sexta-feira, 8 de julho de 2016

Também gosto de sessões fotográficas! - Lagoa Parte I

Uma pessoa, à medida que vai crescendo (infelizmente, em todos os sentidos), vai conhecendo mais do mundo e de si. Eu, por exemplo, aprendi que afinal até gosto de Nutella (qualquer dia até como peixe e coisas que venham do mar - não como não!) e que, afinal, também gosto de sessões fotográficas ("também" porque a outra Joana delira com sessões fotográficas, houve uma vez que até fez um bolo para uma!). Que gostava de fotografar já sabia (um curso inacabado disso, mais uns foleirotes de fim-de-semana já me tinham dado essa indicação), mas que gostava de ser fotografada num contexto planeado não fazia ideia. Aliás, era algo até que eu defendia como não ser "fotografia". Dizia que, para mim, a fotografia é um auxiliar de memória com sentimentos. Ao tirarmos os sentimentos da fotografia (por tudo ser planeado), ficamos mais com uma imitação de um quadro (que eram as principais críticas à fotografia quando surgiu - além da suspeita de roubar almas ou de as preservar - acho que havia de tudo). Afinal, gosto de quadros.  
Noto que tenho muita dificuldade em olhar para a câmera quando a Joana Sepúlveda Bandeira do LoveLab me sugeriu. Não gosto. Não gosto de ter que sorrir porque sim. E, curiosamente, ficou estampado na minha cara que não houve sinfonia nos meus músculos faciais - parecia que tinha tido tromboses pequeninas. É como quando se começa a pensar muito na coreografia da aula de aeróbica: se pensarmos muito, perdemos o "fio à meada". Sim, ainda recordo com saudade as aulas de aeróbica que fazia com ténis de corrida em formato bota. Quando não havia tanta mariquice para o desporto - agora apetece fazer desporto só para comprar ténis para isso. 

A Joana produz sessões fotográficas com magia, leva consigo uma dedicação extrema (veio ter connosco a Óbidos, por exemplo) e uma centena de sonhos que tenham que ver com o local combinado (a Lagoa de Óbidos). Ela sonha com a roupa, com tendas, com bolas de sabão, com acessórios de bigodes e de óculos. Houve uma sessão que fizemos as quatro (ainda não havia Luísa) que a Joana até cadeiras levou, imaginem! Para a Joana, a fotografia começa muito antes de estar com quem fotografa. Provavelmente, a par dos três filhos, é algo que lhe está sempre ali, a marinar na cabeça, a obrigá-la a fazer conjuntos, a planear. Sinto que ela adora todas as fases envolvidas, mesmo o pré. 

Eu, como amadora de fotografia, sou o oposto disto. Não planeio. Vejo um momento e decido que tenho que o captar. Talvez por preguiça, mas muito também por não ser fotógrafa profissional, claro. Porém, com estas fotografias aprendi umas lições: 

- A altura do dia é mesmo determinante para umas excelentes fotos. 

- A roupa em tons próximos também constrói um bom flow visual e uma harmonia maior que não nos distrai do objecto. 

- A Joana é muito magrinha, dá-me vontade de lhe dar um euro para uma sandes. 

- Tudo fica mais bonito com bolinhas de sabão. 

- Tenho de ir refazer as madeixas que isto já não se aguenta. 

- Tenho uma boa perna (vá, as duas - sem incluir as coxas). 

Joana, obrigada por, a par de todos os objectos e sonhos, levares sempre o teu coração para as nossas sessões fotográficas. 














Fotografia - Love Lab

Sigam-me no instagram aqui @JoanaGama
e a nós aqui @aMãeéquesabe

5 comentários:

  1. Nice pics! Eu sei que isto não é um blog de moda e tal, mas esse vestido é giro, já vi noutros sitos e dava jeito para esconder a minha barriga de avental do filho que tive há 4 meses (estou a ver se não passam 4 anos e ainda me queixo da barriga..) é de onde? :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. da nova colecção da zara.

      bj

      Eliminar
  2. As fotos estão lindas! Adorei tudo, o cenário,os vossos vestidos e o resultado final! A mim parecem super naturais! Conheci a Joana Bandeira aqui no blog e já fizemos uma sessão com ela. Gostei tanto que espero repetir no final do ano!

    ResponderEliminar