segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A minha filha não diz nadica de nada.

Se fosse filha de primeira viagem, ai se fosse filha de primeira viagem, já teria ido com ela a uma terapeuta, a um otorrino, à bruxa, mandar lançar os búzios, para ver se estava tudo bem. 

Mentira. Com a Isabel sempre fui muito do relax também, no que aos timings de desenvolvimento dela dizia respeito. Nunca tive grande pressa para nada. Via-a feliz, não notava problemas ou dificuldades à primeira vista e esperei sempre. Andou bem mais tarde do que a prima - que tem um dia de diferença -, que começou aos 9 meses. Ela lá começou aos 15 (? confesso que não me lembro) mais que a tempo e super confiante. Quando foi, foi. Não tive de lhe sacar das mãos nem empurrar para que andasse sozinha. Quando reuniu tudo no cérebro dela e se sentiu confiante, deu os primeiros passos.
Com a Luísa, vou notando algum desejo em algumas pessoas de que comece a falar. (avó Béu, estás aí?) "Então ainda não diz nada?" Não. "Mas já não devia dizer?". Devia, devia recitar já. Calma. Tem 14 meses.

Diz olá - há alguns meses; diz uma espécie de "adeus" - adê; diz "dá". E é isto. Disse "mamã" uma ou duas vezes até hoje e - giro - foi quando o pai a tentava adormecer. "Estou em apuros! Não quero este a adormecer-me! Mamãaaaaa!!!" Espertinha. Já disse qualquer coisa como "papá", mas nada muito consistente nem repetido. 

E então?! 

Vamos a ter calma. Nem está a ser pouco estimulada, nem está atrasada ou é preguiçosa (e se for, terá ajuda, a seu tempo). É a Luísa. E a Luísa é uma macaca, adora trepar tudo, dança muito, é muito física e deve andar mais concentrada nessa área. Um dia destes, começa a disparar palavras que nunca mais cala.
É verdade que já percebeu que apontando e fazendo "aaaaa" quando estamos a beber água, terá água. Ou que quando não quer algo, agita a cabeça como quem diz não. Aponta para a fralda quando tem cocó. Procura-me quando quer maminha e aponta, escolhe que mama quer. Corre, pede colo, pede comida com gestos e estalidos. Quando se magoa, aponta para a zona que magoou e faz um "oh" e dá um beijinho e pede um beijinho. E lá nos vamos entendendo.

Porque acho que a estimulo o suficiente?

Porque, apesar de me recusar a não lhe dar os objectos pretendidos sem que ela os tente nomear - como já vi várias pessoas sugerirem,
  • canto para ela
  • quando aponta para algo, nomeio sempre o que ela quer; aliás, faço disso quase um jogo, com os objectos na mão: queres a taça? ah! queres água?! Á-G-U-A
  • digo as palavrinhas bem ditas e não como ela diz "adeus" é "adeus", não digo chicha nem nada do género (apesar de usar, além de "carro", "popó", com a Isabel, e "memé", e ela saber muito bem dizer "carro" ou "ovelha"). 
  • falo bastante com ela, explico-lhe o que estou a fazer e o que vou fazer, ou como me sinto
  • deixo-a ver videoclips infantis e ouvir músicas infantis 
  • conto-lhes histórias (só agora consegue ouvir uma até ao fim, ao contrário da irmã, que ficava atenta desde os 8-9meses).

Como a Isabel, mesmo estando na escola desde os 6 meses, não foi muito mais precoce que a Luísa a falar, não me preocupo mesmo nada. E agora é uma gralha e expressa-se bem, faz frases grandes e condicionais, usa palavras como "experimentar", por exemplo, o que para 3 anos não é nada mau. Também diz "mais maior" e coisas do género, claro. Tudo normal. :)


Por isso, gente que anda para aí a remoer-se toda por dentro porque os filhos ainda não falam, muita calma nessa hora.

Se acham que já ultrapassam o intervalo de tempo expectável, então sim, não perdem mesmo nada em procurar a opinião do pediatra e de um terapeuta da fala (ou se, até aos 3 anos, além de não falarem, não engolirem sólidos, ninguém entender o que dizem, babarem-se excessivamente, gaguejarem muito, aqui como eu, entre outras coisitas*). Às vezes mais vale excesso de zelo e detectar algum problema numa fase precoce, porque mais facilmente evoluem, do que esperar pela escola para resolver.

Susana Cabaço Fotografia
Site aqui.

Roupa Zippy 


*não sou terapeuta da fala nem nada que se pareça, é só informação que fui lendo.

 
Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade.

9 comentários:

  1. Ela é tão linda!!! Aliás são as três: mãe e filhas. E também acho que tem toda a razão no que diz (ou escreve). Cada criança é uma criança e tem o seu timing. As mães estarão cá para acompanhar, estimular e ajudar da forma que acharem melhor :)

    ResponderEliminar
  2. Nem mais Joana! Sou mãe de primeira viagem mas relax também. O meu filhote tem praticamente a idade da Luísa, tem 15 meses, é de 11 de Maio e acho que a Luísa é de 31, certo? Gatinha por todo o lado e trepa tudo, anda agarrado com uma mão a tudo, e até já deu um passito sozinho, mas ainda não anda. Diz mamã, papá e água ("abua"). Sabe bem expressar-se apesar de ainda não falar. E daí? Será quando ele estiver pronto para isso. É feliz e muito amado, só isso nos importa. Quando ele quiser e estiver pronto para isso.
    A vida já tem tanta regra e passa tão depressa, porquê a pressa de alguns para que eles cresçam ainda mais rápido?!
    Um beijinho! (Às duas Joanas)
    Gosto muito do vosso blog

    ResponderEliminar
  3. Aos 14 meses ja deveria saber falar, andar, ler, escrever e pensar em ir trabalhar que a vida custa a todos!

    ResponderEliminar
  4. Por aqui ela tem um anito (faz hoje, ieeiiiii) e há uma pressão ENORME para que ela comece a andar! Chega a ser doentio por parte dos avós! Nós sentimos que não tem que ser assim e revemo-nos nas palavras da Joana! Mais que os pais, os avós têm muita pressa para que eles se desenvolvam e fazem mesmo muita pressão.. não gosto mesmo nada! Infelizmente não posso fazer grande coisa porque eles é que tomam conta dela enquanto estou a trabalhar e fazem com ela o que querem! 😐

    ResponderEliminar
  5. A minha filha Maria, de 13 meses é o contrário da Luísa: diz muitas coisas e mal levanta o rabo do chão. Só ontem é que se conseguiu por em pé agarrada à cama. Começou a gatinhar já depois de ter um ano.
    Já a irmã, que tem agora 3 anos, não disse quase nada até aos 2 anos, mas já nadava sozinha muito bem e nem dentes tinha (aos 11 meses). Cada uma ao seu ritmo e com as suas diferenças. :P Sem stresses.

    ResponderEliminar
  6. Olha, o próprio do Einstein só falou aos 4 anos!!!! Quando lhe perguntaram porque não falava antes respondeu que não tinha nada para dizer. Falou quando tinha de falar!!!! Aquando da minha filha agora com 5 anos, também andou tarde e falou tarde o que eu respondia era do género "pois ainda não fala/anda mas já respira sozinha, não é o maximo?" Ficavam a olhar para mim como se fosse louca e para a minha filha como "coitada da miúda, ter uma mãe assim...!!!" Adoro estes comentários tenho sempre uma na manga para esta gente que eu chamo "os sem noção"!!! Kiss kiss

    ResponderEliminar
  7. A minha filha Rita (mais nova, depois de dois rapazes) só começou a andar depois dos 15 meses e a falar bem depois dos dois anos. Nem imaginam o que me chatearam, depois de dois rapazes trepadores e tagarelas...
    Mas ela era uma princesa.... tinha colo de toda a gente e bastava apontar e todos lhe davam as coisas! E tinha outras habilidades, comia e dormia lindamente!
    Quando entrou na creche, aos 2,5 anos, começou logo a fazer frases inteiras! Uma vez, logo em outubro, íamos as duas no carro e ouço assim:" hoje na escola comemos sopa de feijão com cenoura".... Até dei um salto!!
    Talvez por isso pronunciou sempre bem as palavras.

    ResponderEliminar
  8. Por aqui é o contrário. :) A minha filha começou a andar já tinha mais de ano e meio. E acreditem que se repara bem mais num bebé que ainda não anda do que num que não fala. :D Até na rua as pessoas me paravam e perguntavam que idade ela tinha e porque é que ainda não andava. É que quando digo que não andava, não é andar de mão dada. Não, ela com 18 meses simplesmente não dava passos nem agarrada a nada. :)
    Por outro lado, para falar, não há quem a cale. E com pouco mais de um ano já dizia quase uma centena de palavras. Frases começou a fazer pouco depois. Ainda não tem 2 anos e já tenta contar histórias e cantar canções completas. Cada um com o seu ritmo. :) O importante é mesmo não stressar e dar tempo ao tempo. :)

    ResponderEliminar