5.28.2019

A minha infância

Fui uma criança muito feliz. Senti-me amada. Deram-me liberdade. Ouvia muita música e cantava muito. Andava de bicicleta na Perofilho, comia amoras acabadas de apanhar e tomava banhos de mangueira e de balde no quintal da minha avó Rosel. Apanhava nêsperas da árvore. Apanhava boleias nas ondas, no verão. Comia gelados, que derretiam pelas mãos e que eu lambia. Chupava o sal dos cabelos, acabados de sair da água do mar. Fazia amigos na areia. Fazia pinos e andava nua pela praia. Brincava no recreio da escola, jogava à macaca e ao elástico. Imitava os Onda Choc. Via novelas - adorava a Babalú da Quatro por Quatro - e o Baywatch quando chegava a casa. Punha a cassete com as gravações de desenhos animados, dos quais já sabíamos as falas de cor. Fazia ginástica e pontes no quarto. Andei na natação e nas danças de salão e na música e no coro. Bebia leite com cevada em casa da minha avó Isabel. Desmembrava os sofás com o meu irmão para saltarmos e brincava com os bibelots que eram meninas e cães e sei lá mais o quê. Comia caracóis com torradas e um sumol de laranja. Lia muitos, muitos livros. Ia para a cama dos meus pais aos sábados e domingos de manhã, ouvir anedotas e apanhar cócegas. O meu pai secava-me o cabelo, em cima de um banquinho verde tropa, com um rolo, para as pontas irem para dentro. Tinha um vestido amarelo torrado que adorava e com o qual me sentia vaidosa. Fazíamos viagens maiores a ouvir Shade, Delfins e Os Bandemónio. Eu cantava a viagem toda. Usava borrachinhas de cheiro e canetas de cheiro para colorir os meus cadernos, sempre impecáveis. Alugava filmes no clube de vídeo, mesmo em frente ao nosso prédio. Fazia coleção de cromos e autocolantes (aqueles dos fantasmas que brilhavam no escuro!) e de posteres das Spice Girls, dos TakeThat e dos Backstreet Boys. Tinha um do Hugo Leal, um crush, apesar de ser do Benfica. Ficava escondido do lado de dentro do armário para lhe poder dar beijinhos à vontade. Adorava a Bravo e a concorrente. Tinha cassetes que ouvia na aparelhagem do quarto. Escrevia no diário todos os dias e apaixonava-me muito. Ia para Lisboa para os ensaios dos Onda Choc e do coro dos Jovens Cantores de Lisboa. Faltava às aulas para ir ao Buereré atuar, mas tinha justificação por "atividade cultural". Partilhámos camarim com estrelas da altura, com os Milénio e tirei fotografias com os Anjos. Pedi autógrafos aos Excesso, antes de um concerto. Fui à Expo 98 e adorei o pavilhão da China. Gritei muito e chorei muito com os jogos da selecção nacional. Recortei o Figo das revistas. E adorava a Naomi e a Cindy Crawford, mas a minha preferida sempre foi a Elle Macpherson (que vi, anos mais tarde, numa fila para o cinema em Londres e ia tendo uma coisinha).



A minha infância foi... mágica. 
Voltava lá por um dia.

E vocês?


17 comentários:

  1. Adorei a descrição.
    A minha também foi mágica

    ResponderEliminar
  2. Revi-me em muitas coisas e tive saudades, mas a minha infância não teve a leveza suficiente para lá querer voltar. Talvez voltasse à adolescência :)

    ResponderEliminar
  3. Por aqui outra com um crush pelo Hugo Leal. Acho que foi isso que me fez ser do Benfica!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AHah eu não podia. Gostava dele às escondidas 🤣

      Eliminar
  4. vivi ate aos 14 anos numa aldeia pequena no Nordeste Trsnsmontano e fui tão feliz! Tenho mais 4 irmãos e juntos eramamos a maioria na nossa rua. No inverno fugiamos de casa para ir fazer bonecos de neve apesar do frio e dos ralhetes da mãe e da avó Isaura�� era com ela que eu e aminha irmã isabel no outono corriamos os campos a procura de cogumelos selvagens. No verão andava descalça na rua tomávamos banho no tanque e no rio. Ia a horta colher legumes pra comer na hora subia as árvores e apanhava fruta. Os primos chegavam de longe e a nossa rua ganhava tanta alegria. Via novelas com a minha avó e ela fazia a melhor sopa do mundo que tinha um sabor como nenhuma outra. Ouviamos cassetes no radio e fazia gravações a imitar os cantores,cantei no coro da igreja�� os verões eram longos e muito quentes os invernos passados a lareira a ler com a minha irmã. Jogavamos ao elástico á macaca e a bola .esfolei os joelhos tantas vezes, caí de bicicleta. Brincava as barbies com a minha irmã e faziamos roupa pra elas. Aprendi a bordar nalgumas tardes de verão com a minha tia Domitila que tem maos de fada mas nao me conseguiu ensinar a fazer crochê porque eu nao atinava com aquilo. ����.
    Apanhei batatas no verão,uvas no outono e azeitona nos dias frios de inverno.
    Nesses dias o tempo corria maus devagar. Tive uma Infância feliz!



    Maria Pires

    ResponderEliminar
  5. Também adorei a minha infância! Fui mesmo muito feliz! Tive a graça de ter nascido no seio de uma família maravilhosa. Espero que a minha filha tenha uma infância igualmente feliz, leve e despreocupada como eu tive. Revejo-me em muitas das coisas que escreveu.

    ResponderEliminar
  6. Revi me em tantas dessas tuas descrições.. A concorrente da Bravo era a Ragazza? Já não me lembro bem. Gostava tanto que o meu pequenito tivesse esta liberdade que tínhamos na nossa infância. E sim, nem que fosse só um dia das férias de verão eu amava voltar á minha infância na minha aldeia perto de Torres Vedras

    ResponderEliminar
  7. Adorei o texto! Revi-me em muita coisa... Nomeadamente andar de bicicleta na Perofilho 😍😍😊

    ResponderEliminar