Mostrar mensagens com a etiqueta restaurantes onde ir com os filhos. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta restaurantes onde ir com os filhos. Mostrar todas as mensagens

domingo, 18 de novembro de 2018

Já não podem com eles? #estounomesmobarquinho 😏

Acho que já vos contei que a Irene e eu andamos assim numa fase mais desencontrada de momento. Estamos ambas a lidar com "coisas" e, assim, juntas, temos menos capacidade de... compreensão e de tolerância, ao mesmo tempo que temos imensas "saudades" de quando tudo está mais tranquilo. 

Recentemente senti que a minha vida estava novamente a afunilar, com aquela sensação totó do "ando a mil" quando, na verdade, depois vinha a verificar que a maior parte do stress era falso e estava só a fazer uma má gestão da minha cabeça e do meu tempo. Cheguei a desinstalar o instagram durante uma semana e tudo - uhh, o drama e o horror!

Tal como já escrevi aqui no Quero Ser Mais Feliz Que Isto #3, apercebi-me que não me andava a fazer nada bem associar os momentos de descanso, de férias, apenas ao Verão. Pensei: e se for arejar neste fim-de-semana? 

Houve um momento em que olhei para a Irene meio desamparada (foi de manhã à pressa para sairmos para a escola), peguei-lhe ao colo e disse-lhe: "Nós precisamos é de umas valentes férias, não é?". Ela, que não costuma ser muito de dar carinhos a torto e a direito abraçou-me e deu-me um beijinho à esquimó.

Claro que me desfiz toda. Senti mesmo que houve ali uma agradecimento. Afinal de contas, a crescida sou eu, eu é que tenho de tentar resolver as situações e de dar o exemplo à miúda de como reagir em momentos de stress, etc. Não quero que ela tenha de descobrir tudo sozinha quando for adulta. 

Corinthia Lisbon Hotel


Lembrei-me daquele dia paradisíaco que passámos há uns tempos no Corinthia Hotel Lisbon (5 estrelas, babies), leiam aqui "Nada nunca nos fez tão felizes". Pode parecer ridículo, mas é a menos de 5 minutos de nossa casa (calma, stalkers) mas é o ideal para uma escapadinha rápida (aquela noção de andarmos "a mil" às vezes faz com que tenhamos de ser práticas em tudo, não é?). 

Corinthia Hotel Lisbon
Antes de comermos sopa de batata doce e abóbora e marcharem uns quantos mini hambúrgueres.


Voltamos a aproveitar a massagem para Mães e Filhos no The SPA (conto-vos noutro dia) e fomos estrear o novo restaurante do hotel: "ERVA".  Não, não se pode fumar lá dentro - pá, tinha que ser. 

Recentemente (há coisa de um ano) fui a uma das zonas hipsters de Londres (Shoreditch) e reparei na quantidade de restaurantes com bom aspecto, com cuidado e tudo hipster ultra instragramável, como agora está a acontecer em Lisboa aos brunches, por exemplo - que tenha reparado. Este ERVA podia muito bem estar por lá. O DJ ao vivo com uma playlist fantástica e adequada, o cenário urbano mas com espaço. Sem ter confusão. 


Tinha acabado de entrar e já sabia que era o meu restaurante preferido. Vá, neste momento está em ex aequo com outro, mas... no outro tive que jantar para pô-lo no top.

Restaurante Erva

Ainda por cima a carne é tratada com aquele protagonismo que tem para mim. Nada se sobrepõe a um bom naco de carne mal passado, bem temperado quando se tem vontade de comer. Ah! E os cocktails? Há um senhor que vem à mesa só para isso, atirei-me para o do dia (o cocktail, não o senhor) e foi... fantástico (o cocktail...). 

A Irene foi mimada por todos, com uma atenção especial de um dos empregados que a deixava toda envergonhada e ainda melhor foi depois subirmos o elevador para o quarto. Barriguinha cheia, depois de um spa à tarde e caminhas das melhores que já apanhei em hóteis (e eu adooooro hóteis) para descansar. 

Foi apenas um dia, mas valeu-nos de muito. Mesmo. 

Às vezes precisamos de parar para recomeçar, já dizia provavelmente o Gustavo Santos porque o rapaz farta-se de falar e, por isso, já deve ter dito isto também. 

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

De comer e chorar por mais. Onde? Fauna & Flora

Já conhecem o Fauna & Flora? É daqueles restaurantes a que se tem de ir, com ou sem filhos. O ambiente é muito descontraído, familiar, o espaço é muito bonito, branquinho com flores e plantas por todo o lado. Vão encontrar lá as instagrammers do momento, mas também turistas e até famílias, como nós. 

A comida é deliciosa e saudável. Tem bowls (com caril de frango, basmati, romã e folhas frescas, por exemplo); tostas em pão saloio com abacate e ovos escalfados (divinal); hambúrgueres com picadinho de atum fresco com chimichurri em bolo do caco, e mais não sei quantas opções, todas elas de babar. Ah! Húmus de beterraba, peçam o húmus para entrada, com palitos de vegetais crus, que fica delicioso. Para acompanhar há sumos naturais, smoothies ou vinhaça. 

E, minhas amigas, as panquecas... falemos das panquecas. Há uma opção com frutos vermelhos e doce de leite que, se tivesse um último desejo para pedir, provavelmente seria isso. A de chocolate e manteiga de amendoim também é a maior delícia, mas não destrona essa. E, para quem gosta de misturar o doce e o salgado, têm também panqueca salgada com bacon e ovo - também já provei (shiuuuuuuu).

Como é perto do meu trabalho e vou lá almoçar, confesso-vos que ainda não reparei se tem cadeirinhas ou trocador, penso que não, porque não vi, mas não posso jurar. Já vi, no entanto, crianças por lá, da idade da Isabel, pelo que serão certamente bem-vindas. :)





Fauna & Flora

Rua da Esperança, Madragoa
Brunches, almoços ou lanches com amigos ou família

Comida: óptima, para brunch com amigos e família, com bowls, tostas com ovos escalfados, com opção vegetariana, hambúrgueres, panquecas, taças de granola ou com açaí...

Preço: boa qualidade/preço - uns 15€ por pessoa

✔ Serviço: óptimo, uma simpatia e rápidas

Espaço: muito bonito, acolhedor e suave, branco com apontamentos de madeira e muitas plantas

Crianças: não tem menu infantil, no entanto as minhas comeriam ali sem problema algum, já que tem bastantes opções e o espaço é muito acolhedor

 Vista: não tem vista (nem esplanada)

Estacionamento: é "onde houver", ali por aquela zona


Outras ideias de restaurantes aqui, aqui e aqui.


O meu instagram e o d'a Mãe é que sabe :

a Mãe é que sabe Instagram

quinta-feira, 29 de junho de 2017

A Mãe é que sabe COMER #01 - O Prego da Peixaria

Já há muito tempo que não vos aconselhava um restaurante, mas ontem fiquei tão fã de um que tinha de ser (e abri toda uma nova rubrica porque este subiu a parada dos restaurantes baby friendly). Apesar de eu não ser muito esquisitinha e de as levar para quase todo o lado, não é fixe sentir que podemos não estar no sítio mais indicado (quando não têm cadeirinha então, sinto-me a mais ali, fico num misto de "como não?" com uma vontade de pisgar-me rapidamente para não importunar, não sei explicar).

Ontem não. Ontem fomos ao O Prego da Peixaria em Alvalade pela primeira vez e ficámos encantados com tudo. Já conhecíamos o conceito - eu já tinha provado os fantásticos pregos no SEA ME e já tinha ido ao Prego da Peixaria do Saldanha - mas este é ainda mais bonito e totalmente baby friendly. Trocador, estacionamento para carrinhos, cadeirinhas, espaços para desenhar, menu infantil e, ainda, staff muito simpático - até ao colo de dois a Luísa foi, espertalhona!



Gostámos de tudo. Queria ter alguma coisa em que pegar, mas não há nada que tenha corrido menos bem.

Para entrada, pedimos bolo do caco com manteiga de alho, tártaro de peixe (não sou fã mas gostei muito), choco frito e picapau de peixe (éramos 4 adultos).


Depois, eles foram para a carne, no prato (há muitas opções: lombo, picanha, etc, etc), com legumes salteados e chips de batata doce; eu fui para um prego de salmão e choco com bolo do caco com tinta de choco. Estava muitoooo bom, mas foi comida a mais.





Para a Luísa pedi o menu infantil (escolhi a opção prego de salmão, água, legumes salteados e -  entre gelatina e fruta compal - fruta compal). Comeu sopa. No final, tarte de limão, mousse caseira e crumble de maçã com gelado (até a Luisinha provou shiuuuuu).



Reparei que aquilo encheu - e o espaço é grandito - mas mesmo assim nunca ficou uma confusão, o que não seria de estranhar com tanta gente e tantas famílias. Reparei também que há de tudo ali: famílias, grupos de amigos, namorados e até pessoas sozinhas ao balcão.













Olhem, gostei. Do espaço, dos funcionários, da comida. Como é raro sair para jantar com filhos, senti-me feliz por estar num sitio tão fixe, tudo ter corrido bem e por estar em tão boa companhia. 



O PREGO DA PEIXARIA - ALVALADE
Av. da Igreja
 Restaurante Baby Friendly

Comida: óptima, sem querer armar ao pingarelho, com saladas, pregos (óbvio), com opção carne, peixe e vegetariano e ainda com menu infantil

Preço: boa qualidade/preço - uns 25€ para duas pessoas

Crianças: bem recebidas com cadeiras, espaço para desenhar e lápis de cor, casa de banho com trocador, espaço para estacionar carrinhos e menu infantil

✔ Serviço: óptimo, rápido e sem enganos e muito, muito simpáticos (a Luísa andou a saltar de colo em colo) 

Espaço: muito bonito, acolhedor e bastante original, a misturar o ferro, a madeira e bastantes apontamentos vintage, como cadeiras de escola, brinquedos antigos... (e a casa de banho Uau! adorei!)

 Vista: não tem vista, mas tem uma esplanada agradável

Estacionamento: é "onde houver" ali por aquela zona, mas por acaso não tivemos problema nenhum em estacionar, arranjámos lugar praticamente em frente


Mais restaurantes onde ir com os putos aqui.


Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade. Q

sábado, 20 de agosto de 2016

Fui à sede do Pinterest.

Em Setembro voltarão as aulas de música aos sábados de manhã. Até lá vou tentando aproveitar para arquitectar uns momentos a três sem perturbar as sestas da miúda. Já que é complicado irmos almoçar os três a horas que agradem a todos, pensei "e pequeno-almoço?". Estamos todos acordados ao mesmo tempo, os sítios não estão cheios de pessoas e, por isso, a Irene não aborrece ninguém se estiver numa explosão de energia e, aqui entre nós (adoro dizer isto quando sei que estou a falar para milhares de pessoas), o pequeno-almoço e o lanche são as minhas refeições preferidas do dia. 

Escolhi o sítio pela beleza. Nem imaginam a minha frustração quando, depois de ter chegado à Baixa e estando lá pela primeira vez com a Irene, reparei que a máquina estava quase sem bateria. Eu, cuja minha motivação para passear - já antes da Irene - era sempre quase 50% pela fotografia. 

Mesmo assim sacámos uma ou outra mais engraçada e convido tentarem fazer este tipo de planos: começa-se o dia de forma bem diferente e é quando ainda está fresquinho. 

Não precisam de ir ao Bastardo (que é bem giro) que custa 15 euros por pessoa por um pequeno almoço (para nós é o nosso dia de festa ocasionalmente, permitimo-nos ir um pouco "mais longe") mas, se formos bem a ver, por aquilo que o Frederico almoça e janta às 7h da manhã, eles é que acabam por ficar a perder. ;)


Tinham quadros muito engraçados deste género. Infelizmente as minhas outras fotografias ficaram péssimas. Vou roubar a ideia para a nossa casa nova (um dia a ver se acontece) e fazer qualquer coisa do género, com graça.

Não parece que entrei na sede do Pinterest? 

O cliché das cadeiras todas diferentes. Também gosto muito.

O pequeno almoço com tudo simétrico e cuidado. Ahhh que maravilhas que faz ao meu lado obsessivo compulsivo.

O modelito de hoje. 

Só comi este - estou a bater palmas a mim mesma. Só comi este depois de uma fatia de bolo de maça, um pão, um leite com chocolate...

Aqui o boss nuns dos raros momentos em que não tem um pedaço de chouriço abaixo do bigode.

A Irene a provar caipirinha.

O vocalista dos Nickelback, segundo o meu carinhoso marido. Eu acho que estou igual ao irmão mais velho do meu pai - o que é igualmente péssimo para a minha auto-estima.

A Irene sentada como uma lady, tal como a mãe se senta. 

A mãe a fingir que não sabe que está a ser fotografada, apesar de ter a máquina a menos de 10 centímetros da focinheira.



Sigam-me no instagram @JoanaGama
e o @aMaeequesabe também ;)

sábado, 23 de julho de 2016

Almoçar fora? Nunca mais!

Sempre gostámos muito de ir a restaurantes: quando a Isabel era bebé íamos tanto almoçar como jantar (ela dormia lindamente), depois passámos a ir mais almoçar (cedinho, para não esticar muito a corda com a sesta). E, a propósito da ida da Joana Gama ao Vimeiro, lembrei-me da última vez que fomos almoçar fora os três. Fomos a um restaurante ali perto muito giro, o Noah Surf House, com uma vista maravilhosa sobre o mar e com pratos muito saborosos. Ah! E com uma simpatia de funcionários, muito queridos para a Isabel, que andou a passarinhar por ali e a fazer amigos, que é como quem diz, a roubar os brinquedos aos meninos e nós a levantarmo-nos à vez para ir ver os disparates que andava a fazer. (Tivemos vontade de ir para a esplanada, com um ambiente muito cool mas com a miúda não arriscamos tanto com o sol, uma chatice ;)

Agora? Agora não nos aventuramos com as duas. Pelo menos ainda não ganhámos coragem. É que a Luísa não usa chucha e, apesar de dormir muito bem durante a noite, é mais complicado pô-la a dormir a sesta (e acordada não aguenta no carrinho, não me apetece almoçar com ela no colo e tem um belo vozeirão quando chora - a Isabel chorava baixinho, baixinho). Não nos apeteceu ainda sair da nossa zona de conforto nem testar a nossa paciência com as duas num restaurante, porque imaginamos sempre uma cena dantesca, com as duas a berrarem, pratos pelo ar e os dois a engolirmos a comida em três tempos para nos pirarmos dali o mais depressa possível. Vai na volta e até corre bem, mas... mas...
Quando deram este passo? (uhhhh parece que é uma escolha super difícil e importante haha). É de arriscar, não é? Nas férias?  









 
Sigam-me no instagram @JoanaPaixaoBras
e o @aMaeequesabe também ;)

segunda-feira, 6 de junho de 2016

Estou de volta!!! Yeahhh!!!

Atenção que não é a Joana Paixão Brás quem está a escrever este post, mas sim eu, Joana Gama. A Joana Paixão Brás estará de volta em breve quando estiver a 100% para vos dar as lamechices a que estão habituadas que, com a ausência dela, devem estar aí a fazer uma retenção de líquidos enorme. 

Estou de volta porque - estou tão farta de escrever isto como vocês de ler, mas estão sempre a chegar pessoas novas e não sabem - desde que a Irene nasceu, depois de estar um ano e meio em casa com ela, a minha vida ficou (naturalmente, de acordo com as minhas escolhas e personalidade) mais/toda centrada nela. Não me arrependo minimamente. Somos e estamos felizes. 

Voltei a trabalhar em Outubro (é uma coisa que também é boa, não se preocupem, leiam isto, por exemplo) e, desde aí que, sem hora de almoço e com horário reduzido que também não tem dado para grandes relaxes. Na sexta-feira passada, porém, quebrei o ciclo. Fui almoçar com a Renata ao Páteo Alfacinha. Já lá tinha ido com o Frederico e achei uma boa escolha. Agora como já não trabalho no Chiado, trazer o carro é mais fácil e dá-me mais mobilidade e assim foi.

Agora uma foto só para compensar a de lá de baixo que pareço uma roulotte:


Pronto. Já está. Foi por whatsapp para enviar à Joana Paixão Brás que ela fica toda contente quando me arranjo um bocadinho ;)

Retomando...

Embuchamo-nos de comida enquanto FINALMENTE pusemos a conversa em dia sem termos de andar atrás dos nossos filhos ou a responder-lhes de 2 em 2 segundos. Soube-nos tão mas tão bem que ainda hoje estou mais contente pelo almoço de sexta. Aliás, estava tão entusiasmada que até no dia anterior estava com dificuldade em adormecer (que estupidez, eu sei). 

Não gosto de vinho, mas até bebi um bocadinho e... sim, para quem não bebe álcool, meio copinho já deu para chegar ao trabalho e dar o melhor de mim para ficar calada para não dizer ainda mais porcaria que o costume. 



Mães que foram agora mães, não se sintam pressionadas por nada nem por ninguém a fazer algo com o qual não se sentem confortáveis. Não compensa se for para fazerem coisas que vos deixam nervosas. O vosso timing chegará e o timing de cada uma é diferente. O meu está a ser agora e... ESTOU A ADORAR!

Renata, juro que foi sem querer que me esqueci da carteira. Como a intenção é que conta e eu tinha a intenção de te pagar o almoço, para a próxima pagas tu outra vez. 

quarta-feira, 16 de março de 2016

Mais um restaurante giro para irem com eles (ou sem).

É tarde para estar a falar de Domingo passado? Capaz. Porém, não queria mesmo deixar de vos contar o que fizemos no Domingo passado. Agora escreve-se domingo sem D, não é? Pronto. Então, andava louca cheia de saudades de almoçar fora e com o Frederico. Sim, duas coisas separadas. Ele levou-me a um sítio muito giro que aconselho que vão e até com os bebés que reparei que tinham cadeira do Ikea. Comemos IMENSO, a comida era óptima... o dia estava magnífico, o dia estava incrível: fomos ao Páteo Alfacinha. 






Fotografias da comida é mais no instagram do Frederico (mê marido) aqui.