sábado, 12 de novembro de 2016

Eu sou o Marcelo só que ninguém sabe (#03)


Ando sempre à procura de livros "fora" para a Irene. Visto que ainda não está na idade de conseguir prestar atenção às coisas durante muito tempo e gostaria muito que ficasse amiga dos livros, este foi mais um que não me poderia escapar. Sim, é para mais de 3 anos e ela ainda só tem 2 e meio, mas nem sabem o que aconteceu.

Tento dosear as novidades. Posso ter uns 10 livros para estrear no mesmo dia, mas vou pontuando quando lhos ofereço ou lhes conto as histórias. Este livro ficou perdido pela sala de jantar. Num destes sábados (ou domingos, não sei), a Irene ficou a fazer a sesta com os avós enquanto fomos almoçar. 

Quando voltamos a avó, assim que teve oportunidade, com os seus olhos que sorriem mais do que 20 bocas juntas quando estão felizes, disse-nos "aquele livro das mãos é mesmo muito giro". Ainda tinham estado pouco tempo juntas. Menos de uma hora  e ainda com tempo de fazer piquenique pelo meio (estender um cobertor no chão e comerem pão com manteiga, sendo que é a Irene a barrar no pão dela) e já tinham ido direitinhas àquele livro. Ambas as meninas gostaram. A Avó ficou surpreendida por ser tão giro e a Irene adorou aquele momento com a avó e em que, além de ter começado a olhar para as mãos de outra maneira, teve um estímulo enorme para ver as coisas "para além do que parecem". 

As próprias mãos podem ser um brinquedo para horas, sendo elefantes, girafas...




Foi um livro que se tornou num abraço entre avó e neta e também numa descoberta criativa das suas próprias mãos. Afinal, a Irene está sempre acompanhada de coelhinhos, elefantes, cães e sapos... basta querer que eles aparecem. 

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui
O nosso canal de youtube é este

9 comentários:

  1. Já pensou que só arranja livros para a Irene que apelem para tudo menos para a leitura? Não me parece grande política... mas isso sou eu... um anónimo que só diz mal mas que até tem dois filhos que adoram ler...

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Para criar numa criança de 2 anos e meio o gosto por livros e mais tarde pela leitura, não é necessariamente obrigatório apresentar-lhe livros com letras... O que a Joana faz chama-se estimular a irena no contacto com os livros, mesmo que não sirvam para ler, e é tão importante como livros com muitas histórias! Cada mãe /pai educa à sua maneira e usa as ferramentas que lhe parecem mais adequadas.
      Mas isto sou eu, uma anónima que achas que neste mundo cabemos todos, mesmo com opiniões diferentes!

      Vanda

      Eliminar
    2. Deve depender da idade dos filhos e das personalidades :) Eu gosto de acreditar que existem milhares de variáveis e que, se ignorarmos a maior parte delas, as nossas opiniões poderão parecer preconceituosas ou só totós. Fico é mesmo muito contente pelos seus filhos adorarem ler. Quero muito que a Irene goste. Nem que seja como a mãe que gosta mais de ler livros técnicos que outra coisa.

      Eliminar
    3. Trabalho numa Livraria, desde sempre que a minha filha leva com livros, livros ao deitar, no carro e em todo lado. Agora com 12 anos quer lá saber de livros. Eu, que em criança, raramente tive contacto com livros sempre gostei de ter livros e adoro ler... o gosto pela leitura dependo muito de cada pessoa e momento da vida.

      Elisabete

      Eliminar
  2. Adorei a ideia do livro! Onde encontrou? Seria uma prenda espetacular para o piolho cá de casa visto que adora pintar e desenhar as mãos dele ��������

    ResponderEliminar
  3. Joana, onde podemos encontrar esse livro? Parece-me uma ótima ferramenta para os incentivar a contarem as suas próprias histórias!..

    ResponderEliminar
  4. Adorei a ideia ;)
    https://www.wook.pt/livro/desenhar-com-as-maos-mila-editions/16248360
    http://www.fnac.pt/Desenhar-com-as-Maos-Maite-Balart/a863230
    http://www.bertrand.pt/ficha/desenhar-com-as-maos?id=16248360

    ResponderEliminar