segunda-feira, 8 de outubro de 2018

Perdemos a Isabel no Colombo

Foram 5 minutos. Talvez menos. Mas foi absolutamente sufocante. Estávamos ali ao pé do continente, encontrei uma pessoa conhecida, cumprimentámo-nos, apresentei o David, ela o amigo, o Benfica ganhou!, olhei para o lado e ela já não estava. “David, a Isabel!” Um para o lado, outro para o outro lado do corredor a olhar para todo o lado. Angustiante. Pedi ajuda a uma pessoa, não falava português. E a outra, a um casal, descrevi a Isabel, já a chorar. Não há sentimento pior no mundo. Nunca tinha sentido isto. Descontrolei-me, comecei a correr, a gritar “Isabel!”, olhava para o David, ao fundo e nada. Chorava, muito. Muita gente e olhar, a oferecer ajuda, pedi ajuda a uma menina na caixa que foi avisar o segurança. Até que a menina do casal me pergunta se era aquela menina que aí vinha, já de mãos dadas com uma mãe e com uma criança ao lado. Vinha a rir. Corri para ela. Chorei mais ainda agarrada a ela. 
Disse-lhe que nunca mais poderia fazer aquilo. (Nunca tinha feito). Expliquei-lhe tudo. Disse-me que tinha ido descer nos “escorregas”. Fui avisar o David que vinha com ar de fantasma. Descarga de adrenalina. O segurança veio dizer-nos que a primeira coisa é avisar a segurança para mandarem fechar todas as saídas. 
Espero que nunca, nunca passem pelo que passámos. É uma sensação de perda, de que nada faz sentido, de medo e impotência. Se acontecer, já sabem. 

Renasci com ela no meu colo. Renascemos. 

21 comentários:

  1. Oh Joana

    Passei por isso com a Constança quando ela tinha ai uns 2 anos... E não desejo isso a ninguém... ������

    ResponderEliminar
  2. Que sufoco! Nunca passei pelo mesmo e espero nunca passar. Quando vamos para sítios c muita confusão digo-lhe sempre para não sair de perto de mim, mas já sabe com crianças nunca fiando. Ainda bem que foi só um susto! E logo a seguir ao um dos dias mais felizes...ninguém merece!

    ResponderEliminar
  3. Nunca passei por isso, mas a minha filhota já me fugiu porta fora da Zara mesmo quando estava a pagar. Larguei tudo e fuia correr atrás dela.
    Sei que dizem que não se deve educar com medo, mas sim meto lhe muito medo "nunca saias da beira da mamã porque vem um homem mau e leva te e nunca maus vês a mamã"
    Prefiro que ela tenha um medo desses do que acontecer algo do género.... nem quero imaginar.
    Basta um piscar de olhos e eles ja estão noutro sítio encantados com não sei quê.
    Correu tudo bem Joana! ❤ beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Rita, homem mau e mulher má! Não são só os homens...
      E lembrar que o carro da Barbie ou do Batman nao existe. E não se deve ver cãezinhos nos carros, caso alguém queira mostrar.
      Também vou educar a Sofia à base da verdade. É para ter medo sim. Prefiro assim, do que criar uma menina extremamente inocente...

      Eliminar
  4. Joana passei por isso a semana passada na primark do colombo. ...a bibia tem 26 meses estava ao meu lado ...estiquei o braço para o expositor para tirar um pack de collants olhei para o lado e não vi a bibia. ..foram talvez dois minutos de pânico. ...os dois minutos mais longos da minha vida ....quando a vi porque a chamei a falar alto....muito alto e ela começou a chorar. ...não me via também. ..a reacção foi abraçar enquanto as lágrimas me caiam. ..compreendo perfeitamente. . Bj

    ResponderEliminar
  5. Passei por isso no Colombo uns 2 minutos não tanto tempo mas hiper intenso e um sensação que nem sei descrever , até hoje a Sofia já nem sai de pé de nós e foi d fomos comprar uma garrafa de água quente ela é a irmã ficaram aí meu lado e qd olharam p o lado um sr pós se entre nós e ela deu volta a minha procura, não vimos e foi o pânico, o pai de um lado eu do outro e a irmã tb procura, durou 2 minha e tive a sensação que o mundo acabava ali e eu morria naquele momento, até me dá um aperto no coração só de pensar....

    ResponderEliminar
  6. Passei pelo mesmo, só uma vez ...e também no Colombo 😟 tinha o Diogo 2anos. Coração pára mesmo!

    ResponderEliminar
  7. Passei por isso também relativamente á pouco tempo... É horrível...

    ResponderEliminar
  8. Já perdi a minha filha mais nova na praia. Estávamos de saída e arrumar as coisas quando foi com o irmao mais velho à àgua lavar as maos. Quando ele me chega sem a irmã acho que morri um ppuco ali mesmo. Esteve bastante tempo desaparecida, se calhar nem tanto quanto me pareceu na altura. Apareceu felizmente graças à ajuda de muitas pessoas, também sorridente e bem disposta. Até hoje relembro a cena com pavor. É uma sensacão indescritivel...

    ResponderEliminar
  9. Uma vez ouvi uma mãe gritar o nome de um filho que tinha acabado de perder de vista, e arrepiei-me. Lembro-me até hoje. Espero mesmo nunca me acontecer... imagino como deve ser agoniante...

    ResponderEliminar
  10. Vi uma situação dessas, passei pela menina e logo a seguir pela mãe que a encontrou!! A mãe ficou ali amarrada a menina (2 ou 3 anos) uns 5 minutos a chorar!!
    Sai de lá com um no na garganta a pensar que poderia ter sido comigo....! Que sufoco!!

    ResponderEliminar
  11. Meu Deus! Passei pelo mesmo com o meu filho no zoomarine ainda não tinha 3anos e foi um sufoco sem explicação,a partir dessa altura cada vez que saia com ele fosse para onde fosse eu entrava literalmente em pânico assim que ele se desviava de mim 5centimetros. Hoje tem quase 16anos e não esqueço e agora a ler o seu desabafo até chorei... Graças a Deus que tudo terminou bem e que não passou de um susto... Mónica

    ResponderEliminar
  12. Já tinha acontecido igual à Isabel no Ikea certo? Deve ser sufocante mesmo os pequenos nem imaginam o que nos fazem passar... ela só queria um escorrega

    ResponderEliminar
  13. joana parabéns pelo casamento! quando acabar o teatro da joana gama sobre esse assunto, gostava muito de um post seu!

    ResponderEliminar
  14. Eu tinha (e tenho!) tanto medo e nunca me aconteceu com a minha filha... mas o pirata mais novo não tem problema nenhum em desatar a andar e sair de perto de nós.
    Há uns tempos no continente deixei a mais velha que já tem 10 no corredor central com o carro das compras para ir buscar qq coisa mais rápido e levei-o para ele não fugir à irmã.... quando estava a pegar no artigo ele largou-me a mão e começou a correr a dizer que ia ter com a irmã. Eu peguei no artigo e fui logo atrás dele, já não o conseguia ver... pânico total! no corredor central tínhamos visibilidade e não o víamos em lado nenhum, com ela não estava nem tão pouco tinha passado por ela. eu comecei a percorrer o corredor central todo a olhar para todos os corredores perpendiculares a chamar por ele bem alto, todas as pessoas olhavam para mim mas tb ninguém se mexeu. A irmã começou a ir em sentido contrário quando eu o vejo a vir na nossa direção... ele vinha do fundo do corredor do local oposto de onde tinha saído, ou seja, em segundos percorreu todo o super e já vinha de novo na nossa direção. também não vinha assustado, vinha a olhar para os corredores e a chamar pela irmã, mas descontraído...

    ResponderEliminar
  15. Aconteceu-me uma situação de sufoco semelhante. Estava na Cuf Cascais a conversar com a psicóloga do meu filho de 4 anos no fim da consulta e ele correu (achei eu) para o espaço infantil junto da pediatria. Ouvia-o gritar muito por mim, corria e não o encontrava em lado nenhum. Estava desesperada até que percebi que o som vinha de dentro da parede. Estava fechado no elevador. Quando a porta abriu, ele chorava copiosamente porque a luz se tinha apagado, não chegava aos botões e estava assustado.
    Morri um bocadinho e renasci no abraço que demos.

    ResponderEliminar
  16. Já me aconteceu, há 2 anos, na Calzedonia do Vasco da Gama Estava com uma prima que estava no provador a experimentar biquínis. Tirei os olhos e ela só o tempo de olhar para essa prima. Quando olho, não vi a Andrea en lado nenhum. Foram minutos de pânico, até que uma das outras clientes da loja me diz que a viu a esconder-se atrás dos vestidos e saídas de praia. É horrível e perdemos anos de vida.

    ResponderEliminar
  17. Olha joana chorei só de ler porque a minha cachopa já hoje com 8 anos pregou -me já dois sustos desses aos 3 e aos 5 anos. Pensei que morria durante a procura. E é por isso que digo que sou a favor das pulseiras tipo algemas ou as chamadas “trelas”. Digam o que disserem, critiquem mas se o mais novo agora com 10 meses for de fugir compro uma coisa dessas porque eu só nos mães que passamos por isso é que sabemos.... antes falarem que depois eu chorar por perder um deles.

    ResponderEliminar
  18. Já me aconteceu quando o meu filho tinha 2/3 anos, num supermercado. Desatou a correr e dada a estatura pequena não tinha como o ver com cestos, prateleiras...É horrível, mas a minha primeira reacção foi correr para pedir aos seguranças para fechar as saídas e dar a descrição. Fecharam tudo e uns minutos depois (que é uma eternidade) lá vinha ele o colo de um jovem casal de namorados, sem noção nenhuma do perigo.

    ResponderEliminar
  19. O meu desde que começou a andar que foge e já por 2x que apanho sustos de segundos, não deve ser mais de um minuto mas é o suficiente para o cérebro parar e o coração bater desenfreadamente. É horrível... já expliquei, já falhei, já castigarei, já assustei, já ameacei e nada resultou e portanto não posso tirar os olhos dele em locais públicos nem deixá-lo afastar-se muito porque ele já corre mais que eu :(

    ResponderEliminar