sábado, 30 de julho de 2016

Dois meses de Luísa




Dois meses de ti, Luísa. 

Vieste num dia de sol em que choveu dentro de mim, por instantes. Nasceste, agarrei-te, tive-te nos meus braços. Depois deixei de te ver para mais tarde a ti voltar. E nunca mais te larguei. Nunca mais me largaste. Não quero saber se é letra de canção romântica, mas somos uma só. 
Nestes dois meses, foste duas. Primeiro, dormias e raramente choravas. Depois, um mês mais tarde, acordaste e começaste a chorar. Muito, muito. Um choro grave, alto. Ando contigo ao colo, nos braços e no pano, a única maneira de adormeceres. A única forma de te sossegar. Mamas sem regras e sem horários. Tosses e sorris sempre que te apercebes de que vais mamar. Já me olhas com uns olhos enormes, atentos, e às vezes fazes pausas para me responderes com os teus "arruns" e "arrans". Já não choras tanto quando sais do banho e quando entras és um autêntico furacão, a agitar as marés com as tuas pernas. Adoras. Quando com essa boquinha perfeita esboças um sorriso, o meu coração apazigua-se. És linda, indefesa e tão incompleta. Precisas tanto de mim e é essa fragilidade que tantas vezes me comove e que outras tantas me dá força. Dás-me descanso à noite, mas mesmo que assim não fosse, dar-me-ias força para enfrentar os dias e as noites, só por existires.
Luísa, és a segunda, mas és primeira. Voltei a aprender a ser mãe. Voltei a apaixonar-me. Voltei a duvidar e a ter certezas. Este amor é um amor sem igual.


Joana Paixão Brás

5 comentários:

  1. Lindo. Muito lindo. O amor pelo nosso bebé é aquele sentimento mais que perfeito. Linda esta declaração de amor. Parabéns.

    ResponderEliminar
  2. Que texto tão bonito!! :)

    A Luísa é uma bebé linda, com muita sorte pela família fantástica que tem! Queremos mais fotos dela para nos derretermos! <3

    ResponderEliminar