Mostrar mensagens com a etiqueta rotina. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta rotina. Mostrar todas as mensagens

domingo, 9 de julho de 2017

Temos acordado às 6 da manhã e... temos adorado!

Depois de muito ter sofrido (3 anos a acordar mais de três vezes por noite) com o [não] dormir da Irene, acordo todos os dias muito feliz por ela já dormir noites seguidas e com o coração em todas vocês que andam tipo zombies durante o dia, sem poderem dar o vosso melhor em nada, sendo metade do que conseguem ser em tudo, apesar de saberem agora, mais do que nunca, o que é amar. 

Depois de, pela primeira vez nas nossas vidas, a Irene precisar que eu a acordasse para ir para a escola (leiam aqui), percebi que - a par de outras mudanças na nossa vida como, por exemplo, a minha separação do pai - ela não estava particularmente equilibrada com o deitar-se "mais tarde" e acordar "mais tarde" que o habitual. Voltei aos horários habituais. 

Deita-se agora por volta das 20h30 e tem acordado entre as 6 e as 7, o que tem sido fabuloso. Além de conseguir ter mais um tempinho para mim à noite (o que conta imenso, como vocês sabem), temos tempo de manhã, as duas, para fazermos tudo com calma e para vivermos tudo com mais prazer. 

Não há cá berros, nem "anda lá com isso", nem "a mãe já chamou", nem frustrações. Estamos as duas calmas e felizes (nem sempre, claro que há birras, mas passamos do 80 para o 8) e, por isso, praticamente tudo o que daria em conflito é negociado mais calmamente e criativamente. 

Consigo fazer ovos, panquecas, consigo cortar-lhe frutinha, estar com ela enquanto tomamos o pequeno-almoço, vesti-la com calma, fazer-lhe uma trança, lavar-lhe os dentes sem ter que a perseguir pela casa, preparar o lanche de manhã (menos uma coisa que tenho que fazer à noite) e até já tive tempo para passear pelo jardim de manhã, antes de ir para a escola. 

 




Esta é a rotina que eu prefiro. Apesar de ter de deixar a Irene meia hora mais tarde para não ter que assistir aos colegas mais velhos irem para a praia (ela é das mais novas da turma e este ano ainda não podia ir) e de isso me complicar a rotina do ginásio, começo o meu dia com o que me deixa mais feliz. É um privilégio (até tenho tempo para passar uma gilette nas pernas se me apetecer ir de vestido nesse dia e não estar a contar). 

Quanto a vocês, mães, que estão a passar pela tortura do sono: um dia vai passar. E vocês são as maiores! Quando a vossa vida voltar a ser vossa, farão tudo com uma perna às costas. Estou convosco!


Ler tudo o que já escrevemos no blog sobre "sono" aqui


Coisinhas giras: 




✩✩✩✩✩✩✩✩✩✩

Sigam-nos no instagram 
aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade. 


sexta-feira, 21 de outubro de 2016

Querem ser mais felizes?

Uma amiga disse-me que está provado que fazer bolinhas de sabão deixa as pessoas um pouco mais felizes. Vou investigar agora, só um segundo. Não encontrei nada sobre isso, mas faz sentido. Muito.

Às vezes estamos tão presas na nossa rotina e no desejo que temos de sermos super produtivas que sentimos que 15 minutos a menos é um descalabro. 15 minutos é pouco tempo ou muito, dependendo do que fizermos com ele. Se for bolinhas de sabão...


             


Aconselho vivamente. Se não for bolinhas de sabão ou se já não houver sol à hora em que forem buscar os vossos filhos, há de ser outra coisa qualquer. Quebrem!

                Sigam-me no instagram @JoanaGama e ao blog também @aMãeéqueSabe
Subscrevam-nos no youtube aqui ;)

sábado, 13 de fevereiro de 2016

Farta do costume.

Costumamos ir à casa dos avós em Oeiras, mas hoje apeteceu-me variar. Não que não gostemos de estar lá em casa até porque a Irene já tem a sua rotina e gosta de brincar com os dados do poker, os foleiros (nome carinhoso que dei à colecção de cinzeiros de Vista Alegre da minha mãe), a bola de pilates lá em cima, etc. 
Porém, para se construírem memórias, é preciso irem variando os sítios e lá fui eu à procura de um sítio giro em Oeiras para se lanchar. Há alguns, é verdade, mas na aplicação que uso só havia as pastelarias tradicionais ou esta. Pareceu-me a minha onda e era. Uma loja que tem azulejos de talho, mas que foi pensada para ser o mais acolhedora possível. Tem livros, tem uma estante, os bolos estão espalhados pela loja como se fosse um lanche de amigos e realmente pudéssemos servir-nos à vontade. Havia mesmo livros e giros. Assim que a Irene chegou, a senhora foi toda empolgada buscar-lhe um muito giro. A Irene borrifou para ele porque a avó estava a usar baton ou porque a torrada chegou à mesa ou porque...

É o Chá com Livros em Oeiras. Comi dois scones maravilhosos, a minha mãe comeu uma tarte de amêndoa (uma fatia, que não é lambona), o João já não me lembro e trouxe glacé para casa para o Frederico, um cheesecake americano e mais uma fatia da tarde de amêndoa. Bebemos um chá maravilhoso que tinha mais de 14 componentes. 

Infelizmente o meu irmão Pedro não pode ir porque se lesionou no treino de futebol, mas depois fomos lá a casa dar-lhe um beijinho. Para a próxima a ver se passeamos mais. Querem dar-nos sugestões de sítios assim "fora" para ir em Oeiras com a família no próximo lanche? Gente que seja dona de cafés e pastelarias que queiram oferecer-nos um lanchinho, estejam à vontade que nunca digo que não a esse tipo de manifestação pública de afectos (não custa atirar para ver se cola). 

A Irene está a usar um casaco de rapaz que comprei na Zara. Senti-me toda rebelde e moderna ao comprar-lhe algo na secção de rapaz. Ai que malandra que sou.