sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Quero ser mais feliz que isto! (#2) - Quero um frigorífico vazio!

Estou mesmo numa onda de resoluções, mas começo a achar que só por acaso coincidem com Setembro. Acho que estou mesmo numa fase de ter percebido coisas e de as estar a pôr em prática. Depois de, no primeiro post, vos ter falado que acabei com a minha relação sôfrega com o instagram (leiam aqui em: "Quero ser mais feliz que isto! (#1) - Adeus Instagram!"), agora quero falar-vos do que decidi quanto ao meu frigorífico.


Tinha de por uma foto para que aparecesse no thumbnail, achei que como estou girinha nesta e como isto fala de mim, sei lá! Não tenho fotos do meu frigorífico em condições, ainda! haha AINDA! Claro que está cortadinha na zona do pneu... hahah achavam! 

Há uns tempos li um documentário sobre minimalismo aplicado ao quotidiano por uma dupla de rapazes (The Minimalists) e isso tem-me inspirado a olhar para as coisas à minha volta com um maior filtro do que preciso e não preciso.

- Ter muitas coisas faz-me não conseguir usar nada porque nem sequer ver o que tenho

- Ter muitas coisas dá sempre aquela sensação de que "não tenho espaço para nada"

- Ter muitas coisas dá sempre aquela sensação de que "está tudo desarrumado" porque... guess what... é capaz de estar ;)


E, no caso do frigorífico, o que eu notava era: 

- Desperdiçava muita comida por não conseguir usar toda a tempo antes de se estragar. 

- Muito tempo de indecisão a escolher o que iria comer ou não comer.

- Frigorífico pouco limpo.


Agora tenho o mínimo indispensável


- Em vez de encomendar sempre 20€ do BioCabaz (é de onde mando vir todos os nossos legumes - biológicos - e de entrega gratuita), encomendo aquilo que precisar para AQUELA semana. Sem planear muito, mas não comprar tudo o que gosto, só porque sim. Comprar o suficiente para uma sopa e alguns snacks ao longo da manhã e tarde. 

- Vou mais vezes às compras num supermercado do bairro (esta semana já brindei um MiniPreço ali praticamente na Cova da Moura com a minha presença porque quero conhecer o que me rodeia - não estou a brincar) para as coisas pequenas que me faltem. Não leva assim tanto tempo e, na prática, isto resume-se a duas vezes por semana no máximo, vá. Que sempre que me falta alguma coisa, não tenho de ir a correr comprar, não é? 

- Sinto que estou a poupar dinheiro porque não tenho "fúrias de compras". Agora é para fazer as COMPRA TODAS do mês e acaba-se sempre por comprar coisas que não se precisa. 

- Tenho feito muita mais comida fresca para a Irene (e para mim, by the way), usando de forma inteligente as porções que faço num dia para darem para o jantar do dia seguinte, tentando cozinhar as coisas em separado para poder fazer mais combinações. Por exemplo: cozinhei as ervilhas fora do arroz. No dia seguinte pude só comer as ervilhas... 

- Tenho um frigorífico tão lindo, arrumado e limpinho... Sempre que o abro tenho aquela pica de "ahhhhhh a vida está toda arrumadinha, é isto mesmo". E, tendo em conta as vezes que abrimos o frigorífico por dia, é uma boa coisa para se sentir. 


Só vejo vantagens, mais uma vez, nesta resolução. Estou contente! :) Isto vem acompanhado de outras resoluções que depois vos falo. Como funcionam com os vossos? 


Se quiserem ver um vídeo (cheio de comédia e humor porque sou muito engraçada) que fiz sobre isto, fica aqui:





7 comentários:

  1. Eu nunca faço compras do mês. Gosto de comprar no mercado semanalmente pq gosto de ter apenas o essencial. Ainda assim e porque não uso quase congelados, os frescos duram mesmo muito pouco tempo. Ou são restos de alface, ou courgettes que se estragam...ou limões no fundo da gaveta...É uma luta pra não ir nada para o lixo, mas manter o frigorífico limpo é fundamental e reflecte-se na nossa saúde e bem estar. Boas resoluções 😉 o conceito minimalista e o verbo destralhar pra mim são fundamentais, há mt tempo, mesmo antes de serem "moda". São boas modas! 😊

    ResponderEliminar
  2. Vi o documentário dos minimalistas, li as dicas da Marie Kondo, mudei de casa e apesar de ainda ter tudo enfiado em caixotes já decidi o que vou manter e o que vai à vida a nível de tralhas da casa. Nas roupas doei tudo o que não usava ou gostava, fiquei só com o essencial. Tão melhor ter de gerir pouca coisa!

    ResponderEliminar
  3. Uma amiga um dia disse-me que entrava na minha casa e sentia que estava numa casa de férias. Aquela sensação que temos, quando vamos para uma casa que tem apenas o essencial, sendo confortável e acolhedora. Casa, frigorífico, roupa, tempos livres, relações...quando começamos a viver de acordo o que traz sentido e significado à nossa vida, acabamos por largar imensa coisa. E a sensação que fica é ótima. Vivemos de acordo com a nossa verdade, com aquilo que nos faz sentir bem. A vida fica mais leve ;)

    ResponderEliminar
  4. Joana, adoro estes temas sobre minimalismo e assim! Eu tb desisti da minha conta do Instagram no dia em que o meu filho fez 1 ano (achei que seria um bom presente para ele poder estar mais presente sem andar a espreitar mil e uma fotos que não interessam para nada) e tem sido maravilhoso! Já lá vão quase 6 meses e não sinto faltinha nenhuma. Já há mts anos que pratico uma vida minimalista e é viciante: começamos por arrumar os armários e de repente estamos a arrumar a vida toda. :p bj

    ResponderEliminar
  5. Tens problemas Joana!! Tens mesmo de te arrumar!

    ResponderEliminar
  6. Eu quero um frigorífico cheio aos sábados e vazio às 6as :P eu e o meu marido planeamos as nossas refeições e vamos às compras uma vez por semana (aos sábados). Nunca deitamos fora comida e não tenho paciência para andar todos os dias a passar na loja X ou Y a comprar algo que falta. Já sabemos as nossas rotinas e conseguimos ser organizados e planear assim.

    ResponderEliminar
  7. Eu uso imenso legumes congelados. Não se estragam . É top. E decidi passar a usar relógio!! Assim reduzi às vezes que mexo no tlm e o tempo associado que perdia a ver notificações.😊

    ResponderEliminar