5.29.2015

Uma pisca!

É a minha filha neste momento. Afasto, para já, aquela hipótese da anorexia do primeiro ano, mas só porque come bem na creche e, de vez em quando, também come bem em casa. Já pensei em todas as hipóteses: dentes, a comida ser intragável, mas a que me parece mais provável é estar apaixonada. Tento não stressar (para isso está cá o David, que fica uma pilha quando ela não come). Eu consigo manter a calma. Não come isto, come aquilo. Não come aquilo, come daqui a bocado. Tirando os primeiros meses, nunca foi de mamar muito nem de comer muito. Ela gosta de petiscar e gosta de quase tudo. Não come é muito! E às vezes não come nada.

Ultimamente anda a revirar os olhos (mesmo!) à sopa e a dizer que não com a cabeça com tanta intenção que parece que está a ver um jogo de ténis.

Nos últimos dias, andou mais queixosa e chegou a vomitar na creche. Ora, sentimento de culpa para o David que andou a insistir com a porcaria da papa ao pequeno-almoço (alguma coisa ela tinha). Está bem que às vezes insistimos e ela lá se lembra que quer, às vezes vira a cara antes de provar e depois de provar lembra-se que afinal até quer. Mas não vale a pena entrar em histeria. Não é bom para eles nem para nós.

Vejam lá se não parece que ela come muito bem? Pois, pois, isto come ela. E milho, como os pardais. É respirar fundo, melhores dias virão.









13 comentários:

  1. Eu já nem digo nada, fases destas já tenho uma colecção e ainda só está com quase 17 meses :D Até 3ª foi um grande filme de terror, agora há 3 dias que é uma maravilha come até ao fim num instante... melhores dias virão :)

    (Eu stresso e muito, nem me queiras ver)

    ResponderEliminar
  2. Joana, deixo-te um livro fantástico de um senhor fantástico. A minha só agora começou a comer por isso ainda não sei na prática o que isso é. Ainda assim cheira-me que também será uma pisca pelo que comecei desde cedo a preparar-me com o Dr. Carlos Gonzaléz! É que os nervos dão cabo de nós! Mais vale prevenir. Boas leituras :
    https://docs.google.com/file/d/0B1AdNIl7ICCpODY1OTgxNDEtMzI0Zi00NDljLTk2NjktMjdmNTU1ZmRkMzdl/edit

    ResponderEliminar
  3. Joana, nao stresses! Tenho uma amiga que tambem teve uma dificuldade enorme e ainda hoje (o filho tem 4anos). O miudo foi a tudo o que e medico, e a resposta era sempre a mesma: nao se preocupe, ele tem o peso normal e nao apresenta sinais de subnutricao. Por isso...
    O meu irmao tambem nao comia...
    Ha-de chegar a altura em que vais dizer ja chega.
    O meu irmao tinha 14 anos ;-)

    ResponderEliminar
  4. Aiiiiii como te percebo Joana!!! O meu grande stress C a minha filha é precisamente esse!!! Ela tb é uma pisca p comer e eu não sabia lidar com isso. Cheguei ao ponto de chorar de desespero por ela não comer ou comer mto pouco!! Meu marido achava q eu estava a ficar c uma depressão!!! Até q na consulta dos 15m a médica fez me perceber q não valia a pena o meu stress, q a miúda estava bem e saudável, simplesmente é uma criança magra. Olha desde aí nao stresso. Só penso se ela tiver fome vai comer e se não comer agora logo comerá com mais apetite! É assim vou levando as coisas p o bem da minha sanidade mental!!!! Há dias q come bem, há dias q come mal, há dias q come mto pouco, há dias q cospe o ovo do prato dela mas come td o ovo do meu prato... e é assim a minha vida 😜 hj tem 18m e não chegou aos 10kg mas é saudável, esperta, não para quieta um minuto e é feliz!!!!!! Um beijinho de solidariedade p ti!!! Estamos juntas nessa luta!! Lol

    ResponderEliminar
  5. Olá!!! O meu filho mais velho tb era assim... O que me stressava bastante. O pediatra dizia: "ele escolhe a quantidade e a mãe a qualidade"; claro que para mim não fazia sentido. Hoje com o segundo filho, já não ligo, se quiser comer come se não quiser comer tudo não come.
    Agora olho para trás e vejo que se calhar stressava sem razão. O truque?? Bola prá frente :)

    ResponderEliminar
  6. Agora é assim e de um momento para o outro pode começar a comer super bem. E neste momento, pelo menos eu penso assim, mais vale pouco mas ficar lá dentro do que tentar que comam mais e depois vem tudo cá para fora.

    http://diariodgravidez.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
  7. Fui pisca em pequena e o meu filho é um pisco (fazemos jus ao nome, lol). E quando me começo a passar com ele, lembro-me de quando estava no lugar dele e do castigo que eram para mim as refeições. E é quando páro e o deixo em paz. É magrinho? É. Sai à mãe. Mas ao contrário da mãe, é saudável, desenvolve-se bem e é feliz. Acabo por o aceitar como é.
    Vá com calma. Se ela é saudável e se o médico não valoriza, não vale a pena stressar.

    ResponderEliminar
  8. Olá. Aqui mãe de um miúdo de ano é meio que mamava de duas em duas horas de dia ou de noite. As duas maminhas quase sempre. E vi logo que a mim não saía que eu até mamava bem, mas já comer é que foi um terror (ainda é!). Quando começou as sopas era um ver se te avias, fruta na mesma, papa, comida, só não vai a bola com coisas doces (não me estou a queixar). Mas até ao ano, catorze meses, a coisa era muito mais fácil. Comia o que lhe davam e pronto. Pois que depois começou a escolher. E toca de dizer que não com a cabeça e com a boca. Toca de fechar a boca ou se lhe meter na boca e não gostar deita fora. Escolhe o que quer. Quando chega para ele. Pede água. Prefere a carne a comer a massa ou arroz. E é isto. Há dias que come bem. Há dias que só come a carne. Há dias que só come a fruta e o resto vai todo parar ao chão. Uns nervos. Ah! Porque agora também quer ser ele a meter a boca a papinha. São fases. Eu comia pouco e cá estou com 36 anos. Temos que ter fé. Tento dar o que ele gosta mais e não tornar a refeição um inferno. No infantário come bem.
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  9. Olá. Aqui mãe de um miúdo de ano é meio que mamava de duas em duas horas de dia ou de noite. As duas maminhas quase sempre. E vi logo que a mim não saía que eu até mamava bem, mas já comer é que foi um terror (ainda é!). Quando começou as sopas era um ver se te avias, fruta na mesma, papa, comida, só não vai a bola com coisas doces (não me estou a queixar). Mas até ao ano, catorze meses, a coisa era muito mais fácil. Comia o que lhe davam e pronto. Pois que depois começou a escolher. E toca de dizer que não com a cabeça e com a boca. Toca de fechar a boca ou se lhe meter na boca e não gostar deita fora. Escolhe o que quer. Quando chega para ele. Pede água. Prefere a carne a comer a massa ou arroz. E é isto. Há dias que come bem. Há dias que só come a carne. Há dias que só come a fruta e o resto vai todo parar ao chão. Uns nervos. Ah! Porque agora também quer ser ele a meter a boca a papinha. São fases. Eu comia pouco e cá estou com 36 anos. Temos que ter fé. Tento dar o que ele gosta mais e não tornar a refeição um inferno. No infantário come bem.
    Beijinhos grandes

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar
  11. Percebo a angústia....mas não sei o que é. Eu estou desde 2008 na ponta oposta. Bebé macrossomica. Comilona desde que nasceu. Peso e altura sempre fora dos percentis. Hoje com 7 anos, tem 1,38 e 35kg....está a começar a ficar gordinha. Se desde pequena que tivemos que ter cuidado, agora é suplicio. Não deve ser fácil um filho não querer comer (tenho outro com 2 anos que é um pisco) tb não é nada fácil, acreditem, negar comida a um filho.
    Mas Joana, como educadora garanto, são fases, desde que estejam bem, é o que interessa.
    Beijinhos.
    Mafalda

    ResponderEliminar
  12. Linda, linda a minha menina ������

    ResponderEliminar
  13. Sempre linda a minha menina💜😘

    ResponderEliminar