quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Adeus adenóides, amigdalas e olá tubinhos?

Ahhh... Não era sobre isto que queria escrever hoje. Queria escrever sobre algo mais coiso, um post que ficasse girote, com a extensão suficiente para parecer que foi super cuidado e com uma fotografia com alta qualidade. Sinceramente, estou com uma dor de dentes gigante e a minha criatividade foi-se.  Estou com a destreza mental de quem quer que tenha pensado no nome "Ai que giro" para a cadeira para transportar velhotes escadas cima e abaixo. Não estou a gozar, acho que é algo do género, vi uma vez e nunca mais me esqueci. Se calhar, tenho de dar a mão a torcer (ou o braço -  torçam-me qualquer coisa que pode ser que me alivie a dor de dentes) porque ainda me lembro do nome e do anúncio e... nem sequer estou interessada em comprar. 

Já vos tenho vindo a contar que a Irene tem otites serosas e que, quando piora, deixa de ouvir bem, também respira mal durante a noite, chegando a fazer apneia (noto quando está entupida) e todos os médicos dizem que ela tem umas amigdalas enormes. Hoje fui a um médico altamente recomendado e, infelizmente, depois de um raio x, um exame de audiometria, a recomendação foi "Tira-se tudo: amigdalas e adenóides e ainda se põe já os tubinhos". 

Já temia que a recomendação viesse a ser esta, já tinha pensado muito no assunto e já tinha decidido que sim, se fosse preciso, tirava-se os adenóides, mas assim "tudo de enfiada"... Cada vez oiço falar mais disto, de imensas crianças que tiram isto e aquilo... 

Tenho de ler sobre o assunto, mas custa-me que isto seja tão recorrente. Andam assim tantas crianças a serem operadas para tirar adenóides e amigdalas e a por tubinhos? Tanto oiço histórias de "e nunca mais teve problemas" como oiço de mães que decidiram não fazer e que, uns tempos depois, por causa do Verão ou o que fosse, já estava tudo bem e ainda bem que não tinham decidido operar. 

Lembro-me da altura da gravidez em que toda a gente diz tudo (porque há gente para tudo) e simplesmente ficamos assustadas. Eu estou assustada. Com consciência que é um "não problema", que há coisas muito piores, mas como se tomam decisões destas? 




Confio na pediatra que me recomendou o médico. Toda a gente fala deste médico até por ser pouco interventivo, mas tem-se sempre de pedir uma segunda opinião, não é? Acho que me custa dizer que sim e fazê-la passar "por tudo" assim. 

O pai da Irene lembrou-se que havia uma maneira de medir a qualidade de sono dela, a "intensidade da apneia". Além de pedir uma segunda opinião, acho que vou fazer esse exame para ter uma noção mais real do conforto que anda a custar à Irene manter-se com o que o corpo dela decidiu que era importante ter (faz-me confusão andarmos assim a tirar coisas, especialmente a crianças, apesar de ser perfeitamente ignorante em relação a isto). E vou tentar converter decibéis em percentagem para saber quanto da audição dela está afectada na prática... 

Como funcionam vocês nestes casos? 



Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:



50 comentários:

  1. uau Joana , nem de propósito ! A minha Amélia foi operada na segunda-feira. Andávamos nisto das otites serosas há mais de um ano e teve mesmo de ser para o melhor dela . Correu tudo bem , viemos ontem para casa e hoje parece outra :) custa um bocadinho a comer , por causa da cicatrização , mas de resto está óptima .

    ResponderEliminar
  2. O meu filho tinha o mesmo problema, com perda de audição a cada constipação, otites e dificuldades em escoar o líquido acumulado no ouvido. Sempre detestou dormir, adormecer era um pesadelo e acordava frequentemente durante a noite (em apneia). Foi sempre seguido por um otorrino até que aos 3 anos fez a intervenção para retirar adenoides e perfurar o tímpano para escoar o líquido. A abordagem foi mais péla preservação das amígdalas por serem uma barreira do sistema imunitário. Fizemos a operação e esperamos, veio mais um inverno sem problemas e acho que o caso está resolvido. Para além de ter começado a dormir lindamente deu um grande salto de crescimento. Acho que foi a solução acertada. Não sou especialista mas se não há incidência de amigdalites e as amígdalas estão em tamanho normal vale a Pena questionar se não é melhor manter essa defesa.

    ResponderEliminar
  3. Por aqui tentou-se desde medicação até abordagens menos invasivas como o tratamento para a otite serosa (moniri otovent). Tivemos resultados positivos, mas a cirurgia às androides e a colocação dos tubinhos em apenas um dos ouvidos mostrou-se absolutamente necessária. Concordo plenamente com segundas opiniões e a testar o que possa ser benéfico antes de avançar para a cirurgia, e penso que a maior parte dos pais e dos médicos deverá ser da mesma opinião mas quando não há melhorias significativas e a situação oferece risco para o desenvolvimento e para o bem estar da criança, a cirugia será sempre a melhor forma de corrigir ou atenuar a condição.

    ResponderEliminar
  4. Olá Joana! Olha o meu filhote foi operado recentemente a tudo isso! E digo sinceramente:ainda bem que fomos em frente com isso. Hoje não parece o mesmo menino! Respira bem, não adoece constantemente como acontecia, já ouve bem e até como muito melhor(sim porque isso também afecta o apetite!).
    Eles são fortes e recuperam rapidinho. Beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu fui operada aos 7 anos (tenho 37) e também foi exatamente este o resultado.

      Eliminar
  5. Tirei os adenóides em pequena, 6 anos. E aos 11 anos queriam tirar-me também as amígdalas. Na altura, já tinha acesso à internet, li que as amígdalas ( os adenóides também) funcionam como filtros que impedem que os vírus se instalem noutras partes mais importantes do corpo. E eu que já tinha tido uma pneumonia, morria de medo que tivesse outra. Então com 11 anos, fiquei sempre atenta à caixa do correio e quando chegou a carta com a data marcada para a operação, escondia da minha mãe. Ficou anos a pensar que o médico não lhe quis marcar a cirurgia ou se esqueceu. Ainda bem que não eram os dias de hoje com telemóveis, tudo informatizado, etc,e eu sempre a fui convencendo a que não voltasse lá para encobrir o meu " furto"... A verdade é que nunca cheguei a tirar as amígdalas e hoje com 30 anos não me lembro de ter uma amigdalite sequer desde os meus 13/14 anos. Otites então nunca tive. Mas em relação aos adenóides,a minha mãe conta-me wue melhorei muito a minha qualidade de sono, e além disso tenho perfeita noção que desde a cirurgia, poucas foram as vezes em que fiquei realmente gripada ( nunca de forma tão intensa como antes).

    Mas tenho uma filha de quase 2 anos, e já sei que tem adenóides grandes. Por agora, tem ficado poucas vezes doente,, 4 vezes para ser correta mas dessas 4, Todas foram otite, e ainda está em casa comigo, mas e quando for para a creche, se andar sempre? Sinceramente não saberei o que fazer... Por isso, sim, Joana peça todas as opiniões que forem necessárias para tomar essa decisão.

    ResponderEliminar
  6. Boa noite joana! As melhoras para a dor de dentes (nunca tive em 31anos) mas deve doer bem,imagino.
    Relativamente aos tubinhos e afins,meu filhote fez mtas otites serosas ate aos 2 anos e meio,teve uma diminuicao da audicao e la fomos la meter os tubinhos e tirar as adenoides. 1 ano 1/2 depois ele fez 2/3 otites mas descobrimos que com todas as otites e problema no cerebelo que teve ficou surdo...
    Nossa filha fez tb a operacao a cerca 5 meses e tem tido mtas otites ainda, cm exemplo desde inicio 2018 vai na 2.
    Isto so para dizer que cada caso é um caso! O pós-operatorio correu bem, chato e ter de tapar os ouvidos para o banho e nada de piscina.
    Obrigada por estar desse lado a partilhar connosco. Sou fa :-) bjinhos para as 2 e sejam muito felizes

    ResponderEliminar
  7. Ola Joana. A mim recomendaram tirar em pequena e a minha mãe na altura escolheu não tirar. Sofro até hoje com este problema seja Inverno ou Verão. Acontece que a minha médica aconselha a não tirar agora por poder trazer infecções para faringite/laringe/ estômago etc. Espero que a Irene melhore seja qual for a vossa decisão. Bjnhs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O problema é que esta cirurgia na infância é banal e os miúdos não sofrem nada (falo por experiência própria). Já na idade adulta é um pós operatório terrível (vivi isso de perto há cerca de 1 ano e não recomendo a ninguém). Por isso, operem os vossos filhos enquanto são pequenos e eles não sofrerão no futuro por causa disso...

      Eliminar
  8. Olá. O meu filho foi operado em setembro e tirou as adenoides, reduziu as amígdalas e ficou com os tubinhos... andava sempre entupido e com ranho Verde, disse verão ou inverno e ressonava muito. Fui a 3 otorrino diferentes e todos me disseram o mesmo. Ficou melhor mas não a 100%. Estar entupido nesta altura é normal... deixou de ressonar... acho q valeu a pena é a recuperação é muito rápida...

    ResponderEliminar
  9. Olá, Joana.
    Sigo com alguma frequência o seu blog e gosto muito de saber de vocês! Revejo-me muitas vezes... Nunca deixei nenhum comentário, mas como mais uma vez me revi no seu texto, decidi deixar o meu testemunho. Estive/Estou na mesma situação com a minha filha. No ano passado, tinha ela 3 aninhos, fartou-se de fazer amigdalites (também as tem gigantes!), começou a ressonar e a fazer apneias. Fiquei assustada e resolvemos levá-la a um especialista. Começou a fazer um tratamento (sray nasal, vacina em gotas de prevenção e muita praia) e decidimos esperar para ver como passava o verão. Como a qualidade do sono dela não era afetada (aparentemente), deveríamos ver se continuava a fazer amigdalites ou não para depois decidirmos o que fazer. Felizmente correu bem. Até agora, não houve nada de preocupante, embora continue a ressonar um pouco... Vamos voltar a ter consulta em breve, mas espero que não seja necessário tirar nada. Cada caso é um caso, e a minha filha não faz otites (graças a Deus!), mas acho que com a idade elas tendem a criar mais defesas e com o crescimento as amígdalas vão parecendo diminuir... Também ouvi a versão de pais de crianças que tiraram tudo e correu tudo bem... Ouça uma segunda opinião. Se o melhor for tirar, de certeza que vai correr tudo bem também! Beijinhos.

    ResponderEliminar
  10. Olá Joana, A Carminho tem 3 anos, com um ano colocou tubinhos e resolveu a parte das otites.Agora é recorrente estar sempre constipada com tosses e faltas de ar, pediatra diz que a culpa é do nariz, questionei porque nao tirava já os adenoides, disse para esperar pelo verão...A verdade que é que estou tão massacrada com ela sempre doente que por mim tirava já!Beijinho e obrigada por partilhar preocupaçoes tão reais como as nossas que vos seguimos

    ResponderEliminar
  11. Boa noite Joana o meu filho foi operado aos adenoides é pôs os tubinhos à garganta não pk nunca teve amigdalites e digo te não parece o mesmo é que até o comportamento dele na escola era horrível e à noite gritava a dormir e conclusão tudo por causa dos adenoides por isso pode parecer mau mas acredita foi o melhor

    ResponderEliminar
  12. Pois... Eu pedia uma 2a e 3a opinião se fosse preciso... As amígdalas são glândulas produtoras de hormonas.
    Acho que há um médico no Algarve com um aparelho inovador para evitar este tipo de cirurgia, nada como tentar ;)
    Conheço ainda um caso de um coleguinha da minha filha que, depois de por tubinhos e continuar a fazer otites, por sugestão do médico, retirou leite e derivados da alimentação e assim se evitou uma 2a cirurgia! Tentar não custa :)
    Acho a cirurgia demasiado invasiva... Se a Irene não tiver perda de audição, acho que devem tentar perceber se a cirurgia é ou não evitável ❤️

    ResponderEliminar
  13. Olá Joana. Essas decisões nunca são fáceis mas fazemos o melhor que podemos com base no que sentimos e nas informações que temos. A minha filha foi operada com dois anos só ao ouvido esquerdo e raspou os adenóides. Enquanto o tubinho lá esteve tudo bem. Quando saiu voltou ao mesmo. O ouvido dela não drena, já nasceu assim e então é como se estivesse a "ouvir debaixo de água" desse ouvido só que compensa com o direito. O médico quis operar novamente no espaço de um ano e não nós sentimos confortáveis por isso por indicação da pediatra consultamos outro médico mais conservador. Tratamentos praia assoar muitas vezes e afins e parecia que estava a melhorar mas estagnou e agora com cinco anos vai efetuar um último tratamento que é a última tentativa antes de operar. Já nós começamos a mentalizar para passar por tudo outra vez. O pior nem é a operação mas sim a anestesia. A operação é rápida e a recuperação também não é nada de especial com alguns cuidados para não haver entrada de água no ouvido enquanto o tubo permanecer. Mas a anestesia convém os pais prepararem se psicologicamente porque eles quando acordam normalmente reagem mal pois estão desorientados. Boa sorte para a decisão. Nos adiámos o que pudemos mas agora ainda por cima com a aproximação da entrada na primária se tiver que ser, é.

    ResponderEliminar
  14. Como mãe e médica, concordo totalmente que não tome uma decisão sem ouvir outra opinião. E permita-me uma sugestão: antes de operar, tente tratamentos Termais. Também há muitos casos de sucesso.

    ResponderEliminar
  15. Olá Joana! Eu "tirei tudo de enfiada" quando tinha 9 anos e segundo parece já foi bastante tarde para o que é recomendado...dizem que quanto mais cedo melhor e que custa menos. De facto é uma operação chata e a recuperação também foi chata. Hoje tenho 23 anos e ainda tenho problemas relacionados com o foro respiratório, principalmente. Acho que não resolve, mas ajuda. Assim como espero ter ajudado com o testemunho. Um mega beijinho para ti e para a Necas <3

    ResponderEliminar
  16. A minha Leonor foi operada a tudo. Há 2 semanas. Reduziu amigdalas que eram enormes tirou os adenoides que era gigantescos, disse o médico, e pôs os tubos porque estava a ouvir muito mal. Só tenho a dizer que adeus às malditas apneias, ouve muito melhor, respira que é uma maravilha passou a comer melhor dormir melhor e não está tão impertinente. Se podia ter evitado não sei, mas de certeza que lhe dei mais qualidade de vida.

    ResponderEliminar
  17. Por aqui a 1.ª e a 2.º opiniões também foram de operar com uma diferença: o segundo médico apenas reduz as amígdalas. E foi esse que seguimos. Posso indicar que foi o Prof. João Paço da CUF Infante Santo. A minha filha foi operado há dois anos e as noites dela passaram a ser muito melhores. Os adenóides estavam já a comprimir o canal auditivo o que punha em causa a audição. Não colocou os tubinhos. A recuperação foi excelente e muito rápida, ao ponto de só ter feito dieta líquida enquanto estivemos no hospital(passamos lá a noite) mas assim que viemos para casa já podia comer tudo sem restrições desde que fosse mais mole. As melhoras para a Irene.

    ResponderEliminar
  18. A minha filha de 3 anos vai fazer exactamente tudo isso: por os tubinhos nos ouvidos, tirar adenóides e tirar parte das amígdalas. Também faz otites serosas mas o que me preocupa mesmo é a respiração, até sentada no meu colo ressona! Dorme pior agora do que quando era bebé porque acorda a chorar a dizer que não consegue respirar. Ao adormecer também se queixa do mesmo: “ não respiro!”. A pediatra sempre desvalorizou, mas quando consultei um otorrino percebi, através de exames, que realmente ela tinha alguma coisa e podia melhorar as noites/ dias dela. A audição também já estava afectada, mas diz-se que é reversível. Decidi operar na primeira consulta, embora ainda me custe pensar que o meu bebé se vai submeter a algo tão intrusivo, sei que vai ficar melhor!

    Espero que ela melhore a sua respiração e audição! E penso que a ser, que sejam mais novinhos para não se lembrarem..

    Tudo a correr pelo melhor independentemente da decisão tomada.

    Beijinhos

    ResponderEliminar
  19. No meu caso, com o meu filho mais velho, ainda não tinha completado 2 anos, quando a Pediatra olhou para as amígdalas e disse "otorrino urgentemente!" E assim fizemos. Aconselhámo-nos, fomos à consulta e diagnóstico do médico "o cenário é negro!". Viemos embora demasiado assustados para pensar no que quer que fosse... o meu filho nunca tinha feito uma otite, nem uma amigdalite... apenas ressonava... decidimos aguardar e ver como corria passando o verão... assim foi... melhorou sem intervenção ou exame algum e vai completar agora 4 anos e está pela primeira vez com uma amigdalite... realmente no seu caso, os sintomas já são outros, mas em relação a fazer tudo de uma vez, penso que seja a melhor opção porque só se submete a intervenções uma vez... mas eu no seu lugar não hesitaria em pedir uma segunda opinião... beijinhos e as melhoras!

    ResponderEliminar
  20. Pergunta de alguém totalmente leiga no assunto.. Que tubinhos são esses?

    ResponderEliminar
  21. Olá joana o meu teve de ser operado aos adenoides e por uns tubinhos nos ouvidos , Lemos muito e informamos.se bastante antes de tomar essa decisão , o médico decidiu q não tirava as amígdalas porque depois de operar os adenoides o normal é que as amígdalas regressem ao tamanho normal . Ele desde pequeno que respirava mal a noite e ressonava imenso e isso parou e Ja dorme mto bem e de boca fechada . A fala melhorou imenso por causa da cirurgia e ficamos mto felizes com o resultado da operação. Enquanto não se sentir bem com a operação não permita que a façam, leia mto , pesquise mto, peça segundas e terceiras opiniões.A verdade é que custou imenso o pós operatório e não desejo a ninguém mas o resultado dele foram espectaculares e melhorou imenso, por isso no meu caso foi um final feliz.
    Além disso pesquisa o médico e pede opiniões , nunca é de mais . Nos somos mães e mexerem no nosso ser mais precioso não é fácil mas por vezes é mesmo necessário. Um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    2. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    3. Este comentário foi removido pelo autor.

      Eliminar
    4. Olá Raquel, após a retirada de adenoide como foi o desenvolvimento da fala, em quanto tempo essa evolução que diz foi progredida? Meu filho fez há 03 meses a cirurgia de retirada de adenoide, iremos colocá-lo na fono pois a fala continua muito atrasada, ele tem 3 anos e 7 meses e não forma frases completas, apenas de 2 palavras, como foi no caso do seu filho, antes de descobrir a adenoide ele tinha atraso na fala? Creio que no caso do meu demorou muito o diagnostico, algo de mais de ano, até detectarmos o atraso na fala.

      Eliminar
  22. Joana, pesquise Otovent ou Moniri Otovent. Tendo a Irene mais de 3 anos acho que ate pode usar só o Otovent (o Moniri Otovent é para crianças mais pequenas e é caroooo). O meu pequenote de 2 anos e meio anda em otorrino e a fazer medicação. Mas melhor que a medicação é mesmo a praia (palavras do otorrino). Entretanto alguém me falou do Otovent e vou usar a ver se consigo safar o meu piolho da operação dos tubinhos. Quanto a amígdalas e adenóides aí já não posso dizer grande coisa. Anyway, se tiver de por os tubinhos também não é nada do outro mundo. Mas consigo entender a sua angústia: tubinhos, amígdalas e adenóides, logo tudo, uma pessoa fica de cabelos em pé. As melhoras

    ResponderEliminar
  23. Segunda opinião, e todas as outras que forem precisas. Os testes que forem necessários e espremer os médicos até eu poder tomar uma decisão informada. Também há modas nestas coisas - a mim tiraram-me as amígdalas "porque eu fazia muitas amigdalites", e hoje já se recomenda uma coisa diferente. Os órgãos estão lá por um motivo, não acho que seja boa ideia andar a tirá-los sem antes se estar tão certo quanto possível de que é absolutamente a melhor solução.

    ResponderEliminar
  24. Quando eu era pequena estive para ser operada também, mas ainda bem que a minha mãe se amedrontou e nunca foi para a frente com isso. A verdade é que passados 1 ou 2 anos os problemas acabaram. Em toda a vida tive mais duas ou três amigdalites que se resolveram normalmente com antibiótico, e desde os 14 anos que nunca mais tive stresses com isso. Por isso, no meu caso, ainda bem que não me submeteram a cirurgias desnecessárias. Tal como o meu caso, há vários. É normal com a idade isto tudo acalmar.
    Ana

    ResponderEliminar
  25. Fui operada com 3 anos e tirei "tudo". Impecável desde então! Agora a minha filha caminhava para o mesmo destino mas recomendaram este ano fazer só medicação. Não achei piada que fizesse spray nasal (com corticoide) e aerius o inverno todo, mas a verdade é que este ano ainda não teve uma única otite! (E mesmo as serosas are gone, que notamos logo que está a ouvir bem). Agora estamos a fazer desmame, vamos fazendo semanas sem e semanas com e tem corrido muito bem. Mas cada caso é um caso... confia nos médicos! Pede segunda opinião mas confia (e tenho a sensação que as nossas filhas têm a mesma pediatra e por conseguinte o mesmo otorrino :))

    ResponderEliminar
  26. Ola joana
    Quando eu era miuda a minha mae andava sempre a caminhar para o hospital porque eu fazia muitas amigdalites.... o meu pediatra Dr Mario Costa sempre disse para nunca deixar ser operada,por que as amigdalas fazem muura falta e se tão lá é para alguma coisa... e disse que apartir de una certa idade o problema desaparecia... desde os meus 16 anos que nunca mais tive nada disso...
    Beijinho

    ResponderEliminar
  27. Com as minhas filhas não sei como faria porque não passámos por isso mas eu tirei os adenóides e coloquei os tais tubinhos aos 10 anos de idade e quem me dera tê-lo feito mais cedo.
    Respirei sempre pela boca, tinha otites terríveis várias vezes por ano, fartei-me de tomar antibióticos e corria risco de ficar surda. Quem me dera ter sido operada antes. A operação correu super bem e vim logo para casa.
    Depois nunca mais tive otites.
    Não sei se será igual com todas as crianças mas tenho a impressão que se poupa muito sofrimento operando mais cedo. Claro que é preciso ver bem os prós e os contras e confiar plenamente no médico.

    ResponderEliminar
  28. Olá Joana
    Por aqui a solução (depois de várias opiniões de especialistas) foi mesmo tirar as adenoides, mas ficaram a amígdalas. Fui a melhor opção que tomamos, melhorou em tudo, o dormir, o comer e até o crescimento. Nunca mais teve problemas de saúde a esse nível e já lá vão uns anos. Tudo de bom para a Irene.

    ResponderEliminar
  29. O meu filho tinha otites serosas totalmente silenciosas: não ressonava, nunca estava doente.... quando descobrimos, tinha uma perda de audição de 60% bilateral. A perda de audição atrasou a aprendizagem de sons e palavras. Durante 1 ano tentamos tratamentos (medicação, otovent...). As adenóides eram grandes por isso o líquido acumulava sempre nos ouvidos. Após 1 ano avançamos para a cirurgia (adenóides,amígdalas e tubinhos), meses antes de entrar para o primeiro ano. Com a cirurgia mudou radicalmente! Passou a ouvir tudo! Tenho pena de não o ter operado mais cedo apenas porque o atraso na aprendizagem de sons dificultou bastante a aprendizagem de letras, leitura e escrita no primeiro ano.
    Cada caso é um caso e nem todas as crianças sujeitas à cirurgia (adenóides, amígdalas e tubinhos) têm o mesmo quadro clínico associado.

    ResponderEliminar
  30. Mais um testemunho.
    O meu filho foi submetido a cirurgia para remoção de adenoides e redução de amígdalas.
    Pedimos segunda opinião e optamos por fazer. No caso do meu filho o pior eram as apneias graves que fazia (dormia muitas horas mas tinha um aspecto cansado e sempre com olheiras muito marcadas), das quais me apercebi muitas vezes porque as paragens eram mesmo longas.
    Antes da decisão, e seguindo o conselho de um dos médicos, "fizemos" a medição das apneias durante o sono. Escrevi "fizemos" porque foi tempo e dinheiro perdido. Passei a noite tentando que os tubinhos para medição inseridos no nariz lá ficassem, mas o meu filho tirava-os nem 5 minutos tinham passado e portanto os resultados não foram verdadeiramente conclusivos embora sublinhassem as apneias. (Se o sistema de medição for o mesmo analisem bem porque numa criança pequena por muito que tentem é extremamente difícil ter um resultado fiável - nos adultos o exame era feito durante uma noite passada na clínica, mas em crianças não o faziam pela dificuldade).
    Após a cirurgia, nas primeiras noites seguintes ia imensas vezes aos seu quarto durante a noite porque me fazia confusão o silêncio do seu sono. Deixou de ressonar e passou a descansar verdadeiramente (adeus olheiras).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Foi só o facto dele dormir muito e andar sempre com olheiras q alertou? O meu filho é assim, sempre pálido, com olheiras e diz frequentemente que está cansado. Mas nunca fez otites... aliás nenhuma “ite”... tem 4 anos

      Eliminar
    2. O meu filho acho que teve uma única otite serosa em bebé. Teve muitas bronquiolites resolvidas com cinesiotepia e que com o crescimento (cerca dos 3 anos) pararam de vez. Apesar de amígdalas enormes nunca teve infecções.
      O grande problema eram as apneias e o ressonar contínuo. Nem associava verdadeiramente as olheiras, mas o facto é que não descansava com devia por não respirar bem (parava mesmo de respirar uns momentos e depois era uma inspiração aflitiva para repor) e acordava várias vezes.
      As apneias longas poder trazer problemas graves e por isso foi feita a operação e ficou bem.
      Espero ter esclarecido.

      Eliminar
  31. Olá Joana.

    Aqui outra Joana, mãe (entre outras coisas) do António de 4 anos. O António também vai ter que ser operado. Estamos precisamente na mesma fase. Confio no pediatra que me recomendou este otorrino, mas... custa! Mas eu e o Pai já decidimos que vai ser operado. A qualidade de sono que o meu filho neste momento não tem faz-me tomar esta decisão. Já experimentamos esperar pelo Verão e não resultou. E, há todo um rol de sintomas que não estando diretamente ligados, tem tudo a ver com isto: ainda não deixou a fralda da noite, de dia anda a sempre a mil, é difícil deitá-lo mas ainda mais difícil acordá-lo, o ressonar, as apneias, a respiração bucal, o ouvir mal... enfim... não posso mais ter o pequeno assim! Acima de tudo, quero acreditar que vai correr tudo pelo melhor (para o António e para a Irene!).

    ResponderEliminar
  32. Olá Joana! Olha por aqui é assim tenho 33 anos sempre tive muitas otites(2 a 3 por mês) tinha uns 13 anos quando fiz uma mini cirurgia (cauterizacao dos cornetas) mas infelizmente continuei igual até q comecei a ouvir um pouco mal e is tímpanos de tt otite recuaram e não tinha ventilação o que fazia com q andasse pior, a minha médica sugeriu os tubos... Remédio santo acaboooouuuu a dor de ouvidos... Agora tenho uma piolha que faz 3 anos em Março e infelizmente é igual esta sempre com otite sempre mesmo seja verão ou inverno o ouvido chega mm a rebentar tadinha o pediatra já falou q vai ter de tirar operar as adenoides para já ainda não falou de tubos pq ainda não perdeu audição (ainda bem) mas como é muito pequena para operar(dizem q só a partir dos 5)marcou consulta para ela para ter uma segunda opinião na cuf vamos lá ver o que aí vem mas se tiver q por tubos e operar que assim seja porque acredito que seja para melhor.. No meu caso foi!! Um beijinho grande

    ResponderEliminar
  33. Joaninha, quando se chega ao ponto de fazer apneias, o caso já será grave e a intervenção cirúrgica quase certa. O pediatra da minha filha na consulta dos 3 anos, após falar 10 minutos com ela disse logo que apostava que tinha as amígdalas e adenoides enormes e que de certeza seria candidata a cirurgia. Aconselhou-nos a procurar um otorrino. Depois de questionarmos pessoas ligadas à saúde, lá marcamos consulta no que nos indicaram como sendo o melhor otorrino de Braga. E lá fomos, em Dezembro. Ela ressonava imenso, fazia apneias, transpirava imenso durante o sono, falava muito mas tínhamos imensa dificuldade em percebê-la. Já para não falar na dificuldade dela em comer sólidos... Fez um tratamento de dois meses, que não deu em nada. E foi então que se falou na cirurgia. Nem pensamos duas vezes, nem procuramos segunda opinião. Confiamos naquele médico. Foi operada em Abril e foi a melhor decisão que tomamos! Já tinha uma perda acentuada da audição e após a cirurgia (adenoides, amígdalas e tubinhos) desenvolveu imenso! Nunca mais ressonou, acabaram-se as apneias, desenvolveu imenso a fala, ficou muito mais extrovertida… Só pontos a favor. Custa pensar que os vamos sujeitar a uma cirurgia com anestesia geral? Custa. Mas é uma situação que resolve tantos problemas! A única preocupação que tivemos depois da cirurgia foi ter que colocar os tampões nos ouvidos até os tubinhos saírem, mas há tampões muito bons que facilitam a vida!

    ResponderEliminar
  34. Olá!! Mãe de uma menina de 3 anos que fez cx com 17meses.A condição física intelectual da minha filha estava a ser afetada, por isso respirei de alivio quando tudo finalmente ficou bem!! Para tudo é necessário haver um peso e uma medida e os benefícios maiores que as causas! As informações e a confiança são fundamentais no médico!!

    ResponderEliminar
  35. Joaninha...não perguntes à malta :) Confia nos médicos. Pede uma segunda opinião, uma terceira se te fizer sentir mais segura. E vai por eles, por quem sabe, estes testemunhos todos, por bem intencionados que sejam, são subjectivos, cada criança é uma criança e cada caso é um caso. Eu fiz a operação das adenóides + tubinhos há 30 anos, correu tudo lindamente e, claro, não me lembro de nada. Poucas otites tive depois e eu tinha também otites serosas recorrentes. Beijinhos e as melhoras da Irene

    ResponderEliminar
  36. A minha filha tem 12 anos e aos 6, numa 1a consulta a solução foi operar a tudo. Não gostei da proposta tão rápida. Fui a 1 segunda opinião. Não foi operada (e se fosse seria só ouvidos), faz prevenção em setembro e em março. Nunca mais teve otites nem amigdalites, e já não ressona!
    Se fosses do Porto indicava-te a médica ideal.
    As melhoras.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá, sou do Porto e a minha filha com 3 anos e meio também tem indicação para colocar tubinhos e remover adenoides. Será que pode indicar a médica por favor? Obrigada

      Eliminar
  37. Fui com o meu filho ao otorrino com um RX perinasal tinha ele 2 anos. O medico só de olhar para o tamanho dos adenóides disse me que ele não ouvia..... Fizemos timpanograma e não ouvia mesmo devia as otites serosas. Foi operado, raspou adenóides e meteu tubinhos. Ficaram lá durante 2 anos. Foi seguido de 6 em 6 meses. Soubemos na consulta em finais de 2016 que teria de fazer reconstrução de 1 tímpano porque estava deprimido. De a cerca de 3/4 semanas para cá não falamos com ele..... Gritamos.... Surdo que nem um calhau. Voltamos ao otorrino esta com os 2 tímpanos deprimidos e mantém as otites serosas internas pelo que rapidamente ira voltar a meter os tubinhos. O medico aproveitou e mandou repetir o RX perinasal porque como ele tinha apenas 2 anos (hoje com 8) podem ter aumentado e assim trata de tudo. Custa... São nossas crias..... Mas é para o melhor dele. Nao só para ouvirem como deve ser como para respirarem sem esforço....
    Em relação a 2 opinião..... Acho que tb devemos confiar nos médicos que escolhemos ou então escolher outros.
    O medico do meu Didi é o Dr. Gomes de Castro e não o trocava por ninguém :)

    ResponderEliminar
  38. Boa noite Joana, no caso da minha filha, que tem 4 anos, também esteve quase à "porta do bloco operatório", o verão resolveu todos os problemas, os exames que se seguiram ao verão revelaram zero problemas e este inverno não teve nenhuma otite... Mas com as amígdalas nunca houve razão de queixa. Penso que se torna mais premente a operação quando estão quase em idade escolar, nesse caso se houver perda de audição significativa pode não ser boa ideia esperar porque não vão conseguir tirar o melhor partido das aulas, mas no caso da nossa filha para além de não estar em idade escolar também não se punha em causa o atraso no desenvolvimento da fala pois o seu discurso estava bem desenvolvido para a idade, então a perda de audição que se verificou no Inverno e Primavera não lhe traria grande prejuízo. Assim optámos por esperar e resultou.

    Desejo-lhe boa sorte à Irene

    ResponderEliminar
  39. Olá Joana

    Quanto à apneia - não se trata de conforto, trata-se de saúde. A apneia pode ( e causará com certeza) causar problemas de saúde muito graves, hipertensão, insuficiência cardíaca, hipertensão pulmonar, pode propiciar diabetes, síndrome depressivos, obesidade, transtornos alimentares ( o corpo procura energia nos alimentos que deveria vir da função recuperadora do sono).
    Claro que acho que faz muito bem em procurar uma segunda opinião, mas tenha em conta as possíveis consequências.
    M;uitos beijinhos e as melhoras

    ResponderEliminar
  40. Boas mamãs o meu filho tem 4 anos e foi operado na passada sexta feira as adenoides l,amidalas e colocou tubos nos ouvidos ,mas estava a correr raiin no nariz claro... E parece que ele esta meio entupido do nariz e normal?! E esta com a voz diferente, parece que lhe custa falar isto depois melhora?! Obrigado

    ResponderEliminar