sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O meu corpo é um saco de boxe

Calma! Não estou a ser vítima de violência doméstica! Pelo menos por parte do meu marido.

É mesmo o meu filho de 9 meses. Quando acorda às 6h da manhã e fica aos berros na cama porque não quer estar sozinho, trago-o para a nossa cama na esperança (AHAHAHAHAHA!!!!) de que durma mais um bocadinho.
Pois. Mas não. Sabem aquela música pimba que diz qualquer coisa do género "e mexe, remexe" e mais qualquer coisa? É o Lucas.
Não só não pára um segundo, como gosta de se agarrar a mim para se pôr de pé e fazer kung fu, entre outras coisas.

Aposto que não sou a única! Ou espero, ao menos. Deve haver aí mais mães que são violentadas todos os dias por um ser mais pequeno que o nosso fémur...

Partes várias do meu corpo são, por isso, vitimadas diariamente nas mais variadas situações:

Vítima número um: os cabelos. Adoro! Então quando ele agarra com aquelas micro-mãos os cabelos fininhos das têmporas... Gosto tanto que até me vêm as lágrimas aos olhos!
Vítima número dois: o nariz, por fora e por dentro. Regozijo-me de felicidade!  Que o queira arrancar à força e que, sem querer, no processo, me enfie o dedo na narina e aperte com a unha a mucosa até fazer sangue.
Vítima número três: a barriga, mesmo na zona do útero e da minha cicatriz da cesariana. Gosto imenso! São os pontapés quando lhe mudo a fralda ou o visto. E não são pontapezinhos, são bojardas dignas dos pés do Cristiano Ronaldo! Enfim, pode ser que um dia ganhe a Bota de Ouro. Uma vez já era giro.
Vítima número quatro: a pele, toda, em geral e em particular. Deliro! Beliscões no pescoço, nos braços, na cara, e onde aquelas mãos conseguirem... passo a redundância, deitar mão.

Isto leva aquela expressão "mãe sofre" a todo um novo nível de dor, a física. Que eu dispensava, obrigada. Já chegaram as poucas contracções que tive e as dores nas costas/ rins/ mamas/ pernas/ pés que me acompanharam na gravidez.

16 comentários:

  1. Simplesmente genial!!! Adorei, principalmente a parte da bela da unha no septo nasal. Por aqui acho que ja devo ter um orificio no septo. Se nao tenho a Sofia está determinada em fazer-me um! Adorei Marta. Parecia uma tontinha a rir sozinha.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Cristina! Realmente há dores que são capazes de nos fazer chorar por dentro por fora e por sítios que nem sabíamos que tínhamos! E essa do nariz era uma das que eu desconhecia e que carregou nesse botão...

      Eliminar
  2. E quem diria que a Isabel, uma bebé aparentemente super calma, também já me dá tau-tau? Beliscões daquelas mãozinhas pequeninas! Tem já uma força enorme, a danada! Estamos feitas ao bife!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Acho que estamos mais feitas em carne picada... Hihihi

      Eliminar
  3. tenho as minhas pernas cheias de nodoas negras tudo graças a um bebé de 7 meses ;)

    ResponderEliminar
  4. Ia fazer um post sobre isso no meu blog. Adorei, já chorei de tanto rir. É tão verdade!!! Tal e qual! E eu a pensar que era a única!! ;-)

    ResponderEliminar
  5. Ataca-me tb as mamocas. É com cada kick!!! Esborracha-me a cara toda, tira-me os cabelos (ja nao chegava a queda), aperta os dedos nas pernas e em tudo que possa espremer!! Mas é o amor da minha vida!!!

    ResponderEliminar
  6. Cá por casa sofremos do mesmo mal :-)

    ResponderEliminar
  7. kakaka so troco o ponto 3 pelo 4. Sempre que lhe tou a dar de comer no colo esta a beliscar-me o braço todo. e falta o ponto 6... por qq coisa nossa na boca dedos, queixo, nariz e morde, sim o artista já tem 2 detinhos e mta força no maxilar....

    ResponderEliminar
  8. A minha quando está a mamar agora quase me arranca o cabelo, fica ali a enrolar um pedaço da frente e chega a uma altura e puuuuxxxxxa...

    ResponderEliminar
  9. Well, cá em casa nada de novo! Partilho a mesma dor. Com a diferença, que o Renato já aprendeu a dar umas palmadas de mão aberta! Daquelas, mesmo a valer. Mas é que dá em mim e nele, a seguir. É a solidariedade familiar a falar mais alto. Bjs

    ResponderEliminar
  10. Eheheheh, até nisso a mãe sofre... Porque será que estes seres minúsculos adoram treinar kung fu nas mães e com os pais são sempre uns anjinhos???... :/

    ResponderEliminar
  11. junto-me ao sofrimento.... E junto os bicos das mamas, já que a menina Luana tem por mania, após a mamada, querer agarrar o dito bico e dar-lhe uns belos mordiscos! Se lhe ralho amua e chora desoladamente (mas nc para d tentar)....

    ResponderEliminar
  12. Aquilo que me dói são os joelhos/cotovelos que parecem lâminas, quando o meu filho resolve fazer corta-mato por cima de mim...

    ResponderEliminar
  13. ninguém mencionou as cabeçadas.. e o apontador curioso q escarafuncha QQ spot materno mais sinuoso, como um sinal no pescoço ou a ponta do nariz. Ou a obcessao com as maminhas e o seu fustigar incessante e embaraçoso (mao dentro da camisa o tempo todo que anda no colo). Mas adoro-os, são a nossa vida (de momento em sobrevivência ao NR.4) e nao trocava isto por nada

    ResponderEliminar
  14. Ena! Tantas mães vítimas! Muito pertinentes os vossos apontamentos! A APAV não vai ter mãos a medir connosco!

    ResponderEliminar