Mostrar mensagens com a etiqueta parceria. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta parceria. Mostrar todas as mensagens

terça-feira, 3 de julho de 2018

Vamos encher-vos de protectores solares!


Se há coisa boa nisto de se ter um blogue é ter acesso aos melhores produtos. É, não vamos negá-lo. E, sempre que podemos, gostamos que também vocês tenham acesso ao que recebemos cá em casa. Neste caso, quando nos começámos a besuntar com a gama Anthelios da La Roche-Posay, de que a Gama já tão bem falou aqui (para criança) ou  aqui (para adulto), fizemos logo questão de fazer um A Mãe dá.



Esta é a gama solar mais recomendada pelos dermatologistas na Europa. Já tinha experimentado alguns cremes mas um creme solar com cor, para a minha pele cheia de manchas, nunca. Adorei! É este, o Anthelios Pigmentation - tem factor 50+ mas disfarça imenso as minhas marcas, além de que sinto a pele super hidratada (tem água termal). Naqueles dias em que estou mais vaidosa, pumbas.

Elas usam, caso vamos para o parque ou para a praia, ou caso saiba que vão estar mais expostas ao sol, tanto o pocket, como o spray, como o wet skin – que repele a água (eheh, inventam tudo) e que é maravilhoso de aplicar, zero pastoso e a pele absorve imediatamente.









E o que é que A Mãe dá desta vez, meus amores (gostam deste tratamento paternalista fofinho?)? A Mãe dá 5 kits (um termo beto para “cabazes”, no fundo) Anthelios com esperança de que, face a este início de Julho vergonhoso, vocês ainda não se tenham ido abastecer de solares. Mesmo que tenham, estes são mesmo, mesmo, mesmo muito bons: até a minha mãe, direta que só ela, disse que eram facílimos de espalhar (a minha mãe a elogiar alguma coisa, UAU, é mesmo de confiar na palavra dela).




- 2 kits (com 4 produtos cada) no nosso Facebook

- 3 kits (com 4 produtos cada) no nosso Instagram




Sim, podem participar em ambos, as vezes que quiserem. J


Só têm de seguir a La Roche-Posay nas repetivas redes, Facebook e no Instagram e, claro, a Mãe é Que sabe (mas isso já estava, certo?!!!) e identificar duas amigas. Fáciuuuuuu! Os vencedores serão revelados de hoje a 8, na caixa de comentários dos respectivos posts. Tudo entendido?




Vamos lá chamar o verão! Boa sorte!




E a fofura destas mãozinhas na minha cara?


*post escrito em parceria com a marca






Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:




terça-feira, 26 de junho de 2018

Estamos a começar o desfralde da Luísa


É engraçado como, mesmo tendo estado no mesmo forno e tendo os mesmos pais, elas são tão diferentes em tantas coisas. Também no desfralde me parece que vão ser. Por esta altura, a Isabel fazia cocó na sanita ou no penico (que usou pouco tempo) e já estava lançada no desfralde. A Luísa começa agora a ganhar interesse em ir à sanita fazer chichi mesmo que não faça nada (fez uma vez, fizemos uma festa com aplausos e tudo e deve ter ficado tão orgulhosa que agora vai lá imensas vezes). Mesmo não fazendo, o interesse já é óptimo, claro. E é giro ver o papel da irmã mais velha nas mais pequenas coisas e nas conversas que vão tendo. A irmã ensinou-a a subir para o banquinho e a virar-se ao “contáio” (sim, que a Luísa escalava a sanita e chegou a enfiar um pé lá dentro) e agora diz que já não precisa de redutor, tal como a irmã.

Começámos já a usar cueca-fralda durante o dia e vai à casa de banho sempre que pede. Na hora da brincadeira, também já limpa o rabinho do bebé ou das bonecas com as Kandoo (calma, que elas voltam para a caixa, nada se estraga): já sabe abrir e fechar a caixa na perfeição e aquelas mãos sapudinhas conseguem tirar as toalhitas uma a uma. Toalhitas essas que são descartáveis pela sanita!

A grande novidade cá em casa – mas que não posso ter à mão de semear, senão usavam até para limpar janelas - são as toalhitas Aquas que dão para qualquer fase e até para bem antes do desfralde: são excelentes, por exemplo, para recém-nascidos e têm 99% de água, sem qualquer tipo de perfume ou fragância. Basicamente são tão suaves que dão para qualquer parte do corpo e para qualquer idade (já experimentei para desmaquilhar e são óptimas) e ainda são biodegradáveis, também descartáveis pela sanita, o que é uma excelente notícia!

É tão bom vê-las a limparem a boca uma à outra e a terem momentos de grande cumplicidade, quando não estão a arrancar olhinhos. 😅 Vejam o vídeo:



E agora é esperar por ela e pelo verão para passarmos às cuecas. Que seja tudo sempre uma brincadeira, sem pressão. E com a irmã por perto, a ajudar.


*post escrito em parceria com a Kandoo





Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:

quarta-feira, 20 de junho de 2018

Lavar os dentes é uma festa!

Não tenho a melhor relação do mundo com dentes e dentistas. Ou não tinha. Já vos disse aqui, fiquei quase 4 anos sem ir a um dentista. Infelizmente, fiquei um bocado traumatizada com as extrações dos dentes do siso e nunca mais lá pus os pés, nem para tirar o último que tinha de ser retirado (sim, sim…) Claro que deu asneira e estou a desvitalizar um dente.

Não quero que as minhas filhas tenham a relação que eu tive com os dentes e com os dentistas. Comecei desde cedo a lavar-lhes a boca – à Isabel ainda comprei uma daquelas dedeiras de silicone, quando lhe nasceu o primeiro dente, com 9 meses. Com a Luísa já passava compressas molhadas com água, ainda ela não tinha dentes. Assim que começaram a ter curiosidade em agarrar a escova e em imitar-nos, passei-lhes as escovas para a mão. No caso da Isabel, sempre foi fácil, no fim da lavagem, dar “uma de mão”, ou seja, lavar eu mesmo a sério. A Luísa dá um bocadinho mais de luta, mas paciência. O que tem de ser tem muita força.

Ajudou, desde sempre, ter pastas a saber a fruta (apesar de só passar o tamanho de uma unha do mindinho delas na escova ou até menos) – chegámos a tentar um sabor menta mas odiaram – e escovas coloridas. Trocamos bastante de escovas de dentes, ou porque deformam um bocado ou porque não se torna muito higiénico. Lavamos todas as manhãs e todos os dias a seguir ao jantar. Quando eu me esqueço e já estou a caminho do quarto para lhes contar a história, elas são as primeiras a lembrar-me! Até a Luísa, no seu português macarrónico, se faz perceber muito bem com “détes!”. Quando tudo isto entra na rotina, não há como falhar. Tenho de ir com elas em breve ao dentista – a Isabel foi aos 2 anos quando partiu o dente da frente; a Luísa nunca foi. Acho muito importante criar-lhes bons hábitos. Com os dentinhos não se brinca, mesmo! [Eu que o diga quando tive a minha primeira dor de dentes a sério há um mês. Credo! Apanhava-me o cérebro, mal conseguia abrir os olhos, um horror! (parecia as velhotas no autocarro a queixarem-se, agora).]




Neste momento, estamos a experimentar umas novas escovas e pasta de dentes de uma marca norueguesa, a Jordan, que tem pastas e escovas para todas as idades. Não sei se já se cruzaram com elas no Continente, são muito fixes! Gostei do design da escova dos 0-2 anos mais larga na base, bastante ergonómica, com silicone, para que agarrem com maior facilidade e não escorregue. A dos 3-5 anos já tem um formato mais convencional, mas com desenhos de animais - a Isabel tem a do hipopótamo. As pastas, além de apelativas visualmente, com animais, têm 1450 ppm (flúor) e estão totalmente livres de sulfatos, o que me tranquiliza muito.

Por enquanto, é uma festa lavar os dentes (ainda não chegaram à fase mais porquita da adolescência, graças ao senhor!) mesmo tendo um temporizador, que vem com a escova da Isabel, para assegurar que ficam ali tempo suficiente.

E vocês? Quais são as vossas rotinas dentárias? É uma luta para eles lavarem os dentes ou arranjam estratégias porreiras?











O temporizador da discórdia (irmã mais nova a boicotar)

Já está, mãe! (a mãe agora vai só espreitar para ver se ficou tudo impecável e dá mais uma de mão)

A Isabel, a ser perfeccionista (e as tatuagens “do Portugal”?! lol) 

*post escrito em parceria com a Jordan



Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:

quarta-feira, 24 de janeiro de 2018

A minha amiga/ irmã / cunhada está grávida. O que posso oferecer-lhe?

Gravidez. Primeiro filho.
A alegria, o segredo, as expectativas, as dúvidas. Será que vai correr bem? Vou dar conta? Vou adormecer em frente ao computador no trabalho mais quantas vezes? Vou continuar a vomitar nos próximos 8 meses? Como assim enjoar peixe? Vou engordar muito? Isabel ou Maria? O que preciso de comprar? O que preciso de saber? Que livros ler? Que livros ler sem adormecer? :)
Parece que já foi há uma eternidade, mas lembro-me bem deste rebuliço. Trabalhei até às últimas e trabalhava muito, por isso, não tive o tempo todo do mundo para fazer o ninho e para ler tudo o que tinha a palavra "bebé" na capa, mas primeiro filho já se sabe: há um enxoval para ir fazendo e tudo parece ser muito importante. Pomos muito amor em tudo. Começamos a usar "inho" em tudo. É uma fase mesmo, mesmo, mesmo boa. Eu cá gostei. E gostei muito também de me sentir apaparicada. Não tive grandes desejos (laranjas conta?) nem grandes exigências, mas recebi mimos e palavras muito bonitas. Gostei de receber alguns presentes também e que me tivessem emprestado umas quantas coisas. 

(Não posso ver imagens destas que fico logo com o relógio todo descontroladinho)

Agora estou na fase de ser eu a emprestar, a oferecer e a aconselhar às minhas amigas (tive filhos mais cedo que a grande maioria delas). Uma delas já me pediu que lhe fizesse uma lista do que é mesmo, mesmo necessário e irei fazer, prometo. Por agora. uma mais curtinha de:  
o que oferecer a uma amiga, irmã, colega, cunhada que está grávida ou que teve o bebé há pouco tempo?
Roupa para o bebé é uma boa prenda, mas provavelmente não vai ser muito original (além de que podemos enganar-nos no número, calcular mal a altura em que vai nascer se comprado com antecedência, etc, etc). Roupa para a mãe também pode ser fixe, mas é preferível que seja ela a experimentar e estraga-se o factor surpresa. Cremes para estrias tem de ser MESMO a mãe a escolher porque, se forem como eu, vão enjoar cheiros muito fortes.

Deixo-vos as minhas sugestões, nas várias áreas.

DECORAÇÃO e OUTROS DETALHES

Álbum de Bebé "Olá, Mundo!"


Depois de ter comprado um fofinho para oferecer ao David, comprei este para oferecer a uma amiga nossa, quando a bebé dela nasceu. É um álbum para registar todos os momentos do primeiro ano do bebé, cheio de autocolantes queridos e espaços para personalizar.

Bandeirinha ; Moldura Mr Wonderful ; Luz de Presença Unicórnio

Uma luz de presença fofinha, uma bandeirola para decorar o quarto com uma mensagem querida, uma moldura, atentem bem no que se segue. Adoro esta marca!



Um do li tá: difícil vai ser escolher.



LIVROS para a mãe (e para o pai)


Os Bebés também querem Dormir, da Constança Ferreira

A Constança é das primeiras pessoas que nos deve ser apresentadas assim que engravidamos. Ajuda a quebrar aqueles mitos que a nossa sogra ou vizinha do quarto esquerdo já fizeram questão de nos tentar passar: tem de se deixar chorar, que precisam de adormecer logo sozinhos, porque caso contrário ganham manhas e outras coisas que tal. É importante conhecermos as necessidades biológicas de um bebé para que aprendamos desde cedo a relacionarmo-nos com ele e a perceber as suas exigências. Primeiro livro a ler, mesmo antes de todos os outros, este.

Educar com Mindfulness, Mikaela Övén

Não sei se conhecem a Mia, mas é uma lufada de ar fresco no meu feed do Facebook. Fiz um workshop uma vez com ela, pela internet, e fiquei ainda mais fã. Sim, acho muito importante estarmos na nossa melhor versão quando temos à nossa frente o maior dos desafios. Mindfulness faz falta neste mundo em que tudo corre depressa e em que nem sempre temos paciência e calma para apreciar e resolver o que nos incomoda.

Mãe, quero mais, da Leonor Cício

Um livro com receitas para os miúdos dá muito, muito jeito. Neste há sugestões a partir dos 6 meses para sopas, papas caseiras sem açúcar (mas deliciosas) e pratos apetitosos e fáceis de fazer (e tem também uma pequena parte dedicada ao Baby Led Weaning, que fiz com a Luísa, que é bom para iniciantes). 

Um que não conheço, mas vou ver se trato disso é este: Pais à Maneira Dinamarquesa. "O que sabem as pessoas mais felizes do mundo sobre como educar crianças confiantes e capazes", com tópicos práticos. Gostei. 
Agora até recomendava o nosso livro, mas não o vou fazer. Está aqui o link, só por acaso, mas não vos quero influenciar. :)


LIVROS e BRINQUEDOS para o BEBÉ
Já insisti aqui que livros são das melhores coisas que se pode oferecer a uma criança. Comecei a fazer a biblioteca da Isabel tinha ela dias (oferecia um todos os meses) e ainda é das coisas que peço, quando me perguntam o que as miúdas querem. Brinquedos didácticos e apropriados aos primeiros tempos são também uma boa aposta.

 

As Cores do Elmer 

O Elmer é uma personagem muito querida cá em casa. Com páginas duras (imprescindível para as mãos sapudinhas e destruidoras da Luísa) e cores vibrantes, cativa a atenção desde logo.

 Guizo Zebra Tuc Tuc 
Bebé tem de ter uma roca, um guizo. Nos primeiros meses, eles não ligam patavina a bonecada (falo pelas minhas) mas assim que descobrem o poder de agarrar em objectos, gostam de chocalhar. Um peluche macio com guizo é sempre uma boa aposta.


 Ginásio Sons da Natureza

De acordo com o vosso orçamento para o presente ou grau de proximidade com a grávida, deixei para último um presente que é muito útil e didáctico. A Isabel passava imenso tempo a brincar no ginásio e foi lá que começou a arrastar-se e a rebolar e tudo.


SÓ mais um: O meu primeiro puzzle com animais de estimação é também uma boa ideia: Lego é sempre uma boa ideia e tudo o que diga "o meu primeiro" é fofinho e vale logo pelo simbolismo. Se for um puzzle, é dinheiro bem investido, mesmo que demorem a saber completá-lo, manuseiam, aprendem as formas, os objectos e animais.

Espero que tenham gostado! Tive de usar, a muito custo, o meu (fraco) poder de síntese para não escarrapachar aqui com 40 opções e deixar-vos na mesma, cheia de dúvidas.

A FNAC está com descontos até 40%, passem por lá e espreitem! [E agora com Tuc Tuc no catálogo também].





Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:

terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Não tenho uma casa de revista, mas...

Mudámos de casa há um mês e meio. Esta já é a nossa casa, aliás, já o é desde a primeira noite, porque depressa a sentimos nossa. Está longe de ser uma casa espaçosa e bem decorada, digna de revista. Trouxemos muito pouca coisa (também não temos muitas mobílias nem grandes pertences de valor), mas cada vez estou mais contente com este exercício: ter o menos possível de tralha em casa, para que nos centremos no mais importante. Até porque, como vos contei no sábado, odeio limpezas!

No entanto, fiz questão de decorar a sala para o Natal com pequenos detalhes; o quarto delas está lindo, com a caminha em forma de casa verde água e as paredes com autocolantes às bolinhas; no meu quarto impera o branco e está muito minimalista mas acolhedor (e tem uma luz fantástica!); e a sala tem sofá, móvel com televisão, mesinha e cadeiras e pouco mais.

Normalmente não andam calçadas em casa, mas já estávamos de saída :) 


O "pouco mais" é um tapete bonito mas muito funcional - que vai à máquina de lavar assim que tiver restos de papa de aveia e outros brindes. Isso para mim é obrigatório, uma vez que as minhas filhas vivem a casa e eu não tenho uma casa-museu, tal como vos falei aqui. É da Lorena Canals que, além de tapetes, tem também almofadas, cestas e outros objectos de decoração para a parede, muito bonitos, meio étnicos ou para todos os gostos. São tecidos de qualidade, feitos de forma artesanal e amigos do ambiente (as cores são resultantes de corantes naturais, por exemplo). O processo é ecológico e isso agrada-me muito nesta marca, além de toda a preocupação humanitária (com projectos que garantem a escolaridade de muitas crianças na Índia, o país com maior taxa de analfabetismo do mundo). A senhora dona Lorena está de parabéns, por todas as razões.

O meu tapete da sala é este, mas encontram muitos mais aqui, na página principal, que tem saldos até ao dia 31 de janeiro, mas também já tem alguns elementos da nova coleção (linda!), que vai ser apresentada dia 19 na Maison&Objet em Paris. 


Beijoqueira até mais não.

Deliciosa com a roupa da Tsuru, uma marca que acompanhamos desde o início.

Adora coreografias.

Muito dança ela! 

Adivinhem: Panda e os Caricas ou Panda e os Caricas?

Deixa-me lá aqui ser querida para o meu pai e pisar discretamente a obra de arte da minha irmã

Sou eu, a Luísa e a Isabel (e o pai que se lixe eheh)

Adoro esta foto, adoro, adoro.



O meu instagram e o d'a Mãe é que sabe :

a Mãe é que sabe Instagram

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Primeiro filho? Não é preciso comprar tudo novo!

Depois de se saber que se está à espera do primeiro filho, as maiores dúvidas são - a par do "vou dar conta do recado?" "Vou conseguir sobreviver à privação de sono?" ou "vai chamar-se Henriqueta ou Camélia?" - o que é mesmo essencial comprar? E é aí que damos por nós todos baralhados e, a depender de todos os opinanços à nossa volta, teríamos uma lista de 79 páginas, frente e verso com mais de 891654 itens. E como é o primeiro filho, estamos mais inseguros e somos até capazes de ficar convencidos de que precisamos mesmo de um fato de astronauta para o momento da muda da fralda. E compramos. Em primeira mão porque para o nosso filho tem de ter tudo do melhor que há no mercado e a brilhar. Esta é a lógica, exagerada, mas com um fundinho de verdade.

No meu caso, acho que não fui sempre atrás desta lógica, por já ter amigas e família já com filhos e por acreditar muito nas coisas emprestadas ou em segunda mão. Antes de ter o blogue que, como sabem, nos possibilita ter acesso a pouco de tudo o que é artigos de puericultura, comprei no OLX, por exemplo, uma banheira de bebé e roupa. Dinheiro bem gasto, artigos impecáveis e, ao mesmo tempo que poupei bastante dinheiro, ajudei alguém e ajudei o ambiente. Sim, sim, consumimos demasiado, compramos demasiado plástico, e essa é também uma preocupação minha. Nem sempre mas quase sempre.

Para mim, o OLX é um dos melhores sítios para se encontrar tudo o que procuramos. Com a aplicação no telemóvel então nem se fala. Além de ser fácil a pesquisa, onde podemos escolher o tipo de artigo, o estado e o preço, e até a localização que nos for mais conveniente, podemos facilmente falar com o vendedor por chat para saber mais pormenores, negociar valores, o que seja, e receber notificações. Das coisas que mais gosto na aplicação é poder guardar os favoritos numa listinha e depois ver tudo com mais calma e escolher melhor. Há de tudo, mas o que tenho visto ultimamente são muitos produtos de qualidade a preços muito bons. Há mais de 100 mil artigos de bebé e criança



É um mundo, mas é bastante fácil navegar nele e escolher o que mais nos agrada e para a nossa carteira. Já o disse mil vezes, uma das melhores coisas que podem comprar é uma mochila ergonómica ou um sling para transportar os vossos bebés. Por cá gostamos imenso do nosso ergobaby e já vi que no OLX há imensos à venda a um preço espectacular, como por exemplo este aqui.
Depois, por exemplo, uma banheira Shantala, que eles adoram. Por que não poupar 50% na compra de uma? E cama de grades, que é para usar tão pouco tempo, dá perfeitamente para comprar em segunda mão e encontra-se muitas vezes já com colchão e roupa de cama (estou seriamente a pensar colocar lá a nossa à venda).
Sem falar de carrinho de bebé! Eu sou das que considera um essencial (não tanto quanto uma mochila ou pano mas quase), tive emprestado nos primeiros tempos da Isabel e deu imenso jeito. Há imensas opções por aqui que me parecem em óptimo estado!



Só têm de fazer o download da App aqui e começar a navegar. BOAS COMPRAS!

PS. Tenham em atenção todos os pontos do vendedor porque há quem não aceite devolução (o que não significa que as coisas não estejam em bom estado).

Espero que tenham gostado das minhas dicas. Quero saber as vossas. O que vale a pena comprar no OLX?


* post escrito em parceria com o OLX




Sigam-me também aqui: 


a Mãe é que sabe Instagram


quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Quando foi a última vez que cuidaram de vocês?

Quando trabalhava em televisão, e tinha menos uma filha, tinha a vida mais facilitada neste sentido. Como fazia reportagem, havia pelo menos uns 3 dias por semana em que chegava cheia de olheiras ao trabalho e meia despenteada e numa hora ficava com aquele ar de que não era nada comigo: maquilhada, penteada e com o ego mais insuflado. Aqueles minutos numa cadeira de olhos fechados entregue às mãos de quem sabe eram um mimo. Não que precise de tudo isso, sempre, para me sentir de bem com a vida (porque por fora podemos estar lindas e por dentro em cacos), mas ajuda-me. Sinto-me mais confiante e isso instala-se de alguma forma em mim e dá-me mais segurança. Gosto de ser mimada. Às vezes basta-me ir lavar o cabelo. Cortar umas pontas. Tirar 40 minutos num mês para mim. Como não tenho tido tempo para ir ao ginásio (que falta me tem feito o meu Scape, Deus Meu!) e muito menos para massagens ou tratamentos mais demorados (adorava, mas não dá), ir arranjar umas unhas ou fazer uma hidratação pontualmente sabe-me pela vidinha. 

Vou sempre à Catarina, do Cut by Kate, que já é o "meu" cabeleireiro em Santarém. Boa pinta, gente simpática, óptimos produtos (para grávidas e para quem está a amamentar, há imensa oferta!, com produtos naturais), e excelentes profissionais. 

Quando foi a última vez que cuidaram de vocês? 
Não percam essa vontade. Pode estar a fazer-vos falta. Pode ser aquele cafuné que vos dá força para mais uma semaninha de más noites e que vos faz sentir: "eu também cá estou".















Fotografias no dia desta sessão em Santarém - The Love Project

Madeixas louras, ondas, maquilhagem - Cut by Kate

 
Sigam-me também aqui: 

a Mãe é que sabe Instagram

terça-feira, 26 de setembro de 2017

O desfralde da segunda filha: o que vou fazer de diferente?

Tudo e nada. Depende dela, dos timings dela e de como for reagindo ao desfralde. 

Eu, que não tinha grandes expectativas em relação ao desfralde da Isabel, nem andei a estudar o assunto aprofundadamente, acho que correu bem. Não sei se foi mais rápido que o “normal”, ou mais demorado. Não sei se foi mais cedo ou mais tarde. O que eu sei: foi calmo, sem stress – para a miúda e para nós – e até divertido. Sim, divertido. Nunca pensei festejar tantos cocós e xixis, nem andar a contá-los com tanta emoção. 

Como começou: um dia, no primeiro dia do ano, tinha ela 1 ano e 9 meses, achou engraçado ir ao penico e fez um cocó. Fizemos uma festa. A partir daí quis sempre ir fazer o cocó no penico. O chichi foi mais tarde, “só” lá para os dois anos e meio (verão) começámos a ver alguma regularidade e aproveitámos o bom tempo para incentivar, mas só tirámos a fralda à noite aos três, com alguns descuidos entretanto, que considero normais.

Coisas que ajudaram:
- esperar pelo interesse da parte dela
- ter na casa de banho penico e/ou redutor disponíveis, assim como um banquinho para subir para a sanita
- vestir-lhes roupas fáceis de despir: esqueçam os macacões e jardineiras e calças com cintos…
- ir perguntando e colocando, em períodos de tempo cada vez mais espaçados, na sanita ou penico – e sempre antes de sairmos de casa/viajar de carro
- oferecer cuecas com os bonecos que ela mais gostava
- cueca-fralda na hora da sesta e à noite para que, assim que se levantasse, fosse fazer sozinha à sanita
- o livro da Princesa que faz cocó era a história que mais pedia quando estava na sanita (mas não usámos a tabela com os autocolantes)
- incentivar a que nos avisem quando têm vontade de ir à casa de banho
- elogiar, festejar cada conquista, mas nunca fazê-la sentir culpada aquando dos acidentes: nunca ralhar, gritar, ameaçar, etc. “Não faz mal, filha, para a próxima consegues fazer na sanita!”

Segunda fase do desfralde

Quando eles já conseguem ter o controlo, talvez esteja na hora de os deixar autónomos para fazerem o processo todo sozinhos. Eles gostam de ter espaço para tal. Pelo menos a Isabel começou a pedir-me para sair da casa de banho ou então a chamar-me quando já lá estava. Ensinar-lhes, caso ainda não o tenhamos feito, a levantar a tampa, a puxar a camisola bem para cima, a limparem-se, a puxar o autoclismo, a vestirem-se e a lavar as mãos.


AJUDA PRECIOSA!

- ter toalhitas específicas para a incentivar a limpar-se: no caso das raparigas, explicar que é da frente para trás e explicar que se passa uma ou duas toalhitas, até uma sair limpa.
Usamos as Kandoo, as únicas apropriadas para esta fase, que vamos recarregando numa caixinha colorida que eles conseguem abrir e fechar sem dificuldade, retirar as toalhitas uma a uma, e que são próprias para ir para a sanita. (sim, estas são descartáveis, podem ir para a sanita!). Melhor ainda: além das de aromas, este ano foram lançadas as sensitive, para peles mais sensíveis. Impecáveis, fáceis de usar por eles e ficam com os rabitos hidratados (têm uma loção suave que mantem o ph neutro da pele).

Conclusão

Por mais dicas que vos possa dar, o meu maior conselho é: não ter expectativas surreais, só porque ouvimos que a filha da prima da vizinha desfraldou com 11 meses ou porque o mais velho numa semana já não usava fralda, muito menos ter em conta o “tão crescido e ainda usa fralda?!”. Ninguém melhor que nós conhece o nosso filho e não há mal nenhum em esperar mais um bocadinho, adiar se percebermos que estão a ficar demasiado frustrados e… relaxar. A seu tempo, vamos conseguir. Eles têm de estar preparados.
Por isso, não sei o que vou fazer de diferente com a segunda filha: vou ter de esperar pelos sinais dela. O que espero fazer igual: ter calma e paciência.



Bons desfraldes!

(Como vai isso? Querem deixar dicas?)

Ah! Vejam aqui, além de jogos e desafios porreiros para eles, textos que nos podem ajudar no desfralde deles e noutras etapas da sua autonomia.





*post escrito em parceria com a Kandoo


 
www.instagram.com/joanapaixaobras
a Mãe é que sabe Instagram