Mostrar mensagens com a etiqueta música. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta música. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 7 de março de 2017

Menina, menina...

#isabelfofadamae

Adora ouvir-me cantar, mas às vezes já me pede "não canta, mãe!" :) Não é o caso. Quando subiu até ao escorrega cá de casa, lembrou-se da música que me costumava pedir para cantar ali.


Ainda se lembram deste vídeo, há um ano? <3

Um vídeo publicado por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a




Está esta piolha prestes a fazer 3 anos. Meu Deus...
............
............
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

domingo, 3 de julho de 2016

Ajudem-me: a Irene precisa de amigos!

A Irene é super super feliz aos sábados de manhã (espero que nos outros dias também, claro, mas aos sábados em particular é uma loucura). Já há mais de um ano (não sei há quanto tempo, sinceramente) que está inscrita na Academia de Música Improviso em Oeiras.  É mesmo um estabelecimento de ensino que leva a música a sério. Há aulas, testes, meninos a levarem os instrumentos atrás, outros só levam as baquetas...

Não percebo muito de música e de estabelecimentos de ensino de música, mas sinto que é uma espécie de conservatório para as crianças (na volta também há adultos, eu é que não vi). 

Um dos motivos que me levou a pô-la na aula de música foi o gosto incrível que ela tem por ritmos desde pequenina. Desde os 5 meses que dança, achamos que devíamos explorar isso. Principalmente sendo a Irene uma "criança de casa", senti mesmo a necessidade de ter uma actividade especial para ela. O que me leva ao segundo motivo. 

Outro dos motivos: para a Irene estar com outras crianças. Neste momento a aula da Irene só tem a Irene como aluna (deve ser da hora não dar jeito a muita gente) - a aula a seguir tem mais alunos - e, apesar de ser sempre muito divertido, acho que seria ainda mais para a Irene se tivesse amiguinhos lá. 

A verdade é que a professora Carla é... maravilhosa. E acho que deve ser partilhada por mais crianças. Mais bebés - como quando a Irene entrou - têm de conhecer as músicas, as coreografias, os instrumentos musicais. E, nestas idades, sempre acompanhados pelos pais. 

Algum amigo que se queira juntar às aulas da Irene aos sábados de manhã às 9h30? 

Digam ao Sérgio que vão da minha parte ;)




















domingo, 10 de abril de 2016

Sónia Araújo, temos de ter uma conversinha...

A minha filha está completamente viciada nas tuas músicas. É que adora. Há uns meses não achava grande piada, preferia o Panda e os Caricas e depois, a léguas de distância, a Xana Toc Toc. Mas agora, Sóninha, a Isabel é vidrada em ti. E o que é que isso tem de mal? Nada. As músicas são giras, os videoclips estão engraçados, o conceito é giro.  


O problema não é a Isabel, Sóninha. O problema é que o pai da Isabel também gosta muito. Principalmente da música da Professora... nunca o vi tão interessado a dançar e a cantar ao lado da filha.

Ora, eu acho-te uma rapariga talentosa. Sim, rapariga, que por mais que os anos passem, continuas igualzinha àquela apresentadora linda que eu conheci quando tinha uns 12 anos, de raspão, numa vez que fui ao Porto com os Onda Choc. Estávamos a vestir-nos para atuar no Praça da Alegria, passaste no camarim e cumprimentaste-nos com um sorriso enorme, verdadeiro, e uma simpatia daquelas que não se compra em lado algum.

É impossível não se gostar de ti. És querida, simples, linda de morrer. Danças que te fartas e, como se tudo isso não bastasse, ainda vens provar que consegues conquistar os miúdos com canções. Não sei se com ajuda do autotune, mas isso pouco interessa, porque a coisa resulta. E nem és calorenta como a Lucy, que no programa de sábado de manhã incendiava as televisões. Mas - bolas! - até de bigode ficas gira. Que raiva! 

Não posso, por isso, permitir que continues com essa coisa das profissões. Por isso, aguarda um abaixo-assinado em que me unirei às mães deste país e em que ficará estabelecido que só poderás cantar as músicas das seguintes profissões:

- freira (mas nada daquelas fatiotas do carnaval com ligas e soutiens marotos)

- nazarena (vou estar de olho nas sete saias, nem uma a menos)

e lutadora de sumo (nada de tanga, mas sim escondidinha num fato gigante insuflado).

Estamos conversadas? :)


Nota: Este texto contém exagero, humor e muita parvoíce. 



Sigam-nos no instagram @aMaeequesabe
E a mim também;) @JoanaPaixaoBras

quarta-feira, 9 de março de 2016

É a loucuuuuuura!


Qual Bieber, qual Ana Moura, qual quê! Coloridos! É isto que anda na minha cabeça todo o santo dia! A Isabel adora esta música e já sabe partes de cor. O maior sucesso! E até podia dizer que já ando fartinha, mas a verdade é que ADORO! 

Daqui a umas semanas vou penitenciar-me por isto! 

E vocês, conhecem? Não vos dá vontade de sambar? Não dá um óptimo astral? Ou estou a endoidecer (bem possível)?


sexta-feira, 12 de fevereiro de 2016

Melhor compra dos últimos tempos.

Nós crescemos com rádios no quarto, não foi? Ou, então, com os restos da aparelhagem dos nossos pais que eles já não usavam... ou ainda aqueles panelões que davam para por um cd e eram altamente portáteis, os rádios de praia...
Quando dei por mim, a Irene pertence a uma geração que não tem nada disso. Que, para ouvir música, tem que a ver também (youtubes e afins). Assim não dança tanto, não faz aqueles videoclips imbecis que nós fazíamos a cantar ao espelho com uma escova de cabelo na mão. Não sou particularmente saudosista, mas a Irene tinha de ter música no quarto. E agora tem.

Agora quando acaba de tomar banho ouvimos "Não há estrelas no céu" ou "Solta-se um beijo" ou "Balancé" ou os D.A.M.A com as músicas que ela apanhou na rádio e não deixou de as cantar. Dança nua em frente ao espelho, cantamos as duas enquanto a visto no trocador ou fazemos brincadeiras na cama com o ritmo...

Tudo isto com uma coluna de meia leca que comprei na FNAC a menos de 30 euros. Ligo por bluetooth (aquela palavra que nos cuspimos todas a dizer) o meu telemóvel, fica no móvel lá em cima e os minutos da música são nossos, para ver outra coisa que não sempre a mesma porcaria de vídeos. 



Comprei também um adaptador para a coluna ficar ligada à tomada e não a um computador quando precisasse de carregar. Excelente compra. Sim, estou a dar-me uma palmadinha nas costas. 

Vocês têm música no quarto deles?