quarta-feira, 26 de julho de 2017

Estamos numa ilha!

Um casal de vegetarianos, uma miúda cheia de energia, uma Irene com convulsões e uma mãe que pretendia relaxar,  juntos num t2 amoroso na Ilha da Armona.




Podia ser o início de um reality show e está a ser. É mais ou menos este o cenário das nossas férias na ilha da Armona. Onde felizmente a internet é lenta, mas onde infelizmente não existem umas urgenciazinhas nem Uber.




Tudo começou à boa maneira da Irene: praticamente 40 graus de febre e uma convulsão febril. No meio de tudo isto, os meus amigos e eu a tentarmos gerir a questão territorial e de sei lá mais o quê em psicologia de duas miúdas uma com dois anos e outra com três (e a arder de febre).




Para além de eu estar a mentir a mim mesma dizendo que estou aberta a novas experiências alimentares - ainda nem atum marchou - tenho estado calmamente em negação relativamente à doença da Irene. Se com bur ela parece estar bem, não vale a pena ir para casa. Pelo menos até aos 3 dias em que tem de ser avaliada, vamos continuar por cá.


Estou cansada, porém. Bendita ideia da minha amiga Joana (a mãe da Matilde) que disse: se queres descansar, o que achas de trazeres comida da Bebé Gourmet? Assim fiz.


Ainda bem porque assim que chegamos cá, a Irene nessa madrugada, fez a tal convulsão febril. Não me tenho preocupado minimamente com compras ou comidas. Até fui eu a comer enquanto ela não tinha apetite.


Tem sido tão fabuloso quanto possível. :)








































Comidinha Bebé Gourmet - Tudo altamente biológico e com uma ementa muito cuidada. Trouxe imensas refeições congeladas e outras frescas desde sopa, inteiro e sobremesa. Um descanso. Nunca mais há férias (enquanto ela for bebé) sem Bebé Gourmet.



✩✩✩✩✩✩✩✩✩✩

Sigam-nos no instagram 
aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade.






9 comentários:

  1. Coitadinha da Irene... E de ti. Não é justo essas malditas convulsões não irem de férias...
    As melhoras e que corra tudo bem convosco.
    Beijinhos grandes.
    Carla Batista

    ResponderEliminar
  2. Lamento muito Joana. E estou a torcer para que tenha sido a última de todas as convulsões da Irene.

    ResponderEliminar
  3. Ai Necas, Necas que matas a mãe de preocupação. Malditas convulsões. Beijinhos no coração Joana.

    ResponderEliminar
  4. Fartei-me de pensar se comentava ou não este post, porque já sei que vêm daí imensos comentários a tentar distorcer o que vou dizer, mas acho que pelo bem estar da Irene, que é uma criança e não tem culpa do mundo louco onde vive, acho que vale a pena. Começo já por avisar: NÃO ESTOU A CRITICAR NINGUÉM NEM A INSINUAR NADA!!!
    Pelos posts que tenho lido sobre as convulsões febris da Irene, parece-me que nunca lhe foi diagnosticado nada e é por isso que faço a questão: já algum médico lhe falou na questão emocional? Acompanhei de perto o caso do filho de uma amiga minha, que teve diversos episódios. Começou a ter convulsões febris com pouco mais de um ano e meio e os casos, ao longo do tempo, repetiam-se com cada vez mais frequência, sem que ninguém lhe encontrasse nada. E se eles andaram com ele de especialista em especialista, de exame em exame, à procura da causa daquela situação. O Miguel tinha 4 anos quando uma médica sugeriu que podia haver uma questão emocional que despoletava as crises e ele foi visto por uma psicóloga que o acompanhou durante uns meses. Coincidência ou não, o Miguel hoje já tem 7 anos e felizmente nunca mais teve convulsões. Reitero que não sei o que se passa com a Irene e pode não ter nada a ver, mas às vezes ... pode ser uma situação destas. As melhoras da Irene e muita força para a Joana, sei que é uma situação complicada de gerir.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As convulsoes febris (é o diagnostico e não são necessarios exames se tiver sido feito o diagnóstico clínico ), por definição, passam pelos 5 anos. Claro que uma criançs com convulsoes febris tb pode ter um "problema psicológico" mas uma coisa não causa a outra.

      Eliminar
  5. Um casal de vegetarianos com uma filha, podia ser eu :-)
    Também estou pelo sul :-) boas férias. E as melhoras, beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Olá Joana, quase fico tão nervosa quanto tu de cada vez que relatas as convulsões da Irene! Lamento muito pelas duas! A minha filha teve uma vez, apenas uma, e eu pensei que morria antes dela 😜! Não pondo em causa a tua competência como mãe, não seria melhor investigated se não há alguma razão para que aconteça tantas vezes?? Pelo que li sobre isso, supostamente a coisa vai acalmando com a idade mas com a tua pequena tem acontecido muitas vezes.
    Espero do fundo do coração que ela fique bem para que possam descansar as duas!
    Beijinhos e as melhoras

    ResponderEliminar
  7. Joana tb quetia ir de férias pra essa ilha...arranja-me um contacto please (ok ja fuz este comentário num post da outra Joana, enganei-me, mas queria tanto)

    ResponderEliminar
  8. Mais importante é que a Irene fique bem depressa, qdo li o primeiro post sobre as convulsões, até me vieram as lágrimas aos olhos imaginei-me no teu lugar e nem sei como é que eu faria. Desejo as melhoras muito rapidas. Um bjinho

    ResponderEliminar