sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

Já sabemos o que a Luísa tem!!!

Desabafei aqui. Andávamos maluquinhos sem saber o que teria a Luísa. Andou a coxear uma semana e tal até chegar a um ponto em que mal se punha de pé. Fomos a dois ortopedistas pediátricos de referência, no privado, fez raioX e nada. Podia ser várias coisas, pediram-nos que esperássemos. Um dos médicos, deu-nos o telefone, caso piorasse. Piorou. Passou de coxear para não ter sequer força na perna (parecia ter choques eléctricos - sabem quando alguém vem por trás e dá com o joelho por trás do nosso?). Ligaram da creche muito preocupados "hoje não aguenta de pé". Frase que me cortou o coração. Resolvemos ir às urgências, mais vale a mais do que menos. Precisava de um nome. Saber o que era. Descartar coisas piores. É legítimo. 

Pediatra. RaioX. Ortopedista. Ecografia. Ortopedista. 

Três horas e tal depois, estavámos a caminho de casa com um nome: sinovite transitória da anca. E com esse nome, um alívio tremendo. 
Não adorei o facto de me sentir julgada por estar ali, depois de ter estado com o "maior especialista na área". Ouvi que não era nada duas vezes. Uma antes da ecografia, que sugeri, e uma depois. Percebo que isto possa ser equiparado a uma constipação, para quem lida com coisas mais graves todos os dias, mas É alguma coisa e ainda bem que, ao mesmo tempo, "não é nada". 

Já está a anti-inflamatório e vai ficar boa num instante.

Obrigada a todas pelo carinho todo, mensagens de preocupação, sugestões e até ajuda de médicas! Não me esquecerei tão cedo desta onda de amor, nem quando duvidar desta coisa de ter um blogue! Obrigada por terem tirado um bocadinho do vosso tempo para me confortarem. Impagável. 




Nota: o Facebook decidiu mudar o seu algoritmo e a partir de agora vai mostrar-vos mais posts dos vossos amigos e menos de páginas onde fizeram like. Querem saber quando publicamos coisas?
👉 Aqui na página de Facebook da Mãe clicam onde diz “A Seguir” e seleccionam "Ver Primeiro"
Sigam-nos também no Instagram:
E nos nossos pessoais:

31 comentários:

  1. Graças a deus vai passar este suato num instant rapidas melhoras a luisa mts bjinho

    ResponderEliminar
  2. Que bom Joana, do mal o menos! O Tomé também teve. Assim que comecou a coxear levámo-lo a urgência pediatrica do hospital do Espírito Santo em Évora e tive sorte de detectarem logo. Passa num instante! Chato, mas passa. Um beijinho apertadinho

    ResponderEliminar
  3. O meu Rodrigo teve isso com 1 ano e pouco! Mas ele deixou mesmo de andar de um momento para o outro.. sem força nas pernas!! Imagina o pânico!! Ainda bem é só isso!

    ResponderEliminar
  4. Ainda bem que já sabem o que é e que vai ficar tudo bem :)

    ResponderEliminar
  5. Ainda bem que tudo se resolveu! Não deixo de achar estranho é 2 ortopedistas de referência não terem conseguido diagnosticar a menina, quando afinal é uma inflamação bastante frequente nas crianças, que a urgência do SNS detetou nalgumas hora!!! Tambem tenho andando desiludida com alguns especialistas do privado, mas de ORL. As melhoras da Luisinha. SF

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A sinovite transitória da anca não é passível de ser diagnosticada através de exames, mas sim como exclusão de outros diagnósticos, e revisões esperar pela evolução da "doença" para ter um diagnóstico definitivo, daí não ser dada uma certeza de diagnóstico no imediato. Pode ser o melhor médico do mundo, mas há coisas que é preciso esperar e não vai lá para arte da adivinhação

      Eliminar
    2. Percebo o que quer dizer mas, por experiência própria, acho que se um médico suspeita que é algo que passa com o tempo, o deve dizer e referir qual a suspeita que tem. Infelizmente, passei por um problema há alguns anos em que o médico que me seguia disse que os exames que eu tinha estavam todos os bens e que não havia razão para me preocupar. A total ausência de informação levou-me a recorrer a outros médicos, a fazer mil e um exames, a passar até pela suspeita um diagnóstico aterrador (que felizmente se veio a saber que não era o que eu tinha) para depois um médico me dizer que aquilo que eu tinha era algo passageiro, raro mas sem sequelas. Hoje acredito que o primeiro médico, que me conhecia há tantos anos, percebeu ou suspeitou o que eu tinha e não se preocupou mais por saber que era passageiro e que se confirmaria com o tempo se estava certo ou não. Mas devia ter-me dito o que achava que era e teria evitado um sofrimento muito maior. Nunca mais o consultei porque na boa vontade de não me querer fazer o diagnóstico errado acabou por não falar da sua suspeita, o que foi pior.

      Por isso, acho que estes médicos que a Joana consultou podiam ter dito que suspeitavam desta doença, explicar que é algo pouco grave e passageiro, mas que só o tempo diria se estavam certos ou não. Assim a Joana e o marido perceberiam o porquê de terem de esperar em vez de se assustarem.

      Eliminar
  6. Acho que todos os leitores ficaram mesmo felizes com esta boa notícia!

    ResponderEliminar
  7. Ainda bem que está diagnosticado :) as melhoras Luísa!

    ResponderEliminar
  8. Tanta gente a apontar para isso e a Joana a dizer "não tem mais sintomas". Sáo só os filhos dos outros que têm disso, querem ver?Ainda bem que têm o diagnóstico. mAs se já está assim há tantos dias o anti-inflamatório já nao vai fazer nada. A inflamção das articulaçoes ja passou sozinha. MAs pode sempre entupir a criança de medicamentos, pode ser que ajude no ranho:)! Bjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não sou médica e prefiro confiar no que me aconselharam. Se na ecografia foi encontrada ainda inflamação, não deve ter passado sozinha, digo eu que nada sei. Se me quiser receber no seu consultório, não digo que não. :)
      Bjs

      Eliminar
    2. Meu Deus! Como é que a anónima consegue ser tão passivo agressiva, que sobranceria... Acha que a Joana iria confiar mais no diagnóstico dos leitores do que nos médicos a que foi? Se nenhum dos dois lhe deu esse diagnostico final não iria ser ela a achar que seria. Mais compreensão e menos julgamento!
      Sara Freitas

      Eliminar
    3. Escrevo como alguem que trabalha especificamente em inflamaçao. E sim a Joana foi bem aconselhada, a inflamaçao por vezes prolonga-se muitos e muitos dias. O anti-inflamatorio vai ajudar e depois so o tempo para o corpo recuperar o seu equilibrio natural, mas mesmo aqui Joana, nao se preocupe se demorar algum tempo, é normal!

      Eliminar
  9. Been there
    Vai resolver facilmente
    Beijinho 😘

    ResponderEliminar
  10. O Vasco tb teve isso com 1ano e pouco,do nada começou a coxear e sempre que parava em pé chorava e levantava a perna. Levei-o logo para as urgências e após RX e ECO deram logo o diagnóstico. Passou em 3dias ;)*

    ResponderEliminar
  11. Ainda bem que está tudo bem. :) beijinhos 😘

    ResponderEliminar
  12. Olá.
    A minha filha teve em Novembro. Não falei sequer nisso no outro post, porque como estavas a consultar especialistas, achei que não seria isso, mas sim algo mais grave. A achar que se fosse "só" isso eles teriam reconhecido...
    Era aflitivo, chegou a rastejar, queria brincar e tinha de pedir para a mudarmos de lugar pois não conseguia. Passou, ainda bem :-)
    As melhoras para a Luisa.

    ResponderEliminar
  13. Graças a Deus que foi só um susto. Confesso que fiquei com o coração apertado, também sou mãe e é inevitável não sentirmos empatia. Agora como é que o maior especialista na área não faz este diagnóstico que, ao fim ao cabo, não é assim uma coisa tão rara quanto isso?!

    ResponderEliminar
  14. Sou ortopedista. É muito provável que esse diagnóstico esteja correto, mas atenção que é sempre um diagnóstico de exclusão. Aquilo que os outros especialistas lhe disseram está certo e deve mesmo ser reavaliada ao fim de 3 semanas. O mais provável é que tenham pensado o mesmo que estes só que não lhe disseram o nome desta entidade... Desculpe o comentário, mas calhou ver e tive mesmo de o fazer.

    ResponderEliminar
  15. Ainda bem. As melhoras. Bjs

    ResponderEliminar
  16. Que alivio! É sempre bom também aprendermos estas coisas! Um beijinho

    ResponderEliminar
  17. Graças a Deus que dentro do possível não é nada de muito grave e especialmente que já sabem o que é, para poderem sossegar o vosso coração de pais. Porque não há maior angústia do que não sabermos o que os nossos filhos têm. Agora que a Luisinha fique boa depressa.

    ResponderEliminar
  18. percebo tão bem o stress... umas das minhas filhotas teve isso mas no pulso. do ombro para baixo não mexia nada e quando lhe mexiamos gritava com dores, na altura ainda nao tinha feito dois anos....

    ResponderEliminar
  19. Quando consulto um médico nunca refiro que já estive noutros. É sempre como se fosse a primeira vez.

    ResponderEliminar
  20. Joana...faça na mesma aquilo que os ortopedistas recomendaram. Esperar e fazer o tal exame. Descartar tudo. Este blog é muito reconfortante nisto: aprendemos coisas das quais ninguém nunca ouviu falar, e que calham ser super banais. Se um dos meus filhos deixasse de ter força nas pernas ... credo.... imagino o susto. Um beijinho enorme para vocês e ainda bem que foi só uma coisita 😊

    ResponderEliminar
  21. Ainda bem que não é nada de grave! Mas o coração de mãe é assim, fica apertadinho enquanto não vê os filhos bem, felizes e enérgicos! Que bom que tudo acaba bem!

    ResponderEliminar
  22. Que bom, ficamos de coração cheio por saber que é algo resolúvel :) um beijinho muito grande à pequena grande princesa e um abraço para ajudar nas melhoras rápidas!

    ResponderEliminar
  23. Parece que afinal é mais frequente do que parece. A minha filha teve no ano passado, tem dois anos e começou por coxear até deixar de andar. E também foi no SNS que foi detectada a sinovite transitória. Ainda bem que não passou disso. As melhoras. Bjinhos.

    ResponderEliminar
  24. Ainda bem que o diagnóstico, agora, está direcionado para uma coisa pouco grave e altamente curável :)

    A todos os comentadores que não percebem "como é que um especialista não fez o diagnóstico", gostava de mostrar este gráfico:
    https://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcQNpq-YrG0GI_viHj1mSGeIbdzcIF_X7zvmL2jCQuV0y1RsdGNv na Medicina, não há sempres nem nunca. E, como acho que é tão elegantemente explicado neste gráfico, muitas vezes quando uma doença começa, os sintomas/sinais são mais subtis e é muito difícil perceber o porquê, qual a causa, do problema; à medida que o tempo passa e o quadro evolui, as coisas tornam-se mais claras e, então, é mais fácil chegar a uma explicação. às vezes, é preciso dar tempo ao tempo, estando com atenção a eventuais sinais de alarme.
    A Medicina é uma Ciência, não tenhamos dúvidas disso. Mas é de uma complexidade tão fascinante quanto assorberbante :)

    As melhoras para a Luísa!

    ResponderEliminar
  25. O meu filho mais novo teve por duas vezes. Uma delas com 11 meses e mais tarde, aos 18 meses. Da primeira vez, 3 semanas sem andar, sendo que tinha começado a andar dos 9 para os 10 meses. Até para mudar a fralda ele gritava. Da segunda vez, esteve apenas um dia sem andar. Mas é um sufoco sim. O diagnostico é por exclusão de partes. Ainda bem que está esclarecido!
    Silvia

    ResponderEliminar