terça-feira, 29 de novembro de 2016

Os dois cabelos que me sobram... estão giros!

Pós-parto. Não era suficiente tudo aquilo por que passamos. A injecção de hormonas, os choros difíceis de decifrar, as mazelas físicas, o corpo que demora a ir ao sítio, o sono, as dificuldades na amamentação, as fomes incontroláveis... e ainda nos cai o cabelo todo. Mas, já sei pela experiência no primeiro pós-parto, ele volta a nascer. Enquanto o meu não está de volta (mas já começo a ter penugem pronta a disparar por todos os poros, o que é excelente), resolvi cuidar do que resta.
Seis meses e tal depois, voltei ao Cut by Kate. Em primeiro lugar, o Patrick mostrou-me o meu cabelo aumentado 250 vezes e pude perceber melhor em que estado estavam os meus dois cabelos. Aproveitei para fazer madeixas, fiz uma hidratação e escadeei um bocadinho (ando a gostar de me ver com o cabelo mais comprido e vou manter assim uns tempos). Tive a melhor das companhias: a Luísa portou-se muito, muito bem (e recebeu colinho de toda a gente) e ainda consegui fazer as unhas com um novo método que eu desconhecia da Shellac - CND, em que não é preciso fazer limagem nas unhas para o remover. Escolhi cinzento: não foi consensual lá em casa, mas eu gostei muito! (E a Isabel pediu igual, coisa querida).


Uma foto publicada por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a



Uma foto publicada por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a



Uma foto publicada por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a


Um vídeo publicado por Joana Paixão Brás (@joanapaixaobras) a

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.

8 comentários:

  1. Sei que não foi intencional mas o que diz magoa a quem sofre realmente com a queda e perda de cabelo (verdadeiramente) pois obviamente apesar de lhe ter caído cabelo não é um problema como tantas mulheres enfrentam e essas sim com dois cabelos. Eu luto contra a alopecia já há 8 anos e quando tive a minha filhota piorou tanto que tive falhas na parte da frente do cabelo. Todos os dias são uma luta à frente do espelho e nunca mais tive a tranquilidade de ir ao cabeleireiro sem me preocupar com o que vão pensar e de ter outras mulheres a olhar para o meu cabelo. É muito complicado acredite...mais uma vez sei que não o fez por mal mas a mim particularmente deixou me triste e consciente (mais uma vez) do meu problema.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. E eu que tenho câncer e não sei se irei sobreviver, fiquei particularmente triste com o seu comentário, a queixar-se de algo que apesar de chato, não a obriga a internamentos constantes nem lhe tira a vida. Como vê, ficarmos tristes por termos problemas maiores do que os outros e não deixarmos que eles se queixem dos seus, é um exercício sempre relativo!
      Espero que não leve a mal este comentário, mas queria que aprendesse a passar por cima do seu problema sem ter comparações com os outros. Não vale mesmo a pena! Os outros não têm a culpa! Força!

      Eliminar
    2. Sim, nada intencional como deve imaginar! Brincar com a situação foi a minha forma de desdramatizar, até porque felizmente o cabelo voltará a nascer. Um beijinho e espero que encontre solução para o seu problema e paz de espírito. <3fb Quanto ao anónimo das 08:49 muita força, vai ver que vai superar! Um beijinho!!!

      Eliminar
    3. Desdramatizar um problema que não tem..lá está a si voltará a crescer mas a muitas mulheres não. Acho que não entendeu o post. Um pouco desiludida com a sua resposta mas não se pode ter sensibilidade para tudo. Um beijinho para si também

      Eliminar
    4. Anonimo das 08:49 força...muita força...a esperança deve ser uma constante e a força de vontade é meio caminho andado. Um beijinho e tudo de bom

      Eliminar
    5. Anónimo das 18h03, fiquei sensível ao seu problema mas não lhe vou pedir desculpa por me estar a queixar do meu pseudo-problema. Lamento por si, mas não retiro o que escrevi, nem posso controlar e pensar em todas as sensibilidades do mundo. Acho que o comentário do anónimo que tem cancro também acaba por relativizar o seu... e eu entendi onde ele quis chegar. Há sempre alguém pior do que nós, em qualquer "queixume" que possamos fazer. Claro que o meu problema é um não problema, mas ainda hoje li uma mãe a queixar-se do mesmo num grupo do FB... Vou criticá-la? Não, é o problema dela e ela gere-o e desabafa da maneira que quiser!
      Volto repetir, espero que encontre solução para o seu e paz de espírito se não encontrar, de alguma forma. um beijinho e sinta-se abraçada

      Eliminar
  2. Obrigada pela sua resposta... E nunca lhe pedi para pedir desculpa.So achei que a sua resposta ao meu comentário tinha sido um pouco "fria" tal como achei a parte do "não vou pedir desculpa" igualmente fria. Mas não tem de o fazer claro. E claro que havemos sempre de nos queixar e todos têm o direito de o fazer mas já que as suas queixas e desabafos são públicos é impossível não afectar de alguma forma quem os lê. Foi só isso que lhe quis transmitir. E não veja os meus comentários como agressivos pois não o são. Acho que os interpretou mal desde o início...nunca lhe disse nada com má intenção,pelo contrário,foi apenas e tão só também um queixume meu e um desabafo. E nem costumo comentar nada...bem de qualquer forma tudo de bom para si e para as meninas que são lindas.
    Um beijinho para si tbem e um abraço

    ResponderEliminar
  3. Quero deixar aqui as minhas desculpas pelos comentários anteriores...estava numa fase má e de revolta interior. E entendi tudo o que me escreveram...mas só depois. Claro que todos temos direito a queixar-nos...seja do que for. E ninguém tem culpa de como nos sentimos nem da dor que temos. Desculpe Joana e obrigada anónimo das 08h49 pois abriu-me os olhos para a minha atitude egoísta. As minhas sinceras desculpas e acho que agora sim vou conseguir alcançar a paz de espírito que já há algum tempo procuro. Um beijinho

    ResponderEliminar