segunda-feira, 13 de junho de 2016

Amor de irmã mais velha

Não tem sido fácil, mas vale cada respiração mais profunda, cada coçar de cabeça, cada lágrima, cada nervo em franja. As birras já se fazem sentir com maior regularidade, o mimo da mãe é cobrado a cada instante, as noites voltaram a ser mais difíceis. Mas. O "mas" aparece sempre como tábua de salvação. É que vale mesmo a pena. Por momentos como este. 



Ser mãe de dois é abraçar a árdua tarefa de nos desdobrarmos, quais super mulheres, não deixando que nada falte a um ou a outro. É ir ao quarto da mais velha, acudir-lhe o choro nocturno, com a bebé pendurada na mama. É fazer contorcionismo, com o corpo e com o espírito. Mas, lá vem o "mas", é também ver a Isabel beijar a mana, uma e mais uma vez, é vê-la correr para ela sempre que chega a casa ou quando acorda, é ouvi-la falar baixinho para a Luísa, com carinho e cuidado, como que a contar-lhe um segredo, é presenciar um riso de satisfação ao achar que a mana lhe fez uma festinha, propositadamente. E fez, nós vimos. Momentos destes não têm preço e valem cada dificuldade. 

















"Colinho à mana". É o que mais pede, desde que a mana nasceu. E é a principal razão do seu choro, quando o pedido é negado. Oferece-lhe todos os peluches e brinquedos, quer tapá-la "até ao pescoço" e contacta, orgulhosa, "não está a chorar!", quando tem a bebé calminha no colo dela, por cima de uma almofada. "Os olhinhos a acordar!", diz-nos, contente por ver a irmã a abrir os olhos e a ficar a olhar para ela.

Vais ser uma irmã mais velha maravilhosa, Isabelinha. Não tenho dúvidas.


Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também;) @JoanaPaixaoBras

11 comentários:

  1. Impossível não me emocionar. Estou a tres semanas e uns dias das 40semanas da C, mas tenho a S com 21 meses. Ha uns meses atrás parecia-me perfeito ter outro bebé e eles crescerem juntos, mas hoje fico com o meu coração apertadinho e bem pequenino porque vejo a S tão carente de mimo e atenção...estamos deitadas as duas, ela está a dormir a sesta e eu não consigo arredar de ao pé dela, quero guardar estas ultimas horas sozinha com ela, pegar-lhe na mão enquanto dorme e cheira-la de vez em quando. Sei que ela vai ser como a Isabel, ela ja adora a mana, sempre que algo leva a falar na mana, lá vem ela lançada e levanta-me a camisola para dar miminho e beijinho. Obrigada Joana por partilhar estas lindas fotos. Beijinhos

    ResponderEliminar
  2. Quanta ternura. Ser mãe é mesmo o melhor do mundo!!!!
    O meu bebé tem 9 meses e ao ver isto, apetece-me ter outro já :D

    Há melhor no mundo, que o amor sincero e imaculado numa relação humana?
    (vou ver outra vez as fotos) :)

    ResponderEliminar
  3. Estou apenas de 14 semanas tenho uma pequena de 4. Fui- se que o teu texto saiu de um cansaço extremo, mas de um amor tão profundo que em cada palavra tua os meus olhos se enchiam de lágrimas. Espero que seja exactamente como tu contas, com lágrimas e cansaço mas com uma enorme felicidade no coração.

    ResponderEliminar
  4. Que ternura Joana! Sinto exatamente o mesmo! M nao está a ser facil. Sim,os momentos bons superam os maus sem duvida. Mas parte-me o coração as chamadas de atenção, o medo... Com o pequeno com três semanas a mana mais velha ficou constipada qd o mano chegou a casa e entretanto apanhou uma virose e teve q ir pela segunda vez nos seus dois anos e meio ao hospital e eu não pude ir :( não é fácil mas sei que o mano foi, é e será a melhor prenda que poderia dar lhe!

    ResponderEliminar
  5. A minha Clara tinha pouco mais de 24m quando a Carlota nasceu e revejo-me em cada palavra sua.... Não é mesmo fácil: há momentos (ainda agora com quase 2 anos e 4 anos respetivamente) de bradar aos céus... e não tem melhorado, pois quando julgamos que o dificil já passou, surgem novos desafios a superar... mas foi a melhor coisa que me aconteceu e orgulho-me de ter tido a coragem de dar a alegria de uma maninha tão cedo à Clarinha, pois apesar das birras que ambas fazem (e por aqui é a mana mais nova que tem ciumes da mais velha) vê-se que se amam de uma forma incomparável e se protegem com a força que só irmãs podem ter!!! A-D-O-R-O cada momento e só não vou ao 3º por outros motivos, porque se pudesse não hesitava!!!

    ResponderEliminar
  6. Tão bom!! Vais contribuindo para ir ganhando coragem... ;) Beijinhos para os 4!

    ResponderEliminar
  7. O amor entre irmãos deve ser incomparável a qualquer outro tipo de amor. É algo que só posso imaginar porque sou filha única e ainda não percebi bem porquê.
    Sem dúvida que, havendo essa possibilidade, o melhor que um pai pode dar a um filho é muito amor e um irmão.
    Toda a felicidade do mundo para vocês!

    ResponderEliminar
  8. Tenho uma de 7 anos e outra de 2 anos, encontro-me de 21 semanas de um menino e às vezes até choro só de pensar como vai ser difícil para elas terem menos atenção. Depois penso nos beijinhos que vão querer dar e nas cócegas e tudo passa. Mas não vai ser tarefa fácil.

    Felicidades para si e para as princesas.

    ResponderEliminar
  9. Não tenho palavras Joana :)
    Admiro a coragem e força para ainda no meio de isso tudo ter tempo para falar connosco e contar-nos pelo que estás a passar. Que orgulho e que vontade de perder o medo de ter já outro, mesmo com a minha ainda a ter 14 meses.
    Beijinhos para as tuas filhotas mas um enorme para ti

    ResponderEliminar
  10. É engraçado (ou não) quando vemos que afinal não é só na nossa casa que as coisas são de certa maneira. Vou ter de partilhar este post com o meu marido porque temos momentos em que pensamos que o nosso filho de 34meses foi clonado e trocado aquando o nascimento do irmão há dois meses: birras, mau comportamento, lamechices, choros só porque sim... E tudo isto mesmo com bastante esforço nosso em dar-lhe a máxima atenção MAS não é suficiente. O "mas" irrita tanto... Lol Mas dizem que só custam os primeiros dois anos... 😜 Felicidades.

    ResponderEliminar
  11. Só uma notícia: não vai "melhorar" com o tempo :) Quando a bebé começar a fazer gracinhas, e quando os "de fora" deixarem cair a preocupação dos ciúmes, o nosso coração de mãe faz o pino para dar atenções a todos ;) engraçado, escrevi sobre o mesmo há uns dias (no meu blog)
    um beijinho e felicidades

    ResponderEliminar