Mostrar mensagens com a etiqueta pensamento. Mostrar todas as mensagens
Mostrar mensagens com a etiqueta pensamento. Mostrar todas as mensagens

domingo, 2 de setembro de 2018

Quero ser mais feliz que isto (#03) - Nunca mais tenho férias só no Verão!

Epá, miúdas... Importam-se que vos chame "miúdas"? Não é que não seja miúda como vocês, é precisamente pelo contrário. Acho que somos todas umas miúdas e que vamos ser para sempre. Mesmo as avós que andam para aqui a ler umas coisinhas - só não digo que são mais "que as mães" porque seria parvo. 

Já viram a diferença que nos faz termos férias? Fazermos uma pausa? Bem sei que nem toda a gente tem a minha sorte de poder ter 25 dias de férias por ano e de poder escolher quando as tira, mas têm visto como tudo muda? O sol, o bom tempo ajuda, mas... acima de tudo acho que é parar e "sair". Quebrar a rotina. 

Nem tudo tem que ser caro. Não precisamos de estourar um ordenado num hotel. Ou de ir para o "estrangeiro". Há amigos que têm casa em sítios, sei lá. É termos a lata de pedir a chave para um fim-de-semana. É roubar a tenda a alguém e ir acampar para outro concelho, é... irmos ter com alguém algures e ficar acordados até tarde. Muitas de vocês já devem fazer isto e já descobriram "o caminho para a felicidade", não era o meu caso.  



Tenho deixado as minhas férias todas e a mentalidade "de férias" para as férias. Não pode ser. Tenho de pausar. Tenho de deixar mais férias para o resto do ano, para irmos. Só. Irmos. Para desaparecermos um bocadinho e voltarmos a nós. Especialmente eu. A diferença em mim quando saio da "roda de hamster" é... incrível. 

Temos todas - principalmente as que sentem, como eu, que "andam a mil" - de ser mais espertas e ver como podemos quebrar esta sensação de urgência constante que tão nos maltrata e aos mais próximos de nós. 

Recebi uma mensagem de uma amiga e leitora na semana passada a pedir-me o contacto de uma psicoterapeuta (eu faço terapia e já falei disso aqui no blog aqui em Faço Terapia) e pulei de felicidade (parte do motivo de ir às consultas é este meu histerismo - ahaha brincadeira) por saber que há mais uma pessoa a "acordar" e a ter vontade de "Ser mais feliz que isto". Não tem necessariamente de passar por terapia para toda a gente (para mim é importante que tenho... muitos sentimentos reprimidos, muita história por desconstruir e muita... dor por arrumar), mas acho que uma das coisas que temos de fazer é esta: parar mais vezes. 

Conseguem já não andar sempre "a mil"? 

Tenho andado a repensar coisas, fica aqui a lista do que já partilhei convosco: 


quarta-feira, 5 de julho de 2017

Não tenho dinheiro.

O dinheiro não estica, é verdade. A vida não está fácil, também é verdade, mas dei por mim a aperceber-me que gastava muito do meu dinheiro em "trampa". Aqueles momentos em que achamos que tudo na loja do Tigre (coff.. coff..) é muito barato e acabamos por comprar um piaçaba, um tampão com motivos infantis e meio candeeiro de plástico a 50 euros.

Reparo que assento muito da minha vontade de me sentir bem em comprar "coisinhas". Seja mandar vir umas camisolas da Zara sem precisar ou de comprar uma vela na Zara Home (calma, não estão a pagar o post - mas deviam) ou comprar uma agenda nova de 50 euros (aconteceu). 

Isto sou eu. Provavelmente a esconder um buço por fazer porque "não tenho dinheiro". 


Em vez disso, estou a privar-me de, talvez: 

- ter poupanças - seria interessante poder ter um "pé de meia" para não me arrepiar sempre que me lembro que é mês de pagar o condomínio 

- ter menos merd* cá por casa - a quantidade de porcaria que tenho por aqui, brinquedos perfeitamente desnecessários para a Irene e mini porcarias sem utilidade. Não quero nada um corta ovos, que parvoíce! Corto o ovo com uma faca, para quê tanta mariquice?

- viajar nas férias - poder pegar em mim e na Irene (e, se calhar na Susana) e irmos a Londres, Paris, Espanha... Fazer coisas "em grande" que me preencham mais do que apenas comprar e "enfiar na gaveta" (sei que esta expressão também tem algo que ver com cuecas e rabo, mas decidi manter). 

- comprar cortinados - ando sempre a dizer que não tenho dinheiro, que é caro e, se calhar, com tanta trampa, já tinha os cortinados e até uma pessoa para mos abrir e fechar quando fosse preciso. 

- ir à manicure e pedicure e não sei quê - "não tenho dinheiro para isto", se calhar até tenho! Ando é a gastar em coisas que me façam sentir menos bem tipo um pedacinho de relva artificial dentro de um vaso de plástico que está aqui a enfeitar-me a secretária e que os meus gatos adoram roçar o esfíncter nela - já valeu a pena por eles. 

Sei que não vou conseguir abdicar de tudo, mas vou "deixar-me de merdas" e tentar aproveitar o que já cá há em casa. Se me organizar melhor no armário, provavelmente até tenho mais roupa para usar em vez de andar a comprar mais "básicos" a 3 euros por serem baratos. 

Vá. 

#adeixarmedemerdas

✩✩✩✩✩✩✩✩✩✩

Sigam-nos no instagram 
aqui 
a mim também aqui e à outra Joana aqui.
O nosso canal de youtube é este.
Enviem-nos um mail  à vontade.