terça-feira, 12 de julho de 2016

Tenho barriga e não tenho pressa.

Elogiaram-me o facto de ter publicado uma fotografia em que estava em biquíni, mostrando a minha barriga. Não fiquei surpreendida com o comentário porque, também eu, pensei nisso antes de a publicar: "estou cheia de barriga, mas que se lixe, o que é que isso interessa?" 

Não quero fazer um elogio ao desmazelo, à preguiça, nem muito menos criticar quem regressa aos treinos rapidamente, no pós-parto. Até porque este "rapidamente" é subjetivo. Quero, sim, fazer um elogio a sermos fiéis a nós próprias. Quero que façamos aquilo que nos apetecer, sem ligarmos ao que os outros dizem, sem sermos reféns dos outros. Se nos apetece ir ao ginásio, se isso nos faz sentir bem, força. Se preferimos esperar, sem nos importarmos com uma barriga que é uma vela a derreter (metáfora da Joana Gama), força. 

Tenho barriga e não tenho pressa.

Quando tive a Isabel, preocupei-me. Gostei de ter perdido o peso todo ganho durante a gravidez num instante, a barriga foi ao lugar e, depois de ter engordado um bocado nos três meses de licença em casa, meti-me a fazer dieta, seguida por uma profissional e voltei ao exercício. Quer dizer, mais ou menos. Sempre fui mais para o preguiçoso e nunca fui muito metódica, mesmo tendo noção da importância de fazer exercício. 

Desta vez, tenho barriga e não tenho pressa, não sei se por tudo o que passei depois do parto, se por ter duas filhas. Pesei-me, ao sexto dia, a pedido da enfermeira e não por iniciativa minha. Não estava interessada. Com "ajuda" do stress e da operação inesperada, do soro, da comida do hospital ou do meu metabolismo, já tinha perdido o peso que ganhei na gravidez. 
A barriga está lá, mole e fofa. E eu estou em paz com ela e ainda sem vontade de travar uma batalha contra ela. Sem necessidade alguma de ouvir um "estás óptima, nem parece que foste mãe". Fui mãe, sou mãe e não me importo que pareça que sou mãe. Por que queremos que a gravidez não deixe marca alguma no segundo em que pomos o pé fora do hospital? Por que razão queremos esquecer nove meses de gestação, que nos trazem o melhor do mundo, o mais depressa possível? Teremos medo de deixar de nos sentirmos atractivas, amadas, desejadas? Por que cedemos tanto à pressão dos outros? Por que exigimos tanto de nós?



Vamos ter calma. Não morre nenhum pinguim na Antártida por estarmos a usar bíquini com barriga de quatro meses de gravidez, mas com o filho já cá fora. Não é por vestirmos uma burka que ela desaparece. Não há que ter vergonha, nem mesmo se nunca tivéssemos estado grávidas. Mas também não vale a pena enganarmo-nos e dizermos que temos orgulho na nossa barriga. Acho que isso é estar a usar psicologia invertida para nos distrairmos de algo de que não gostamos, é mandar areia para os próprios olhos. Nem tanto ao mar, nem tanto à terra.

Temos é de tentar ser felizes com o que somos (ou será "estamos?"). Se a circunstância de termos barriga ou de termos mais peso nos faz sentir infelizes (ou menos saudáveis ou ambas), há muito a fazer, mas com calma. Temos tempo.

Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também @JoanaPaixaoBras

33 comentários:

  1. Ainda assim eu fiquei bem pior por ser cesariana. Barriga descaída tipo avental, imensas estrias, montes de infecções porque nem o trabalho fizeram direito e hoje a conta desta pele toda descaída preciso de usar calcas subidas e um numero acima. Tens uma sorte!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estou solidária. Sofro do mesmo, este avental que teima em não sair e já lá vão quase 21 meses :( Acho que conseguia viver com as estrias, mas o avental...

      Eliminar
    2. idem meninas. Mas por aqui, alem de ser magra, sempre ter sido e o bebe ja ter 3 anos e eu ja ter 2 anos inteiros de ginasio e alimentaçao super saudavel, 4-5 treinos semanais, continua imutavel , como se estivesse gravida de 4-5 meses. É assim, é genetica própria, há quem sem nada fazer perca logo a barriga, há quem fique com ela para sempre estragada. E eu gostava de vir com o blablabla de que o que importa é tititi, mas ter de viver desde os vinte e poucos com barriga de avental, ainda por cima quando se faz tudo e se sabe que já não há nada a fazer, não dá para se estar com aceitações e frases bonitas.

      Eliminar
    3. Acredito que isso seja difícil de aceitar meninas... Mas e agora uma sugestão (mas num tom mesmo solidário, sem má onda ou até superficialidades): porque não irem a um cirurgião plástico? fazer uma pesquisa de bons médicos, aconselharem-se e talvez algum dia tratarem disso com uma operação. Acarreta riscos (para além da parte financeira) mas na parte emocional (e física, claro) compensa. Conheço uma rapariga que fez isso e de repente era outra :)

      Eliminar
    4. Da primeira vez tive cesariana e apesar de ter ficado gordinha, a barriga foi ao sitio, usei cinta, não sei se teve alguma coisa a ver ou nao. vocês usaram? agora desta gravidez estou mais gorda, com uma barriga maior e tenho receio que desta vez a barriga fique com estrias, com o tal avental, independentemente do tipo de parto. Tenho uma colega que foi parto normal e ficou com o tal avental.
      E quem me dera ficar com barriga como a da Joana, que com cuidado passados uns meses vai ao sitio. eu estou enorme, cheia de celulite e vamos ver como esta barriga vai ficar.

      Eliminar
  2. Uau ;) é isso mesmo! Sousa cada vez mais vossa fã :)
    A minha pimpolha tem 10 meses e acho que a minha barriga está pior que a tua!!! Preguiça sim! Gulodice, muita! Mas, também, não ter problemas em assumir que não pretendo ser perfeita!
    Felicidades***

    http://agravidezdele.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  3. É bom encontrar algum conforto nas suas palavras. Obrigada. Patricia

    ResponderEliminar
  4. Barriga de avental por aqui! Também não tenho feito muito por isso, sou preguiçosa para exercício e estando de licença em casa vai-se sempre comendo qualquer coisinha a mais... Quando começar a trabalhar e perceber que não caibo na roupa de trabalho provavelmente farei alguma coisa... Também não me quero desleixar eternamente!

    ResponderEliminar
  5. Tenho uma pimpolha de 5 meses nos braços... E uma barriga de 5 meses... Confesso, por vezes chateia-me principalmente na praia ou quando vejo mães mais recentes já sem barriga ou, principalmente, quando me dizem "parece que estás grávida outra vez" (como se isto fosse coisa para se dizer a uma recém mamã, gente malvada!!). Mas se me chateia assim tanto ao ponto de travar uma batalha contra ela e passar a ser um bocadinho menos feliz por isso? Acho que (ainda) não.
    De qualquer forma, acho que estava a precisar de ler uma opinião assim, porque apesar de tudo tenho por vezes o diabinho da consciência a sussurrar-me ao ouvido. Obrigada!

    ResponderEliminar
  6. Soube-me tão bem ler isto hoje, agora.. O meu bebé tem 3 meses e sinto como se fosse pecado ainda estar gordinha.. Sinto a necessidade de sair sempre com ele para justificar a minha barriga.. E isso é ridículo, eu sei, mas consola-me que os olhares sejam para o menino e não para mim..
    Ainda para mais o ponto de focagem.. Quando estava gravida só via gravidas lindas e deslumbrantes como eu era e me sentia.. Agora só vejo recém mamãs esbeltas e esguias enquanto eu.. De Miss só a Piggy mesmo..
    Obrigada por me fazeres sentir normal!
    Um beijinho e desejo de muitas felicidades!

    ResponderEliminar
  7. obrigada. farta de ter de justificar aos meus amigos e ate a propria familia aquilo que para eles é desleixo. Para mim é simplesmente dar tempo ao tempo, neste momento não é prioridade para mim, caraças! Só tem 3 meses, eu quero é desfrutar ao máximo o (pouco) tempo que vou ter com ele! Quando voltar a trabalhar, logo tiro 30 min do meu dia para fazer uns exercícios em casa, com ele ou quando ja estiver a dormir. É como dizes, calma!!!

    ResponderEliminar
  8. Quando o meu filho nasceu, a barriga ficou enorme, e enorme se manteve por mais uns longos meses. Se me incomodou? Sim bastante, mas apesar de tudo não fiz drama, até porque engordei 18 kg e estes não desaparecem assim, num piscar de olhos. Levei 4 anos a recuperar o peso que tinha antes de engravidar, mas sem dietas, sou preguiçosa para dietas, mas a bela da barriguinha teima a ficar por aqui, nada de exagerado mas está cá e eu, orgulhosamente, a exibo na praia, sem complexos. É minha, é um símbolo da minha felicidade.

    ResponderEliminar
  9. Sinto-me totalmente identificada.... Obrigada pelo testemunho do que é ser uma mulher real, verdadeira, assumida e com foco no que realmente importa:os nossos bebés! Também eu já com 4 meses de pós parto (cesariana) com algumas complicações, mantenho uma barriga de 4 ou 5 meses de gravidez...e também tive que ouvir comentários menos agradáveis pela sua existência... Mas com o passar do tempo e com a sorte de poder de poder ler estes testemunhos, vou vivendo melhor com a barriguita alta e fofa ;)

    ResponderEliminar
  10. E engracado cm as pessoas se intrometem na nossa vida,cm tem comentarios desnecessarios....lembro-me q qd a minha filha tava c 3 meses (ja eu tinha perdido 14 dos 23kgs q engordei) eu ter vontade de me fechar em casa e n sair p estar tao farta dos comentarios! "Es tu?fg nem te conhecia!tas tao gorda! Ou Tas gravida?"...Gracas a Deus o meu marido foi extraordinario e nd me disse e p momento algum me fez sentir q eu n fosse atraente ou q estivesse gorda e desinteressante! E bom fazer exercicio p prazer,e bom comer de forma saudavel e q queiramos p prazer mas acho a acima de td devemos trabalhar a nossa consciencia,o nosso espirito...e o trabalho do corpo vem cm resultado! Obrigada pela partilha...c tanta recem mama escultural e bom saber a ha as recem mamas normais cm nos...

    ResponderEliminar
  11. Adoro Joana!! Muito obrigada pela partilha 😉

    ResponderEliminar
  12. Eu trabalho num supermercado e houve uma vez que lá tive que ir às compras tinham os meninos um mês (não mais que isso) e uma colega perguntou-me: "então afinal eram três e o terceiro ainda não nasceu?" Na altura custou-me ouvir mas agora desvalorizo. Tenho um pouco de barriga da cesariana? Tenho é verdade, mas foi essa barriga que carregou os meus dois amores. Tenho algumas estrias? Tenho mas foi porque a barriga esticou o suficiente para eles caberem. Ainda bem que tenho marcas, uma vez que elas simbolizam a minha gravidez. E tenho 25 anos.

    Rita

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para o seu colega: "Desde que não nasçam parvos como tu ainda podem vir mais uns quantos!"

      Eliminar
    2. O que me ri agora com essa resposta. Na altura até fiquei sem reacção.

      Eliminar
  13. Estás linda Joana. Eu tenho mais barriga que tu, e nunca fui mãe :)É só barriga, de facto, não é assim tão importante :)

    ResponderEliminar
  14. O mais importante é estarmos sãs de cabeça para sermos as mães que os nossos bebés merecem. O resto vem com o tempo! Muitos parabéns pelo texto, Joana!

    ResponderEliminar
  15. Estás maravilhosa! :)
    A minha filha tem 12 dias e comigo, acontece um fenómeno caricato. Emagreci logo bastante. Na verdade acho que não emagreci, estava era com as pernas inchadas e, dias depois do parto, fiquei logo magra, execeto na barriga. Então tenho um corpo magro, sem cintura, e com uma barriga de 4 meses. Uma colega que me encontrou na rua dias depois do parto perguntou-me para quando era o parto. :D Não me importei nada. Já na primeira gravidez não me importei mas, esta segunda, deixou mais mossa.
    Ainda ontem fui comprar vestidos e fiquei um bocadinho espantada com o meu "novo corpo" sem cintura. Com a minha primeira gravidez não fiquei sem cintura. Não vou dizer que não fiquei um bocadinho apreensiva por os vestidos não me ficarem bem como antes mas, nem pensei nisso 5 minutos. Se tivesse que ficar ainda mais larga e com mais barriga durante mais tempo, ficaria com toda a felicidade e boa vontade do mundo, desde que fosse para ter a minha Maria nos braços. :)

    ResponderEliminar
  16. Senti me bem a ler isto. O meu bebe tem 2meses (uns dias de diferença da luisinha ) e estava a começar a ficar preocupada. Mas como este ano nao vou fazer praia nem piscina, tenho tempo ate para o ano!!! Peso ja o perdi todo, e mais até, agora esta barriga pendurada.......

    ResponderEliminar
  17. Adoro as fotografias, muito artísticas, mundanas e com bom gosto :) Parabéns pela bebé! A barriga está lá sim e provavelmente vai estar uns tempos. Mas que se lixe, tem o resto da vida para ir ao sítio (sim porque apesar de devermos aceitar naturalmente que o nosso corpo já não é o de outrora, também não temos de "conviver" com ele desse modo se não gostamos; e podemos sempre aprimorá-lo com exercício). O que importa mesmo é sentirmo-nos bem na nossa pele.

    ResponderEliminar
  18. Começo por dizer que também admireu a coragem de usar biquíni tão cedo, eu não conseguiria! Aliás ainda hoje 7 meses depois é já com a barriga do pré parto não me sinto confiante pois está toda gelatinosa! Uso biquíni na mesma mas não adoro ver...

    Faz impressão a pressa em voltar à figura anterior, como se criar um filho, laços e a restante família mais a casa não fosse já um trabalho hercúleo. No meu caso só fiz dieta (Paleo btw) e perdi imenso volume para além de comer de forma mais equilibrada, mas tempo para ginásio não tenho, prefiro passa-lo com os meus filhos e o rasto olha... Virem a cara! Também notei que agora com a segunda gravidez parece que os órgãos teimam em não voltar "para dentro"...anda tudo aqui à superfície.

    ResponderEliminar
  19. Eu fui mãe à 7 meses e já não tenho barriga e também já perdi os 16kgs ganhos e até mais. Não faço exercicio mas a partir dos 3 meses dela comecei a ter mais cuidado com o que como. Eu penso que tem a ver com a genética e não temos de nos martirizar por isso! Mesmo assim, tinha a minha bebe 1 mês! E tive várias pessoas, da familia, a chatearem-me porque tinha muita barriga ainda....1 mês depois! Felizmente ela desapareceu toda, não tenho estrias e qualquer uma das que me criticou tem hoje mais barriga do que eu. Não vale a pena ligar a esses comentários! O coro é nosso, a menos que nos queiram pagar algum tratamento estetico, não têm direito a opiniao!

    ResponderEliminar
  20. Concordo com o texto, mas é preciso contrariar o desmazelo, há por aí pessoasvque se escudam no factonde terem sido mães para não se cuidarem. Essa forma de estar muitas vezes torna-se irreversível e termina com um corpo tipo tronco onde qualquer mudança se torna muito msis difícil. Não é nenhuma critica, é apenas uma opinião.

    ResponderEliminar
  21. Parabéns Joaninha! TOP
    ÉS LINDA

    ResponderEliminar
  22. Joana, o meu filho tem 4 anos e tenho barriga (não as peles, gordura acumulada mesmo).... Um pouco também por culpa minha, eu sei, nunca mais fiz desporto nem natação nem nada, deixei passar o tempo, e continuo a encher-me de massas com molhos e afins... Durante a maior parte do ano nem penso nisso, depois na Primavera/Verão começo a chatear-me imenso porque pareço grávida quando ponho um vestido, quanto mais um bikini... E a barriga é f*dida, porque continua lá e o resto do meu corpo não é gordo... Bem, isto foi só um desabafo... e para não te sentires tão mal... beijinhos

    ResponderEliminar
  23. Em suma, seja mais tarde (a autora tenta explicar que nos é permitido, suponho) ou mais cedo, ser mulher, ser mãe, implica voltar a ter o melhor corpo possível, ir ao ginásio, fazer dieta...e quem não o faz, chama a si mesma preguiçosa, desleixada.
    (Atenção que não estou a dar a minha opinião, nem sequer a julgar ninguém. Ficaria contente se ao menos uma ou outra pessoa que por aqui passe, reflectisse para consigo mesma um pouco. De resto, cada uma com os seus problemas, consigo própria, desde que não sintam necessidade de 'descarregar' noutros.)

    ResponderEliminar