sexta-feira, 6 de abril de 2018

Já sei por que é que ela dormiu a noite toda!

Quero partilhar convosco esta conclusão parva. Ela dormiu a noite toda para descansarmos e nos prepararmos para o PIOR!!! A Luísa tem terrores nocturnos, achamos nós. A bebé passa-se! Esperneia, irritada, não quer mãe, nem pai, nem cama, nem colo, nem mimos, nem abanos, nem nada! É desesperante, parece que tem o diabo no corpo. Achamos que a Isabel também teve e talvez a memória tenda a desvalorizar e a parecer menos perturbadores, talvez agora tenhamos o receio extra de que acorde a irmã, talvez agora andemos ainda mais cansados e nos custe ainda mais, não sei, mas os gritos são tão fortes que às vezes até me apetece chorar com ela. Estivemos a tentar perceber o que pode estar a causar estes momentos angustiantes e não houve assim nenhuma mudança significativa na vida que consigamos detectar nos últimos tempos. Não é caso de médico por enquanto, estamos cheios de esperança que seja uma fase passageira. Mas o que é certo é que tem acontecido TODOS-OS-DIAS e é muito mesmo muito cansativo.

Vamos lá ver como corre neste fim-de-semana, que vamos passear até Grândola (vamos finalmente conhecer a Terra do Sempre, que já está na minha lista há que tempos). A rezar para que não tenha mais episódios destes. Os vossos têm / tiveram? Não há muito a fazer, certo? Estar ao lado, sem acordar e pronto... (claro rever as rotinas, ver se há algo que a ande a apoquentar...). Boa sorte se também sofrem com isto e se também devem muitas horas à caminha. <3



Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:

28 comentários:

  1. Também passamos por isso com a Francisca. É desesperante porque não há nada que a gente faça que ajude a acalmar, parece que quanto mais falamos com eles pior é. E não há muito a fazer para ajudar. Infelizmente acho que quanto mais tentamos pior é. Nós ficávamos ao lado dela para garantir que não se magoava com todo aquele espernear porque eu acho que na realidade eles estão a "dormir" e não têm noção do que estão a fazer. E é esperar que acalmem e aí sim estamos lá para ajudar a adormecer novamente.
    Falamos com a pediatra e ela referiu os terrores noturnos e é realmente uma fase. Uma fase longa e desesperante mas, pelo menos com a Francisca, foi uma fase.
    Custa, Joana, mas acredite que vai passar.

    ResponderEliminar
  2. Tendo em conta que ela mudou de casa, de escola, de rotinas, de ter a mãe o dia quase todo para só ao final do dia, acho estranho que diga que recentemente não houve nenhuma alteração na vida dela.
    Não digo isto com maldade, as crianças às vezes demoram algum tempo a processar as coisas, pode estar a reagir agora. Quando o meu filho nasceu, a mais velha tinha 1 ano e pouco. Ao início estava impecável, sem birras sem nada. Passado umas semanas teve uma crise brava de pele atópica, ficou com o corpo cheio de feridas, parecia o Cristo em chagas. O sistema nervoso reagiu através da pele, não foi imediato mas reagiu.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Reagiria apenas 4 meses depois? É possível, claro, não descarto a possibilidade :)

      Eliminar
    2. Já passaram 4 meses? Pensei que tinha sido há menos tempo.

      Eliminar
    3. Concordo muitas mudanças...

      Eliminar
  3. Joana, o meu Salvador tem agora 2 anos e 3 meses e teve uma fase em que nós acordávamos com ele aos gritos um choro desesperante não se acalmava no colo (nem do pai nem no meu) não se acalmava com nada parecia que estava em transe nem estava acordado mas também não estava totalmente a dormir. Cheguei à conclusão que não devíamos fazer nada porque quando o pegávamos ao colo parecia que tinha o diabo no corpo. Ficávamos ao pe dele até que ele se acalmava. Mas é assustador e ficamos com uma angústia por não conseguirmos fazer nada para os ajudar. Ele sempre dormiu noites seguidas nunca tivemos que passar pela privação do sono(graças a deus). Depois de alguns desses episódios simplesmente passou, não tinha existido nenhuma mudança acho mesmo que é só uma fase. Força aí em casa, vai passar e ela vai dormir mais noites seguidas!! Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Olá :)

    Relativamente a isso lembro-me de ter lido (acho que foi no "10 Dias para Ensinar o seu Filho a Dormir, da Filipa Sommerfeldt Fernandes) que não há muito a fazer mas que se pode tentar experimentar a seguinte estratégia: Ver se há um padrão relativamente à hora em que isso acontece. Havendo, sugere acordar a bebé 10 / 15 minutos antes de modo a "impedir" o início do processo. Já li esta informação há algum tempo e não tenho bem presente todos os pormenores, mas penso que a essência é esta. Leia essa parte no livro e tente, não custa nada :)
    Boa sorte, depois diga-nos se resulta (no caso de querer experimentar) e bom fim de semana para vocês. Beijinhos


    ResponderEliminar
  5. Por aqui também acontece.. é muito complicado assistir porque não podemos fazer nada.. falámos ao pediatra quando foram as primeiras vezes e ele achou estranho por acontecer numa bebé tão pequena (tinha cerca de meio ano). As noites são difíceis também.. ainda hoje acordou às 4h00 e não dormiu mais... Aguenta mãe! (Estou no trabalho com as pestanas a pesarem 5kg cada!) Força Joana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A minha solidariedade para consigo. Mas e a bebé como se aguenta? Não entendo estes miúdos... Raios partam :p

      Eliminar
  6. O meu pequeno teve durante uma fase, o melhor é nem interagir com ele. Quando o tentava acordar ou sossegar era pior. De me lembrar que corria pela casa toda a gritar e depois atirava se ao chão a espernear. Foi de loucos, e sim eu também chorava. Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Wow hardcore... A minha teve uma fase tb, talvez tenha durado umas 3 semanas. Ao início não percebia o que estava a acontecer e acordava-a: PÂNICO!!!! Depois percebi que não havia nada a fazer a não ser esperar que passasse. Os episódios duravam cerca de 20 minutos .

      Eliminar
  7. Olá Joana,
    A minha filha felizmente até agora só teve meia dúzia de noites assim.
    Já eu tive dos mais variados somos distúrbios de sono. Terrores noturnos, pesadelos mesmo, sonambulismo ou apenas falar durante a noite...
    O pior de tudo é que os mesmos nos fazem acordar até cansadas!
    Algo que sempre me foi dito é que se o dia terminar de uma forma calma e rotineira, ajuda, mas não é 100% eficaz.
    Beijinhos e boa sorte...
    Vai passar...

    ResponderEliminar
  8. O meu filho desde que nasceu que raramente dormia uma noite tranquila, e sem dúvida muito difícil , mas a pouco mais de um mês decidi que está a na altura de ele dormir no quarto dele ( tem 22 meses ) achei que ia ser difícil porque já tínhamos tentando antes ,mas ele agirá dorme a noite toda ,as vezes chora mas depois volta a dormir e posso dizer que tenho dormido muito melhor agora . Boa sorte

    ResponderEliminar
  9. A minha filha teve alguns episódios esporádicos. De facto, nada a consolava. O que fazia era acordá-la mesmo, chamando por ela, e só depois voltava a adormecer tranquilamente. No estado de "transe" nada funcionava com a minha.

    ResponderEliminar
  10. Bom dia Joana! Por aqui já há algum tempo, que a minha a princesa, perto dos 3 aninhos, que também têm, os terrores nocturnos, como lhe chamam. Ao inicio acordávamos assustados a pensar o que estava acontecer,pq as vz são uns gritos e choro assustador. Mas com tempo cheguei a conclusão estava era mesmo a sonhar. Como sempre dormiu mal , ao inicio desta fase não foi fácil mas com o tempo, aprendi a distinguir o choro dela e aperceber-me qd fala ou chama se esta a sonhar ou não, para nao passar as noites, em pé mais o pai. Pode ser soó uma fase vamos aguardar. Mas por experiência própria, tenho 38anos e ainda sonho e falo bastante. O pai de la de casa chega a dizer, que vz estamos as duas a dormir e a falar :) . Bom fim de semana, bjs :)

    ResponderEliminar
  11. Aqui estamos pelo mesmo. Francisca 21 meses e ainda não sei o que é dormir uma noite de seguida! Há umas melhores e há ha as terríveis :(. Como diz a minha avó "aguenta e cara alegre"... Desesperante é não saber como acalmar :(

    ResponderEliminar
  12. Aqui estamos pelo mesmo. Francisca 21 meses e ainda não sei o que é dormir uma noite de seguida! Há umas melhores e há ha as terríveis :(. Como diz a minha avó "aguenta e cara alegre"... Desesperante é não saber como acalmar :(

    ResponderEliminar
  13. Bom dia Joana,
    Última crise no sábado para domingo, acordou por volta das 1:30 a chorar e só parou de chorar as 7:00 quando todos acordaram! Não sabia que as crianças podiam chorar durante tanto tempo sem parar! Já chorava ela e eu!
    Depois a Irmã dela também sempre nos fez crises dessas, não tão horríveis mas quase a mesma coisa! Sempre me disseram que se entrarmos no jogo deles é pior! Porque pensam que os terrores que estão a “sonhar” são reais! Por isso deixei de acalmar e espero que passe! Resulta normalmente, a não ser no sábado 😂! Deseijo vos muita coragem e paciência!

    ResponderEliminar
  14. O meu filho teve, começaram aos 8 meses e agora com 14 meses já quase não tem. A única coisa a fazer é estar lá a tentar que não se magoem. Felizmente quando acordam não se lembram de nada e têm o melhor sorriso do mundo! Força e paciência!

    ResponderEliminar
  15. https://amaezonia.com/2018/03/13/lidar-os-pesadelos-terrores-noturnos/

    ResponderEliminar
  16. Olá Joana
    Eu sou a mãe que no outro post perguntou se teria a ver com mudança de quarto.
    Aproveito para dizer que nesta semana ela (para além de ter começado a gatinhar!) começou a voltar a dormir! Só acorda uma única vez, sempre a mesma hora, mama, bebe biberon e readormece de imediato! Nada a ver com os últimos meses em que acordava de hora a hora ...
    Mas nós percebemos agora o que era: não é vício de nada, nem de colo nem mama nem biberon... Era o nariz! Esteve o inverno inteiro a acordar várias vezes por noite por causa do nariz congestionado (apesar de ser lavado várias vezes por dia e de nós seguirmos todos os preceitos para aliviar já conhecidos) e agora finalmente está melhor e por isso já só acorda uma vez (por poucos minuitos) e nem sequer chora.
    Isto para dizer que se estivesse no vosso lugar não partiria já para essa suposição dos terrores... Pois o nosso filho mais velho de 3 anos por vezes parece que tem esses sonhos ou terrores mas aquilo tem a ver com o nariz entupido e episódios de Apneia!
    Eu também já andei a ler sobre terrores nocturnos pensando que era isso e percebi que será situação pouco comum serem realmente terrores. Eles dormem mal e ficam assustados é por sentirem que de repente não conseguem respirar a meio do sono!
    Nota: eu não inventei isto, os nossos filhos são seguidos por otorrino que nos confirma isto.

    ResponderEliminar
  17. A minha filha teve, começaram perto dos 2.5 anos e foi até aos 3. Era complicado para nós assistir sem conseguirmos ajudar, para os vizinhos (ela acordava os miúdos dos andares de cima e de baixo), para ela nem tanto, porque na verdade "não estava lá".. Descobrimos que lavando a cara com agua tépida, como se fosse de manhã ajudava. Depois começou a dizer que sonhava com as bruxas e/ou o lobo e começamos a seleccionar bem as estórias que contávamos antes de dormir e ensiná-mo-la a enfrentar o medo: se aparecia o lobo ia chamar o caçador ou colocava uma panela de água a ferver, se apareciam as bruxas chamava os príncipes (utilizávamos as estórias também para ela "combater" o medo).
    Pararam tão depressa como começaram e aí melhorou a tortura do sono para nós (sempre foi uma criança de acordar 4 ou 5 vezes por noite desde que nasceu, ou acordar e demorar 1h a adormecer). Pode ser que seja sinal que ela vai regularizar o sono :)

    ResponderEliminar
  18. O meu filho tem 20 meses, teve alguns episódios até hoje. Já não tem há algum tempo...
    A pediatra falou-me que podem acorrer até aos 5 anos. Espero qu enão seja o vosso caso, pois é mesmo muito cansativo.
    Não há muito mais a fazer do que aquilo que relataste.
    Boa sorte

    ResponderEliminar
  19. Olá! Isso também acontece quando estão a tentar aprender a fazer alguma coisa nova! Quando há alguma frustraçaozita. Mas passa. N valorizar e estar lá é o melhor!

    ResponderEliminar
  20. Minha filha também tem... já escrevi sobre isso no meu blog também. É desesperados sim, mas depois que entendemos um pouco do assunto torna-se menos difícil! Aos poucos as crises podem reduzir. Cá em casa já não é tão frequente...

    ResponderEliminar
  21. Na creche disseram-me que os miúdos por vezes sentiam medo na hora de dormir e aconselharam a fazer a brincadeira da mãe verificar que as portas estão fechadas e eu juntei o ritual de mandar as bruxas, monstros e afins para a cama na hora de o deitar.

    ResponderEliminar
  22. Bom, não sei se acredita ou não. Eu não acreditava. MAs experimentei e resultou. Sou mãe de uma menina de quase 5 anos e garanto que os terrores cá em casa iniciaram cedo e foram uma constante, até já bem pouco tempo.
    Disseram me uma “mezinha”, daquelas antigas. E resultou.
    Consiste em colocar umas meias do pai dentro da cama ao nível dos pés. Resultou!!!!

    ResponderEliminar
  23. Olá Joana, o meu filho mais velho, o Martim, começou com terrores nocturnos por volta de 1 ano de idade. Realmente eram episódios assustadores, parecia mesmo "possuído pelo diabo"... quando relatamos à pediatra ela disse com muita calma que eram os chamados terrores nocturnos, que o menino estava a dormir e que a única coisa que podíamos fazer era ficar junto dele para o proteger de quedas ou outros acidentes. Disse também que aos 8 anos desapareciam mas que poderia passar para sonambulismo. E não querendo de todo dizer que com a Luísa será assim, com o Martim foi... ao início eram bastante duradouros e quase diários, depois começaram a ser mais espaçados e curtos, começamos a reparar que em dias de maior excitação eram certinhos de acontecer. Ao longo dos anos começamos a perceber os sinais de que estava para começar e ainda evitamos alguns conseguindo que acordasse antes de despoletar a "crise". Por volta dos 8 anos começaram a desaparecer e hoje com 10 já teve alguns casos de sonambulismo. Espero sinceramente que com a sua Luísinha corra bem melhor... Boa sorte e beijinhos para a família linda que tem! Bem haja!
    Mónica

    ResponderEliminar