segunda-feira, 27 de junho de 2016

Mãesura.

Nem acredito no impacto que isto tem no coração de alguém. Aos poucos tenho-me rendido a "isto" de ter fotografias tiradas por alguém que sente e vive fotografia. É daquelas profissões que toda a gente acha que consegue fazer "se tiver uma máquina", mas não é assim. Todos podemos divertir-nos com fotografia, todos podemos sacar uma "maravilhosa" fotografia com o telemóvel, mas a fotografia é mais do que uma fotografia. A fotografia é um juramento silencioso de apreciar a vida, recuada uns centímetros e muito mais devagar do que qualquer outra pessoa. 

O que sinto que há nestas fotografias é alguém que nos observa com um carinho enorme. Alguém que vibra por querer retratar o que me corre nas veias quando olho para a minha filha e as cores dela. 

Sinto que nos foi feita justiça. Que se vê a nossa ligação. 

Sofro de mãesura. Como sou eu que geralmente ando com a máquina, sou eu quem é cortada das fotografias da maior parte dos eventos especiais, dos momentos mais bonitos das memórias da minha filha. 

O nosso coração bate nestas fotografias. Daqui a muitos anos, quando a Irene se quiser recordar da mãe, quero que ela oiça a música que estão nelas, porque é aquela que nos faz dançar todos os dias desde que nos apaixonamos uma pela outra. 
























Fotografia por Inês Ferraz - Yellow Savages (site aqui)
Macacões - Little Jack 
Local - Lx Factory


Sigam-me no instagram aqui @JoanaGama
e a nós aqui @aMãeéquesabe

domingo, 26 de junho de 2016

Xô daqui, cólicas!


A Isabel foi um recém-nascido calminho. Os amigos até diziam que nunca a ouviam chorar e a Joana Gama chegou mesmo a dizer que ela chorava em mute. Mas recordo-me de nem sempre ser assim. Tenho uma imagem do David, meio desesperado, a andar com ela de um lado para o outro nos corredores da casa, como se estivesse a desfilar. Era, às vezes, a única maneira dela se acalmar e parar de chorar. Lembro-me de uma noite em que desatei também eu a chorar, por já não saber o que fazer. Vi-a inconsolável: nem o colinho, nem o som da minha voz, nem o swaddling, nem o white noise a ajudavam. Sofreu um pouco de cólicas nos primeiros tempos, se não me falha a memória até aos 3 meses. É normal, o sistema digestivo está muito imaturo. Por mais que eu tentasse ter cuidado com o que comia (há listas por todo o lado com os alimentos mais propensos a provocar-lhes cólicas), não vi nunca grande correlação. Agora sei que muito provavelmente, muitas das vezes, não seriam bem cólicas, mas ela a expressar-se, a comunicar, e que aquela manifestação de sofrimento – mais ao final do dia – seria a forma dela libertar o stress dos estímulos visuais e sonoros do dia. Eles são tão pequeninos que precisam muito de estar ao nosso colo, até para a temperatura se auto-regular. O nascimento deve ser um choque e tanto...

No entanto, havia dias em que não tínhamos grandes dúvidas de que seriam cólicas. Se agora com a Luisinha voltarmos a passar pelo mesmo, já tenho uma listinha de coisas a pôr em prática [além de já estar com mais estaleca e estar menos ansiosa]:

- na amamentação, há que corrigir a pega, de forma a que não entre ar desnecessariamente

- fazer massagens circulares e ginástica com as perninhas, tipo bicicleta (ajudava imenso a Isabel a soltar os puns)

- muito mimo e muito colo, pô-la mais vezes na postura vertical, coladinha a nós e fazer pele com pele, ou colocá-la de bruços, com a barriga pousada no meu braço

- usar mais vezes o sling/ pano elástico (vai ser como estar de novo na minha barriga e ali a ouvir bem perto o coração da mãe)

- fazer muito swaddling

- usar white noise (era incrível como aquele som, que remetia para o tempo no útero acalmava a Isabel)

- metê-la numa banheira shantala (nunca experimentei com a Isabel, mas desta vez tenho mesmo muita curiosidade)

- usar aqueles saquinhos de sementes que se aquecem no micro-ondas

Se nada disto for suficiente (muitas vezes não é...), irei pedir novamente instruções à pediatra, de forma a que me aconselhe um probiótico. Deverei usar o Bivos, em gotas, que é dos mais estudados em todo o mundo e dos mais recomendados nas cólicas e diarreia dos bebés.


Como não sou médica nem trabalho na área da saúde - nem os nossos filhos são todos iguais - o que vos recomendo são apenas as minhas experiências e truques. Por isso, caso estejam nesta luta contras as malfadadas cólicas, aconselhem-se com o pediatra dos vossos filhos, antes de administrar o que quer que seja, além do leite materno. E, já sabem, muita calma nessa hora! Uma certeza vos dou: vai passar!


Isabelinha com 10 dias

Se tiverem mais dicas, apitem.


*post escrito em parceria com a agência de comunicação

O primeiro passeio das manas

Foi o nosso primeiro passeio. Acordámos, como sempre, com as galinhas (a Luísa não, claro, que ainda sabe o que é bom - dormir!!!). Depois do pequeno-almoço e de fazermos umas tarefinhas em casa (ajudou a mãe a estender a roupa e a Dulce a aspirar), vestimos-lhes uma "roupa de domingo" e lá fomos nós mostrar Santarém à Luisinha.
Deve ter adorado os 2 minutos em que esteve acordada. Foi curto, mas intenso, e até deixou marca por onde passou. Já explico.

Pontos altos do passeio:

Isabel - ter andado atrás dos pombos

Mãe - ter comido um pampilho da Bijou

Luísa - ter feito um cocó daqueles potentes que chegou até ao ovinho


O que fazem com esta informação? Aaaaaaaa... este é um blogue de maternidade pouco convencional e já deviam saber que gostamos de vos pôr a par de tudo. Tudo é tudo. ;)

Vamos então às fotos queridas.














Vestido e fofo - Jasmimgirls (uma marca nova com peças lindas!)


Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também;) @JoanaPaixaoBras

sábado, 25 de junho de 2016

Um sítio escondido para uma tarde perfeita.

Nunca tive tanta vontade de conhecer sítios bonitos como agora que tenho a Irene. Acho que já fui mais vezes ao jardim desde que ela nasceu do que durante toda a minha vida. Até à praia vou e não era especialmente o meu plano preferido... 

Os filhos fazem com que voltemos a dar importância aos pormenores (achar piada a ver formigas no chão, por exemplo), mas também com que voltemos a ter vontade de inovar, descobrir, planear coisas boas e bonitas para fazer. 

A tarde foi da Irene como, aliás, costuma ser. E quando é da Irene é de todos. 

Não sabia que existiam borboletários. Sabia que ela se iria passar. Passei-me eu que me comovi assim que entrámos (tinha medo que não houvesse tantas borboletas assim) por saber que seria uma memória incrível (confesso que é uma das minhas prioridades). 

E se ela se lembra das coisas. Ainda ontem de manhã me pediu um brinquedo que já não o via há mais de 3 meses (gosto de ir renovando os brinquedos, trocando-os). 

Tive um momento Joana Paixão Brás: comprei um macacão em saldos e comecei a imaginar tudo o resto para umas fotos. Ela tem o dom de conseguir visualizar coisas e de planear coisas deste género -  eu não tenho. Porém, consegui mais ou menos. Imaginei o macacão com o baton vermelho e depois pensei numa cor bonita e contrastante para a Irene em relação ao verde do jardim e à minha indumentária. Fiquei toda satisfeita até a minha mãe me ter dito que parecemos a bandeira da Espanha... Oh well! 













































Macacão mãe - Saldos Zara
Macacão filha - Prenda da tia Pi no aniversário da Irene (Zara)
Lancheira - Imaginarium
Fita - Era o que vinha a embalar um macacão da Little Jack que vos vou mostrar depois. 


Sigam-me no instagram aqui @JoanaGama
Sigam-nos também em @aMãeéquesabe.

a Mãe gosta! (#02)

Depois do sucesso do primeiro "a Mãe gosta!", cá vem o segundo (boa, Joana, até a tua filha Isabel faria uma melhor construção frásica e... menos óbvia!). Fico mesmo feliz - e um bocadinho orgulhosa, vá - por saber que muita gente tem curiosidade em conhecer os nossos gostos e saber que escolhas faríamos numa loja, como se a nossa opinião importasse para alguma coisa. Obrigada por me ouvirem (já que ultimamente nem a minha "mai velha" liga patavina ao que eu digo).

Fiquei a conhecer a Lolla Kids no babyshower da Luisinha, fui espreitar o site e gostei bastante da selecção de marcas, com coisas muito fora do vulgar, e da variedade de produtos - desde decoração, a vestuário, a adereços para bebé e para adolescente - que por lá podemos encontrar.


1. Tutus e vestidos Angel’s face
2. Ténis para escrever Mr. Monkies
3. Saco de brinquedos Flamingo Play&Go (Edição limitada)
4. Patinho de borracha da Bambam (temos este!)
5. Conjunto bailarina da Powell Craft (Camisa + Cueca e Chapéu)
6. Calções de banho para rapaz Billybandit
7. Fofo Aden&Anais 
8. Roupa de rapaz Billybandit
9. Malinha mini-dressing

Agora que tenho andado mais por casa, fiquei pró em compras online (pena os hipermercados não virem aqui trazer a casa...) mas caso prefiram ver as peças com os vossos próprios olhinhos e apalpá-las bem, a loja física é em Campo de Ourique, em Lisboa. E para irem seguindo as novidades pelo Facebook, é aqui.