sábado, 5 de novembro de 2016

Amamentar é isto...

Ainda antes de estar grávida da Isabel sabia que havia de amamentar. Estava longe de ser mãe mas já sabia, no meu íntimo, que havia de querer construir essa ligação com o meu bebé. Mal sabia eu que, nos primeiros tempos, não me seria natural e que me custaria tanto. Desistir passou-me pela cabeça mil vezes no primeiro mês. Mas logo a seguir lembrava-me da imagem da minha mãe a amamentar-me na praia ao pôr do sol, com um ano e tal, memória que não tenho mas que as fotografias ajudaram a recriar. Eu adoraria consegui-lo, não só pelas vantagens já conhecidas, mas porque sempre achei aquilo bonito, especial. 


Durante um mês sofri bastante, tinha dores e pouca ajuda. Valeu-me o apoio moral do David e da minha mãe, que me prometeu que as dores passariam (também me disse que a escolha seria sempre minha). Ela tinha razão. Passaram e então vi e senti o quão especial era aquilo. A Isabel desmamou quando teve pneumonia com 9 meses e meio, rezei para que fosse um falso desmame e ainda tentei reverter mas já não consegui. Acabou uma bonita história, sem culpas.  Escrevi sobre isso aqui. Mas prometi a mim mesma que correria melhor num segundo filho. Correu. Está a correr muito, muito melhor. Apesar de ter sido um bocadinho doloroso no início novamente, principalmente com a subida do leite, nunca me coloquei pressões de aumentos de peso, não dei aso a confusões de tetinas, dei mama mais e mais vezes e pedi ajuda à CAM Patrícia Paiva, o meu porto de abrigo, sempre que tinha dúvidas (ela está agora no projecto Amamenta Setúbal, para quem precisar, aconselho!).

Amamentar para mim é muito, muito importante, faz-me bem, faz-me feliz. Seria igualmente boa mãe se não amamentasse, disso não tenho dúvidas, mas gosto muito desse nosso momento de namoro indizível. Até quando? Desta vez espero que até (bem) mais tarde, até ambas querermos e até que isto nos faça bem às duas. Adoraria conseguir fazer um desmame natural. Mas logo se vê. Acho que se não pusermos pressão nem fizermos grandes previsões, tudo correrá melhor. É deixar fluir. É irmos sendo felizes. 

Sigam-me no instagram@JoanaPaixaoBras
E o @aMaeequesabe também ;)


22 comentários:

  1. Nunca pensei muito na questão amamentação...achei que era uma coisa natural...e foi! Doeu muito o primeiro mês! A vontade era desistir...mas como diz a joana depois da dor vem o prazer de alimentar a nossa "cria"!so peso a minha filha nas consultas! Dr Mario cordeiro disse mãe bochecha, duplo queixo e pernoca a encher e nada de balanças semanalmente! Minha bebê fez 6 meses esta semana...vamos começar a alimentação complementar, e eu estava tão bem só a amamentar...!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É um bocado o que eu sinto: é tão prático (e bom) ser só mama que nem sinto vontade de introduzir aos seis 😃

      Eliminar
    2. Eu também amamentei três até aos seis meses e quando deixei foi um alivio uma libertação. Nunca tive dores nem sei o que é a subida do leite. Saudades nenhumas.

      Eliminar
  2. Como funciona a amamenta Setúbal? Quais os custos? Amamentei em exclusivo até aos 4 mese mas, com muita pena minha, tivemos que iniciar a diversificação alimentar porque o aumento de peso foi muito diminuto. Regresso ao trabalho em breve e gostava de continuar a amamentar. Obrigada!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Contacte a Patrícia ou a Mariana que elas podem ajudar de diversas formas!
      Notou já que recuperou peso com a introdução alimentar? A Isabel começou a comer com 5 e tal e não houve qualquer aumento substancial, ou seja, ela continuou na linha de percentil para a qual tinha descido, era dela!! Até hoje sempre se manteve ali entre o 25/50, quando nasceu no 75... de nada valeu ter introduzido antes! 😉

      Eliminar
    2. Obrigada pela ajuda joana. Vamos em breve à consulta para o pesar. Infelizmente quando o pediatra se decediu pela introdução alimentar o Gui estava no percentil 5 😕. Obrigada pela ajuda e parabéns pelo blog

      Eliminar
  3. Adorei a foto! Infelizmente em Portugal as mulheres são convencidas que não tem leite (biologicamente não ter leite não e possível!) e os pediatras também são muito em favor do suplemento. Ha muito falta da educação e informação, assim que muitas mulheres infelizmente desiste. E sim, eu amamentei ate o meu filho ter 18 meses e se não eu ter ficado doente, continuava ate as dois anos certamente!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pena, pena é a ignorância e desinformação dessas mulheres que depois, ao mínimo comentário de quem amamenta, vêm logo, qual velhas de Restelo, opinar sobre o nosso leite fraco ou em pouca quantidade, ou whatever. Quanto aos pediatras, acho que isso se verificava mais na geração dos nossos pais (deve ter sido pressão do lobby das farmacêuticas...). Agora parecem-me mais pró-amamentação :)

      Eliminar
  4. Sempre quis amamentar, não punha outra opção. Quando estava no fim da gravidez comecei a ler livros e testemunhos de como era complicado. Nunca pensei que o fosse. Pensei que fosse como respirar. Por o bebé na mama e ja está. Não foi, e as dorea foram horriveis. O meu peito parecia que ia explodir e ele nao queria mamar, nao conseguia. Comecei a tirar com a bomba e a dar lhe. Habituou se ao biberão e ja não queria o peito. E eu ja nao produzia o suficiente e tive que lhe dar suplemento. Fiquei tao triste. Chorei mas sempre insisti. Aos 3 meses e meio, bebeu o seu ultimo biberão. Hoje, quase a fazer 6meses, é um viciado na mama!!!! Tem 8,500kg, 67cm e mama em exclusivo. Foi uma vitória e orgulho me de ter conseguido. Espero continuar a amamentar por muito muito tempo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fiquei curiosa: como deu o salto de ele estar habituado ao biberão para estar a dar-lhe mama em exclusivo agora?
      Como tenho partilhado no blog A Mulher do 31 nao o amamento em exclusivo... mas gostava. Também usei muito a bomba, mas para estimular a produção.

      Eliminar
    2. Eu tb não consegui amamentar em exclusivo mas com os mamilos de silicone o meu segundo agarrava mt bem o peito.

      Eliminar
    3. Wow isso foi uma vitória. Estou a fazer mistura de mamar e eu tirar c a bomba, queria que ela ficasse só c mama de novo, mas c ela a perde peso tenho de tirar c a bomba para garantir que ela come, mas o meu fluxo de leite está a diminuir

      Eliminar
    4. Uau! Adoro estas histórias inspiradoras que dão garra às mamãs para continuar! Obrigada pela partilha! 😊
      MissLilly já pôs a hipótese de dar com sonda ao mesmo tempo que ela mama? Muita maminha para a produção continuar!! Beijinhos a todas!

      Eliminar
  5. Boa noite Joana. Eu amamentei enquanto pude. Fui persistente e só amamentei graças à estimulação da bomba medela (sem querer fazer publicidade), e sim... doeu! Bebé prematuro de 31 semanas, primeiro internado sem saber mamar e depois ainda muito pequenino para não adormecer a mamar! Suplementava a mamada com leite materno e com esforço para o acordar. Só consegui que o leite materno fosse exclusivo cerca de 1 semana, havia sempre 1 mamada em que já não chegava e fazia leite adaptado. Consegui até o meu filhote fazer 3 meses, só 1 mamada de leite adaptado. Depois deixou de querer a mama e foi aumentando as mamadas de leite adaptado, e eu fui conseguindo extrair cada vez menos, até deixar de ter aos 4 meses. Está enorme e lindo, nós estamos muito felizes, e eu estou orgulhosa do meu esforço.
    Teria sido óptimo ainda amamentar, mas não foi possível. Ele cresce a olhos vistos e é feliz!
    Quero ter mais filhos, pelo menos mais 1, e sem pensar muito nisso acredito que irá ser uma gravidez de termo (não sei o que é a dor do parto ��) e que irei amamentar, com tudo o que lhe é inerente, até eu e o meu bebé querermos e estivermos bem, sem fazer disso uma cruzada ou por obrigação.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Vai ver que vai correr tão bem como me está a correr a mim desta vez!!! ❤️😘 Beijinhos

      Eliminar
  6. Antes de engravidar sempre achei que não ia querer amamentar, que seria estranho para mim. Não podia estar mais enganada!
    Com a minha primeira filha foi muito difícil no primeiro mês e meio (com muitas dores, mesmo muitas, feridas abertas durante mais de um mês e pouco aumento do peso da minha filha) mas depois mamou até aos 18 meses, altura em que deixou de querer mamar mais. Fiquei tão triste que parecia que ela estava a ir estudar para a universidade em outro continente.
    Com a minha segunda filha (agora com 4 meses) espero conseguir amamentar em exclusivo até aos 6 meses ( com a primeira foi até aos 4) e até ela querer. É uma sensação maravilhosa alimentar os nossos filhos desta forma. Mas que é difícil no início é.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também foi difícil no início da segunda? Beijinho 😘

      Eliminar
  7. Aqui tem sido difícil mas ainda n desisti. Tenho de tirar c a bomba e dar de garrafa para garantir que ela come porque perdeu peso. Depois ela fica mto agitada a comer, provavelmente pcausa das dores do refluxo. Maa sempre que a tenho calma no meu peito fico muito feliz. E uma ligação que não da para explicar

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também andei com a Luisa super impaciente na mama durante bastante tempo (já com a Isabel tinha acontecido...) mas depois passa! Nunca percebi no meu caso o que era e às vezes só acalmava a dar mama de pé de um lado para o outro! Muita foooorça! Pode ser que ainda consiga dar só maminha! Peça ajuda!! Beijinho grande

      Eliminar
  8. Olá Isabel,
    Tal como tu sempre soube que quereria amamentar, mesmo antes de ser mãe, e amamentei�� Queria amamentar até a minha filha não querer mais, mas infelizmente, uma grande infecção numa das minhas mamocas( com direito a abcesso e punção do mesmo) ditou o final com pouco mais de sete meses!
    Tinha tanto mas tanto leite, que amamentava em exclusivo e ainda tirava leite com bomba para a minha bebe levar para a creche, e...... tinha leite congelado, que lhe fui dando de cada vez que ela ficava doente!
    Se calhar é só pancada minha, mas achava que a minha filha se sentia melhor quando Bebia leitinho do meu!
    Segundo a minha mãe conta, eu mamei até aos 3 anos! Não para matar a fome mas como aconchego, ainda hoje com trinta, consigo sentir o cheiro da minha mãe quando ela chegava do trabalho e eu me punha de joelhos na cama dela de frente para ela a mamar�� Eu tenho essa memória comigo, não só porque mo disseram, mas também porque me lembro de forma clara!
    Espero que daqui a 30 anos a Luisinha tenha uma memória parecida ����
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  9. Amei o texto, amei a foto! Sou mãe de primeira viagem, a minha bebé completa 3meses daqui a uma semana e meia, e estamos com amamentação em exclusivo. Sendo eu uma novata no assunto, fiz um pacto com a minha bebé poucas horas depois de nascer: tínhamos de conseguir tornar a amamentação um sucesso. Felizmente assim o é. Eu também precisava da amamentação emocionalmente falando, porque não tive/senti uma ligação imediata à minha bebé, adorei a minha gravidez, adorei senti-la dentro de mim, tínhamos uma ligação. Ela nasceu e senti-me novamente "sozinha", já não éramos aquela unidade, ficámos separadas... e a amamentação deu-me novamente essa ligação, esse sentimento de unidade, e aquele olhar dela é a prova disso e eu amo esse sentimento.

    Beijinhos

    ResponderEliminar