os nossos filhos partilharam o tambor! Estive para me meter contigo e ensaiei mentalmente algumas formas de o fazer "adoro o teu batom rosa Joana", "mijo-me a rir com o que escreves", "somos almas gémeas e eu descobri-te na Internet", mas entretanto desisti.

    Beijinho
    sandra

    ResponderEliminar