quinta-feira, 2 de março de 2017

A internet veio estragar as pessoas.

Isto foi a reacção de uma colega minha quando lhe contei do comentário de uma leitora a este post que a Joana escreveu: "a internet veio estragar as pessoas". 

Fotografia: Rui Valido.

Logo tentei argumentar (apenas por diversão porque ainda não pensei seriamente nisto) e disse que "quanto muito, a Internet veio revelar o pior das pessoas". Não me entendam mal, acho que consigo fazer bastante bem uma filtragem dos comentários que devem ser tidos em conta e os que não. Aqueles que me afectem muito poderão provocar uma reflexão na minha pessoa para me interrogar sobre o porquê ter tido aqueles sentimentos a ler aquilo e, depois de identificar o motivo, tento trabalhar nele. São inputs. Até as coisas mais maliciosas ou mais desprovidas de conteúdo podem ser óptimos gatilhos para reflexões. Tudo depende da nossa vontade e disponibilidade e capacidade, claro. Até agora só houve um que me tivesse irritado.

Hoje não me irritei. Hoje li aquele comentário e pensei: "há gente que perde imenso tempo com coisas desnecessárias". Eu nunca, nunca na vida me iria dar ao trabalho de comentar um blog (eu nem leio blogs, só para que tenham a noção do bicho) fazendo referência à roupa das pessoas ou criticando a escolha das roupas da mãe para a filha. Não entendo sequer a utilidade disso. Nem percebo a vantagem que isso terá para a pessoa que comentou.

Compreendo que, em temas mais apaixonados, toda a gente dê o seu bitaite e que seja quentinho estar atrás do computador para sair algumas frustrações ou para não termos que ter aquele tacto (que temos de ter em tudo, é uma chatice, é sempre tudo muito sensível e na internet parece que há um mundo sem responsabilidades, extremamente apelativo ao nosso lado mais infantil) praticamente o dia inteiro. 

Agora: 


Houve aqui claramente uma escolha das palavras para não magoar, para não ser ofensiva, mas lembrou-me daquelas colegas do secundário que diziam sempre "não me leves a mal, mas essas botas fazem-te parecer um bocado puta". Não me diziam a mim. Não usava botas desse género, sequer. 

Onde é que passamos a ficar tão pseudo-confiantes das nossas opiniões sobre vestuário para acharmos que todas as outras não são válidas? A minha filha não parece uma palhacinha. Poderá parecer a esta Ana, mas é uma coisa que se comente? Que se torne pública? Qual o intuito deste tipo de observações?

Não me lembro se foi ela quem escolheu a roupa naquele dia ou não. Sei que, provavelmente, não me terá dado grande opção em relação ao calçado, mas...  isso é importante?

Claro que tudo o que é importante é discutível. Até podem dizer que nada neste blog é importante, mas já sei que é. Muitas mães nos dizem que as ajudamos em muita coisa. E, sinceramente, a mim ajuda-me imenso escrever com regularidade e ter as nossas vidas registadas num diário tão pormenorizado. Gosto. Também me agrada quando temos oportunidades de negócio, como é óbvio. 

Não disseram que a minha filha é feia - antes pelo contrário - mas isto, para mim, já vai um pouco além do que me parece aceitável. Claro que, se tenho um blog, se me exponho, tenho que aceitar. Epá, tenho? Até poderia não ter aprovado, mas cada vez mais sinto que só devíamos dizer online aquilo que fossemos capazes de dizer frente a frente. 

E que também aquilo que comentamos deve ser alvo de reflexão. O que me leva a escrever isto? Porquê? O que é que retiro disto?

No meu caso, não se preocupem que faço aqui uma boa gestão, mas confesso que me deixa preocupada com a "humanidade" e esta necessidade constante de apontar dedos (não me estou a elevar, estou só a dizer que estou a tentar nadar contra a corrente - que também é minha). 

Ana, nada contra si pessoalmente (como? nem a conheço), mas serviu apenas de inspiração. Poderá ser uma pessoa maravilhosa e cheia de ternura e carinho (fartou-se de fazer elogios à minha filha e à Joana), mas confesso que me deixou a pensar... 


Beijinhos, 

a Mãe da palhacinha. 

...............

Sigam-nos no instagram aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.


32 comentários:

  1. Joana G, concordo que nada justifica esse tipo de comentários e nem é uma coisa que eu própria fizesse. Mas talvez a leitora se tenha sentido a vontade para fazer esse comentário tendo em conta as varias vezes que a própria Joana brinca com o assunto - com o facto de ser uma mãe cool e desprendida e que não é dada a golas a beta como a outra Joana. (atenção, não faço critica alguma quer as golas que adoro ou outro estilo mais desportivo que também gosto). Isto querendo dizer e natural que as coisas ditas por outras pessoas tenham uma repercussão diferente do que ditas por nos na brincadeira. Mas ha pessoas que se calhar se esquecem disso.

    :)

    ResponderEliminar
  2. Boa tarde Joana G.,
    Infelizmente existe muita malícia nesta vida, apenas acredito que umas pessoas são mais discretas que outras.
    Se fosse a si não dedicava muito tempo a pensar no assunto, deixe a futilidade alheia. Porque quem quer dizer alguma coisa negativa vai sempre conseguir, nem que seja para falar do ângulo da fotografia.
    Gosto imenso do blog, comento pela primeira vez. Mantenham sempre este bom espírito maternal.
    Beijinhos
    Carla

    ResponderEliminar
  3. Querida Joana!
    Olá, sou a Ana. Antes de mais, peço imensa desculpa pelo modo que o meu comentário ficou. Só agora com este post é que vejo o lado mau, e tem razão!
    Não era a minha ideia, nem a minha intenção. Mas parte do que diz é verdade. Quando nos tornamos "publicas" acontecem destas coisas.
    Mas não me tome como uma qualquer hater sem qualquer conteudo como já vi por aqui.
    O meu comentário era como que uma sugestão. Se vocês dão as vossas, achei que podia dar a minha.
    O "palhacinha" era também com uma conotação menos negativa do que intrepertou... Era um jeito, meio piada, meio fofurice carnavalesca de dizer que essa roupita não batia a bota com a perdigota!
    E sinceramente, acho que faz muito bem em deixar a pequena optar pelo que quer vestir. Mas eu reduziria as opções a peças que fizessem algum sentido. Lá está, vocês dão a vossa opinião e eu dou a minha (se calhar devia criar um blog para o fazer). E esta opinião diria-a igualmente frente a frente. A questão é que quando acompanhamos alguém de forma virtual (ao ler o blog) por algum tempo, ganhamos alguma ilusória confiança como se conhecessemos de facto as pessoas. o que não é bem assim.
    Bem, não me alongo mais, e para que não seja mal interpretada nem atacada por um inofensivo comentário (admito que mal conseguido) passo a abster-me de comentar.
    Mas deixe-me que lhe diga, que a menina é mesmo muito gira, e a Joana até se veste bem, e eu adorava ver a Irene com roupinhas janotas a combinar!
    (Mas as roupas não tiram nem um bocadinho do gira que a miuda é!)
    Beijinho e desculpe!

    Ana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Oh Ana!!!! Que amor!! Desculpe se a fiz sentir coisas menos boas... Obrigada pelo miminho de ter comentado. Não se abstenha de comentar, assine como a Ana da palhacinha e assim eu já sei que não tem mau fundo heheh

      Um beijinho e obrigada

      Eliminar
    2. A falar, ou neste caso a escrever, é que a malta se entende :-)

      Eliminar
    3. Adorei a forma como as duas geriram tudo isto. Parabéns às duas 🤡 😆

      Eliminar
    4. Joana G. o que realmente importa, é viveres!!!! E seres feliz, aproveitar a delícia do tempo que passas com a tua filha, porque são pequeninos apenas uma vez!!!!
      O que vestem....é o que acharem mais giro hoje, ou mais confortável amanhã, ou até o que a própria Irene achar Top!!!
      O que realmente interessa, é viver!!! O resto... são coisinhas que não levamos desta vida!!! ����

      Eliminar
    5. Ah,e já agora, se é a roupa que está na foto, ( deixando também a minha opinião já agora) para além de fofa, está cool!!!!
      Quanto ao que a Ana referiu, sobre a confiança ilusória, de facto para quem está aqui deste lado a acompanhar-vos diariamente, posso confirmar que realmente acontece, porque inconscientemente achamos que ao seguirmos o diário, as opiniões, e as piadas daquelas pessoas todos os dias, ( como as Joanas ), já as vamos conhecendo, e estabelecendo a tal "confiança".

      E para quem está a escrever o blog, desse lado, é diferente ouvir/ler/sentir, aquilo que também se diz/escreve desse lado! A percepção é diferente.

      E a falar/escrever é que as pessoas se entendem!

      😉

      Eliminar
    6. Conheço este blog há pouco tempo e quando li este texto tive logo vontade de vir dizer que a outra bebé é uma fofa (desculpem, às vezes ainda faço confusão com quantas filhas afinal há e quem são as de quem) é uma fofa, e que maldade alguém dizer que uma bebé possa ser feia (a não ser o seinfeld e os amigos, no episódio em que demonstraram e justiça de no fim serem julgados por maus

      Eliminar
    7. Maus samaritanos. Mas agora não resisti (apesar da dificuldade em escrever no telefone). Que grande lição de elegância, a maneira como foi feita a crítica ao comentário, dando o benefício da dúvida. E a prova da elegância está precisamente aqui em cima, na réplica da comentadora.
      Um 'ufa' valente por saber que nisto dos blogs afinal também há quem saiba reagir, sem ser com chapadinhas de luva branca idiotas.

      Eliminar
  4. Pausa.Ri-me tanto com o comentário da Ana. A começar pela parte, de pedir conselhos à outra Joana e a acabar com a parte de a vestir mal.
    Ainda hoje tento compreender o que ganham as pessoas em fazer estes comentários.Para mim, são pessoas muito infelizes, muito frustadas que devem dormir melhor por escreverem este tipo de comentários , só pode...
    Será que o seu ideal da maneira de vestir se deva aplicar a todas as pessoas?
    Por a menina não andar vestida como a Ana acha que deva andar vestida,se veste mal?
    Ahhhh e o melhor de tudo pedir conselhos à outra Joana? Ahahahah
    Esta sim,foi mesmo muito boa esta foi mesmo riso total.
    Oh Joana não ligue são só pessoas que gostam de implicar, a sua menina é tão gira, tão querida e tão simples.

    ResponderEliminar
  5. Joana já sei que não lês blogs.. mas este texto docemente escrito pela minha amiga, encaixa na perfeição este sentimento que descreves no teu texto. Porque há blogs que valem a pena serem lidos. Nem que seja para nos inspirarmos para escrevermos nos nossoS. Há pessoas boas ainda.. há pessoas que pura e simplesmente são verdadeiras e espalham amor!! Fica a dica de leitura 😊
    Beijinhos

    https://www.facebook.com/vamoscomcalma/posts/1870548013157057:0

    ResponderEliminar
  6. Joana Gama, a miúda e a mãe São mesmo giras com qualquer "trapinho" :) lindas!!

    ResponderEliminar
  7. Vá, ao menos iam (mãe e filha) a combinar. Já que aproveitas os comentários menos bons para refletir aproveita para o fazer a ver se se começam a vestir melhorzinho.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falando em pessoas mal amadas por detrás de um teclado...
      o texto é bom portanto o (pseudo) insulto já serviu de alguma coisa: inspiração. Quanto ao mudar mentalidades... não me parece que vá acontecer (como é que alguém consegue vir destilar ódio num post que fala exatamente sobre isso?).
      Vai (tentar) fazer miúdas giras como a Irene, para ver se isso te passa, anónimo.
      De um anonimo com bom carácter.

      Eliminar
    2. Anonimo das 23.17, já os fiz e não os visto assim.

      Eliminar
  8. Sou do team da Joana toda beta!! Eu tb gostava de ver a Irene mais abetalhada mas a mãe dela é que sabe! Mas já temos as carneiras...Devagar acho que vamos lá chegar! Bjs Sandra

    ResponderEliminar
  9. Joana, assim como nos filmes, nas séries, nas bandas musicais há sempre aquele que é o nosso preferido, acho que num blogue onde duas pessoas partilham experiências das suas vidas acaba também por existir não digo uma favorita mas sim aquela com a qual nos identificamos mais. Há quem se identifique com as golinhas super fofas da outra Joana e há quem se identifique mais com os looks mais descontraídos da Joana. Eu adoro-vos às duas e acho que as vossas meninas andam sempre lindas cada uma à sua maneira.

    Susana Neto

    ResponderEliminar
  10. Bem, eu só acho que não somos todos obrigados a gostar do amarelo.
    Portanto o q eu gosto vocês podem não gostar e vice versa.por isso a forma como cada um se veste ou pinta ou o q come ou seja o q for não devia ser discussão :) na minha opinião pode estar mal combinado mas na da Joana ate pode estar bem?qual é o problema? Mentes pequenas.
    Ana Luisa

    ResponderEliminar
  11. Nem 8 nem 80. Não é preciso estar toda betolas para estar bem vestida. Só se pede um bocado de bom senso quando se tem um blog visto por tanta gente. É que a miúda está mesmo mal vestida. A culpa não é da internet. A Irene, que é tão tão gira, vai ter os mesmos traumas dos miúdos dos anos 90, só vai ter fotos com roupas terríveis.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Exato. O trauma. Parece mesmo roupa à antiga

      Eliminar
    2. Neste caso tanto mãe como filha estão mal vestidas... O trauma vai ser das duas. JG, por favor, essa camisola é pavorosa e lembra-me umas que eu tinha...nos anos 90. e o padrão da camisa por baixo ajuda a piorar. Já a Irene está com peças tão giras mas super mal conjugadas... Uma pena porque são ambas umas miúdas giras. A foto só do rosto da Irene no outro post está um encanto, apetece fazer bebés só para ver se saem iguais a ela!

      Eliminar
  12. Gente, é SÓ roupa! Nada mais! Porquê apontar o dedo a algo que cada pessoa tem e devia de ter liberdade de escolha? E outra coisa...é uma criança! Porque tantas opiniões mesquinhas e mentes fechadas..
    Aqui fala alguém que lhe apontaram o dedo na escola porque vestia o que queria...e imaginem só, apenas vestia-me maioritariamente de preto :)
    Cátia

    ResponderEliminar
  13. Joana, não podes dizer abertamente, e várias vezes, que não sabes vestir bebés, para depois ficares ofendida quando te dizem de forma educada de facto não sabes vestir bebés. Achei o comentário da Ana super educado, e lá está, se vocês vão dando info sobre os trapinhos das meninas, é normal q a malta opine sobre os trapinhos. Dizer que uma pessoa está "estragada" por ter feito um comentário, na minha opinião, tão banal como o da Ana (eu n interpretei o palhacinha como ofensa), é que é um bocadinho triste. Acho q a Necas tem roupinhas muito lindas, só precisam de ser combinadas como deve ser. Mas na roupa, como em tudo, a mãe é q sabe! :)

    ResponderEliminar
  14. eu tenho a mesma opinião que a Ana. A miúda é linda mesmo (assim como as duas da outra Joana) e a Joana veste-lhe de uma forma que quase parece "desmazelo"...e a Joana é tudo menos "desmazelada" em relação à sua filha. A minha filha fica no meio termo entre as golas e o demasiado cool/descontraído...e claro está que o mais importante é o conforto. Não se sinta ofendida, não é esse o objetivo..é so uma partilha! A Ana (nem eu) tinha a intenção de ofender! Gosto muito das duas Joanas, adoro o vosso blog e a verdade é que é só roupa...e será sempre "a mãe é que sabe"! beijinhos
    Sofia

    ResponderEliminar
  15. Sou nova nestas andanças de maternidade mas cedo percebi que há muita gente que tem as prioridades completamente trocadas. Há maior preocupação com as toilettes dos bebés e das crianças do que em dar-lhes aquilo que eles realmente necessitam: tempo, amor, carinho, atenção, dedicação. Há quem faça fretes a cuidar dos filhos, há quem só abra a boca para se queixar e para reclamar. Mais vale não perder muito tempo e "vestir mal" as crianças (e por mal entenda-se sem roupas de griffe, da moda e iguais às roupas de tantas outras crianças que por aí andam porque assim é que é bonito, todas iguais e formatadinhas pelas lojas e pelas mamãs)e ganhar tempo para estar com os filhos.

    ResponderEliminar
  16. Olá! Eu cá acho a Irene linda, seja com que roupa for! A MÃE É QUE SABE!

    ResponderEliminar
  17. A Irene, que é uma loirinha linda, realmente podia ter ido um bocadito mais bem vestida! Mas epa... Todas nós sofremos nos anos 80/90 com algumas roupas horrorosas das nossas mães/avós ou tias e estamos aqui inteiras! :D

    Joana

    ResponderEliminar
  18. Ao ler o texto (ainda antes de ler o novo comentário da Ana da Palhacinha) estava-me a lembrar do pensamento com que adormeci ontem (nem sei bem porquê): uma coisa é frontalidade e outra é má educação. Não acho que a linha que as separe seja tão tenue assim mas às vezes parece que há quem as confunda. Se eu acho que alguém é má pessoa e lhe digo que é uma %#&"%!?# (vocês percebem!), não estou a ser frontal nem honesta, só mal educada. Se para dizer que, na sua opinião, uma bebé não se veste muito bem e usa o termo "palhacinha", podia escolher uma palavra melhor mas também não me parece ofensivo. Dizer que uma bebé é feia, isso sim já é toda outra conversa. Em too o caso, ainda bem que tudo se resolveu :)

    Cisca

    ResponderEliminar
  19. Eu que nunca comento... Incrível, não sei como perdem tempo a dizer como gostariam que os filhos dos outros andassem vestidos. Não é a vossa filha. Não é da vossa conta. Também não querem dizer à Joana como queriam a sala dela decorada?! E que tal lhe pagarem a conta da luz também? Não sei como existe aqui tanta leitora tão à vontadinha... É realmente o mal da internet.

    Marisa Ferreira

    ResponderEliminar
  20. Só sou eu que me irrito quando dizem que é uma pena que a Irene ande tão mal vestida sendo uma menina tão linda? Porque se fosse feia então já não importava quão palhaça a mãe a vestia, é isso? Please...

    P.S.: eu não estou com este comentário a tecer algum parecer sobre a maneira como a Joana veste a Irene ou se a miúda é gira/feia/mimada/desprezada/espírito livre/traumatizada e tudo o mais que possam vir a querer insinuar que eu possa ter dito.

    Raquel B.

    ResponderEliminar