Mostrar mensagens com a etiqueta a mãe é gaja. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta a mãe é gaja. Mostrar todas as mensagens

sábado, 4 de junho de 2016

Últimos mimos de grávida.

Quando me aconselharam o Cutbykate para pintar o cabelo, estando grávida, prometeram-me que iria gostar muito. Não podiam ter acertado mais. Além da preocupação na utilização de produtos naturais e sustentáveis, o cabeleireiro tem uma pinta do caraças - gostei imenso da sensação de estar num sítio com tão boa onda e tão bonito a tratar de mim - e é gerido pela grávida mais gira de Santarém, que curiosamente vai ter o bebé em Junho (namorado para a Luisinha!).

Entreguei-me à confiança nas mãos da Catarina e por mim ainda lá estava agora a receber aqueles mimos todos (pronto, já chega de tanto amor, que eu não sou a Joana Gama com as suas relações amorosas com massagistas, de que falou aqui).








Fui lá fazer o penteado que levei ao último casamento (e que ficou giro, giro, giro - podem ver aqui), e desta vez fui fazer um tratamento intensivo de hidratação no meu cabelo.

Usámos 3 produtos naturais da marca italiana Davines (nesta marca, além dos ingredientes naturais e todo o processo ser ecologicamente sustentável, até as embalagens são recicladas!) - shampoo, queratina e máscara, com fitocêuticos extraídos da uva. Fiz o tratamento Nourishing, com efeitos nutritivos, revitalizantes e reconstrutivos para cabelos secos e enfraquecidos e couro cabeludo desidratado. 

Reparem no pormenor da embalagem, que a Catarina reciclou. Além disso, pede às clientes que devolvam as embalagens depois de terminada a utilização, para que as possa reciclar (adorei a ideia!)

Para quem gosta de saber mais detalhes sobre os produtos, pedi à Catarina que me ajudasse nas descrições. Usámos:


1) shampoo nourishing - com acção antioxidante, nutre, revitaliza e fortalece os fios.


2) nourishing restructuring miracle - é um daqueles tratamentos de choque de queratina, com uma acção reconstrutora profunda.

3) nourishing vegetarian miracle conditioner - máscara que ajuda a reestruturar os fios e também amacia os cabelos, deixando-os mais suaves e brilhantes. Tem óleo de açaí, óleo de passiflora e óleo de arroz, além dos fitocêuticos da uva.





Se eu disser que senti imediatamente os efeitos, vai soar a anúncio de TV, mas é mesmo verdade. Já se passaram alguns dias e o cabelo continua super brilhante e macio, o que, já se sabe, com coloração é mais difícil de alcançar. 

Já desejosa por lá voltar! E como desta vez vou fazer de tudo para não ficar só com 3 fios de cabelo no pós-parto (não é mito, perde-se mesmo tufos e mais tufos de cabelo...), lá estarei para fazer um tratamento anti-queda.

Sigam a Cutbykate aqui no Facebook 
e aqui, na página Cutbykate.com

domingo, 10 de maio de 2015

A maternidade deixa-nos giras

Sabem do que me tenho apercebido? Que esparguete só com alho, azeite e oregãos é muito bom e resolve a falta de coisas comestíveis no frigorífico (o tupperware com comida da semana passada já tinha bolor e não quis arriscar).

Tenho-me apercebido que a maternidade nos deixa mais giras. Não estou a falar daqueles primeiros meses em que parecemos um bidon, cansado e a cheirar a bolçado. Digo, depois. Quando já conseguimos despachar a mala deles em menos de nada e quando sair de casa já não parece uma missão impossível. Quando já fazemos tudo com uma perna às costas. Quando já não andamos tão inseguras e quando já conseguimos pôr um anti-olheiras. Quando, apesar de cansadas, ficamos felizes porque nos sorriem e nos chamam "mamã".

Acho que ficamos mais giras porque temos uma criança ali, connosco. Que, mesmo que seja um repolho (nunca vamos saber), nos valoriza. Porque agora somos mães. E, se conseguirmos ter o cabelo lavado e estar minimamente arranjadas, temos um brilho especial, porque estamos felizes e nos sentimos completas. E isso nota-se a léguas. Porque temos o maior dos desafios em mãos e isso nos dá uma aura especial. Com ou sem pneu. Com os braços em forma de bacalhau ou com braços de atleta de remo.

Dantes achava que para estar gira precisava de estar montada nuns saltos altos, maquilhada como se fosse sair à noite e chegava a pôr um decote com o meu melhor soutien. Agora? Sinto que não preciso disso. Sem grande maquilhagem, com um vestido comprido e umas sandálias rasas, cabelo lavado apanhado em trança e siga. A confiança é culpa dela. Só dela, que me faz sentir gira todos os dias. Tenho a certeza que, para ela, a mãe vai ser sempre gira. As mães são sempre giras.







quinta-feira, 30 de abril de 2015

Solução para quem tem braços em forma de bacalhau

Ontem fui supé, sei lá, 'tá a ver? VIP. Ou então fui daqueles penetras nas festas VIPS, se calhar é mais isso. 

Já vos disse que trabalho na SIC? Sou editora de conteúdos do Fama Show e do E-Especial, repórter do E-Especial, editora de conteúdos do Alta-Definição e voz off da SIC Caras.

Ontem os nossos programas estavam nomeados para a Gala dos Troféus TV7Dias, no Casino Estoril, o único evento que premeia o que se faz em Televisão. 

Ainda em casa, comecei a armar-me em boa e enviei esta foto à Joana Gama (a aprovação dela é muito importante para mim porque, apesar de dizer que se veste com sacos, é sempre sincera e não iria dizer que eu estava gira, não estando). 



Foi um risco, mas ela disse "estaaaaas linda!!!!" e uma pessoa lá ganha coragem para enfrentar horas e horas em saltos altos...

Primeira foto VIP da noite:



Até estamos todas giras! (Apesar de qualquer pessoa ao lado da Vanessa Oliveira correr o risco de parecer um ovo escalfado). Está cortada? Está. Mas eu mostro-vos o porquê:


Juro que não tenho nenhum problema nos bracinhos nem nas mãozinhas. Apenas não sei o que fazer com o corpo nestas alturas.

Olhei para a postura da Vanessa na fotografia e disse para mim: "Ah, então é assim que as gajas boas fazem! Ok, já não me apanham outra vez!"

Já sabia que as pessoas com braços que pingam, como eu, têm de os afastar um bocadinho do corpo para não parecerem um bacalhau espalmado e gordo, mas não sabia este truque "podia-ser-postura-de-vender-na-praça-mas-bem-feita-tem-glamour".



Primeira tentativa.


Segunda tentativa.


Risada total. Desisto. Põe-te normal!


Ufa. Agora uma voltinha.


Pronto. Dei o meu melhor.

Sei que ninguém perguntou, mas vou fazer como fazem nos Óscares. O vestido é da loja Ivens (que tem a marca Dasmanas), os brincos são da Guria, e os sapatos não faço ideia porque são os mesmos há anos e anos, mas arrisco H&M. 

Ah! O mais importante! O Alta Definição ganhou o prémio "Melhor Talk Show", subimos ao palco para receber o prémio e não caí, e eu e o meu maridão tirámos esta selfie para imortalizar o momento.


quinta-feira, 16 de abril de 2015

Tirei folga da minha filha

O que é que qualquer quase todas as mães fariam numa folga? Ficariam com os filhos. Eu não, desta vez não. Precisei de ser só a Joana por umas horas. Precisei de me mimar e ser um bocadinho egoísta.

Primeiro tive exames médicos, o que me ocupou a manhã quase toda. Depois fui tratar de coisas, pôr relógios a arranjar e coisas que tais, que estavam pendentes há séculos. Depois, fui comprar pijamas e bodies para a Isabel. Onde? Primark. Sim, e respondendo a uma boquinha da Joana Gama no outro dia, a mãe betinha, além de comprar em lojas portuguesas, compra na Primark. Fui às compras de coisas que "fazem falta" à Isabel, mas - quem é que eu quero enganar? - já ia com ela fisgada para as roupas de gaja. E gostei da sensação! Gostei de estar nos provadores e um 38 me servir e ainda ficar folgado. Gostei de estar a pensar no que é que fica bem com o quê e que peças de roupa vão ter um caso. Outras só se vão enrolar na máquina de lavar.

A seguir ainda fui a uma sapataria tentar encontrar umas alpercatas ou uns ténis com sola ou algo do género, mas 41 não é assim tão fácil. 
O quê?!! Tem 41 destes? E destes também? 50% de desconto? Levo já! Experimentei, claro, não sou assim tão maluca porque há 41s e 41s e o meu 41 tem de ser um bom 41... Ainda bem que a minha filha tem pé pequenino e que se preserve assim  - não um 18, credo! - mas que não tenha de passar pelos dramas da mãezinha dela, a sentir-se a Anastásia e a Drizella, ou lá como se chamavam as irmãs da Cinderela.

Compras feitas, qual Carrie Bradshaw versão pobre, lá fui eu a correr (de carro, que estes músculos não vêem exercício há 8 meses) buscar a minha filha. Às 16h saltou para o colinho de sua mãe, mas ainda teve de levar com uma ida rápida às compras para a casa. Adorou andar no carrinho das compras (só com estas idades para gostarem de se enfiar num supermercado!) e eu também adorei tê-la comigo. Deve ter sido por ainda não querer pôr tudo para dentro do carrinho e ainda não fazer birras de morte.

Casa. Brincadeiras no chão. Colo. Birrinha. Sopa. Então e como é que eu lhe consegui dar a sopa? Cozi esparguete. Foi tudo, uma maravilha. O que ela se diverte a chupar o esparguete e a dar-me a mim para ver aquilo pendurado até eu comer tudo! Por pouco não fomos a Dama e o Vagabundo naquela cena mítica do beijinho.

Banho e cama. Adormeceu em 2 minutos, nem deu tempo para aquecer o meu colo, nem para a pôr na cama e adormecer sozinha (há uma semana que eu e o pai estamos a conseguir que adormeça na cama dela).

Lá fui namorar as minhas compras, que é como quem diz tirar as etiquetas. Sinto sempre que compro etiquetas com um bocadinho de roupa à volta.

Cá estão:

A mala de fim-de-semana, que já andava fartinha do meu trolei todo desconjuntado

As duas gajas que há em mim: a das jardineiras e a do vestido comprido


Tem folhos e coiso.

Não vou para a Lua. Juro que calçados ficam lindos.

Joana Gama, ias adorar estes não ias? Não, para a Irene NÃO!


Sandaleca básica daquelas "não-aquece-nem-arrefece-mas-também-não-envergonha" para o dia-a-dia


Mais alguém que também tire folgas dos filhos?



quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Estou a um palminho de parecer a Sara Sampaio

Nem a propósito do post de ontem (antes e depois de ser mãe), cá está a transformação de uma mãe que acordou às 06h45 (ou foi acordada, rrrr) e que não dormiu mais de 3 horas seguidas. É um verdadeiro extreme mãekeover (este sim é à séria e não o da - armada ao pingarelho - Joana Gama, quando foi ao Renato Luís, aqui).


Ãh? Estou ou não a um palminho de parecer a Sara Sampaio? 

"É o melhor que consegues?", perguntam vocês, suas invejosas. É. Eu bem avisei que não dá para mais, foi a cara que Deus me deu.


quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

O período voltou! Feeeeeeesta!

Yeah! Confettis! Alegria! Mulheres a desfilar super confiantes como nos anúncios a tampões e a pensos higiénicos! Porque é tão bom ter o período, é tão divertido e feminino! Apetece logo dançar! Só que não.

Já não sabia o que era ter isto há bom... 9 mais 9 são 18... mais um mês... 19 meses. 19 meses santos sem a história (ou estória? nunca percebi), as regras, o red, a menstruação, o benfica a jogar em casa, como lhe queiram chamar.

Lembro-me bem da primeira vez. Andava no ciclo doidinha para ter o período, até cheguei a usar pensos da minha mãe só porque sim. Parva da miúda. Até que no dia em que apareceu eu tinha combinado ir às piscinas com as amigas e estava eufórica porque ia lá estar um rapaz de quem eu gostava. O destino é tramado. Ai queres o período, miúda de 13 anos com a mania? Então vá, chora lá um bocadinho. E chorei.

Anos mais tarde, chorei com dores.

Depois, chorei de alegria quando o deixei de ter porque engravidei.

E agora só não choro porque sou uma senhora crescida. Odeio, odeio, odeio.

Mas espera: vamos lá pôr uma música e festejar! Sentes-te limpa, sentes-te bem, o car42%0!!!




domingo, 14 de dezembro de 2014

Nails 4 Moms

Há por aí muitas mães que gostam de andar com as mãos como se fossem para a ManiCam do canal E!, e eu sou uma delas. Nem sou de me maquilhar muito, só às vezes, quando se juntam 3 factores: apetece-me + tenho paciência + tenho tempo. Se algum deles falhar, é bye bye Marta sem olheiras e com pestanas maravilha. Anyway... Onde é que eu ia? Tenho a mania de divagar um bocado, por isso depois avisem nos comentários se for demais, ok? As unhas!!! Pois! Isso. Apesar de não ser de andar sempre pintada, se há coisa que não dispenso é de ter as unhas arranjadas. Gosto, acho que dá bom ar. Não sou fã de unhas cheias de rococós, mas uma cor, ou até mesmo aquele brilho transparente, tenho de ter.

Como sou muito multifacetada (modéstia à parte, cof cof), arranjava e pintava as minhas próprias unhas. Tinha muita paciência (e tempo) e era capaz de passar uma boa tarde de fim de semana de volta das mãos para as deixar bonitas. Claro que demorava imenso tempo (já disse que naquela altura tinha tempo?) e é por isso que até agora tem estado tudo escrito no Pretérito Imperfeito (Joana Gama, corrige-me se estiver errada, tu é que tens olho para estas tecnicalidades). Como hoje isto já não é nada assim (lá está, nasceu o bebé, o tempo foi-se), dou por mim a pensar se era ou não era "bué da fixe" se houvesse uma maneira de demorar aí uns 10 minutos, 15 no máximo, a fazer as unhas. Mas com verniz de gel, ainda por cima! Sim, porque, sendo eu o cúmulo da desastrice, o dia em que eu descobri o verniz de gel foi como se se tivesse aberto uma caixa de pandora e nunca mais quis outra coisa. Para isso já não era assim tão multifacetada (querias!!!), e ia, às vezes de propósito, ao Continente do Colombo fazer o tal do verniz de gel (sim, lá fazem disso). Mesmo sem tempo, lá o conseguia arranjar se coordenasse com o pai da criança e ele conseguisse ficar com ela uma hora que fosse, para eu ir fazer as minhas "néles".

Mas pronto, o que interessa, basicamente, é que recentemente tive de voltar a arranjar as minhas unhas, porque as "minhas duas moças" das nails não podiam, e as minha unhas já estavam tão más que eu estava quase a ter um ataque cardíaco. Mal sabia eu que ia ficar na mesma quase a ter o ataque cardíaco, já que tive de fazer cada etapa em vários períodos diferentes no tempo. Estou, por isso, há 4 dias para ter as mãos decentes, e isto está a dar cabo de mim.

Por isso apelo: Mães de todo o Portugal Continental e Ilhas e emigrantes que arranjam as unhas, como é que vocês fazem isso???